quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Nada fica por dizer!...


Um adulto na baliza do Sporting

«Jorge Valdano diria que agiu como um mau burguês, ao trocar o conforto de um banco milionário no Atlético Madrid, que lhe dava fortuna e sossego, pela aventura de sucesso problemático no Sporting. A decisão, tomada nos alvores da veterania, constitui sinal animador de inconformismo de um homem que mantém acesa a paixão pelo futebol, o orgulho de ser profissional e o respeito por um passado que o levou de internacional por Espanha nas camadas jovens a cinco épocas brilhantes ao serviço do Betis – com o Real Madrid sempre presente até aos 25 anos e uma passagem fugaz pelos italianos do Cagliari.

Rúben Amorim escolheu um guarda-redes que, ao contrário de Luís Maximiano, por exemplo, já não precisa de tempo para se impor. Trazia na bagagem cerca de 200 jogos ao mais alto nível, com tudo quanto isso implica na sua formação desportiva, mas veio com o espírito juvenil de quem se predispõe a testar agilidade, reflexos e coragem. Não é uma aposta para o futuro nem enquadra o passado como sendo um leão de toda a vida. Aos 33 anos, Adán é o presente numa função tendencialmente interdita a menores e cuja longevidade ainda lhe pode proporcionar uma história de sucesso em tons verdes e brancos – para situar, recordemos que Preud’homme veio para o Benfica aos 35 anos e Peter Schmeichel fez a viagem até Alvalade, como campeão europeu, no ano em que completava as 36 primaveras.

Os 30 anos não constituem um ponto de chegada para os guarda-redes, nem são a fronteira para coisa alguma. São apenas a portagem imaginária que conduz à maturidade plena, estimula o sentido de responsabilidade e cria os alicerces da sempre relevante autoridade. Só depois de atingir esse patamar da carreira, o guardião do cofre de redes brancas que é a baliza consegue conjugar os valores adultos de simplicidade de processos; total valorização de eficácia e estímulo à frieza. Só quando gela o sangue quente de outrora é possível digerir o veneno criado e alimentado na juventude.

Adán corresponde ao resultado de uma feliz mescla de características. Impôs prudência, calculismo e sobriedade a espetacularidade, extravagância e atitude kamikaze, razão pela qual potenciou a qualidade global. Recusa reduzir-se a uma estátua debaixo dos postes ou a um viajante inconsciente pela grande área; não corresponde à esquizofrenia de quem cria o caos por nervosismo, nem aos fantasmas que contagiam por inércia e provocam o sono. Sabe quase tudo o que precisa para se impor e corresponde ao perfil de quem não utiliza apenas o corpo como obstáculo às intenções dos avançados. Não é um portento a jogar com os pés (melhor o esquerdo), mas revela a inteligência suprema de reconhecer limitações, demonstrando sentido táctico e acerto constante nas tomadas de decisão. Por ter escola e ser veterano de muitas batalhas, não lhe é difícil comandar, coordenar e orientar toda a acção defensiva da equipa.

Na etapa sportinguista tem confirmado tudo quanto dele se esperava. O guarda-redes dos campeões tem de ser tranquilo e esperar; contempla mas não pode distrair-se; é um espectador com olhos de protagonista; um felino condenado a ser paciente, que entra poucas vezes em cena e, por isso, torna mais visíveis os erros comprometedores. Um jogador com a fiabilidade de Adán, que sabe tudo sobre futebol, se conhece como ninguém e domina cada vez melhor os princípios que orientam a equipa, comete lapsos que valem golos de seis em seis meses. Nesse sentido, os adeptos do Sporting podem estar tranquilos. Na primeira metade da época teve erro clamoroso em Famalicão, mas, se tudo correr normalmente, não voltará a cometer outro até final da temporada.»


Quando Mourinho lhe deu a baliza do Real Madrid fez penálti e foi expulso aos 10 minutos. Saiu-lhe tudo ao contrário

No Betis tornou-se um dos capitães e uma estrela maior da equipa andaluza e da liga espanhola. Cinco anos de ouro

Em Agosto do ano passado pisou o relvado de Alvalade como jogador do Atlético. Pouco depois assinou pelos leões

Estava escrito nos astros que António Adán haveria de fazer de Alvalade a sua casa! No mercado de Verão de 2018 tudo chegou a encaminhar-se para isso. Mas as convulsões por que então passava o Sporting não o terão permitido. Acabou por acontecer no arranque da presente temporada e, importantíssmo, com o pleno aval de Rúben Amorim.

Daí o destaque que entendei dar a mais uma excelente crónica de Rui Dias na qual, como sempre...

Nada fica por dizer!...

Leoninamente,
Até à próxima

Os efeitos do seu desempenho só poderão melhorar!...


Um novo ciclo terá início amanhã! Sem as amarras impostas por uma burocracia corporativista retrógada e obsoleta, o treinador do Sporting passará a poder utilizar (ver notícia na íntegra) todas as prerrogativas inerentes ao desempenho da sua profissão...

Os efeitos do seu desempenho só poderão melhorar!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Sentados!!!...


Vieiragate

«Estamos de acordo que o timing do artigo do ‘Observador’ não é feliz e que todo o extenso rol de visados no mesmo tem direito à presunção de inocência.

Há, porém, coisas que não podem deixar de ser equacionadas, para além das suspeitas de ilícitos criminais e atentados à verdade desportiva, que competirão ao Ministério Público investigar e ao tribunal julgar.

O texto em causa tem o mérito de elencar, de forma exaustiva, as contratações que o Benfica promoveu, de jogadores que nunca ou pouco utilizou e que dispersou por clubes da 1.ª Liga, perdendo assumida e sistematicamente o investimento efectuado.

Esta prática persistente acumulou um prejuízo significativo; na cultura comunicacional que vigora na Luz, como os sucessos são empolados e o que corre mal varrido para debaixo do tapete, só se fala na venda do João Félix e nunca neste tipo de casos.

Quando fica sob a luz dos holofotes, o que se tem tornado numa recorrência, Vieira normalmente reforça o contingente de advogados e consultores de imagem e cala-se.

Não vejo como o possa fazer agora, porque o mundo do futebol quererá saber por que é que o Benfica compra jogadores que nunca pensou incluir no seu plantel e que acaba por ceder com prejuízo. É um racional que não bate certo, e, remetendo-se ao silêncio, Vieira alimentará as mais variadas suspeições.

Depois há a questão daqueles que, não sendo Vieira, falam em nome dele, em contextos que são verdadeiramente aterradores. Quanto mais não seja para salvaguardar a sua honorabilidade pessoal, devia esclarecer se há ou não abuso de representação.

Finalmente, perante os indícios que existirá possível fraude à lei, na limitação regulamentar dos jogadores emprestados a outros clubes, a partir de 2018, em particular no trânsito de jogadores para o defunto Aves, espera-se que a Liga promova, sem delongas, o correspondente inquérito.

Não basta argumentar que, na falta de condenações judiciais, é prematuro apontar o dedo a quem quer que seja; há uma dimensão ética, subjacente a qualquer instituição e por maioria de razão ao Benfica, que clama e exige explicações.

É apenas a diferença entre o jogo sujo e o jogo limpo.»

Se alguém entender esperar por eventuais inquéritos às sistemáticas e recorrentes actividades ilícitas do Benfica, promovidos, tanto pelo Ministério Público, quanto pela Liga Portuguesa de Futebol Profissinoal, sem ter em conta que aquele clube há muito que "está acima da lei", nem tentar perceber o quão viciada está a pauta da música que lhes é colocada à frente e que deligentemente executam, normalmente bem acompanhados pelo "baixo" da Federação Portuguesa de Futebol,  o melhor será esperar...

Sentados!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 12 de janeiro de 2021

De que estará à espera o Sporting?!...


Muito provavelmente o Sporting já não teria tempo de reverter o resultado que então se verificava, quando Andraž Šporar conseguiu fazer aquilo que talvez nenhum dos centrais maritimistas conseguisse. Porém, se mais provas faltassem para confirmar o que todos os adeptos sportinguistas pensam acerca do que representa neste momento a presença e a situação do avançado esloveno em Alvalade, para além do recorrente e decepcionante "atraso de vida" que todos conhecem, esta terá sido uma das mais concludentes e definitivas!...

Será muito difícil de perceber como este ponta de lança foi capaz de marcar 34 golos em 36 jogos que disputou pelo Slovan Bratislava na época de 2018/19, muito provavelmente o "passaporte" que o trouxe para Alvalade. Mas já nenhumas dúvidas haverá sobre o tremendo fracasso de tal contratação. Quantos "matadores a sério", com créditos firmados por esse mundo fora, seria possível contratar pelos mesmos 6 milhões de euros?!...

De que estará à espera o Sporting?!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Por morrer uma andorinha não acaba a Primavera"!!!...


Leão cai por culpa própria

«Após um primeiro jogo francamente bom na Madeira, frente ao Nacional, onde tudo fez para ganhar, o Sporting acaba eliminado da Taça num (mau) terreno em que perde por culpa própria. Os leões jogaram pouco, não estiveram concentrados, não repetiram a intensidade da Choupana, não foram – ao contrário do que disse Emanuel Ferro – a mesma equipa que tinham sido até aqui. Podem queixar-se de falta de estrela nos 90 minutos, mas ela já abonou o leão várias vezes esta época. Ontem sorriu ao Marítimo. Que fez por merecer.

O Sporting pagou a factura do enorme esforço no jogo da Liga. Se pela falta de frescura dos que repetiram a titularidade, se pelos que ficaram a descansar, a verdade é que tudo somado deixa os leões fora de prova. O erro de Neto no primeiro golo junto com a ausência de agressividade de Feddal e a desconcentração total de Nuno Santos no segundo dizem muito.

Resta saber se o Sporting pagou o cansaço ou a falta de profundidade do plantel. Acredito que ambos. O temporal e batatal da Choupana tinham de deixar marcas. E depois quando Rúben Amorim roda muito falta o talento que existe em Benfica, FC Porto e até Sp. Braga. Para atingir algum objectivo terão de correr mais do que os outros. Sempre.»

Depois do "leite derramado" pouco ou mesmo nada adiantará chorar e muito menos explorar a extensa gama de justificações que poderão envolver o pouco agradável desfecho do encontro de ontem à noite no Funchal, todas elas carregadas da proverbial subjectividade que sempre há-de rodear as coisas do futebol. Terá acontecido porventura, apenas e tão só, aquilo para que Rúben Amorim há muito vinha alertando: um dia o Sporting haveria de perder!...

Aconteceu com o LASK Linz na despedida da Liga Europa e aconteceu agora com o Marítimo no adeus à Taça de Portugal. Mas nenhum dos dois factos poderá apagar o fabuloso percurso da equipa entre cada um desses momentos menos bons, nem poderá determinar ou impedir que novo ciclo vitorioso recomece com o próximo confronto para a Liga NOS, com o Rio Ave, já na próxima sexta-feira em Alvalade...



"Por morrer uma andorinha não acaba a Primavera"!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

De cabeça levantada, vamos Leões!...


Um dia teria de acontecer! E acabou por acontecer esta noite no Caldeirão dos Barreiros. O Marítimo venceu e segue em  frente na Taça de Portugal. O Sporting terá de esquecer por este ano o Jamor e pensar, afinal, no objectivo máximo da temporada.

De cabeça levantada, vamos Leões!...

Leoninamente,
Até à próxima

Para onde for um Leão, irão todos!!!...


Com a nomeação de Manuel Oliveira para eliminatória da Taça de Portugal que colocará logo mais à noite  frente a frente, o Marítimo e o Sporting, fica-se com a ideia de que o CA da FPF estará a desenvolver todos os esforços para escolher os finalistas para o Jamor!...

Bastará um análise superficial do rol de nomeados para estes oitavos de final da Taça de Portugal, para se perceberem, sem usar de muita profundidade, os critérios usados para o cumprimento de tão obscuros desígnios e o porquê desta mais do que provocatória escolha, de um dos árbitros mais "credenciados" do já famoso "naipe de ouros" do verdadeiro cancro do nosso futebol que a FPF alberga no seu seio. 

Haverá porém alguns "cordelinhos" que os senhores Fontelas, Costa e companhia, por mais esforços que façam, não conseguirão jamais controlar: o grande profissionalismo, o querer, a garra e a dignidade de todos os leões que, dentro e fora do relvado mais logo se apresentarão nos Barreiros.

Contra tudo e contra todos, logo à noite no Funchal...

Para onde for um Leão, irão todos!!!...

Leoninamente,
Até à próxima 

domingo, 10 de janeiro de 2021

Completamente fascinados!!!...


«Cinco horas de viagem e metade com o avião parado na pista em Porto Santo, uma tentativa falhada de aterragem no Funchal, chegada turbulenta, comportamento da Liga considerado inaceitável, jantar à hora da ceia, aquecimento debaixo de uma tempestade, adiamento mais do que previsível após 30 minutos de espera inútil, dois dias sem treinos e, por fim, o futebol possível na ‘calmaria’ da depressão ‘Filomena’, com água nos pés e lama até à cabeça!

O jogo do Sporting com o Nacional durou três dias, entre quarta e sexta-feira, mas terminou de acordo com o plano de Rúben Amorim: uma vitória, três pontos e… pensamento já nos senhores que se seguem – no caso, o Marítimo. Se as circunstâncias anormais que rodearam a visita dos leões à Choupana reforçaram os níveis de motivação, para o treinador do Sporting o segredo foi “o mesmo de todos os jogos, a união, o carácter e a atitude dos jogadores”. “Não tenho palavras para a atitude deles”, elogiou Amorim, em conferência de imprensa, orgulhoso “por ser o treinador” do grupo. O sentimento é recíproco…

“Até à morte”

O impacto de Amorim no plantel do Sporting foi quase imediato, desde a sua chegada, em Março, consolidou-se no início desta temporada, perante as adversidades da Covid-19 e do afastamento da Liga Europa, mas nas últimas semanas saltou decididamente para um novo patamar. Embora isso se deva sobretudo ao treino diário, à forma como gere o grupo e à capacidade de liderança que lhe é reconhecida, a revolta que se seguiu ao empate em Famalicão contribuiu grandemente para blindar a união dos jogadores em torno do técnico, e vice-versa. “Onde vai um, vão todos”, disse então Amorim. E hoje o inverso também se aplica: onde Amorim vai, vão todos.

Dito de outra maneira, o balneário está rendido à voz de comando do seu treinador. O que explica, em parte, a resposta na Madeira. E explica ainda o porquê de, ao dia de hoje, Amorim ter todos os jogadores do seu lado, até aqueles que jogam menos, dispostos a sacrificar-se por si e pela equipa, como aconteceu na Choupana. O abraço de Jovane Cabral ao treinador, após marcar o segundo golo dos leões na Madeira, é sintomático desta realidade. O avançado tem sido afectado por lesões e perdeu a titularidade, mas fez questão de dedicar aquele momento a Amorim. “Têm um grupo fantástico. Os jogadores estão com ele até à morte”, garantem a Record fontes próximas da equipa.

Da mensagem aos parabéns no balneário

Segundo Record apurou, a mensagem de Amorim antes do jogo procurou potenciar toda a envolvência do adiamento de quinta-feira, quando ficara a sensação de que o Sporting resistia a ir a jogo: o técnico pediu ao grupo que demonstrasse que conseguia ganhar em qualquer campo e em quaisquer condições. No final, porém, até Amorim ficou surpreendido com a resposta. O treinador agradeceu o empenho de todos e transmitiu exactamente aquilo que disse na conferência de imprensa: ficou rendido ao carácter dos jogadores, admitiu que a equipa fez mais do que lhe foi pedido e constatou um enorme compromisso colectivo. Frederico Varandas também esteve no balneário, com Hugo Viana. A estrutura deu os parabéns aos jogadores pela vitória.

Sem amuos

A disponibilidade de todos para ajudar tem feito a diferença desde que o calendário começou a apertar, em Dezembro. Amorim não tem ninguém amuado a trabalhar consigo, os jogadores sentem-se envolvidos nos mesmos objectivos, sendo mais ou menos utilizados, e todos partilham de um forte espírito de conquista, corporizado no 1º lugar da Liga. E, afinal, foi mesmo esse o ‘combustível’ da épica vitória na Madeira.

Rivais também 'espicaçaram'

O Sporting não assume a candidatura ao título mas não esconde, jornada após jornada, que quer manter o 1º lugar da Liga. Ora, um dos factores de motivação para o balneário, sabe Record, foi precisamente o facto de a equipa saber que ia jogar no mesmo dia e antes dos rivais. O compromisso foi... colocar a pressão do lado contrário. Ou seja, era sair da Choupana com uma vitória ou com... os três pontos! Adaptando o jogo às condições do relvado, com muita raça e luta.

Encarar sempre da mesma forma

Rúben Amorim não se cansa de dizer que encara um jogo de cada vez, e não o faz por mera conveniência ou para afastar a pressão. É mesmo essa a maneira de estar do técnico, e é isso precisamente aquilo que transmite à equipa: um desafio de cada vez; quando acaba um, só o seguinte importa; e todos, com mais ou menos dificuldades, são considerados iguais e preparados para ganhar. Uma fórmula tão simples como eficaz. E que conquistou os jogadores.»

Como sportinguista, sinto-me hoje, talvez, com o fantástico percurso dos "leões de Rúben Amorim", como em 1967 me terei sentido quando confrontado com uma das melhores obras de The Beatles, quiçá percursora do que mais tarde haveria de ser classificado como "rock psicadélico": Strawberry Fields For Ever!...


Rúben Amorim, quiçá com um talento que poderá adregar de poder vir a pedir meças ao grande John Lennon, embora em arte completamente diferente, estará a caminho de nos deixar a todos, sportinguistas... 

Completamente fascinados!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Para onde vai o Sporting todos querem ir!!!...


Para onde vai o Sporting todos querem ir!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Mais era impossível!!!...



Grande vitória! Sporting venceu a Filomena com o futebol que 'ela' permitiu!...

Mais era impossível!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE