domingo, 25 de setembro de 2022

Embrulhem esta que ainda está quentinha!...


"Não levem a mal a minha resposta, mas essa dinâmica de vitórias [do Sporting] é que tem sido aproveitada pela Federação, não pelos clubes". Nuno Dias respondeu a uma pergunta no sábado, na antevisão ao dérbi da Supertaça, negando que fossem os leões a aproveitar o trabalho de Jorge Braz na Selecção Nacional, isto após a conquista da Finalíssima, na Argentina.

Este domingo, após na conquista da Supertaça, o vogal da Direcção do Sporting com o pelouro das modalidades saiu em defesa do treinador de futsal dos verde e brancos:

«Estamos muito orgulhosos pelo trabalho da Selecção Portuguesa mas há que dizer que ontem houve o descaramento de alguém perguntar se o Sporting iria aproveitar o que está a ser feito na Selecção. Não brinquem connosco! Este homem [Nuno Dias] tem uma história incrível em termos de Sporting e de Selecção. Estamos a falar de uma modalidade que, ao contrário de outras, sabemos que o único critério de escolha da selecção de jogadores é a qualidade. Não mais do que isso, ao contrário de outras. Hoje tivemos aqui uma equipa brilhante que acusou muito o esforço por aquilo que se despendeu na Argentina durante dias e dias. Nós (Sporting) temos o orgulho de na Selecção Nacional termos uma grande base de jogadores portugueses. Tiveram de ir buscar hoje um extra para ganhar, pelo esforço que fizeram pelo país. Mas hoje tinha de dobrar estes parabéns ao Nuno [Dias] por que ele merece tudo isto. Tanto se fala de Selecção durante esta semana e não nos vamos esquecer como é que as coisas acontecem. Obrigado, Nuno", considerou Miguel Afonso à Sporting TV.»

Embrulhem esta que ainda está quentinha!...

Leoninamente,
Até à próxima

Mais uma para o Museu Sporting!...



Sporting-Benfica, 4-4 (3-1 pen.)

Sporting conquista a 11.ª Supertaça da sua história e cimenta total hegemonia no Futsal

«E agora sim, podemos respirar. Sporting e Benfica proporcionaram este domingo um grande espectáculo de futsal. O Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos encheu-se para ver os dois eternos rivais disputarem o primeiro troféu oficial da época 2022/23, que acabou por cair para o lado leonino após um triunfo por 3-1 nos penáltis, depois de 4-4 obtido no período regulamentar e prolongamento. Leão conquista a 11.ª Supertaça da sua história.

Leões estiveram quase sempre na frente do marcador e nos penáltis não vacilaram, enquanto as águias falharam dois remates.»

Mais uma para o Museu Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

Teremos Porro em Marselha!...


Exames afastam lesão grave do ala, porém dificilmente estará no jogo de sexta-feira. Mira está apontada ao regresso na Liga dos Campeões, com o Marselha

«Porro já foi reavaliado pelo departamento clínico do Sporting e, apesar de não ter sido detectada qualquer lesão grave, é quase certa a sua ausência no jogo da próxima sexta-feira, frente ao Gil Vicente, sabe Record. O internacional espanhol já iniciou os tratamentos ao traumatismo sofrido na perna direita, mas só deve regressar à competição na Champions, a 4 de Outubro, quando os leões defrontarem o Marselha, em França.

A mazela do ala direito, de 23 anos, resultou de uma entrada mais dura de um adversário no particular disputado frente ao Vilafranquense, na sexta-feira, na Academia. Dadas as dores provocadas pelo impacto, o lateral foi de imediato assistido e cedeu o seu lugar a Trincão para iniciar a recuperação com a aplicação de gelo na zona atingida. Quando abandonou Alcochete, já apresentava menos queixas, mas ontem, em dia de folga ao plantel, teve de ser submetido a exames complementares de forma a despistar qualquer problema grave que pudesse implicar uma paragem mais prolongada.

Esse mesmo cenário acabou por ficar afastado com os resultados dos testes médicos realizados. Ainda assim, nos próximos dias Porro vai ficar entregue ao departamento clínico, e só em caso de uma recuperação muito favorável poderá entrar no leque de opções para a recepção ao clube de Barcelos, no regresso da equipa à Liga. Uma hipótese improvável, até porque o calendário vai voltar a ficar apertado, o que obrigará a cuidados redobrados de Amorim nas suas escolhas. Por esse motivo, só em Marselha deverá voltar ao onze.»

Teremos Porro em Marselha!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 24 de setembro de 2022

Só nos faltava mais esta!...


Até ao momento nada se sabe ainda sobre a lesão de Pedro Porro. Esperamos e desejamos que não tenha passado de susto!...  

Só nos faltava mais esta!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 23 de setembro de 2022

Que assim seja Alexandro!!!...


"Estou orgulhoso por ter dado este passo".

«Concentrado com a selecção da Grécia, Sotiris Alexandropoulos concedeu uma entrevista ao Sport24. Questionado sobre as primeiras impressões com o Sporting, o médio de 20 anos mostrou-se muito satisfeito.

«É a minha primeira aventura no estrangeiro, sinto-me pronto e estou orgulhoso por ter dado este passo. Estou muito contente com o que vi do Sporting e estou onde quero estar. Estreei-me na Liga dos Campeões, já levo alguns minutos na Liga, é só o início e ainda tenho um longo caminho pela frente», explicou.

E questionado sobre as qualidades que tem, Alexandropoulos assumiu que o sistema leonino acaba por se adequar melhor.

"Posso jogar como ‘6’ ou ‘8’ e por isso acredito que o 3x4x3 é o sistema que melhor se adequa a mim. Sou veloz com e sem bola, pressiono muito o adversário e acho que tenho boa técnica. Nos treinos costumo rematar bem, mas tenho de começar a demonstrar isso nos jogos e devo melhorar as minhas decisões, para ser mais eficiente em prol da equipa", concluiu.»

Que assim seja Alexandro!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

120 milhões de euros!!!...


Pois é, mas o pior será, como diria alguém que já pontificou do outro lado da nossa rua, "ambos os dois, juntos ou separados", para partirem, alguém terá de deixar nos cofres do Sporting apenas e tão só...

120 milhões de euros!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 22 de setembro de 2022

Não teremos de esperar muito!...


«José Marsà é um nome já conhecido dos mais atentos adeptos leoninos e, a curto prazo, é possível que este lote aumente de forma considerável pois as lesões registadas nos centrais do Sporting podem acelerar a sua integração na equipa principal. Na Academia há pouco mais de um ano, o catalão já se estreou no último jogo da época passada, diante do Santa Clara (4-0), e tem passado os últimos dias a trabalhar directamente sob as ordens de Rúben Amorim enquanto Neto, Coates e St. Juste continuam no departamento médico a recuperar das respectivas mazelas.

Aos 20 anos, Marsà é um jovem que chegou à Academia com os princípios de jogo do Barcelona, clube que representou durante 12 temporadas e onde era chamado de forma assídua a treinar com o plantel principal. Esquerdino como Rúben Amorim tanto gosta, o defesa durante a sua trajectória em La Masía mostrou capacidade para alinhar em qualquer posição do sector. "Estou pronto a jogar em qualquer posição que o treinador deseje. A idade não pode servir de desculpa pois os jovens têm sempre de querer trabalhar para evoluir", afirmou em Abril de 2021, num dos últimos jogos em que representou o Barcelona frente ao Alcoyano...e jogou como lateral direito.

Quando prestou estas declarações, o jogador já estava a negociar com o Sporting que seguia com atenção o seu processo de renovação com os culés. A verba oferecida ficava aquém do desejado pelo atleta e, acima de tudo, o projecto desportivo não era convicente. Foi exactamente esta a via que os responsáveis leoninos usaram para convencê-lo a vir para Portugal usando o trunfo Rúben Amorim, e a promessa de poder vir a vingar na equipa principal dos leões a médio prazo. Uma conversa telefónica com Porro acabou por revelar-se determinante na decisão de deixar o seu clube do coração e iniciar uma nova aventura em Lisboa.

Comportamento exemplar

A 9 de Julho de 2021, Marsà foi oficialmente apresentado como reforço dos leões após ter terminado o vínculo que o ligava ao Barcelona. "Assim que soube do interesse do Sporting, comecei a seguir os jogos do clube. Não só do futebol, mas também do futsal, por exemplo. Sei que foram campeões europeus. Quero demonstrar o que valho dentro de campo e retribuir toda confiança depositada em mim", afirmou o jogador na apresentação já consciente que no primeiro ano iria jogar na equipa B sob as ordens de Filipe Çelikkaya.

Ao serviço da segunda equipa dos leões, o internacional sub-18 por Espanha não demorou a conquistar o estatuto de titular tendo contabilizado 19 jogos, um número que só não foi superior devido às chamadas ocasionais à formação principal. No total, na sua primeira época ao serviço do Sporting, contabilizou 11 convocatórias, mas a sua estreia só se registou na última jornada, no citado jogo com o Santa Clara.

Se nos relvados o catalão correspondeu às expectativas, no balneário superou-as. Sabe Record que Marsà tem sido de um profissionalismo exemplar revelando uma maturidade invulgar para um jovem de 20 anos. Aliás, em Espanha, chegou a ser capitão nas camadas jovens do Barcelona, uma responsabilidade que o ajudou a moldar uma personalidade forte e vincada.

À espera da oportunidade

Consciente da evolução de Marsà, Rúben Amorim não hesitou em levá-lo para o estágio de pré-temporada, realizado no Algarve, e foi utilizado em cinco jogos particulares onde completou sempre os 90 minutos. Apesar de ainda jogar na equipa B para manter o ritmo, treina com o plantel principal e, a par de Mateus Fernandes, é o jovem que está na antecâmara para começar a ser chamado com regularidade. Na presente época, mesmo antes da onda de lesões que afectou os centrais, Marsà já havia sido chamado a cinco convocatórias, e é uma questão de tempo até ter a sua oportunidade. A prioridade da equipa técnica, nesta fase, é dar ao jovem todas as armas para poder vingar, de forma a seguir o trajecto de Gonçalo Inácio.»
Por João Soares Ribeiro, hoje às 21:06

Com a mesma e rigorosa estampa atlética de Gonçalo Inácio, apenas mais novo um curto meio ano, um fabuloso pé esquerdo de igual quilate e o direito talvez até melhor, palpita-me que para o vermos no lugar de Coates, a liderar um curioso trio de centrais esquerdinos ...

Não teremos de esperar muito!...

Leoninamente,
Até à próxima

Merecidíssima homenagem do Record!!!...


«Durante a gala 'Quinas de Ouro', Vasco Palmeirim mostrou a sua preferência quanto à leitura de jornais desportivos. O apresentador falava do futebol, de praia e, em determinado momento, explicou como é o seu dia perfeito no areal: "De papo para o ar, a ler o Record...". Ora, esta quinta-feira, preparámos uma capa especial para Palmeirim que o locutor da Rádio Comercial partilhou igualmente na sua página de Instagram.

"Na Gala Quinas de Ouro confessei que uma das coisas que mais gosto de fazer na praia é estar de papo para o ar e ler o Record. Hoje, ao chegar à Rádio Comercial, estava à minha espera o Tomás, gestor da marca Record, com esta surpresa: uma edição só minha. Eu. Na capa. A fazer um kamehame. Com o gang todo das Manhãs em declarações exclusivas. Que maravilha! Malta do Record: isto está mesmo especial. Obrigado. Irei guardar isto com todo o amor", pode ler-se.»

Mas que grande "ponta de lança" tem o Sporting o privilégio de possuir entre a sua imensa e fantástica legião de adeptos!...



Merecidíssima homenagem do Record!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Ainda a "posição nove"!...


Ainda a "posição nove"!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 21 de setembro de 2022

Acontece!!!...


«... A chamada de Gonçalo Ramos para a vaga de Rafa é absolutamente casuística e sem ponta de coerência. O jogador com características mais aproximadas às de Rafa é Pote e joga ali ao lado, no Sporting.»

Diz o nosso povo na sua imensa sabedoria, que "quando um homem cai na valeta, não há cão nem gato que não lhe mije em cima"!... 

Mas no caso do momento que Fernando Santos protagoniza, as culpas jamais deverão ser atribuídas aos pobres dos animais de quatro patas! O culpado de tudo será o outro animal que terá decidido mergulhar estupidamente na valeta, sem medir consequências!...

Já há por aí quem fale em senilidade precoce...

Acontece!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quando a religiosidade se confunde com venalidade?!...




«... Quando anunciou os convocados para os próximos compromissos da Selecção Nacional, Fernando Santos foi questionado sobre jogadores que não estavam na lista, mas que ainda poderiam vir a ser chamados para o Mundial. O seleccionador recusou-se a fazer "previsões" mas mencionou vários nomes, entre os quais Pote e Trincão, do Sporting, clube que não tem qualquer representante nos eleitos com vista aos jogos com a Rep. Checa e a Espanha. E deixou uma certeza: "Estamos todos atentos. Os jogadores é que me vão dizer quem vai ao Mundial."

Pois bem, na segunda-feira, após a renúncia de Rafa à Selecção, Pote era um dos leões que maior expectativa alimentavam por uma oportunidade de Fernando Santos, uma hipótese que depressa fez eco, também, nas redes sociais, em que os adeptos partilhavam a esperança de ver um jogador do Sporting na equipa das quinas. Foi, por isso, quase sem surpresa que a opção de Santos por Gonçalo Ramos acabou por ser mal recebida, tanto pelo próprio Pote como pela generalidade do universo leonino. O respeito pelas escolhas do seleccionador mistura-se, agora, com a estranheza pelo facto de Fernando Santos ter substituído Rafa por um jogador com características completamente diferentes, como é Gonçalo Ramos, quando o mais ‘natural’ seria chamar Pote...»

Da acusação de cobardia por parte de Lloyd Cole, cantor e compositor inglês, depois de ver o jogo de Portugal com a Bélgica, nos oitavos-de-final do último Europeu (aqui), Fernando Santos nunca se terá livrado.

Agora este episódio relatado pelos jornalistas de Record, muito pouco ou nada mesmo abonará a favor da credibilidade que a sua cultura e experiência de vida deveriam exigir...

Perdoar-lhe-ão os seus deuses...

Quando a religiosidade se confunde com venalidade?!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 20 de setembro de 2022

Degradante e sem solução à vista!...


«O Sporting foi alvo de multas num valor total de 29.070 euros, por conta do comportamento dos adeptos no encontro do fim de semana diante do Boavista, no qual os leões perderam 2-1.

Em causa estiveram os cânticos ofensivos entoados tendo como alvo os rivais axadrezados (1020 euros), mas essencialmente o uso e arremesso de material pirotécnico. O leão é sancionado com três multas distintas, duas de 10.200 euros, pelo arremesso de objectos com e sem reflexo no jogo, e ainda uma 'genérica', de 7.650€, pelo comportamento dos adeptos, por conta da contabilização de lançamento de um total de 30 engenhos pirotécnicos.

Deste jogo resultou ainda uma multa de 408 euros ao Boavista por insultos ao Sporting, mas também a Rochinha, e ainda uma outra, de 2.040 euros, pela entrada de objectos pirotécnicos na zona destinada aos adeptos leoninos.»

O Sporting vai pagando e todos parecem estar satisfeitos:
  
1 - a FPF que recebe estas "rendas" como benção orçamental;
2 - os adeptos culpados já que ninguém lhes vai ao bolso nem sofrem represálias;
3 - os clubes visitados que, com as culpas maiores, pagam 10 ou 15 vezes menos
     que os clubes visitantes;
4 - o próprio Sporting que parece resignado, colaborante e até seduzido pelo seu
     "pacóvio altruísmo".

Entretanto a situação arrasta-se...

Degradante e sem solução à vista!...

Leoninamente,
Até à próxima

Fala quem sabe e sente o Sporting!...


«Carlos Pereira, que passou grande parte da sua vida ligado ao Sporting, primeiro como jogador e posteriormente como técnico, entende que o actual rumo de aposta na formação e valorização de activos feita por Rúben Amorim deve continuar, mas deixa alguns alertas.

Carlos Pereira, fez uma análise mais centrada na irregularidade da equipa, e considera o "plantel curto" para poder lutar pelo título e fazer uma boa campanha na Liga dos Campeões. "Na Champions os jogadores agigantam-se frente às grandes equipas e depois no campeonato, frente a adversários muito inferiores, acabam por facilitar um pouco de forma inconsciente... não têm os mesmos índices de concentração, são menos agressivos e não metem tanto o pé. Passámos várias vezes por este problema", regista o técnico que não hesita em considerar esta irregularidade "um problema cultural".

Consciente que os leões não têm possibilidades de fugir às propostas de venda milionárias que têm surgido em Alvalade, Carlos Pereira elogia o trabalho de Rúben Amorim e deixa alguns conselhos. "Não há volta a dar. Sem dinheiro o Sporting tem que apostar sobretudo no mercado interno como o Rúben Amorim tem feito procurando jogadores que já conhece bem, e esta estratégia tem dado bons resultados. Agora, o plantel é muito curto e isso acaba por dificultar a gestão", acrescenta.

Para terminar, Carlos Pereira considera que o Sporting ainda não se pode colocar de fora da corrida para o título pois "o campeonato é fértil em surpresas", mas deixa o aviso. "Algo tem de mudar internamente para reerguer a equipa. Não é possível continuar com uma diferença de rendimento tão grande", conclui.»

Fala quem sabe e sente o Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

Dar a resposta necessária e suficiente!!!...


«Em situações de crise ou de festa, quando fala em conferência de imprensa, Rúben Amorim gosta de recuar ao momento que lançou o Sporting para a reconquista do título em 2020/21: então, um surto de Covid-19, na Academia, obrigou a equipa a isolar-se em Lagos, longe de casa e das famílias; logo de seguida, o doloroso afastamento da Liga Europa, aos pés do LASK Linz, potenciou a desconfiança instalada desde a época anterior. Foi este, grosso modo, o inesperado ponto de partida do Sporting rumo a uma época que veio a revelar-se histórica e, para o bem ou para o mal, para travar a euforia ou procurar motivação, Amorim não esquece estas lições do passado...

Pois bem, dois anos depois, a montanha que o Sporting tem para escalar é quase tão alta, senão maior, do que essa. Apesar de um arranque de sonho na Champions (vitórias sobre o E. Frankfurt e o Tottenham), o início de campeonato tem sido um pesadelo (10 pontos em 21 possíveis) e, ao cabo de 7 jornadas, a percepção geral, dos adeptos e da crítica, é a de que dificilmente será possível inverter esta realidade. O desafio é enorme, e Rúben Amorim já o assumiu publicamente, mas difícil é diferente de... impossível e o técnico também fez questão de sublinhar esta mensagem dentro do grupo. Na verdade, segundo Record apurou, na sequência da derrota com o Boavista, no Bessa (2-1), que pôs termo a quatro triunfos consecutivos (11-0 em golos), o treinador deixou um alerta bem vincado perante os jogadores, numa conversa que teve lugar na Academia, antes da folga.

Margem zero

Sem se focar em demasia na questão dos objectivos, mas lembrando que, antes de pensar na distância para o 1.º lugar, há que garantir a ‘zona Champions’, Amorim insistiu na ideia de que é proibido perder mais pontos nesta fase do campeonato, sob pena de comprometer, de vez, todas as ambições na prova. Para estancar a hemorragia, é preciso mais do que um penso rápido e, por isso, Amorim pediu ao plantel para trabalhar no sentido de conseguir uma boa série de vitórias, depois da pausa para as selecções. É este, afinal, o ‘pormaior’ que falta ao Sporting, na análise do próprio Amorim, que vê a equipa a dominar como um grande, mas sem consistência nos resultados. A conclusão do treinador é clara: não basta jogar melhor do que em temporadas anteriores, é obrigatório ganhar.

A equipa volta hoje ao trabalho em Alcochete, muito limitada por ausências, devido a problemas físicos e às selecções. Triste pelo contexto mas sem endurecer o discurso, Amorim pediu ao balneário uma reflexão durante esta pausa no calendário de clubes. O objectivo passa por recuperar a confiança e... correr arás do prejuízo na Liga, sabendo que agora a margem de erro é nula.

Champions é um oásis no deserto

Numa altura em que se cumpre a pausa para os compromissos das selecções, o Sporting vira a página com um sentimento agridoce. Se, por um lado, somou uma derrota pesada a nível emocional frente ao Boavista, por outro os leões têm tido uma prestação exemplar na actual edição da Champions, situação que não passa ao lado de Amorim. No discurso perante os jogadores, o treinador deixou claro que o desaire no Bessa não pode desmotivar para a segunda fase da época, cujo início está marcado para o dia 30 (Gil Vicente) e inclui desafios (importantes) da prova milionária.

Líder no grupo D, com 6 pontos, fruto dos triunfos históricos perante o Eintracht Frankfurt (3-0) e o Tottenham (2-0) – os leões nunca tinham vencido na Alemanha nem somavam triunfos frente a ingleses na Champions –, o Sporting quer manter a regularidade na montra europeia, uma fonte importante de encaixe financeiro para os cofres do clube. Nesse sentido, as próximas duas partidas na Champions frente a Marselha como visitante (dia 4 de Outubro) e em Alvalade (dia 12) podem permitir um passo importante, o que levou Amorim a pedir concentração total ao plantel nesta fase de preparação.

Promete assumir responsabilidade

Depois da derrota no Bessa, que considerou "completamente injusta", Rúben Amorim veio assumir que "a diferença começa a ser muito grande" mas recusou "atirar a toalha ao chão". Até porque, disse o treinador, a equipa "está no caminho certo", apenas peca nos detalhes que são decisivos para garantir a tal sequência de vitórias em falta. "Temos de ganhar a consistência de equipa grande porque o resto está lá tudo. Tem a ver com aproveitar as oportunidades, ser melhores com a bola à frente da área", referiu Amorim, que antecipou uma promessa, aconteça o que acontecer: "Cá estarei para assumir as responsabilidades."

Defesa permeável gera apreensão

Amorim havia lançado o mote à equipa de não sofrer golos em partidas consecutivas, algo que sucedeu no período que compreendeu os triunfos desde o Estoril até ao Tottenham (com 11-0 em golos), mas barreira leonina voltou a cair perante a pantera. Na raiz do problema, surgem várias questões quer individuais quer colectivas, mas uma das prioridades do técnico também passa por melhorar os índices de concentração no sector recuado. Veja-se que o Sporting não sofria tantos golos (10) ao cabo de 7 jogos na Liga desde 2003/04, então com Fernando Santos ao leme. A título de exemplo, na época passada os leões só concederam 10 golos na Liga, em Janeiro, na 17ª jornada; e em 2020/21 tal sucedeu na 18ª ronda.»
Por Filipe Balreira e Vítor Almeida Gonçalves

Resta saber até que ponto as palavras de Amorim chegam ao grupo e depois, se o grupo está à altura de ...

Dar a resposta necessária e suficiente!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 19 de setembro de 2022

O chorrilho do Bessa não se ficou por João Pinheiro!...


Diagnóstico ao leão

«Um treinador ajuizado sabe que nunca é tão bom como lhe dizem quando ele ganha, nem tão ruim como lhe achacam quando ele perde. Um treinador maduro também tem a obrigação de enxergar que, para o adepto e mesmo para boa parte da crítica, a única equipa boa é a que ganha. Isso talvez explique alguns dos palpites futeboleiros que já se vão ouvindo e lendo por aí a contraditar de forma frontal ou mais ou menos encapotada a competência de Rúben Amorim e até de Sérgio Conceição, os dois últimos técnicos campeões. São análises atamancadas, e por vezes até boçais, de quem não entende, como diria Marilyn Monroe, que ser derrotado é frequentemente uma condição temporária – e, acrescento eu, ainda o é mais quando a liga só vai na 7ª jornada.

E a tolice é ainda maior porque, na maioria dos casos, não se releva aquilo que mais está a acentuar o aparente colapso do Sporting e do FC Porto: o Benfica tem estado a brilhar como um fio de ouro na escuridão. É o seu percurso perfeito e muito próximo de atingir registos nunca vistos que tem marcado de forma indelével o primeiro quarto do campeonato, mais do que as insuficiências dos seus principais rivais. Já aqui fomos falando do investimento e da planificação benfiquista, bem como dos méritos da aposta num treinador com as características de Roger Schmidt. De resto, devo ter sido dos primeiros, se não mesmo o primeiro, a relevar a competência, o rasgo e até a coragem e a dignidade de um técnico que consegue cativar as bancadas com um modelo de jogo atraente e ofensivo. Mas quem analisou com racionalidade os jogos do Benfica com o Casa Pia, P. Ferreira e Vizela percebeu as dificuldades que os benfiquistas também sentiram frente a equipas defensivamente compactas. E se o Benfica (que venceu quatro dos jogos pela margem mínima) tivesse perdido pontos nesses confrontos, como esteve perto de acontecer, os diagnósticos ao Sporting e ao FC Porto seriam provavelmente bem mais benignos.

Claro que, no caso do Sporting, há um detalhe que agrava em muito a sua situação: nunca uma equipa com 11 pontos de atraso para o líder (ao fim da 7ª jornada) conseguiu sagrar-se campeã. Até porque há que contabilizar também os 9 pontos de distância para o destemido Braga e ainda os 6 para o FC Porto. Ou seja, há um acumulado de 20 pontos de atraso que o Sporting precisa recuperar para os seus rivais mais directos. Mesmo tendo em conta os 81 pontos ainda em discussão, será quase como escalar os Himalaias sem garrafa de oxigénio.

O Sporting já sofreu três derrotas, tantas quantas as somadas em toda a anterior liga. Mas nem por isso Amorim deixa de ter razão quando contrapõe que os leões estão "a jogar como uma equipa grande". Claro que o técnico se refere à faceta dominadora de um Sporting que pressiona, recupera, mostra paciência na construção e teve 73,12% posse de bola no Bessa, onde foi melhor durante mais tempo, mas perdeu para um Boavista aglutinado e engenhoso. De facto, o Sporting só fez um jogo verdadeiramente mau, frente ao Chaves, porque mesmo no Dragão acabou por se exibir melhor do que o resultado (3-0) reflecte.

Após o desaire no Bessa, lá voltaram as teorias dramáticas e arrivistas sobre a falta de uma referência ofensiva, como se a aposta num trio ofensivo de grande dinamismo, destreza e mobilidade não fosse uma solução legítima e já premiada noutras latitudes. Mas não foi a jogar assim que o Sporting se estreou a vencer na Alemanha (Eintracht) e derrubou o todo-poderoso Tottenham?

O comportamento bipolar e a 'falta de consistência' para consumo interno de que fala Amorim reflecte principalmente a falta de fiabilidade e contundência defensiva no campeonato. O Sporting só consentiu 22 remates nos 7 jogos da liga, mas já sofreu 10 golos (quase tantos quantos os 13 marcados). Não é uma questão de falta de organização defensiva, antes de excesso de erros individuais cometidos por quem se apresenta menos concentrado quando a equipa não tem o grau de exigência competitiva que implicam os jogos da Champions. E convém não esquecer que o central St. Juste foi o grande investimento (9,5 M€+2,5 M€ em objectivos) para esta época e tem passado mais tempo na enfermaria do que no relvado, com tudo o que isso implicou nos posicionamentos que estavam pensados para Gonçalo Inácio e Matheus Reis.

Já se sabia que há directores de comunicação que conseguem arranjar uma discussão numa sala vazia, mas é possível que estejam agora também a aprimorar-se na arte do embuste. Foi pelo menos essa a sensação que ficou quando a ausência de Sérgio Conceição à 'flash interview' após o empate do FC Porto no Estoril foi explicada como uma retaliação ao jornalista da SportTV que questionou (de uma forma pouco hábil, é certo) Taremi sobre a expulsão em Madrid e os seus propalados dotes de 'piscineiro'. Mais uma situação de claro 'non sense', não só porque Taremi respondeu com argumentos inteligíveis às perguntas, mas também porque todos nos recordamos das outras várias vezes em que Conceição não quis saber das entrevistas rápidas…

Petit é cada vez maior

Petit já merece ser olhado com um treinador competente e detalhista. Longe vão os tempos em que irradiava principalmente o pendor beligerante que tinha enquanto jogador. O Boavista (15 pontos) está a fazer o melhor arranque de liga da sua história e tem-no conseguido com um futebol escorreito. O seu 3x4x3 privilegia o equilíbrio, as mudanças rápidas do centro de jogo e os ataques rápidos. Na baliza está agora o brasileiro César (30 anos), um ex-campeão do mundo de sub-20 que aproveitou a lesão de Bracali para se estrear e impor os seus quase dois metros. O regressado Sasso dá o equilíbrio na defesa, onde foi muito feliz a adaptação de um Reggie Cannon que exala qualidade. É jogador para outros voos, como talvez venha a ser o lateral Pedro Malheiro. Makouta garante a dimensão física do miolo e Seba Perez a gestão cerebral, a par de Bruno Lourenço, um canhoto que parte da direita para se recriar no meio, como no golo de autor que marcou ao Sporting. A profundidade é dada pelo sprinter Kenji Gorré, na esquerda. Destaque ainda para dois jovens: Bozenik (emprestado pelo Feyenoord) é um ponta de lança que pode ajudar a fazer esquecer Musa; Onyemaechi (emprestado pelo Feirense) é um Speedy González canhoto com requintes técnicos e capaz de jogar com a mesma destreza tanto a lateral como a central. O Boavista tem hoje mais 'banco' do que no passado recente, mas tem principalmente um treinador 'self made man' que soube aprender e que nunca se põe em bicos de pés.»

Os erros individuais serão a causa mais próxima e óbvia para a situação actual do Sporting e a sua "omissão ou branqueamento" da parte de Amorim, ao contrário do que o próprio possa pensar, não tem ajudado absolutamente nada, por injusta falta de expiação...

Será sempre muito difícil conciliar o sol na eira com a chuva no nabal! É forçoso que os bois sejam sempre chamados pelo nome e sintam na própria carne, ainda que "em família", as consequências das suas culpas...

O chorrilho do Bessa não se ficou por João Pinheiro!...

Leoninamente,
Até à próxima

Uma imagem vale mais que mil palavras!...


Não me seduz a imagem da minúscula referência do jornal Record ao "Leão de Amorim" na sua capa de hoje. Para além do notório, exagerado e quase subalterno empolgamento evidenciado em relação ao "campeão destas primeiras sete jornadas", apreciaria muito mais, em vez desta posição de cócoras de Amorim, vê-lo garboso e de costas direitas junto à área técnica que lhe está reservada, sem dúvidas e lamentações!...

Uma imagem vale mais que mil palavras!...

Leoninamente,
Até à próxima

Perceberam "todos" ou é preciso fazer um desenho?!...


Na época transacta o campeão adregou somar 91 pontos. O Sporting soma neste momento apenas 10 pontos, quando estão em disputa até ao final - faltam disputar 27 jornadas! - apenas 81 pontos.

Conclusão subliminar leonina: o Sporting terá de ganhar todos os jogos que lhe faltam!...

Perceberam "todos" ou é preciso fazer um desenho?!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 18 de setembro de 2022

Bom começo para quem almeja o título!...


«O Sporting bateu o FC Porto por 4-2, em jogo da 1.ª jornada do campeonato nacional de hóquei em patins. Após um empate a dois golos ao intervalo, os leões superiorizaram-se nos últimos 10 minutos da segunda parte e chegaram à vantagem por Matías Platero a cinco minutos do fim da partida, que não viria a terminar sem Toni Pérez fixar o resultado final aos 48'.

Estreia positiva de Alejandro Domínguez (ex-treinador do Benfica) no comando técnico dos leões, que, na próxima quarta-feira, têm novo teste de fogo, desta feita na visita às águias (21:00), em partida da 2.ª jornada da prova.»

Bom começo para quem almeja o título!...

Leoninamente,
Até à próxima

Uma "derrota de autor" no Bessa!!!...


Depois de uma "vitória de autor" frente ao Tottenham em Alvalade...

Uma "derrota de autor" no Bessa!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Onda da Nazaré" engoliu o Sporting!...


"Obra-prima" de Nuno Santos e Marcus Edwards não merecia a "imprudente e desnecessária traição" de Ricardo Esgaio!...

"Onda da Nazaré" engoliu o Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 16 de setembro de 2022

A "estória" de como Amorim "comeu" Conte!!!...


Do inferno ao céu em duas semanas

«1] A tormentosa perda de oito pontos no campeonato não metamorfoseou Rúben Amorim num treinador conjecturável e pejado de limitações, como se ouviu e leu de um conjunto de críticos que mareia ao sabor dos resultados. Foi, acima de tudo, o espelho de um início de estação pungente, marcado pelas deslocações a Braga e ao Dragão, a que se juntou uma paupérrima etapa complementar ante o Chaves, em que a pressa em lançar, a meia-hora do fim, o plano C(oates-a-ponta-de-lança) achavascou as acções de construção e de criação leoninas, circundadas a bater bolas de qualquer lado em busca do jogo aéreo do uruguaio. O que redundou numa quase ausência de ocasiões de golo. Acrescenta-se, com igual onerosidade, a necessidade de reinvenção de um onze inevitavelmente depauperado com as saídas do nuclear Matheus Nunes – principal figura leonina nas duas primeiras rondas da Liga pela acutilância com que quebra linhas e supera rivais em condução –, de Palhinha, um infatigável ladrão de bolas, e, principalmente, de Sarabia, unidade móvel de ataque capaz de desatar nós intrincados, como atesta o retumbante registo de 21 golos e 10 assistências em 45 jogos em 2021/22, além do valioso jóquer Tabata, um multifunções para Amorim. O que gerou uma indeclinável volubilidade nos processos defensivo e ofensivo da formação de Alvalade, a carecerem de maturação com a introdução lenta de novos actores.

2] Pé ante pé, com o estrepitoso bulício das críticas cada vez mais ferozes como pano de fundo, o Sporting empubesceu celeremente na adversidade. Por mais que o treinador dos leões indique a flamância das luzes do retorno à estrada do sucesso para o inequívoco talento e para a atitude competitiva esdrúxula dos seus meninos, o resplandecente arranque da fase de grupos da Liga dos Campeões, com um triunfo indiscutível em Frankfurt e uma vitória à italiana ante o até aí invencível Tottenham, teve, em doses substantivas, os dedos e o cérebro de Rúben Amorim. Além da análise cirurgicamente detalhada dos rivais, o que assentiu aniquilar-lhes, na maior parte do tempo das partidas, os seus pontos fortes, retirando-lhes, com enorme acuidade, as zonas em que habitualmente se sentem mais aconchegados e em que abicham ser mais avassaladores, o Sporting nunca desprezou que a única forma de magoar o processo defensivo do contendor está na capacidade para ter bola. Enrijecendo substancialmente, como é quase obrigatório no patamar Champions, as doses de eficácia na chegada a zonas de finalização. Por isso mesmo, o triunfo caseiro ante os spurs começou a traçar-se num patamar superior ao da exibição a namorar o primor na deslocação à Alemanha. Isto porque os leões efectuaram, ante um rival ainda mais forte a nível colectivo e individual, uma primeira parte de um nível superlativo.

3] O Sporting, na etapa inicial, concedeu muito pouco ao Tottenham. Os londrinos, que tiveram seis dias para preparar o embate, viram-se subtraídos da capacidade para indagarem o jogo exterior, em busca de cruzamentos para uma zona de finalização bem preenchida e acutilantemente assaltada, como também do espaço, com o suporte de uma última linha soberbamente definida, para perscrutar os contra-ataques e os ataques rápidos que acasalassem a velocidade supersónica de Son, a potência de Richarlison, e a ferocidade tremenda na criação e na finalização de Kane, que, ainda assim, impôs as maiores arduidades defensivas aos leões sempre que acedeu às entrelinhas. Depois, os comandados de Amorim foram sempre mordazes com bola. Não abdicaram de uma inegociável construção a partir de Adán, definindo um posicionamento mais baixo de Porro e de Nuno Santos, decisivo para fazer circular a bola entre corredores e topar o espaço, através da entrada da bola no espanhol, para superar a dilacerante pressão dos spurs. Depois, havia condições para perscrutar a profundidade através de passes longos. Só que existiu inteligência e fleuma para também esquadrinhar uma construção mais apoiada, com o baixar de Edwards – soberbo a sair da pressão, a criar desequilíbrios através do drible, e a rubricar, nos descontos da etapa inicial, uma jogada maradoniana que merecia ter sido epilogada em golo – e de Pote, a redundar em importantes apoios a Morita – sempre estável no passe – e a Ugarte, e no fundar de preciosas dinâmicas com Trincão, de jogo para jogo mais confortável no seu novo habitat competitivo.

4] Os primeiros vinte minutos da etapa complementar trouxeram desafios intrincados para os leões. Conte percebeu o espaço por onde o rival conseguia sair, e aumentou a belicosidade colocada na pressão e na reacção à perda, fechando a porta a Porro. Com isso, o Sporting sentiu amplas dificuldades para construir desde trás, acumulando passes equivocados e precipitações que redundaram em perdas, o que permitiu que o Tottenham, também mais agressivo ofensivamente, chegasse a zonas de finalização com qualidade, o que sobejou em 5 oportunidades entre os 45 e os 58 minutos. O ritmo lancinante imposto pelos spurs começou a baixar por volta dos 65 minutos, assentindo que os verde-e-brancos voltassem, paulatinamente, a entrar no jogo e a equilibrar a contenda. Amorim percebeu que chegara a hora de refrescar a equipa, lançando Sotiris, que revigorou a intermediária, e Paulinho, referência para uma construção mais longa e também ele muito associativo. Quando o jogo parecia caminhar serenamente para o nulo, Paulinho arcou o protagonismo de um triunfo delineado a partir do banco. Primeiro, ao oferecer o passe a Sotiris, que discerniu Porro no corredor direito, de onde traçou a diagonal que obrigou Lloris a uma parada soberba para canto. Depois, na sequência do canto, ao antecipar-se a Emerson ao primeiro poste, dando sequência vitoriosa ao cruzamento de Pote. Por fim, ao travar um possível contragolpe dos leões, ante um opositor desequilibrado, para segurar a posse. Ao encontro de Esgaio, que o voltaria a encontrar nas entrelinhas do corredor central, para onde atraiu Dier, antes de lançar a fuga do debutante Arthur para o 2x0, capaz de superar Romero e Emerson, e de bater Lloris com uma finalização cruzada. Arthur e Esgaio que tinham sido lançados por Amorim no minuto anterior.»

Contada de um forma diferente, ao jeito singular de Rui Malheiro, e mesmo tendo em conta a pornográfica diferença orçamental entre Tottenham e Sporting...

A "estória" de como Amorim "comeu" Conte!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Por isso é que não põem os cotos nos mundiais e europeus!...


«Manuel Ugarte é uma estrela em expansão no universo Sporting, galopando na amplitude e conquistando (cada vez maior) protagonismo na ideia de Rúben Amorim com as saídas de Palhinha e Matheus Nunes para Inglaterra: aos 21 anos, os números – da Champions, por exemplo – ajudam-no a confirmar essa inequívoca expressão, que tal como Record já noticiou será compensada com um aumento salarial, a fechar nas próximas semanas.

Já lá vamos, porque primeiro é preciso apresentar as justificações para tamanha influência, números que saem directamente da montra milionária. Com recurso à OPTA, percebemos que nas duas primeiras jornadas da fase de grupos da Liga dos Campeões é o internacional uruguaio quem aparece em segundo no ranking dos duelos disputados (37 contra os 64 de Petkovic, do Dínamo Zagreb), subindo a primeiro nos que aos conquistados diz respeito (26 em 2 jogos). Também reina nos ‘tackles’ – totais (15) e bem sucedidos (9) – não se saindo nada mal nas intercepções, onde só Eric Bailly, central do Marselha, o ultrapassa (tem 12 contra as 10 de Ugarte).

No que aos registos diz respeito, uma nota final para a distância que o internacional pelo Uruguai percorre: é o sexto atleta dos grupos em quilómetros (24,7), dado demonstrativo da sua constante atenção ao jogo.

Pasta para fechar em breve

A influência do médio sobe e com ela... sobe o ordenado: Record avançou, ainda na pré-temporada, que a nova época traria uma revisão ao contrato do camisola 15 dos verdes e brancos, processo que foi adiado com as movimentações perto do final do mercado, nomeadamente a saída de Matheus Nunes para o Wolves, que tal como Ugarte é representado por Jorge Mendes.

Há algum tempo apalavrado, o acordo prevê que o sul-americano possa passar de um ordenado líquido de 200 mil euros/época para praticamente meio milhão (será acima dos 400 mil). Não mexerá, contudo, na duração do vínculo, válido até Junho de 2026, nem na cláusula, que já está nos 60 milhões de euros.

Ugarte cresce mas é um projecto inacabado, no campo – Amorim considera que pode render muito mais – mas também no papel, uma vez que a administração está a trabalhar para ter o máximo possível dos seus direitos: em 2021 comprou 50% por 6,5 milhões de euros ao Famalicão e durante a temporada pagou mais 2 milhões por mais 10% aos 30 jogos (pelo menos 45 minutos de utilização), exercício que vai repetir aos 60 e 90, dados os contornos obrigatórios da cláusula. Ao mesmo tempo, existe a intenção de comprar o remanescente do passe junto do Fénix, clube que o vendeu ao Famalicão e que ainda reserva 20% do atleta.

Clubes da Premier já o têm no radar

O crescimento de Ugarte satisfaz Amorim, mas ao mesmo tempo não passa despercebido lá fora: os jogos na Liga dos Campeões têm sido fundamentais para o facto de o médio já estar referenciado por vários emblemas da Premier League, sabe o nosso jornal. Não quer isto, porém, dizer que no horizonte esteja alguma formalização de intenções, pelo contrário, dado que o treinador dos verdes e brancos transmitiu à SAD que o sul-americano é indispensável, ainda mais depois de um defeso onde se concretizaram as saídas de dois centrocampistas, Palhinha para o Fulham e Matheus Nunes rumo ao Wolves. Ugarte também só pensa no Sporting.

NÚMEROS

26 duelos conquistados na Champions é o melhor registo de um jogador na presente fase de grupos e esse estatuto pertence a Ugarte, que foi ao confronto um total de 37 vezes.

8 jogos em 8 possíveis de ‘Manu’ esta época, registo que não chegou a ser abalado pela lesão na lombar, no final da pré-época. Só não foi titular a abrir, em Braga, e na recepção ao Portimonense.

60% dos direitos desportivos do futebolista estão nas mãos do Sporting. A SAD pode adquirir mais duas tranches de 10% (2 M€ cada) ao Famalicão se Ugarte fizer 45’ em 60 e 90 jogos.»
Por Bruno Fernandes e Filipe Balreira

Perdoar-me-ão os meus estimados leitores, mas haverá uma questão fundamental que não posso, não quero e não devo deixar de acrescentar e que, inexplicavelmente, nem BF nem FB, abordaram: Manuel Ugarte nestes dois primeiros jogos da Champions não foi admoestado com qualquer cartão amarelo! Se estabelecermos o paralelo com as quatro jornadas da nossa liga em que o uruguaio esteve presente, constatamos em cada uma dessas partidas ter sido contemplado com a cartolina amarela, sendo neste momento o jogador do Sporting mais amarelado, com 4 amarelos, numa tabela por si liderada ex-aequo com Colombatto (Famalicão), Fabiano (Braga) e Varela (V.Guimarães)...

É assim que os árbitros portugueses "preparam" os títulos de campeão neste país!...

Por isso é que não põem os cotos nos mundiais e europeus!...

Leoninamente,
Até à próxima

Acabaram os excedentários!!!...


«Marco Túlio acaba de rescindir contrato com o Sporting e prepara-se para rumar à Austrália, para assinar pelo Central Coast Mariners. O avançado de 24 anos, que chegou a Alvalade em Maio de 2018, deixa assim o clube sem ter feito qualquer jogo pela equipa principal.

Há quatro anos, ainda no mandato da direcção liderada por Bruno de Carvalho, o Sporting anunciou a contratação de Marco Túlio ao At. Mineiro "no âmbito do acordo para a redução de 900 mil euros na dívida referente à transferência do jogador Elias". Na altura, o brasileiro assinou um contrato válido até 2023, com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros, que a SAD hoje presidida por Frederico Varandas optou por cessar.

Em 2018/19, Marco Túlio fez 29 jogos e 8 golos pela equipa B do Sporting. Seguiram-se três empréstimos - uma época nos belgas do Roeselare e duas nos brasileiros do CSA - até ser, agora, colocado o ponto final na ligação entre as partes. De resto, sabe o nosso jornal, Marco Túlio já está a caminho da Austrália e será em breve oficializado como reforço do Central Coast Mariners.»
Por Ricardo Granada

Esta seria uma das maiores abencerragens que terá passado por Alvalade! Semelhanças talvez apenas com Renan Ribeiro encontremos algumas, mas mesmo assim, aos pontos, terá conquistado mais títulos que o seu compatriota guarda-redes...

Parece que finalmente se respira ar puro na Academia!...

Acabaram os excedentários!!!...

Leoninamente,
Até à próxima