domingo, 31 de maio de 2020

Uma boa notícia para os sportinguistas!...



Sporting apresenta lucro de 30,2 milhões de euros no 3.º trimestre
É o maior volume de negócios da história dos leões em nove meses (LINK)

A SAD do Sporting divulgou este domingo as contas referentes ao 3º trimestre, onde se destaca um lucro de 30,2 milhões de euros, valor que, de resto, é "o maior volume de negócios da história do Sporting em termos homólogos (nove meses)". Há um ano, recorde-se, a sociedade registara prejuízos de 5,9 milhões de euros.

Apesar de esperada... 

Uma boa notícia para os sportinguistas!...

Leoninamente,
Até à próxima

Será bem capaz de morrer solteira?!...


E lá se vai o "exemplo português"

«Quando tudo fazia prever que o recomeço do campeonato seria mais um passo no retorno à normalidade possível – que a crise sanitária dava sinais de permitir e a economia exige – eis que os últimos dados da DGS voltam a formar uma nuvem escura. Ela faz com que o tão propagandeado "exemplo português", que a Europa até há pouco aplaudia, comece a ser posto em causa. Não porque o desconfinamento seja demasiado rápido, uma vez que, com excepção da região de Lisboa e Vale do Tejo, os infectados diários não passam de 20 ou 30. O que estamos é a penar por décadas de uma indiferença social que permitiu o cerco da capital por dezenas de bairros degradados – como o "Jamaica" – onde, sem emprego e perspectivas de futuro, milhares de "desperados", muitos deles desempregados e a viver na miséria, descem dos esqueletos de tijolo à rua, procurando no álcool e no convívio, em cafés ilegais e festas improvisadas, um escape para a violência e uma alternativa ao crime. Devíamos agradecer-lhes.

Enquanto António Costa esbarra nesta outra tragédia, em Espanha, o antes tão violentamente criticado Pedro Sánchez – que vai prorrogar, pela sexta vez, o estado de emergência – já olha para relatórios com melhores resultados que Portugal, como sucedeu na sexta-feira, dia em que os novos contágios se ficaram pela metade dos nossos. E ontem foram menos de um terço, 96 (!), "contra" os 297 de Portugal – 268 dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo.

É nesta situação volátil de saúde pública que regressamos ao futebol, sabendo que os estádios encerrados farão com que os adeptos se amontoem onde puderem, às dezenas e às centenas – se não for aos milhares. Isso irá fazer aumentar os contactos e as possibilidades de infecção, pelo que, se os números dispararem, o Governo e a DGS pagarão o preço.

Entretanto, prosseguem as cenas rocambolescas na feira de vaidades do futebol português, com as divergências saloias entre os clubes, o sai ou fica de Proença, a saga da aprovação dos estádios – que a DGS queria que fossem o "mínimo possível" mas que se pôs a validar e chegou aos 17! – ou a novela da ratificação das cinco substituições por jogo, a "decidir" em assembleia geral... já após o reinício do campeonato. Que coisa ridícula.

Tenhamos calma, trata-se de fogo fátuo. A partir de quarta-feira, o que estará em todas as notícias e o que aquecerá os debates recuperados da covid é o cartão que ficou por mostrar, o segundo amarelo excessivo, o vermelho que não saiu do bolso, a falta para penálti que o árbitro não viu e o VAR também não, a falta para penálti que o árbitro marcou e o VAR anulou, a falta discutível para penálti que o árbitro não assinalou e o VAR corrigiu... E por aí fora, numa lista infindável de casos e casinhos, intensidades e centímetros, polémicas e acusações. É esse, afinal, o nosso planeta do pontapé na bola, ora agitado pelo tempero do pontinho de avanço do clube errado. O espectáculo está garantido.»
(Alexandre Pais, Outra vez segunda-feira, in Record, hoje às 19:45)

Mas, mais uma vez, a culpa de todos estes nossos pequenos e grandes males... 

Será bem capaz de morrer solteira?!...

Leoninamente,
Até à próxima

São os mesmos de sempre!!!...


Conhecem-se bem de mais

«O Marítimo ficou com o odioso de ter sido a força de bloqueio a impedir a entrada em vigor, já na jornada de retoma, de uma alteração às regras que todos os clubes aceitaram, mas a posição do emblema madeirense pode ter evitado dores de cabeça no futuro. Os estatutos podem ser bons ou maus, mas são as ‘leis’ que ditam o funcionamento de qualquer organização; no caso da Liga, é explícito que só a Assembleia Geral tem poder para modificar regulamentos, pelo que seria difícil de imaginar que um clube que não tivesse atingido o seu objectivo não pudesse agarrar-se a isso para tentar conquistar pontos nos tribunais.

É mesmo assim: os dirigentes conhecem bem de mais o funcionamento do futebol em Portugal para acreditarem na boa-fé uns dos outros ou em acordos de cavalheiros sem protecção legal.

É por isso que a Liga tem mesmo de mudar. Nenhuma organização deste tipo pode ser governável se a sua direcção ou presidente não tiverem a confiança dos clubes que agrega, expressa nos seus estatutos, para tomar decisões. O plano que Proença vai apresentar na próxima AG faz sentido e até peca por defeito. O problema é outro: chega com cinco anos de atraso e num momento particularmente delicado na história do futebol em Portugal.»
(Sérgio Krithinas, Saída de Campo, in Record, hoje às 11:27)

E todos nós também os conhecemos!...

São os mesmos de sempre!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

A dimensão do Sporting!!!...


Alvalade finalmente vestido de verde e Academia, até que enfim, na sua verdadeira, real e necessária dimensão...

A dimensão do Sporting!!!...

Leoninamente,
Até à próxima


sábado, 30 de maio de 2020

Não há outro caminho!!!...


Mais um "aurélio"?! Nove golos em 15 jogos?!...

Não há outro caminho!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Por cada leão que tombar, outro se levantará"!...


Wendel está fora do regresso do Sporting à Liga

Segundo o boletim clínico divulgado este sábado pelo Sporting, a Wendel, que terá apresentado queixas no decorrer do treino de sexta-feira no Estádio José Alvalade, foi diagnosticada esta manhã na Academia Sporting, uma lesão traumática no joelho direito, com afectação do ligamento lateral interno, que deverá afastá-lo da equipa no regresso à competição maior do nosso futebol.

Decerto que este percalço do médio leonino não estaria nos planos de Rúben Amorim e dos adeptos sportinguistas. Mas não será por isso que o Sporting deixará de lutar pela vitória em Guimarães...

"Por cada leão que tombar, outro se levantará"!...

Leoninamente,
Até à próxima

O ovo de Colombo!!!...


O ovo de Colombo!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Parece não ter medo de "bananas" a soldo!!!...


Fantasma da impugnação quantas vezes vai atacar?

«Estamos a 4 dias da retoma da I Liga, agora ‘LigaVírus’, que havia sido suspensa em 12 de Março e o mar anda agitado. O vírus não acalmou as consciências e as ondas batem na(s) rocha(s) com uma força impressionante.

1 - Foram dois meses e meio de paragem e a imagem principal que ficou foi a incapacidade do futebol profissional em encontrar soluções para lidar com essa paragem forçada.

Ninguém sabe o que vai acontecer nem no que resta de 2019/20 nem em 2020/21, por causa da ameaça de eclosão de uma segunda vaga da pandemia, mas pode muito bem acontecer podermos ser confrontados com o condicionamento de duas épocas desportivas – e o foco das instâncias nacionais e internacionais devia estar colocado nesse cenário.

O futebol, na sua dimensão global, depende da correlação entre quatro grupos de protagonistas: jogadores, treinadores, gestores e público, sem esquecer o papel dos árbitros e da comunicação social.

São essenciais para a integralidade da competição e nunca como agora foi possível captar a importância do público. Sim, do público.

O reatamento da Bundesliga, independentemente das questões relacionadas com a qualidade dos jogadores ou com as dificuldades de preparação, reflectidas no quadro da intensidade competitiva, muito importante para a consagração do espectáculo, deu-nos bem a noção de que um jogo sem público altera a génese do futebol.

A normalidade só será reposta em pleno quando o público voltar aos estádios por livre e espontânea vontade, e esse cenário – apesar das lógicas de desconfinamento – parece estar distante.

Outros players que se revelaram essenciais na gestão desta crise pandémica, como as operadoras de telecomunicação e os patrocinadores, podem juntar-se em grau de importância ao papel de jogadores, treinadores, gestores, árbitros, comunicação social, mas não se substituem ao público.

A atractibilidade pelo jogo só será reposta quando este edifício de vários andares estiver reconstruído. Ele foi parcialmente demolido e, neste momento, em Portugal, por aquilo que se vai vendo no campo de batalha (pelo poder), vence a ideia de que ele está intacto. Não está. Aliás, ameaça ruir.

Pode parecer excessivo, mas o que está em causa é a salvação do futebol, independentemente da discussão urgente em torno da sua regeneração (eliminação dos vícios sistémicos).

Em Portugal, age-se (vide processo Proença) como se não tivesse existido vírus. E, agora que Luís Filipe Vieira deu um passo em frente para fazer cair o actual presidente da Liga, já não pode ficar a meio da ponte. Ou Proença cai ou o Benfica e a sua base de sustentação ficam muito mal nesta guerra de poderes, quando se percebe que Pinto da Costa – a contar com a mui célere ajuda de Rui Moreira – vai fazer tudo para Vieira não levar a melhor na sua pretensão.

O campeonato recomeça, pois, com a presidência da Liga colocada em xeque. Por causa da inabilidade de Pedro Proença e por causa de uma interminável luta pelo controlo do poder.

Quando, na próxima quarta-feira, a bola começar a rolar, a avaliar pelo andar da carruagem, vai valer tudo. O fantasma da impugnação já fez a sua aparição (duvido muito, a propósito, que as descidas de divisão na II Liga e as equipas prejudicadas do Campeonato de Portugal, como o Praiense, Olhanense, Real Massamá, Lourosa, Fafe e Benfica e Castelo Branco, não conheçam um volte-face qualquer...) esse fantasma da impugnação estará sempre atrás da porta, durante o cumprimento do que falta do campeonato maior.

Ai a estória das 5 substituições...

Vai ser muito curioso verificar as reacções resultantes de um de dois cenários: nova paragem e, se a prova chegar ao fim, comportamento da equipa que não for campeã nacional.

2 - Depois de conhecida a absolvição de Bruno de Carvalho (BdC), relativamente às acusações de autoria moral, de sequestro e de terrorismo no âmbito do ataque à Academia de Alcochete, houve uma declaração do ex-presidente do Sporting que me chamou particularmente à atenção: "não vou mudar a minha natureza".

O colectivo de juizes considerou não provada aquelas acusações e, nos tribunais, a (in)existência de prova é tudo e assim se rege, e bem, um Estado de Direito.

Temos imensos casos, em Portugal, em que as convicções geradas pelo Ministério Público, carreadas em forma de fortes indiciações, não são acompanhadas pelos juizes em sede de julgamento e isso é, também, o Estado de Direito a funcionar.

Bruno de Carvalho vem agora utilizar a decisão do tribunal, que é uma decisão importante sobre a (in)existência de prova sobre a autoria moral da invasão da Academia, nada surpreendente, sublinhe-se, considerando o desenvolvimento da última fase do processo, para desenvolver a tese de inocência relativamente a todas as incidências que marcaram a sua presidência no período que antecedeu aquele ‘acto hediondo’ perpetrado há dois anos, em Alcochete.

São coisas distintas e é preciso fazer essa distinção.

Esta decisão do tribunal não pode ser vista como uma borracha que apaga aquilo que levou à expulsão de BdC da sua qualidade de sócio do Sporting (fundamentos da destituição): violação de estatutos, com por exemplo criação abusiva de órgãos-fantasma para anular o efeito das decisões de outros órgãos legitimamente constituídos; conflitos com a equipa de futebol sénior; conflitos com os órgãos sociais, sócios (‘sportingados’) e terceiros; delapidação do património material e imaterial do Sporting; tentativa de bloqueio de contas e usurpação de funções; acção de obstaculizar Assembleia; violação da suspensão preventiva; publicações em redes sociais.

As mui recentes aparições públicas de BdC revelam um homem semi-pacificado com a decisão do tribunal.

É que, na verdade, não houve justiça: faltou condenar o presidente da República, o presidente da Assembleia da República, a Constituição, a GNR, a (estúpida, só a estúpida) comunicação social, os sportingados, o plantel, o Jorge Jesus, o Bas Dost, a baliza foguetória do Rui Patrício, o ‘doutor Varandas’, e a fivela que atingiu a cabeça do Bas Dost.

Aquilo que durante meses a fio assistimos, Bruno de Carvalho contra o Mundo, não teve nada a ver com Bruno de Carvalho e com a sua natureza. Tem a ver apenas com este Mundo. E nisso Bruno de Carvalho tem toda a razão: o Mundo está infectado.»
* Texto escrito com a antiga ortografia
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record, em 29 de Maio de 2020, às 21:16)

E eu, aqui do meu canto, nem a boca abro, cheio de medo e com as minhas desgraçadas perninhas a tremer, quais varas verdes, não vá aparecer o "bananas" cá pela minha "bairrada", como ontem prometeu, ou jurou ou exconjurou, ou exorcisou no seu inteligente, civilizado, apropriado e convincente "radical fundamentalismo"!...

Ficam apenas as sábias e corajosas palavras de Rui Santos que, pela contundência continuada e persistente da sua prosa...

Parece não ter medo de "bananas" a soldo!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Um dia talvez nos encontremos lá todos!!!...



Mais um leão a caminho do purgatório!...

Um dia talvez nos encontremos lá todos!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Isto é um crime hediondo!!!...


Covid-19. Mais 14 mortes e 350 infectados em Portugal. Lisboa e Vale do Tejo com 92% dos novos casos

Há 18.911 pessoas recuperadas, mais 274 do que na quinta-feira, o que corresponde a 59,2% do total de casos confirmados até agora. Estão internadas 529 pessoas e 66 encontram-se em unidades de cuidados intensivos.


Há quantos anos ou mesmo décadas, somos cíclica, regular e repetidamente confrontados com imagens como esta ou bem piores ainda, espalhadas por toda a região da Grande Lisboa e Vale do Tejo?!...

Tratar-se-ão de canis para animais, ou de habitações, concebidas, projectadas, submetidas a aprovação e necessariamente aprovadas pelas respectivas autarquias e destinadas a pessoas humanas?! E porque continuam neste triste e revoltante estado?! O que terão andado a fazer os autarcas ao longo de todo este tempo, de todos este anos, de todas estas décadas?!...

E quando decidirão o senhor Presidente da República, o senhor Primeiro Ministro e os responsáveis por todos os ministérios que, directa ou indirectamente, deveriam tutelar este sector, fazer uma visita a cada uma destas centenas ou milhares de fogos habitados, acompanhados dos respectivos autarcas, nem que seja através de "requisição civil", para ouvirem, de viva voz, a explicação para todos estes degradantes "abortos sociais"?!... 

E para que servem 230 deputados na Assembleia da República? Para andarem entretidos a discutir o sexo dos anjos?!...

Depois admiram-se de 92% dos casos de novos infectados da covid-19, pertencerem à Região da Grande Lisboa e Vale do Tejo!!!...

Nem no Bairro do Aleixo isto alguma vez terá sido permitido e, mesmo assim, algo de muito menos grave obrigou à sua total demolição!...

Temos sido capazes e estaremos quase a vencer o coronavírus! E no entanto, continuamos, contemporizadores perante tamanha desgraça que nos envolve e passivos, fracos e possuídos de uma inércia que nos deveria estar proibida!...

Isto é um crime hediondo!!!... 

Leoninamente,
Até à próxima

O resto serão, hoje e para sempre... "peaners"!...


A reaccão de Sérgio Abrantes Mendes ao desfecho do julgamento do processo do ataque à Academia Sporting será por certo corroborada por uma imensa maioria dentro da grande nação sportinguista!...

O resto serão, hoje e para sempre... "peaners"!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 28 de maio de 2020

E continua a ser obrigatório o uso de máscara?!...


O defunto Proença

«Os sinos dobram por Pedro Proença. Ele até pode dizer que fica enquanto os clubes quiserem ou relembrar que teve 96 por cento de votos há um ano, porém, o evidente é que não tem quaisquer condições pessoais nem políticas para liderar a Liga. Neste momento é um verbo de encher, que conta pouco ou nada e o papel a que se submeteu de aceitar à última hora ir a São Bento, a uma reunião para a qual não estava convidado, como o lacaio que acompanha os grandes senhores apenas porque tiveram pena dele, explica que não é um homem de poder.

Ontem, o Record noticiava: "Gomes em manobra de resgate", dando conta que é o líder federativo que está a tentar negociar a melhor solução para os clubes junto da NOS, Altice e Olivedesportos, tarefa que competiria à Liga. Ora, para lá disto ser o último tiro, já antes Marcelo Rebelo de Sousa lhe tinha pregado uma bofetada sem luva ao dar nota que nem tinha lido a carta que o ex-árbitro lhe tinha enviado, e do qual é totalmente responsável, sem ter dito nada nem aos clubes que tutela nem aos parceiros das operadoras televisivas vitais para um negócio que, como é claro, seria insolvente sem a ajuda dos seus milhões.

Proença é um homem educado e simpático (sou testemunha disso) e certamente bem intencionado, no entanto, era um erro de ‘casting’ previsível como o disse na altura. Neste futebol português onde todos cordialmente se odeiam, pois é de veneno e desprezo o sangue que corre nas veias do dirigismo nacional, confesso que sorri com as menções de José Couceiro (que semeia o terreno para suceder a Fernando Gomes) e a Luis Duque (como é que um homem que anda há 30 anos nisto pode mudar o que quer que seja?) para a liderança da Liga. E penso como esta gente não percebe nada do dia depois de amanhã.

Comentadores que enchem a boca com a Premier League já olharam para os seus líderes? Os leitores acham que algum, Richard Masters (o seu CEO), Claudia Arney (interina), Gary Hoffman (líder actual), veio do cheiro do balneário, da ‘clubite aguda’ ou era artista do apito? Não. Vieram do ‘broadcasting’, da comunicação, do digital, da banca, nenhum trouxe os vícios do jogo e dos bastidores sujos do mesmo. Para lá do modelo de governação da Liga que urge repensar, é tempo de mudar a estratégia e pessoas. Se isso não acontecer, não é apenas Proença o defunto anunciado, mas também esse enorme embuste chamado futebol português.

PS: Com a excepção de uma quezília de redes sociais sem qualquer sentido que envolveu Poiares Maduro e Pedro Azevedo, pessoas de bem e intelectualmente honestas, foi magnífica a troca de ideias e visões expressas por diferentes sportinguistas. Da minha parte fui assertivo: Presidencialismo com competências com a maioria da SAD nas mãos do Sporting e dos seus sócios. Quanto a alterações estatutárias como assembleias delegadas, segunda volta eleitoral e i-voting sou totalmente contra e explicarei em breve os meus motivos.»
* Texto escrito com a antiga ortografia
(Rui Calafate, Factor Racional, in Record, hoje às 15:59)

Mas este novo "desconfinamento" já autoriza funerais com acompanhantes, flores e até banda de música?!...

E continua a ser obrigatório o uso de máscara?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Continua a julgar estúpidos todos os sportinguistas!!!...



Bruno de Carvalho: «Sportinguistas deviam solicitar uma Assembleia Geral para eu voltar»
Ex-presidente considera que devia ser readmitido como sócio (LINK)

Sem emenda...

Continua a julgar estúpidos todos os sportinguistas!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Acabou-se a "mama" ao usufrutuário-mor do "sistema"!...


FPF proíbe "transferências-ponte"

No seguimento do que já tinha sido decidido pela FIFA

Segundo notícias recentes a direcção da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) proibiu a existência das chamadas "transferências-ponte" no futebol nacional. Isto significa que um jogador terá de estar pelo menos 16 semanas (quatro meses) no clube que o contratou, sem ser novamente negociado. Ou seja, o emblema em questão fica obrigado a manter qualquer futebolista contratado pelo menos até à janela de transferências seguinte.

A decisão vem no seguimento do que foi decretado pela própria FIFA no seu regulamento de transferências. A entidade que rege o futebol mundial sublinhou mesmo que em caso de não cumprimento desta norma haverá lugar a sanções a todos os envolvidos.

Acabou-se a "mama" ao usufrutuário-mor do "sistema"!...

Leoninamente,
Até à próxima

São a Investigação e a Justiça que temos!!!...


Bruno de Carvalho, Nuno Mendes e Bruno Jacinto absolvidos no caso do ataque à Academia
Tribunal não deu como provados os crimes imputados ao ex-presidente do Sporting, ao líder da Juve Leo e ao ex-oficial de ligação aos adeptos do Sporting. O caso não ficou porém, com culpados por apurar: entre os 44 arguidos, houve nove condenações a cinco anos de prisão.

Terminou hoje, dois anos e 13 dias dias depois,  o julgamento da página mais negra de toda a longa e grandiosa história do Sporting Clube de Portugal.

Para Bruno de Carvalho, Nuno Mendes e Bruno Jacinto, o desfecho deste processo não terá constituído uma surpresa. Tanto o colectivo de juízes, pela anterior alteração do texto de acusação, quanto hoje o Ministério Público nas alegações finais, apontaram para a inexistência de provas para condenar os três arguidos da autoria moral do crime.

O caso não ficou, porém, com culpados por apurar. Entre os 44 arguidos, houve nove condenações a cinco anos de prisão, por existência de antecedentes criminais, nomeadamente de Domingos Monteiro, Bruno Monteiro, Fernando Barata, Elton Camará, Nuno Torres, Getúlio Fernandes, Leandro Almeida, Tiago Neves e Pavlo Antonchuk. A três outros arguidos - Samuel Teixeira, Tiago Rodrigues e Tomás Fernandes -, foi decretada a pena de multa, enquanto os restantes 29 receberam penas suspensas – ainda que alguns com penas acessórias, como trabalho comunitário e proibição de irem aos estádios.

De todo surpreendente o caso de Rúben Marques, autor confesso das agressões mais graves a jogadores e técnicos, nomeadamente a Bas Dost, condenado a pena suspensa e a 200 horas de trabalho comunitário, alegadamente por ter o colectivo de juízes valorizado o facto de não ter antecedentes criminais e ter demonstrado "boa postura" em tribunal, quer assumindo os crimes, quer reconhecendo a intenção dos invasores da Academia.

Na parte final, sublinhe-se a extensa mensagem ética dirigida pela presidente do colectivo de juízes, Sílvia Pires, aos arguidos, que a ouviram, 'respeitosamente em silêncio e de pé': " Vou usar o lema do Sporting, que acabei por decorar: vocês não evidenciaram nem esforço, nem dedicação, nem devoção, nem glória! Foi tudo ao lado. Quem ama não bate. Não vale tudo na vida. Espero que aprendam a respeitar os outros. O tribunal está a dar uma nova oportunidade a muitos dos arguidos". Elucidativo para todos aqueles que ainda persistam em continuar perplexos!...

Tendo em conta os mais do que prováveis recursos por parte de quase todos os arguidos e as despenalizações que, como de costume, daí resultarão, os cerca de dois anos deste caso terminam com relativa satisfação para a grande maioria dos 44 acusados pelo Ministério Público. Este aspecto tem particular significado nos casos de Bruno de Carvalho, Nuno Mendes e Bruno Jacinto, absolvidos na totalidade, e, sobretudo, de Rúben Marques, principal autor das agressões, que sai deste caso com uma pena suspensa.


Mais palavras para quê?!...

São a Investigação e a Justiça que temos!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Dentro de uma semana já o saberemos!...


Dentro de uma semana já o saberemos!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Uma Europa unida e solidária!...


A Europa a resgatar as suas raízes e a sua visão

«Os sinais de que a UE estava disposta a transformar os riscos da pandemia numa oportunidade para relançar a alma do projecto europeu não eram novos. Num curto espaço de tempo, o Eurogrupo definiu as regras de um pacote de 540 mil milhões de euros; há cerca de um mês, o Conselho Europeu aprovou as bases de um programa de recuperação; mais tarde, Merkel e Macron juntaram-se para defender um programa com pelo menos 500 mil mil milhões de euros para conceder subvenções e empréstimos aos Estados-membros em função das suas necessidades; esta quarta-feira, a Comissão foi mais longe: propôs uma iniciativa de 750 mil milhões de euros, financiada por empréstimos, como complemento ao Orçamento europeu, que será mantido, de 1,1 biliões de euros. A União poderá dispor de 2,4 biliões de euros para se reerguer.

Não sabemos ainda se o cinismo do grupo dos "frugais", a força dos populismos, as suspeitas Norte/Sul ou Leste/Oeste vão tornar real a proposta da Comissão. Sabemos, sim, que a discussão sobre as visões do futuro na União recuperou uma parte essencial da memória histórica do continente e inspirou-se na visão solidária, humanista e esperançosa das suas raízes.

Basta ouvir o discurso de Ursula von der Leyen aos eurodeputados nesta quarta-feira para se perceber que parece haver um reencontro da Europa consigo própria, com as suas necessidades e com o seu destino: “Ou enfrentamos o problema individualmente, deixando países, regiões e pessoas para trás e aceitando uma União de ‘favorecidos’ e de ‘desfavorecidos’, ou percorremos o caminho unidos”.

O caminho abriu-se, mas ainda falta percorrê-lo. Ainda vamos ter de lidar com os profetas do antieuropeísmo da extrema-direita, do PCP ou do Bloco a falar em mais dependência, em oportunismo dos ricos, a fazer contas às transferências líquidas, ou, provavelmente, a considerar que esta resposta europeia é um tiro de "pressão de ar".

Certo é que se o país, lá para o final do ano, puder contar com um programa de 26 mil milhões de euros para injectar na sua economia e na sua protecção social, haverá sem dúvidas mais razões para acreditarmos que os danos da crise serão mais bem e mais facilmente superados. Chegará, então, o dia de discutir a forma como se vai aproveitar esta oportunidade para se reconfigurar o país.

Se se vai apostar no ambiente, na digitalização, na ciência ou economia real dos que criam riqueza ou se se persistirá em exclusivo na agenda do conformismo patrocinado pelo Estado que nos encanta há tantos anos. Mas essa será outra, e sem dúvida interessante, discussão.»
(Manuel Carvalho, director do Público, Editorial em 27 de Maio de 2020, às 22:02)

Faz hoje e fará sempre todo o sentido e ainda mais contra "frugais" e "fundamentalistas"... 

Uma Europa unida e solidária!...

Leoninamente,
Até à próxima

É algo que vem de dentro!!!...



Vietto elogia Rúben Amorim: «É um treinador cheio de energia e com muita personalidade»
Atacante argentino acredita que os leões estarão "preparados" no regresso da competição

Luciano Vietto admite que o período confinado em casa foi "um pouco duro", mas já colocou esse período para trás das costas. Desde o regresso aos treinos e à convivência com Rúben Amorim, o argentino só tem elogios para o trabalho do técnico:

«Só tínhamos uma semana de treinos e um jogo e depois veio o coronavírus... Ao longo deste último mês passou-nos a sua mensagem. É um treinador cheio de energia e com muita personalidade. Tem sido muito bom para nós. Estamos a polir detalhes, mas estamos a melhorar a cada dia. Seguramente vamos estar preparados no regresso da Liga. Será uma sensação estranha, porque acho que nunca estivemos tanto tempo sem competir, mas a alegria vai superar todas as outras sensações...»

Que ninguém me leve a mal, mas eu acredito nas palavras de Luciano. E não me perguntem porquê...

É algo que vem de dentro!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Seria tão decepcionante quanto a chuva em Agosto!...

Empregado de restaurante preparado para receber clientes  no centro de Lisboa em plena pandemia
Ingleses espantados como Portugal combate coronavírus: um caso de estudo
The Telegraph questiona por que é que a taxa de teste à covid-19 é mais que o dobro de quase todos os outros países (LINK)

Portugal regista, segundo os dados de terça-feira, 1.342 mortos e 31.007 infectados por Covid-19. Números que colocam Portugal como um dos países com maior sucesso no que diz respeito ao combate e prevenção da doença. Em artigo extenso, amplamente documentado com gráficos sugestivos e várias opiniões, publicado ao fim da manhã de ontem, mas cuja leitura vivamente recomento, o diário britânico 'The Telegraph' volta a elogiar o caso português.

Oxalá o jornal inglês não se lembre de tão cedo esmiuçar os meandros da nossa Justiça e do nosso Futebol...

Seria tão decepcionante quanto a chuva em Agosto!... 

Leoninamente,
Até à próxima

E a Margaret Thatcher era inglesa e já morreu!!!...


Vão assobiar para o lado?

«Enquanto os jogadores arriscam a saúde das respectivas famílias para que a retoma do futebol seja uma realidade e mascare a gestão desastrosa de uma grande parte dos dirigentes portugueses, eis que um grupo de criminosos que se esconde e legitima nas claques continua a fazer sangue sem que nada aconteça. Da polícia aos presidentes dos clubes, passando pelas instituições que regem o futebol, esta é uma boa oportunidade para separar o trigo do joio e limpar as bancadas de uma escumalha que não pertence ali. É óbvio que há gente boa nos grupos organizados. Miúdos que vibram com o futebol e que no meio das massas fazem umas parvoíces. Mas não é desses que falo. É destes que esfaqueiam, matam, perseguem e são quase sempre os mesmos. Não está na altura de varrer esta gente do jogo que amamos e que eles apenas conspurcam?

Varandas tomou uma posição corajosa em relação às claques e que lhe custou manifestações, ataques, ameaças e quejandos. Vieira há uns anos preferiu dizer que não sabia que existiam claques na Luz. Já que têm falado ultimamente , não estaria na altura de os líderes dos grandes fazerem algo em conjunto a estes grupos onde se escondem os criminosos? Sei que é preciso coragem, dá chatices e não rende votos. Mas o futebol agradecia.»
(Bernardo Ribeiro, director do Record, Saída de Campo, hoje à 01:16)

A nível governamental nem sequer se assobia!...

E a Margaret Thatcher era inglesa e já morreu!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 26 de maio de 2020

Luís Duque ainda vai a tempo?!...



Luís Duque ganha força para a liderança da Liga
Aparentemente tem o apoio de vários clubes profissionais

Luís Duque será o nome mais forte que começa a surgir como hipótese para suceder a Pedro Proença na presidência da Liga Portugal, caso se venha a confirmar a sua saída. O ex-dirigente do Sporting, de 62 anos, terá aparentemente o apoio de vários clubes profissionais, o que pode vir a ser fundamental para que decida avançar para uma candidatura.

Será bom recordar que Duque já liderou o organismo, em 2014, apresentando-se como candidato único, após a anulação da eleição anterior que ditou a saída de Mário Figueiredo, recebendo o voto favorável da grande maioria dos clubes. Na altura foi considerado como um ‘governo de salvação’ da Liga, pois era urgente voltar a unir todos os emblemas em torno de um objectivo comum. Porém, o seu reinado terá sido demasiado curto, já que a meio de 2015, em novas eleições, Proença levou a melhor e assumiu o cargo. Agora, Luís Duque parece voltar a ser a solução que sempre deveria ter sido e que poderia ter catapultado o futebol para o patamar que sempre foi desejável.

Mais vale tarde que nunca, mas, quem sabe se...

Luís Duque ainda vai a tempo?!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Quem conta um conto, acrescenta um ponto"!...



Esta é a realidade que se vai vivendo em Alvalade. Será na formação que o Sporting Clube de Portugal terá de encontrar resposta para o Futuro, mesmo que não haja dia em que não surjam as habituais especulações, espalhadas por todos os media em geral e nos jornais desportivos em particular, tanto quanto a entradas, quanto mesmo a eventuais saídas que, no tempo certo, apenas o Clube será chamado a ponderar, tendo em conta os seus legítimos e inalienáveis direitos!...

Quanto ao resto...

"Quem conta um conto, acrescenta um ponto"!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 25 de maio de 2020

A grande maioria dos adeptos sportinguistas!...


Muito provavelmente com o futuro traçado, por notória inadequação  aos pressupostos tácticos de Rúben Amorim, parecem estar Cristián Borja e Idrissa Doumbia dois jogadores a  quem o técnico leonino tem tido oportunidade de observar o desempenho nesta singular "pré-temporada" que está a ser realizada antes da retoma da Liga.

O lateral não tem conseguido ser a opção desejada para fazer todo o flanco esquerdo, onde reina a classe e a polivalência de Acuña e começa a surgir Nuno Mendes como alternativa porventura mais válida e o médio tem revelado ser, sobretudo, um destruidor num meio-campo de três elementos e com sérios problemas em termos de construção de jogo em processo ofensivo, pelo que Rúben Amorim, tendo como objectivo implementar um sistema em que os dois médios se complementem nas funções, tem vindo naturalmente a colocar Doumbia nos lugares secundários na corrida por uma vaga na equipa.

Ainda bem que Rúben Amorim terá chegado à conclusão, agora definitiva, a que há muito terá chegado... 

A grande maioria dos adeptos sportinguistas!...

Leoninamente,
Até à próxima

Será Val Rosier capaz de nos surpreender?!...



Dizem que se reinventou, que estará a dar um luta danada a Ristovski, que Amorim esfrega as mãos e que, afinal, até pode ficar em Alvalade...

Será Val Rosier capaz de nos surpreender?!...

Leoninamente,
Até à próxima

O que será?!...


E o incrível acabou mesmo por acontecer: até na Travessa da Queimada acreditam!!!...

"Quando a esmola é grande, o pobre desconfia"... Alguma coisa estará errada no outro lado da rua!...

O que será?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Às vezes, de ignorada moiteira saem bons coelhos!!!...


A capa é bonita, bem trabalhada e o conteúdo, além de verdadeiro, é muito, muito importante!...

Mas, porém, todavia, contudo, a "crise desta pandemia" também terá "identificado", sem a mais pequena réstia de dúvida, que a "ferida do leão terá, incontornável e necessariamente, de ser curada com o pelo do mesmo leão"! Essa sim, terá de ser a verdadeira e única "prioridade"!...

Reinventa-te Amorim e olha bem à tua volta...

Às vezes, de ignorada moiteira saem bons coelhos!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 24 de maio de 2020

Dava-me um gozo tremendo dar razão ao Varandas!...


Se não me enganei nas contas e o que tem vindo ultimamente nos jornais tiver uma minúscula centelha de verdade - já o outro dizia que "no futebol, o que hoje é verdade amanhã é mentira"! - e sendo certo que cada um dos protagonistas, directos ou indirectos, estará no legítimo direito de discordar, haverá neste momento um dúzia de perspectivas de regresso a Alvalade!... 

Uma avalanche?! Sim, é de facto muita gente: um tremendo sistema de doze equações com igual número de incógnitas! Não sei se haverá em Alvalade 'matemático' capaz de resolver um imbróglio desta natureza!...

Não desejaria estar na pele de Rúben Amorim! Ou será que para o actual treinador leonino, "o pão é mesmo pão e o queijo mesmo queijo"?!...

Se o homem, olhado de soslaio por tantos sportinguistas, conseguir resolver o "sistema", então terá por certo de ser considerado um dos melhores 'matemáticos' que de há largos, muito largos anos, terá passado por Alvalade...

Estará a grande "nação leonina" toda em pulgas para assistir à abertura do melão! Cá por mim e sendo um leão pouco diferente de todos os outros, deixem-me todavia confessar...

Dava-me um gozo tremendo dar razão ao Varandas!...

Leoninamente,
Até à próxima 

Todo o cão e gato lhe mijam em cima!...


O preço da má fama

«Os clubes portugueses, como quaisquer outros na Europa, dependem do dinheiro da televisão para sobreviver. Dentro de poucas semanas, cumprem-se dois meses de torneiras fechadas por parte da NOS e da Altice, uma verdadeira tormenta para todos os clubes, mesmo com recursos a lay-off e redução ou congelamento de salários. A vida não está fácil para ninguém, mas o esforço de retoma que o futebol profissional está a fazer merecia mais reconhecimento da parte de duas das maiores empresas portuguesas, que fecharam o ano de 2019 com lucros de centenas de milhões de euros. Independentemente dos desamores por Pedro Proença, é difícil entender que a NOS anuncie publicamente o fim de um acordo de patrocínio a mais de um ano do seu final, fragilizando toda a Liga; ao mesmo tempo, é difícil entender que a Altice queira pagar os meses de Abril e Maio descontando-os das prestações a pagar em 2020/21, esquecendo-se de que terá futebol ‘não orçamentado’ em Junho e Julho.

É difícil imaginar este tipo de acções aplicadas a empresas de outros sectores de actividade. Muito provavelmente, é o preço que o nosso futebol paga pela sua má fama junto de grande parte das elites sociais e económicas deste País. É mais uma luta que o futebol precisa de vencer.»
(Sérgio Krithinas, Saída de Campo, in Record, ontem às 23:51)

Quando um homem está na valeta...

Todo o cão e gato lhe mijam em cima!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 23 de maio de 2020

Temo que o "flashback" tenha vindo para ficar!...


Cientistas procuram vacina para o futebol português

«Para quem ainda não entendeu bem a questão: caso não se realizem os jogos da Liga NOS desta época, os clubes portugueses podem nunca mais voltar a ser os mesmos. Os milhões em causa resultantes, essencialmente, dos direitos de transmissão televisiva, dos contratos com patrocinadores e das potenciais vendas de jogadores são imprescindíveis para manter a nossa liga no patamar onde está.

Dito isto, torna-se, no mínimo, difícil de entender o desconfinamento esquizofrénico de alguns dos principais intervenientes do futebol português. Recusas de jogar em determinados estádios, acusações de traição, negociações paralelas, suspeitas sobre eventuais viagens de árbitros em charters com equipas ou nuvens criadas sobre eventuais favorecimentos dos calendários são algumas das cenas tristes que o futebol português nos voltou a brindar, nos últimos dias.

Se por um lado devemos valorizar o enorme esforço da Federação, Liga e Clubes no regresso da competição, por outro lado temos de perceber que esta solidariedade deve ser mantida por todos, em todos os detalhes necessários ao reinício da Liga NOS. A bola ainda nem começou a rolar nos relvados e as polémicas já regressaram em velocidade máxima.

A situação de emergência do futebol é demasiado grave para que nos voltemos a perder em batalhas desnecessárias e inconsequentes. Os adeptos, mais do que nunca, sonham pelo regresso aos relvados. A Bundesliga, que recomeçou na semana passada, apesar dos estádios vazios, bateu recordes de audiências televisivas. O mesmo se espera que aconteça em Portugal, que pode até aumentar a sua visibilidade internacional, dada a grande maioria das outras competições internacionais estar suspensa.

Fico por isso com a sensação que, para além da necessária busca da vacina do COVID-19, seja também necessário pedir aos cientistas que, após essa conquista, se dediquem a desenvolver uma vacina para curar de vez o futebol português.

Olhando para outros sectores de actividade vemos um esforço comum do retalho, indústria, educação, serviços em voltar á normalidade e a procurar recuperar os milhões perdidos. No caso do Turismo vemos todos os operadores a trabalhar para voltar à actividade, mas acima de tudo a trabalhar em conjunto para voltar a ganhar a confiança dos turistas estrangeiros para regressarem a Portugal.

É agora ou nunca. Ou a indústria do futebol português aproveita esta oportunidade para se fortalecer ou temo que iremos perder de vez o comboio da competitividade europeia e vamos apenas poder ver as conquistas europeias de clubes portugueses como temos visto agora: em flashback.»
(Daniel Sá, Mais do que um Jogo, in Record, hoje às 18:24)


Temo que o "flashback" tenha vindo para ficar!...

Leoninamente,
Até à próxima

Pelo sim, pelo não, prefiro "caldos de galinha"!...


Os elogios são sempre bons?

«"Só o Matheus Nunes vai pagar o Rúben Amorim", disse Frederico Varandas.

Será uma frase que pressiona um jovem de 21 anos que não tem um único jogo na equipa principal? Um elogio destes pode ser uma mensagem para dentro – prova de confiança no visado e equipa técnica que o está a potenciar e como isso deve ser apreciado pelos adeptos – e para fora – aviso aos eventuais interessados de quanto poderá custar o jogador se o trajecto evolucionai for o esperado. Outras vezes, não é mais do que um comentário genuíno sem segundas intenções.

O essencial é que, sejam palmadinhas nas costas ou abanões, se perceba de que forma isso vai afectar o jogador, pela positiva ou negativa e se, psicologicamente, está preparado para o impacto que uma afirmação pública destas pode atingir. Dizer que um jogador vai valer muito dinheiro ou conquistar a Bola de Ouro pode ser um factor de pressão, como também podem ser os assobios dos adeptos, um insulto nas redes sociais ou a comparação com outro jogador – nós, comunicação social, devemos repensar este aspecto. O ‘novo X ou Y’ deve ser apenas indicativo do perfil de jogador e não comparativo.

Os jogadores não são todos iguais a nível mental, logo a forma de lidar com elogios e críticas também varia. Não sei se Frederico Varandas pensou nisto ou se o disse para marcar posição, mas sei que Matheus Nunes encarou as palavras apenas como mero reconhecimento. Nem sempre acontece quando o mediatismo chega antes do tempo.»

Uma excelente proposta de reflexão do jornalista de Record, David Novo, tanto para Frederico Varandas, quanto para todos os que, dentro das raias do universo leonino, entenderam aplaudir as palavras do presidente do Sporting Clube de Portugal, na sua tão badalada, por bons motivos e não só, entrevista que concedeu ao Canal 11.

Estará por provar ao presidente e a quantos o aplaudiram, o grau de conhecimento que terão da estrutura psicológica de Matheus Nunes e se estará ou não, preparado para reagir positivamente ao impacto que uma afirmação como a de Frederico Varandas poderá provocar.

Por mim,  entre a 'fome e a indigestão', sempre procurei pensar simples em todos os meus actos na vida...

Pelo sim, pelo não, prefiro "caldos de galinha"!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE