quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Em Alvalade Husillos não teria tal azar!...

Mário Husillos

Guarda-redes Roberto determina demissão do director desportivo do West Ham, Mário Husillos

Roberto Jiménez tem vindo a ser um dos destaques pela negativa do West Ham. Com a lesão de Fabianski, o espanhol assumiu a baliza dos hammers. Terá cometido porém uma tal série de erros consecutivos que acabaram por resultar numa sequência de oito jogos sem vencer.

De acordo com o jornal The Guardian, as más exibições do ex-Benfica terão acabado por determinar demissão de Mário Husillos: a direcção do West Ham terá perdido a confiança nas capacidades do director desportivo - que recomendou de forma pessoal a contratação do guarda-redes, protagonista de uma 'insólita' carreira, mas pelos vistos, sempre bem relacionado com quem decide transferências.

Formado no Atlético de Madrid, Roberto encontra-se a cumprir a primeira temporada em Inglaterra, depois de passagens por Huelva, Benfica, Saragoça, Olympiakos, Málaga e Espanhol. Presentemente somará um total 19 golos sofridos em nove partidas.
(in jornal A Bola, hoje)

Em Alvalade Husillos não teria tal azar!...

Leoninamente,
Até à próxima

Séria e profunda reflexão!...


Varandas sabia para onde vinha

«Não foi há muito tempo que sete homens disseram que conheciam a realidade do Sporting e apresentaram-se como tendo soluções para a resolver. Logo, não enganem a plateia com as dificuldades que agora sentem e o passado que utilizam sempre como arma de arremesso para obnubilar um filme que desgosta e desgasta a família sportinguista. Varandas teve dez meses para produzir a sua obra-prima com a construção do plantel e o planeamento desta temporada, mas saiu um filme de terror de série B, mal amanhado, uma manta de retalhos condenada ao insucesso. Neste momento ouvem-se os acordes da orquestra do Titanic enquanto o gigante dos mares naufraga. E esse afundamento advém da falência do mantra do presidente, "Unir o Sporting". Nunca o emblema esteve tão fragmentado naquele eterno clima autofágico em que respira e ninguém vê um oásis que compense o caminho desértico.

«Se é o destino de um homem mudar o mundo, é necessário que primeiro ele se mude a si mesmo», lê-se em "Augustus", de John Williams, um dos grandes livros editados este ano. Escrevia assim o líder que estabeleceu os alicerces do império romano, porém, Varandas não é um líder, não tem carisma nem empatia (e não há líderes sem empatia), não tem maturidade nem "gravitas", mal consegue balbuciar umas palavras (mais um espectáculo penoso esta semana com o Judo na CML) e está desnorteado.

Recomendava construtivamente que aproveitasse a licença parental para um exame de consciência, se resguardasse, assumisse erros, corrigisse a rota e contratasse um "media-training" competente para o ajudar a comunicar melhor (tarefa dificílima, reconheço), pois deriva da mediocridade do seu discurso e comunicação que os adeptos estão sem esperança, sem ânimo, e os sportinguistas precisam neste momento de um rumo coerente mas também de um flautista que os volte a encantar com a Terra prometida de um futuro melhor.

Varandas sabia para onde vinha. A missão de comandar o Sporting era, é e será, ciclópica. Já chega de invocar o passado e governar contra os seus. Tem de congregar, ouvir até críticos muito mais sapientes do que ele em diversas áreas para humildemente aprender e ganhar mais matreirice e conhecimentos, contudo, temo que, ao contrário do conselho de "Augustus", o isolamento e autismo a que se impôs sejam as barricadas da sua própria destruição que o levarão a ser o Napoleão Bonaparte exilado na ilha de Santa Helena, sozinho e sem tropas.

PS: Na página 18 do Record de terça-feira, na sequência do título «Varandas deu murro na mesa» leio: «o "recado" foi ontem transmitido ao grupo por Silas e Beto – já que Varandas e Hugo Viana regressaram a Lisboa por motivos de agenda, dada a recepção na CML à equipa do Sporting campeã europeia de Judo». Então o director desportivo não fica com a equipa? Mas não trata do futebol? O que veio para Lisboa fazer Hugo Viana? O mais incompetente director desportivo do mundo ainda é director desportivo do Sporting?»
(Rui Calafate, Factor Racional, in Record, hoje às 17:11)


Tenho vindo a recusar liminarmente o "bota-abaixismo" com que Frederico Varandas se viu confrontado apenas alguns meses depois da sua tomada de posse, em primeiro lugar por sempre o ter entendido com manifesto e intencional perfil revanchista, depois por razões que teriam a ver com a ideia que sempre me acompanhou e continua a acompanhar, da necessidade absoluta de o maior número possível de sportinguistas ter o dever de concorrer para a estabilidade imprescindível à recuperação do Clube e, finalmente, por sempre ter recusado um Sporting governado na praça pública, de fora para dentro e, recorrentemente, à margem dos mais elementares princípios e valores democráticos.

Continuo ainda hoje a pensar que o Sporting pouco ou nada terá a ganhar com novo, doloroso e incomportável processo eleitoral em espaço de tempo tão violentamente curto e sem que ao presidente eleito sejam concedidas todas as oportunidades para levar a bom termo o seu mandato. A menos que, com toda a legitimidade, o próprio algum dia entenda decidir o contrário...

Porém, uma coisa serão os princípios, os valores e até as boas intenções e outra, muito diferente, será enterrar a cabeça na areia e não reconhecer que algo não irá tão bem no 'reino do Leão', quanto os sportinguistas desejariam. Eu próprio escrevi por aqui, recentemente, logo após o primeiro jogo de Barcelos, sem que apenas tivessem sido as incidências da partida a empurrar-me para a conclusão, que "O Sporting bateu no fundo"!...

Nesta condição, compreendo a significativa, importante e "construtiva" mensagem que Rui Calafate hoje dirige nesta sua crónica "Factor Racional", ao Presidente do Sporting Clube de Portugal. De facto também eu, como sportinguista, entendo como urgente e imperiosa a necessidade de Frederico Varandas e tendo em conta alguns dos resultados deveras decepcionantes de todo o seu trabalho, entrar em...

Séria e profunda reflexão!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Ninguém parece saber!...


Como a comida sem sal e tempero: mata a fome, engana o estômago, sustenta o corpo, mas é uma decepção para a alma estar à mesa!...

Vitor Oliveira tem razão: "o Sporting com o génio de Bruno Fernandes conseguiu dois golos"!...

No próximo domingo, com o Moreirense, não sei eu, não sabes tu, não sabe ele nem ela, não sabemos nós, não sabeis vós... nem eles ou elas sabem!...

Ninguém parece saber!...

Leoninamente,
Até à próxima

Dignidade!...


Que mais logo à noite e sempre que representem o Sporting Clube de Portugal, aqueles que tiverem o privilégio de descer ao relvado do Estádio Cidade de Barcelos, ou em qualquer outro estádio do mundo, dentro ou fora das quatro linhas, sintam que apenas há uma modo de honrar o emblema que levam ao peito sobre as gloriosas camisolas verde e brancas que envergam e que representa mais de quatro milhões de adeptos que, para além do Esforço, Dedicação e Devoção correspondentes aos salários que lhes são pagos, exigem e sempre exigirão aquele mínimo de dignidade que um homem jamais poderá negociar ou subverter, nem mesmo em troca do Sol ou da Liberdade!...

O Sporting sempre foi, antes deles, e inexoravelmente continuará a ser, depois, um Clube de... 

dignidade!...

Leoninamente,
Até à próxima

Mandar a conta ao Cintra!...


Sasha

«Fiquei intrigado com o acórdão do TAS, que obrigou o Sporting SAD a pagar três milhões de euros ao ex-treinador Sinisa (Sasha) Mihajlovic.

Alegadamente, o dito Sasha tinha sido dispensado durante o período experimental, durante o qual qualquer das partes pode revogar unilateralmente o vínculo contratual. Se assim foi, porque carga de água condenaram o Sporting a pagar tanto, a quem tão pouco, ou mesmo nada, fez pelo clube?

Dei-me ao trabalho de ler o extenso acórdão e, infelizmente, a realidade é bem outra.

O contrato de trabalho firmado entre a SAD e Sasha, em 18 de Junho de 2018, estipulava – preto no branco – a data de 1 de Julho como a de início do mesmo. Por uma razão bem óbvia, é que até essa data o treinador estava a receber ordenado do Torino.

A 19 de Junho, Sasha foi visitar Alcochete, inteirou-se superficialmente da realidade do plantel e da preparação da época e foi-se embora de férias, o que também não abona grande coisa, quanto ao entusiasmo que este novo desafio lhe causava.

No dia 27 de Junho, a SAD punha termo ao contrato, comunicando-o ao visado. Lê-se mas não se acredita!

Perante o texto do contrato de trabalho, qualquer advogado teria alertado a SAD para os riscos da extemporaneidade da revogação; custa-me a acreditar que alguém tenha dito o contrário.

E a coisa é tão mais absurda que bastaria aguardar pelo início do período experimental, ou seja, um par de dias, para então usar da prerrogativa legal e não pagar nada!

Como seria de esperar, o tribunal arbitral rejeitou todas as alegações de que o treinador já tinha começado a trabalhar, nomeadamente alterando as datas da pré-época ou opinando sobre contratações; os factos demonstraram o contrário. Neste contexto, o depoimento de Inácio nada adiantou, como sucederia com o do ex-presidente da SAD.

Seria até conveniente esclarecer que, em rigor, o Sporting foi condenado em mais de 11 milhões de euros, mas o tribunal, entendendo esse valor como cláusula penal, reduziu-o à luz da equidade. De qualquer das formas, para Sasha foi um jackpot, que o compensa das agruras da vida. Como decisão de gestão, é difícil imaginar maior borrada.

Não me compete apontar o dedo a ninguém mas custa-me que os poucos recursos que ao Sporting restam tenham agora de ser empregues para tapar estas leviandades. É no que dá querer reescrever a história.»
(Carlos Barbosa da Cruz, O Canto do Morais, in Record, hoje)


Desde que o acordão do TAS foi tornado público, conhece-se apenas uma única pessoa que parece ter interpretado o texto de forma diferente e que, qual prestidigitador, terá apelidado o processo de "brincadeira", atirando culpas a esmo para cima de toda a gente,excepto ela própria, pretendendo sair incólume por entre os grossos pingos da chuva!...

Continuo a entender que apenas poderá existir um único caminho correcto, capaz de trazer alguma justiça a este inclassificável atropelo...

Mandar a conta ao Cintra!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Obrigado Manuel Fernandes!...



"Desvia-te 'Manel', que isto não é contigo": as revelações de Manuel Fernandes, hoje no Tribunal em Monsanto
Julgamento do Ataque à Academia

Manuel Fernandes, que à data do ataque à Academia coordenava o departamento de 'scouting' do clube, terá referido hoje em tribunal, entre muitas outras coisas importantes (LINK), algo que particularmente me interessou:

«Tivemos uma reunião na véspera e o presidente disse uma frase que me fez pensar que ele se estava a referir ao despedimento do treinador: "Amanhã, vamos estar todos na academia às 16:00, e aconteça o que acontecer vocês estão comigo?"»

Desde que, ainda muito jovem, me julguei capaz de olhar para o mundo e compreendê-lo, sempre recusei ser juiz em causas que de algum modo fossem estranhas ao tribunal da minha consciência. No meio de todas as reservas que tantas vezes me têm merecido inúmeros acordãos dos nossos tribunais, que tal como Galeano nos ensinou, sempre se assemelharam, às víboras, mais capazes de morder os pés descalços, do que em imitar Salomão, sempre abjurei sentenças populares ou populistas, ou como queiram entender as sentenças ditadas por mutidões emotivas, alienadas, manipuladas...

Mas o "tribunal da minha consciência", desde aqueles dolorosos dias que se seguiram a 15 de Maio de 2018 e perante os dados que me foram chegando em catadupa, ditou-me a sua irrecorrível e obrigatoriamente reservada sentença, que acatei e reservei para mim, independentemente das inevitáveis consequências que determinou na minha forma de olhar para quantos então constaram do volumoso lote de condenados, sendo, a partir daí, sobejamente conhecida a minha posição em relação a todos eles, particularmente em relação àquele que desde a primeira hora, coloquei na 'cabeça da manada'!...

O testemunho de hoje do nosso "eterno capitão", trouxe-me a dissipação completa de todas as dúvidas que porventura ainda pudessem subsistir no espírito deste "eterno poeta e leão" que nunca deixarei de ser!  Compreendo hoje melhor, o semblante, triste, acabrunhado e decepcionado que, desde esses tenebrosos dias, sempre julguei ver no "nosso capitão". E a minha consciência está agora e finalmente, em paz com o 'acordão'...

Obrigado Manuel Fernandes!...

Leoninamente,
Até à próxima

Verdades que aleijam!...


Verdades incómodas

«Depois de mais uma derrota em 2019/20 – a oitava (!) em 20 jogos oficiais -, o Sporting ouviu do treinador do Gil Vicente, Vítor Oliveira, aquilo que não queria: a verdade mais incómoda. Este plantel não pode, em nenhuma circunstância, ser candidato ao título; este grupo não é, como quiseram ‘vender’ Frederico Varandas e Hugo Viana, melhor do que o da época passada; esta equipa tem, isso sim, desequilíbrios de planeamento gritantes e que, com o passar dos jogos, ficam mais evidentes.

De todos os culpados – e há vários –, Silas é aquele que menor responsabilidades tem: não foi ele quem construiu o plantel; não foi ele que decidiu os jogadores inscritos nas várias competições; não é ele quem decidiu onde gastar o (pouco) dinheiro que o Sporting tinha à disposição. Silas é culpado de algum desvario táctico. Além do mais, e este sim é um sinal preocupante, um treinador não pode permitir que a sua equipa jogue em ‘roda livre’ nos últimos 10 minutos, como o próprio assumiu ter acontecido com o Gil Vicente. É um atestado de incompetência passado em nome próprio e que indicia pouco controlo sobre o grupo.

Varandas e Viana prepararam mal o plantel e isto não pode ser disfarçado com as limitações financeiras. Uma equipa que apresenta apenas um jogador de qualidade acima da média (Bruno Fernandes) não pode ombrear com Benfica e FC Porto que têm planteis bem desenhados e, por norma, com duas boas alternativas para cada posição. O Sporting nem uma tem, quanto mais duas... Não será em Janeiro que o leão irá corrigir seja o que for. O processo vai demorar e será penoso. O melhor é começar a olhar para o futuro, preparando já 2020/21. Porque esta época está perdida desde Agosto.»
(Alexandre Carvalho, Na Gaveta, in Record, hoje às 16:05)

Ainda que compreenda o 'lowprofile' do jornalista, provável consequência de afectos que apenas a ele dirão respeito, discordo frontalmente da adjectivação que entendeu dar ao título. Muito bom seria que as verdades que o seu texto hoje desnuda, causassem apenas incomodidade, tanto nos próprios sujeitos, quanto no profundamente decepcionado e descrente universo sportinguista. Porém, a verdade é que se trata de...

Verdades que aleijam!...

Leoninamente,
Até à próxima

A porta da rua é a serventia da casa!...


Frederico Varandas puxa as orelhas à equipa depois da derrota em Barcelos
Presidente não falou aos jogadores, mas deu ordem à estrutura para transmitir o seu desagrado ao plantel

Ao que reporta hoje o jornal Record, o Presidente do Sporting, expressando como é seu dever e missão, o sentimento da generalidade de todo o universo sportinguista, terá feito chegar à estrutura e a todo o plantel do futebol leonino, o seu mais profundo desagrado com tudo o que se passou em Barcelos no domingo à noite.

Salvo melhor opinião, Frederico Varandas terá usado o tempo, o modo, o caminho e a reserva mais adequados para fazer o que tinha de ser feito! Veremos se a sua mensagem cai ou não em cesto rôto: Hugo Viana, Jorge Silas e todos os jogadores, protagonistas de uma das maiores decepções da época, que façam bem as contas a tudo o que têm vindo a produzir e, consequentemente, às suas vidas, ou então, com Janeiro por aí a rebentar...

A porta da rua é a serventia da casa!...

Leoninamente,
Até à próxima 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

"Terá de ser feito hoje"!... (6)


No hemisfério Sul as férias de muitos destes 'excursionistas', eventualmente, ainda se prolongariam por mais alguns meses! Cá mais a Norte e pese embora a amenidade do clima proporcionado por Alvalade, começa a ser hora de muitos emalarem a trouxa e partirem para outros paraísos balneares!...

Será aconselhável que os responsáveis pela 'estância balnear leonina' não guardem para amanhã, o que tudo aconselha a que...

"Terá de ser feito hoje"!... (6)

Leoninamente,
Até á próxima

"Terá de ser feito hoje"!... (5)


O Sporting é um grupo de "excursionistas"

«O Sporting é oito ou oitenta! E depois brinda-nos com esta exibição deprimente. O Sporting não fez um remate à baliza. O Sporting consegue jogar mais ou menos quando Bruno Fernandes tem a bola nos pés e a partir daí é um 'ai Jesus'. Amanhã alguém vem dizer 'ai lá está ele outra vez, não é isso que o Sporting precisa, o Sporting precisa de paz' . Não, o Sporting precisa de paz, mas alguém deste Clube tem de ser responsabilizado. As pessoas não podem passar pelo Clube e fazerem o que querem, trazerem os jogadores que querem, para encher o plantel. O Sporting tem um grupo de excursionistas. Tem ali jogadores que... estão ali. É um orgulho para eles vestirem a camisola do Sporting, mas não passam disso!...»
(Fernando Mendes, na CMTV, após o jogo de ontem, VIDEO)

"Terá de ser feito hoje"!... (5)

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE