sábado, 28 de maio de 2022

Parabéns Campeã!!!...


As primeiras palavras de Mariana Cabral, treinadora do Sporting, na sala de imprensa do Estádio Nacional, após a vitória sobre o Famalicão (2-1) e a conquista da Taça de Portugal...

«Foi uma festa muito bonita e acho que merecíamos este troféu, é uma forma muito boa de fechar a época. Ganhar troféus neste clube é sempre importante e a nossa equipa cresceu muito esta época. Ninguém acreditava em nós no início, tivemos as nossas dificuldades, nem tudo correu como nós queríamos, mas aprendemos muito e saímos mais fortes. Neste clube temos de lutar sempre por todas as competições e portanto estamos disponíveis e preparadas para na próxima época voltar a fazê-lo. Já estamos a preparar a próxima época há algum tempo.

Foi a minha primeira época no futebol sénior, tenho muito para aprender, cometi vários erros, mas toda a gente me ajudou muito».

Parabéns Campeã!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

E a Taça é nossa, Grandes Leoas!...


E a Taça é nossa, Grandes Leoas!...

Leoninamente,
Até à próxima

Para se manter presidente!!!...


Mas precisa como de pão para a boca, dos bons músculos e dos maus fígados dos mais novos... 

Para se manter presidente!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Venha depressa essa "revolução"!...


«Paulo Cunha, director do voleibol do Sporting, garantiu, ontem, em entrevista à Sporting TV, que Gersinho vai continuar como treinador da equipa masculina, ele que vai para a quarta temporada em Alvalade.

O nosso jornal já tinha dado conta de que o treinador brasileiro, de 43 anos, tinha contrato com o clube e para cumprir, depois de os leões terem ficado esta época em branco quanto a títulos, perdendo a final do playoff para o rival Benfica ao fim de apenas três jogos.

O dirigente confirmou ainda, as saídas, entre outros, dos brasileiros Vítor Hugo e Robinson Dvoranen e do líbero português João Fidalgo, a quem deixou, de resto, palavras elogiosas pela sua atitude, depois de ter ficado a saber há dois meses que não ia ser opção no clube para 2023.

Sobre o reforço do plantel para a próxima época, Paulo Cunha disse que o grupo vai ter sete caras novas, cinco delas já contratadas.»
Por Ana Paula Marques

Depois de uma temporada do voleibol completamente atípica e que, face às expectativas iniciais dos Sportinguistas, acabou por constituir uma verdadeira desilusão - nenhum título foi alcançado! -, seria expectável que a corda partisse pelo sítio habitualmente mais frágil - o treinador...

Assim não o terão entendido os responsáveis leoninos que, pela voz do responsável máximo da modalidade acaba de garantir a confiança e a continuidade de Gersinho e anunciar, ainda que omitindo para já nomes, a contratação de "sete caras novas, cinco delas já contratadas".

Veremos na nova época se a "revolução" anunciada, trará as melhorias que todos os Sportinguistas esperam e desejam...

Venha depressa essa "revolução"!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 27 de maio de 2022

Iremos ainda a tempo???!!!...


Será que este "ilustre goleador francês ao serviço do Famalicão" - nascido em França mas de ascendência congolesa - terá escapado ao radar de Amorim?! Dezassete golos (17) e seis (6) assistências?! Chiça! Até estou "banzado"! Por alguma razão o Tranfermarkt atribui 5 M€ ao seu passe!...

Consta o interesse do Sporting, mas haverá mais interessados por cá. Porém, com Amorim a "porta bandeira", será como o código postal... 

Iremos ainda a tempo???!!!...

Leoninamente, 
Até à próxima

Vale a pena acreditar na inteligência feminina!...


«A FPF anunciou esta sexta-feira que a árbitra Ana Afonso vai dirigir a final da Taça de Portugal de futebol feminino entre Sporting e Famalicão, marcada para amanhã (15h15) no Jamor.

A juíza da AF Porto terá como assistentes Cátia Tavares e Cristiana Costa. Sara Alves será a quarta árbitra.

Recorde-se que a final da prova conta com VAR, que estará a cargo de Rui Oliveira, também da AF Porto. Estará auxiliado, na Cidade do Futebol, por Vasco Santos e Catarina Campos.

Nota ainda para a presença de Sara Pinheiro, árbitra jovem desgnada pela APAF para integrar a equipa de arbitragem.»

E que o elemento feminino da arbitragem portuguesa ainda não se tenha deixado  contaminar pela nojenta virulência que atinge o futebol masculino...

Vale a pena acreditar na inteligência feminina!...

Leoninamente,
Até à próxima

Que em Alvalade possa realizar todos os seus sonhos!...




Em qualquer homem e atleta, o reconhecimento, a gratidão, a nobreza e a ambição, por mais estranho que a alguns pareça, nunca serão sentimentos incompatíveis, desde que coexistam num caráter íntegro e bem formado.

Diogo Abreu tem todo o direito de ser um jovem ambicioso...

Que em Alvalade possa realizar todos os seus sonhos!...

Leoninamente,
Até à próxima

Uma aragem de dignidade!...



Fica uma gratidão imensa e...

Uma aragem de dignidade!...

Leoninamente,
Até à próxima

Uns vão bem e outros mal!...


«Luís Magalhães, que falava à imprensa após a derrota (95-80) no terceiro jogo da meia-final da Liga portuguesa de basquetebol, que afastou os ‘leões’ da final, aproveitou o momento para agradecer a todos quanto trabalharam com ele nas três épocas que esteve ao leme dos ‘leões’.

“Hoje, também saio do Sporting e do basquetebol. Estou cansado. Há mais coisas a fazer na vida. Não me revejo neste tipo de coisas. Não quero estar metido nisto, prefiro afastar-me. Agradeço aos jogadores, ao staff do Sporting. Era para ter vindo por uma época e fiquei três”, começou por dizer.

Questionado se a decisão estava mesmo tomada ou se estava a ‘falar a quente’, o treinador foi claro, realçando que quem o conhece sabe que não diria isto se a não tivesse tomado.

Segundo Luís Magalhães, na base desta decisão está a Federação Portuguesa de Basquetebol que tem, segundo o próprio, deitado abaixo a modalidade.

“Sou treinador há muitos anos, quando a Liga tinha um basquetebol elevadíssimo. Esta própria federação, estes membros que lá andam há vários anos deitaram-na abaixo. Agora continuam a dar golpes no basquetebol e não quero estar metido nesta situação. Prefiro sair, prefiro afastar-me”, concluiu.

Nos três anos no Sporting, desde 2019/20, Magalhães conduziu os ‘leões’ à conquista de um campeonato, três edições da Taça de Portugal, uma da Taça Hugo dos Santos e uma da Supertaça.»

 

E assim se faz Portugal...

Uns vão bem e outros mal!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 26 de maio de 2022

Vergonha!!!...



O pesado silêncio da culpa

«Daqui a pouco fará um mês que Igor Silva, 26 anos, foi barbaramente esfaqueado às portas do Estádio do Dragão e, enquanto a investigação faz o seu trabalho de recolha de prova, tudo parece paralisado à volta deste episódio. Como se precisássemos de uma prova judicial, ainda mais fumegante, para fazer o debate sobre o que ali se passou, o que significa e como se combate.

A morte de Igor Silva não foi um episódio deslocado. Trata-se de uma morte que deve ser enquadrada numa luta pelo poder na claque dos Super Dragões e, consequentemente, pelo domínio do imenso dinheiro que mandar nesta guarda pretoriana comporta.

Os Super Dragões e os seus mandantes são os donos de dinheiro proveniente da venda de bilhetes no futebol, e nas muitas modalidades do FC Porto que enchem pavilhões. São os donos de dinheiro que vem do ‘franchising’ de produtos do clube e, alguns dos chefes da claque, são também os padrinhos que dominam o negócio da protecção mafiosa na noite do Porto, da droga e de um vasto conjunto de criminalidade bagatelar, mas sempre instrumental de crimes maiores e mais danosos.

O debate que um Estado de Direito Democrático tem a fazer sobre uma situação destas é simples. A lei tem de representar uma forte e verdadeira cerca sanitária sobre este tipo de criminalidade. O Estado tem de recorrer a todos os meios ao seu alcance para erradicar este tipo de bandos, que medram na sombra tutelar dos clubes, não apenas do FC Porto. Lei e Estado têm de enquadrar este tipo de fenómenos como o que efectivamente são, associações de malfeitores que vivem da intimidação e da violência, a começar, como se viu no caso de Igor Silva, dentro da própria casa, recorrendo à violência para eliminar adversários no processo de afirmação tribal do chefe. Há alguma dúvida?

Os cobardes que matam e choram são um pouco melhores, apesar de tudo, do que os outros que os educaram e incentivaram a meter a força e a pura irracionalidade no lugar da decência. Uns e outros, não têm lugar numa sociedade livre e democrática. Espera-se, por isso, que este debate não morra nos gestos simbólicos criados pela oportunidade de agendas, como o caso das ausências de Marcelo e Costa da final da Taça de Portugal. Ou que se fique pelo caso isolado, quando já existe uma verdadeira ‘cantera’ de violência, e abra alas para que o actual chefe da claque apareça a liderar a claque de todos nós nos jogos do Mundial. O que seria uma vergonha mais, para um sistema político e desportivo que já carrega, em ruidoso silêncio, uma culpa imensa por tudo isto ter chegado ao estado a que chegou.»

Vergonha!!!...

Leoninamente,
Até à próxima