quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Se te juntares aos bons, serás um deles. Junto dos maus serás bem pior do que eles!...


LIGA DOS CAMPEÕES COMEÇOU MAL

«Talisca, Cornelius, Cristiano e Morata. São estes os nomes dos vilões que tramaram os três grandes portugueses na Liga dos Campeões. Terminou ontem a primeira ronda de uma prova que não começou bem para as nossas gentes. Benfica e Porto empataram em casa com equipas que se esperava acabassem batidas e os leões viram um sonho esfumar-se no final.

O Sporting fez um jogo enorme em Madrid. Foi superior ao Real durante 80 minutos, podia mesmo ter ampliado a vantagem, mas não suportou o pressing final dos merengues, que conseguiram a remontada através das figuras, mais do que pela qualidade futebolística. Pena que Jesus tenha sido expulso, que Patrício não tenha chegado a nenhuma das bolas de golo, que o juiz italiano tenha decidido amarelar apenas jogadores portugueses e que Ronaldo, uma vez mais, tenha marcado a uma das suas antigas equipas. Verdade é que de três pontos preciosos para um eventual apuramento, os leões ficaram com zero. E tudo volta a parecer impossível. Ou não?

Impressionante, ainda assim, a qualidade futebolística demonstrada pela equipa de Jorge Jesus. Da capacidade defensiva quase até final, ao meio-campo de luxo até à saída de Adrien e estoiro de William, ao repentismo e talento de Gelson. Ontem a Europa ficou toda a saber quem é o extremo português. A forma como rabiou os defesas merengues deixou Madrid incrédula. JJ disse que com ele no banco o Sporting não perderia. Acredito. Por isso seria bom que o técnico tivesse outro comportamento no banco. Ainda é tempo de aprender...»
(Bernardo Ribeiro, Entrada em Campo, in Record) 


"E tudo volta a parecer impossível. Ou não?", pergunta Bernardo Ribeiro nesta sua crónica que mais uma vez parece indiciar que a sua "pré-época" terá sido um desastre bem pior do que aquela que Rui Vitória ministrou aos seus "génios"! Está em absoluta "fora de forma" o Bernardo!...

Pelo que hoje escreve, se bem entendo que depois da derrota em Madrid tudo voltou a ser impossível, é óbvio que na sua, dele, mente, antes o era! Mas BR, pelo que aqui entre nós os dois que ninguém nos ouve ambos sabemos, pelo menos depois do jogo de ontem à noite, deveria trocar, como sub-director do Record, o seu cepticismo congénito e mal amanhado por inclassificáveis influências ou desígnios, pelo pensamento linear, honesto e justo do benfiquista, e sublinho benfiquista, que assina a crónica que destaquei no post anterior: "O Sporting perdeu um jogo, mas o jogo ganhou o Sporting."

Oh Bernardo, olhe que com certos benfiquistas até um sportinguista aprende!...

Se te juntares aos bons, serás um deles. Junto dos maus serás bem pior do que eles!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. então meu merdoso, não falas do talisca e do minuto 90 e do caralho que te foda? Mais uma vitoria moral artolas de merda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu és isto tudo a triplicar. Covarde invertebrado sem nome. O que eu daria para te apanhar pela frente.

      Eliminar
    2. Não compreendo a boa vontade do amigo Álamo, em deixar passar tal comentário, do anónimo das 09:32. Será para nos fazer perceber o que é um boifiquista, lampiurso, lampião, carnidense, benfas, adepto da porta 18? Que comentário!

      Eliminar
    3. Caro A.Martins, penso que serão demasiado óbvias as razões que me levaram a não ter utilizado a habitual guilhotina no abjecto cometário do "anónimo das 09:32"!...

      Embora avesso a qualquer tipo de violência física, terei de confessar que também não saberei o que daria para assistir a que José Monteiro o apanhasse pela frente! Mas é fácil, qualquer anónimo é perfeitamente identificável, basta que se utilizem alguns processos um pouco mais avançados tecnologicamente e... caem que nem tordos!...

      Qualquer delegação distrital da PJ está hoje equipada para responder a questões desta natureza...

      Eliminar
  2. As substituições do Sporting foram de jogadores que chegaram há pouco tempo ao clube. Ainda por cima apanharam a partida numa fase crítica, depois da expulsão do Jesus, com o adversário revigorado pelas suas substituições e totalmente balanceado para o ataque.

    O Sporting tinha de mexer. As substituições não surtiram efeito, mas o Sporting também não jogou sozinho. Certo é que não vimos o Sporting a meter defesas e a ficar lá atrás a "rezar" para não sofrer golos, ou vimos? Não correu bem, aceitemos isso e siga.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE