terça-feira, 31 de julho de 2018

Naturalmente o Capitão do Sporting!...


O HOMEM QUE PREFERE SER FELIZ

«O futebol é um fenómeno estranho que, sendo simples e tantas vezes linear, pode evoluir para tremenda complexidade de sentimentos e emoções. Diz-se que o amor à camisola, por exemplo, é um conceito ultrapassado; uma referência de tempos que já lá vão, nos quais o homem estabelecia compromisso eterno entre a actividade e o local onde nascera e era feliz; quando a orgia de sensações de todos os domingos se parecia com as peladinhas de rua do fim do dia, das quais nos sentíamos protagonistas por toda a semana. O crescimento do negócio enquadrou esse jeito de viver; considerou-o uma ingenuidade do passado e matou, aos poucos, a motivação de quem se entregava ao jogo não para ficar rico mas para se tornar vitorioso num Mundo de derrotados sociais. Na visão pragmática do profissional mercantilista de hoje, que tem de pensar nele, na família, no empresário, no advogado e restantes elementos da engrenagem, é raro o futebolista que precise mais de mimo do que propriamente de ouro.

Mas ainda há casos como o de Nani que, aos 31 anos e com uma longa e brilhante carreira a suportá-lo, agiu como as estrelas de antigamente: decidiu que estava mais interessado em ser feliz do que em ficar (ainda mais) rico. Viu-se numa encruzilhada e optou com a coragem de quem assume um desígnio e lhe infunde a tensão da aventura. O Sporting é hoje um clube abalado por ventos renovadores. Nani é só a prova de que há sempre um momento em que, por mais dinheiro que entre na conta bancária, é impossível viver com falta de ilusões.

O regresso a Alvalade surge depois do pior ano da carreira, não pelos alvores da velhice mas porque os deuses se esqueceram de protegê-lo das debilidades momentâneas do corpo e da estupidez alheia. Esse vendaval de fatalidade resultou na factura extrema da ausência do Mundial, dois anos depois de ter sido fundamental na conquista do Europeu. A volta a casa, enquadrada por um período negro em Valência e, principalmente na Lazio, não corresponde, assim, a qualquer armadilha inesperada da nostalgia. Tornou-se o destino mais óbvio para quem precisa de afecto e de sentir-se desejado para se expressar na plenitude. Nani foi o príncipe de Ronaldo mas alimentou expectativas que não cumpriu.



Não pretende agora render tributo aos deuses insondáveis do acaso e da memória. Na primeira amostra diante adeptos que o adoram, frente ao Marselha, nem foi bafejado pela inspiração mas sentiu-se impulsionado pelo motor de ambição, orgulho, sedução, entusiasmo e paixão. Sabe que não vem para beneficiar dos louros conquistados noutras paragens; que o tempo não está para acomodamentos e que o seu papel na história será o de chave-mestra do talento escondido; de inspirador da arte e do engenho, que dê coerência a um empreendimento que não pode funcionar como navegação sem bússola e contra a corrente.

O Sporting encerra responsabilidade que a braçadeira na apresentação acentua. O sonho de glória passa pela sua qualidade – e ele sabe-o. Mesmo não sendo conhecido por cumprir todas as promessas que gerou, as implícitas e as explícitas, há dois anos, no Stade de France, é inesquecível a imagem de CR7 sentado no relvado, desesperado, com as lágrimas nos olhos pela despedida prematura da final do Euro’2016. Nani agarrou-se emocionado ao capitão e segredou-lhe a frase mais bela: "Cris, vamos ganhar por ti." Pode hoje não repetir promessas e fazer o que definiu o longo percurso ao mais alto nível do futebol europeu, isto é, manter o perfil silencioso; mas basta olhar para ele, Bruno Fernandes e Bas Dost, mais Battaglia e Acuña, Coates e Mathieu, e quem está ainda na mira, para entendermos que, por trás do aparente atraso para os rivais e da confusão institucional, está lançada a ameaça de um fortíssimo candidato ao título.»
(Rui Dias, De pé para pé, in Record)


Rui Dias, na sua belíssima prosa que tanto aprecio, já sublimou o suficiente aquele que também é o sentimento que me inunda em relação a Nani.

Por mim, permitam-me que apenas acrescente, numa altura em que parecem pairar em muitos espíritos umas certas dúvidas sobre a verdadeira cor no Reino do Leão...

Naturalmente o Capitão do Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

Tudo tem uma explicação!...


DADOS PESSOAIS
NOME: Renan Ribeiro
NASCIMENTO: 1990-03-23(28 ANOS)
PAÍS DE NASCIMENTO:   Brasil
NACIONALIDADE:   Brasil
NATURALIDADE: Ribeirão Preto (SP)
POSIÇÃO: Guarda Redes
INTERNACIONALIZAÇÕES A: 0
PÉ PREFERENCIAL: Direito
ALTURA/PESO: 193 cm/86kg


Tem vindo a ser avançado durante a manhã de hoje por alguns OCS, que Sousa Cintra estará a negociar a contratação de Renan Ribeiro, o guarda-redes titular na época passado no Estoril, que estará também na mira de V. Guimarães, Aves e Olympiakos, mas que poderá rumar a Alvalade por empréstimo, pagando o Sporting 250 mil euros e ficando com opção de compra de 1,250 milhões de euros por 80% do passe.

O negócio ainda estará em suspenso, pelo facto de o Sporting estar a oferecer ao jogador o mesmo que ele ganhava no Estoril. O guardião brasileiro, de 28 anos, vê com bons olhos o ingresso nos verde e brancos, mas pretenderá um salário algo mais elevado.

O interesse do Sporting resultará, muito provavelmente, tanto do desejo manifestado por Romain Salin de aproveitar algumas propostas interessantes, quanto de colocar um sério desafio a Emiliano Viviano, já que Renan, sendo mais novo e apresentando predicados que nada ficarão a dever ao italiano, parece possuir uma postura mais correcta e até exemplar, no capítulo da intensidade e dedicação manifestadas em treino.

Tudo tem uma explicação!...

Leoninamente,
Até à próxima

Mais valia estar calado!...


José Peseiro afirmou recentemente que Francisco Geraldes tinha saído por opção própria, e que tanto o treinador como a direcção queriam manter o jogador de leão ao peito.

Ontem o jovem jogador formado no Sporting decidiu publicar na sua página do Instagram - estas redes sociais continuam a contribuir decisivamente para a destruição do crédito de muita gente! - um arrazoado de considerações pouco elegantes para o Sporting,  Sousa Cintra e José Peseiro, cujo conteúdo, por eminentemente contraditório, acabou por determinar que o feitiço se virasse contra o feiticeiro:

"É com muita ambição e vontade de crescer que encaro este novo projecto. Confesso que foi um processo difícil de gerir, mas, em consciência, senti que dar este passo seria o melhor para mim e para a minha carreira. Aqui, no Eintracht, senti-me desejado, facto que foi determinante para poder tomar a decisão de vir jogar para a Bundesliga. Por muito que quisesse - e ao contrário do que foi dito - representar o clube que me fez crescer, foi aqui que me senti valorizado.

Resta-me desejar as maiores felicidades ao Sporting. Vou estar a torcer fervorosamente pelo sucesso dos meus companheiros, algo que os Adeptos do clube tanto merecem."

"Ao contrário do que Geraldes terá pretendido", a sua publicação apenas veio confirmar a veracidade das palavras de José Peseiro. Para bom entendedor, meia dúzia de palavras bastam...

Mais valia estar calado!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sete é um número mágico em Alvalade!...





O Sporting Clube de Portugal anunciou ainda durante o dia de ontem, que a sétima edição do Troféu Cinco Violinos no arranque de época de 2018/19, terá a formação italiana do Empoli FC como adversário. O encontro foi agendado para as 19 horas do próximo domingo, dia 5 de Agosto.

Depois de ter acolhido o regresso da equipa principal de futebol, no passado sábado, frente ao Marselha, no jogo de apresentação, Alvalade volta a ser palco para uma recepção europeia.

Um bom teste para os nossos leões, antes do arranque do campeonato, marcado para a sexta-feira seguinte em Moreira de Cónegos. Naturalmente, não haverá seis sem sete, sendo que sempre será bom lembrar aos que tudo fazem por esquecê-lo, que...

Sete é um número mágico em Alvalade!...




Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Corre Cintra, o tempo urge!...



Com o Sporting a ver o croata Milan Badelj por um canudo, a administração da SAD viu-se obrigada a mudar de filme e, no sentido de garantir a aquisição de um jogador que faça a posição 6, ou seja, de médio defensivo, parece agora apontar na direcção do sueco Albin Ekdal, de 29 anos, que entra no último ano de contrato com os alemães do Hamburgo.

A chegada de Rodrigo Battaglia não arrefeceu o natural interesse do leão na contratação de um médio defensivo, uma vez que José Peseiro olhará para o argentino, como Jorge Jesus já olhava, não como um número 6, mas sim como um 8, ou seja, um homem que prefere um posição no terreno de jogo alguns metros mais à frente. É certo que Battaglia poderá resolver em caso de necessidade e como recurso episódico, o problema da posição 6, mas não será essa a posição prioritária para o treinador do Sporting.

Ekdal, que já chegou a estar nas contas do leão na abertura do mercado de Inverno passado, volta agora a ser um nome falado nos gabinetes de Alvalade. À entrada para o último ano de contrato com o clube alemão e quase sem outros objectivos que não sejam a permanência na bundesliga, o jogador titular por cinco vezes no Rússia2018 pela selecção sueca, onde acumula já 39 internacionalizações, certamente que verá com bons olhos a vinda para Alvalade, que lhe poderá proporcionar a montra europeia que tanto deseja e uma titularidade quase sem discussão. Mas não será fácil o Hamburgo abrir mão de um jogador com um preço de mercado a rondar os 4 M€ e o atleta contentar-se com um salário inferior ao que actualmente aufere na Alemanha.

Corre Cintra, o tempo urge!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quero voltar a acreditar em ti Bruno!...



Foto de perfil de brunofernandes.10

brunofernandes.10 Uma honra, um orgulho e um prazer enorme poder voltar a fazer o que mais gosto onde mais gosto 👌🏼 Obrigado por todos aqueles que sempre me apoiaram e me ajudaram a que o ano passado tivesse sido um ano de sonho a nível pessoal 🙏🏼
A todos aqueles que desiludi prometo reconquistar a vossa confiança treino após treino e jogo após jogo 🦁💚



Ainda ando sem ar com o soco que me pregaste no estômago. Mas chegados aqui e agora entre leões, porque gosto muito do teu futebol...


Quero voltar a acreditar em ti Bruno!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 29 de julho de 2018

Veremos o que nos reservam os 10 dias que faltam!...


Da entrevista concedida por José Maria Ricciardi ao canal televisivo CMTV, permitam-me destacar as notas mais importantes, que entendi atirar para dentro do meu garimpo:

SOBRE A CANDIDATURA

“Depois de observar e analisar o processo eleitoral no clube, cheguei à conclusão, com todo o respeito pelos candidatos, que nenhuma das candidaturas reúne as condições necessárias e suficientes para liderar o Sporting nesta fase difícil”

SOBRE A EQUIPA QUE O ACOMPANHARÁ

“Reuni uma equipa coesa, forte e transversal. Decidi este passo para vencer. Não venho para fazer número. Não a revelo agora porque será mais correcto fazê-lo com aqueles que vão liderar os órgãos”

SOBRE O ACTUAL TREINADOR

“Foi contratado pelo Sporting e respeitarei as decisões da Comissão de Gestão e da SAD, e portanto terá todo o meu apoio. Jesus? Esse problema agora não se põe, porque o Jorge tem um contrato anual. O futuro nunca se sabe, mas para já para mim neste momento José Peseiro é o melhor treinador do mundo”

SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO CLUBE NA SAD

“Comigo a maioria da SAD não deixará de pertencer ao Sporting e aos seus sócios. O clube precisa de uma gestão eficiente, racional e sustentada”

SOBRE A PAZ NO FUTEBOL

“Se for eleito vou pacificar o futebol português. Vou restabelecer as relações com todos os clubes portugueses, da I e II Liga, inclusive com o Benfica”

SOBRE A LUTA DE CLASSES NO SPORTING

“Estou-me nas tintas para que me chamem croquete. Não entro no jogo da pastelaria, dos croquetes e das empadas. O Sporting sempre foi um clube interclassista. Os dois últimos campeões pelo Sporting são considerados socialmente como croquetes: o meu primo José Roquette e também o doutor Dias da Cunha. Aliás, o fundador do clube, José de Alvalade, que era meu tio-avô, também é croquete”

SOBRE O APOIO ANTERIOR A BRUNO DE CARVALHO

“Apoiei Bruno de Carvalho até ele começar a destruir o que de bom tinha feito pelo Sporting. Nunca pertenci a nenhuma direcção. Nunca fui um presidente sombra, isso foi uma invenção que se fez. Contribuí em momentos difíceis para que o Sporting resolvesse os problemas na área que é a minha especialidade, mas nunca me intrometi em decisões internas do clube nem andei a mandar em ninguém. Se acham que era um presidente sombra, agora passarei a ser às claras”

SOBRE A POSSIBILIDADE DE BDC SE CANDIDATAR

“O Dr. Bruno de Carvalho foi destituído por 73% dos sócios e isso parece-me elucidativo daquilo que os sócios querem. Quem comete ilegalidades e desrespeita os mais elementares estatutos do Sporting, quem elege órgãos que não existem, acho que não deve poder concorrer às eleições, mas isso cabe aos órgãos do clube decidir”

SOBRE O ATAQUE À ACADEMIA E RESCISÕES

“Eu tenho alguma ideia daquilo que foi o horror daquilo que ali se passou. Gostava que alguns dos jogadores não tivessem rescindido e que tivessem ponderado com mais calma. Eu acho que a razão principal de o fazerem não foi só pelo que aconteceu em Alcochete: foi porque acreditavam que, mantendo-se aquela direcção, a probabilidade de acontecer novamente era razoável. Posso entender, mas quando saiu o resultado da Assembleia Geral, deviam ter ponderado melhor”

SOBRE UMA EVENTUAL DERROTA NAS ELEIÇÕES

“Eu não venho para perder, mas se perder será com educação, civilidade e elevação. Respeitarei democraticamente e humildemente a decisão dos sócios, se entenderem que outra candidatura servirá melhor os interesses do Sporting. E aí terei feito a minha missão que é ter dado uma alternativa aos sócios. Quero o melhor para o Sporting Clube de Portugal, eu amo o Sporting Clube de Portugal, eu vivo o Sporting Clube de Portugal”

SOBRE A PIVOT QUE CONDUZIU A ENTREVISTA

Coitada, viu-se aflita para colocar as perguntas que lhe encomendaram, no melhor estilo do canal onde vai ganhando o pão de cada dia. Benzam-nos os deuses a todos...

Feita a cuidada garimpagem que um candidato com o impacto que o nome de José Maria Ricciardi suscita, quer-me parecer que existirá a forte possibilidade de a sua candidatura poder vir a intrometer-se na luta pelo pódio dos favoritos, afastando definitivamente Pedro Madeira Rodrigues desse desígnio e beliscando  de algum modo as legítimas pretensões de Frederico Varandas, Dias Ferreira e João Benedito, quanto a mim as candidaturas mais fortes até agora conhecidas.

Veremos o que nos reservam os 10 dias que faltam!...

Leoninamente,
Até à próxima

Parabéns Campeões!...


Nesta hora de intenso júbilo para as cores nacionais, permitam-me enviar num leonino abraço a todo o colectivo, uma saudação especial para Thierry Correia, Miguel Luís e Elves Baldé.

Parabéns Campeões!...

Leoninamente,
Até à próxima

Está lançada a nona candidatura à presidência do Sporting!...



Desde há muitos anos ligado ao universo leonino, José Maria Ricciardi, de 63 anos, decidiu que este será o momento certo para finalmente avançar com uma candidatura à liderança do Sporting Clube de Portugal. 

Ricciardi foi visto ontem,  sábado, na tribuna em Alvalade, a assistir ao jogo entre o Sporting e o Marselha e terá revelado ao fim da manhã de hoje a sua intenção de se juntar a João Benedito, Frederico Varandas, Fernando Tavares Pereira, Pedro Madeira Rodrigues, Dias Ferreira, Bruno de Carvalho, Carlos Vieira e Zeferino Boal, na corrida à presidência do Sporting Clube de Portugal na eleições do próximo de 8 de Setembro.


Estando a ser avançada pela comunicação social a presença de José Maria Ricciardi este domingo na CMTV, no 'Jornal das 8', reservo naturalmente a minha garimpagem para depois da sua intervenção, esperando que mesmo com a falta de rotina o meu comando descubra a posição dessa estação televisiva. Contudo...


Está lançada a nona candidatura à presidência do Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

A mais fantástica massa adepta do mundo!...


Orfandades

«... Éramos cerca de 29 mil em Alvalade - em números oficiais, menos oito mil do que há um ano, no desafio de apresentação da equipa contra o Mónaco de Leonardo Jardim - e com uma Juventude Leonina em estado murcho, exibindo um deplorável estado de orfandade...»
(Pedro Correia, in És a Nossa Fé)


Quando os miúdos fazem chichi na cama e o pai, depois de também passar toda a noite a fazê-lo fora do penico, não possui capacidade moral para uma reprimenda, o clima lá em casa tenderá a ser, inevitavelmente, murcho e os trabalhos sobram para a paciente e silenciosa mãe, obrigada a substituir os lençóis da cama dos putos, a lavar o chão à volta do penico e a despejar o dito...

Por ironias com que a vida contempla quase todos e tudo o que nos rodeia, ainda tive o privilégio de conviver com o rabo da odisseia que entre nós ficou conhecida como a "epopeia do bacalhau". Tive oportunidade por isso, de ser confrontado com um inusitado e surpreendente tipo de orfandade: aquela que decorria da ausência paterna e que também determinava, paralelamente, um tipo de viuvez a que Joaquim Lagoeiro entendeu chamar, embora em contexto diferente, mas de alguma maneira aproximado, de "As viúvas dos vivos".

Autoriza-me portanto o conhecimento empírico a discorrer sobre algo terrivelmente semelhante, embora num outro contexto bem diferente, e que Pedro Correia no blog "És a Nossa Fé" hoje classifica de "estado murcho", ontem exibido em Alvalade pela Juventude Leonina, e permitam-me sublinhar, em "deplorável estado de orfandade".

Julgo compreender perfeitamente a orfandade a que o blogguer se pretendeu referir. "Orfãos de pai vivo" serão neste momento todos os sportinguistas que ainda não terão conseguido fechar a boca do espanto que lhes terá causado a "estapafúrdia destituição" proferida por uma clara maioria de sportinguistas, todos "cegos e obtusos", no simples, despretensioso, inofensivo, directo e jamais insultuoso entender dos espantados,  contra a sua paternidade. E naturalmente que as "lágrimas murchas" a que se refere, terão ontem escorrido copiosamente pelas faces dos reduzidos e surpreendentemente murchos "juveleos" que estiveram na apresentação dos restos que sobraram da equipa que sofreu na carne o seu vilipêndio. Obviamente que nunca, jamais, em tempo algum, poderiam ser lágrimas de arrependimento, reprovação e desgosto!...

Escusado seria referir, por fim, quem, nesta triste e dolorosa história, teve e sempre terá de assumir o papel daquela extremosa, paciente e silenciosa mãe, citada no parágrafo de introdução. Esquecê-lo seria algo mais do que pura negação e ingratidão para com...

A mais fantástica massa adepta do mundo!...

Leoninamente,
Até à próxima

Pois cá fico eu, obviamente sentado, à espera!!!...


A claque não quer, que se há de fazer?


Entrevistas (alarmadas) do director de segurança do Benfica sobre o futuro cartão de adepto sugerem que a proposta acerta na mouche

«A Assembleia da República vai votar uma proposta de lei que cria, nos estádios, zonas exclusivas para as claques da casa e às quais só têm acesso membros registados e munidos de um novo cartão de adepto, facultado pela futura Alta Autoridade para o Combate à Violência no Desporto. Fora desses espaços não haverá bombos, megafones, nem a habitual parafernália, por força de lei. Ou seja, acaba-se, especificamente, o festival do Benfica, cujas claques não são registadas, mas mantêm todos os privilégios das claques legais, a par do pior cadastro nacional. A esta notícia, o Benfica reagiu a jacto com duas entrevistas alarmadas do seu director de segurança, contestando a proposta com base nesta cândida ideia: as claques da Luz não vão aceitar legalizar-se, porque entendem que os seus membros já são sócios do clube e que isso é registo suficiente. E como não aceitam, obrigadinho pela intenção, mas guardem lá isso. Para quê mudar e afrontar estes cavalheiros, se o Benfica até os controla, à parte um ou outro homicídio? O cartão do adepto, ideia do presidente da Federação, não é um beliscão ao Benfica; o Benfica é que tem sido um beliscão à lei da segurança. Com um registo destes, autónomo dos clubes (supomos nós, porque o Instituto do Desporto também era), passa a ser teoricamente possível limpar as bancadas de quem não tem maneiras, seja nos estádios, seja fora deles. E isso, a funcionar bem, será verdade para Benfica, FC Porto, Sporting e por aí adiante. O único argumento contrário que qualquer deles pode apresentar é a lista dos sócios que baniram a seguir a cada caso de mau comportamento nos últimos dez anos. Por lapso, com certeza, não há referência a nada parecido com isso nas duas entrevistas do preocupado director de segurança do Benfica.»
(José Manuel Ribeiro, Opinião, in O Jogo)

Pois cá fico eu, obviamente sentado, à espera!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 28 de julho de 2018

Este jogo já nos trouxe algum conforto!...


Hoje vimos um Sporting ainda em processo evolutivo, em busca da paz e tranquilidade que há muito lhe vem faltando. Apesar de tudo a equipa já foi capaz de apresentar a espaços uma boa dinâmica ofensiva e já pôde contar com um grande Bruno Fernandes, que logo no primeiro jogo que realizou nesta pré-temporada, demonstrou estar num patamar à parte, sobressaindo pela qualidade com bola e até nos momentos de jogo em que, sem ela, parece empurrar os companheiros para o caminho táctico mais correcto, interpretando como maestro competente a pauta fornecida por Peseiro.

Um erro absurdo de Viviano logo aos 4 minutos de jogo, que permitiu aos marselheses adiantarem-se no marcador, condicionou bastante o Sporting, que apenas se terá libertado dessas amarras quando aos 61 minutos André Pinto conseguiu a igualdade, na recarga a um cabeceamento também seu, defendido in-extremis pelo guardião francês.

A partir do empate o jogo passou a ser praticamente de sentido único, com o Sporting determinado em sair vencedor deste encontro. Mesmo não conseguindo alcançar tal desiderato, louve-se o meritório comportamento da equipa.

Ironicamente, no dia em que Lazio anunciou oficialmente a contratação de Milan Badelj, Petrovic terá constituído a maior e mais profunda desilusão desta apresentação, não se compreendendo mesmo o que terá ficado a fazer em Alvalade! Por quanto tempo teremos de chorar a perda do talento croata, ingloriamente perdido para os romanos?! E onde irá o Sporting encontrar uma qualidade parecida?!...

Ainda será cedo para imaginarmos como estará a equipa dentro de duas semanas, mas... 

Este jogo já nos trouxe algum conforto!...

Leoninamente,
Até á próxima

"Terrível maldição de Alvalade"!...


De novo de Leão ao peito, @RodriBattaglia! 🦁

Todos sabemos que não deverá ser por aí!...


PESEIRO APELA AOS SÓCIOS: «MOSTREM A FORÇA DO SPORTING»

«Queremos mostrar coisas boas, mas sabendo que a qualidade que vamos apresentar não será a mesma que no primeiro jogo da Liga. Queremos vencer e jogar bem. Queremos que as pessoas tenham vontade de nos ver, isto depois do que aconteceu. Quero ver as pessoas unidas na defesa do Sporting. É o momento de mostrar isso, mas tendo sempre a tolerância para uma equipa que não está completa. É sempre bom vencer e fazer uma boa exibição, mas o mais importante é o jogo do dia 12 frente ao Moreirense.»

Não será difícil aos sócios e adeptos do Sporting Clube de Portugal compreenderem as palavras de José Peseiro neste primeiro momento a sério do virar de página sobre os dois meses e meio mais negros de uma história centenária. E estou esperançado de que a resposta seja positiva. Mas que ninguém se iluda sobre a imperiosa necessidade de ser a equipa a mostrar, hoje frente aos franceses e antes dos sócios e adeptos, a "força do Sporting"! Inverter a ordem das coisas será o primeiro passo para a desculpabilização que parece ter-se transformado na imagem de marca que há tanto nos incomoda!...

Ninguém saberá aonde irá José Peseiro, mas...

Todos sabemos que não deverá ser por aí!...

Leoninamente, 
Até à próxima

Nas linhas traçadas na almofada da tua pata?!...


LUÍS FIGO E SPORTING - UMA RELAÇÃO DIFÍCIL


«Bruno de Carvalho não aceita que é passado no Sporting e continua no seu penoso estrebuchamento. Acha que tem ainda base societária suficiente para vencer eleições e, com essa (imaginada) vitória, como protagonista de um filme de ficção, continua a sua saga de implacável espadachim, ora na procura da degola, ora na procura da vitimização. Todos os actos de contrição foram simulados e, por isso, na AG que ditou a sua destituição, os sócios do Sporting exibiram-lhe um cartão vermelho e, com ele, deixaram bem claro que era tempo de acabar com tanta teatralidade e representação.

São residuais as hipóteses de Bruno de Carvalho se apresentar a eleições e está a chegar a hora do pronunciamento da Comissão de Fiscalização do Sporting. Se, no começo do processo, havia a convicção de que o ex-presidente dos leões poderia ser alvo de uma medida de suspensão efectiva (e até inferior a um ano), excluindo-se a expulsão, neste momento e de acordo com a evolução processual, Bruno de Carvalho pode ficar inibido de ser sócio do Sporting durante muitos anos (máximo: 8) e, na Comissão, há mesmo quem defenda o cenário da expulsão.

Quando surgiu o primeiro processo para ser objecto de apreciação por parte da Comissão de Fiscalização, constituída por Henrique Monteiro, João Duque, António Paulo Santos, Luís Pinto de Sousa e Rita Pereira, havia muitas dúvidas sobre as molduras penais a aplicar, se fosse esse o caso, uma vez que quer o regulamento disciplinar, quer os estatutos, haviam sido alterados - e é bom não esquecer que foi Bruno de Carvalho (BdC) quem fomentou o endurecimento das penas sobre os sócios. Quer dizer: foi BdC quem promoveu, antes, a expulsão de alguns associados (entre os quais os ex-presidente Godinho Lopes); é BdC quem - achando-se credor da condição de 'dono do clube' (e da SAD) e com o objectivo de ajustar o regulamento disciplinar e os estatutos a um poder presidencial mais ou menos absoluto - vai ser a principal vítima dessa visão monolítica e capciosa de liderança sportinguista.

Bruno de Carvalho vai beber do seu próprio veneno: na próxima semana, o ex-presidente dos leões verá aplicada uma medida sancionatória dura e gravosa, de acordo com regulamentos e estatutos menos tolerantes em relação a sócios que não cumpram os direitos e deveres ali consignados.

Com Bruno de Carvalho e Carlos Vieira próximos da impossibilidade de se apresentarem a eleições e com Frederico Varandas, João Benedito e Dias Ferreira a concitarem as maiores expectativas; com Pedro Madeira Rodrigues a lutar contra o erro de ter apresentado treinador fora de tempo; e com Fernando Tavares Pereira e Zeferino Boal com muitas dificuldades em mostrar algum fôlego, a notícia da não candidatura de Luís Figo à presidência do Sporting, depois dos rumores alimentados nos últimos dias, passou a ter máxima relevância.

Luís Figo está longe de ser um nome consensual entre os sportinguistas.

Quando o seu nome veio à baila, e apesar do impacto criado, através dos bons ofícios de Tomás Froes, logo se instalou a dúvida se Luís Figo, primeiro, avançaria e se, no caso de concretizar esse avanço, teria o apoio da maioria dos sócios sportinguistas.

É evidente e incontornável uma certa desconfiança do 'mundo sportinguista' em relação a Luís Figo. A memória (verde e branca) alcança um momento, enquanto jovem, em que chegou a assinar pelo Benfica e não tem havido, entre o Sporting e Luís Figo e Luís Figo e o Sporting, uma dinâmica de verdadeira aproximação. Há uma indiscutível distância a separar os dois 'mundos', a qual serve para não mitigar a imagem que Luís Figo foi criando ao longo dos tempos - a de um ser pouco dado a afectos e a salamaleques, demasiado frio nas suas relações pessoais e empresariais.

Não se adivinha o que vai ser o futuro próximo do Sporting. Os tempos são difíceis e o próximo presidente dos leões tem uma herança difícil de gerir. Se, na justificação de Froes/Figo, "um projecto de fôlego geracional para o Sporting exige um tempo de maturidade incompatível com o apertado calendário eleitoral", isso significa que a candidatura não foi preparada no tempo certo; havia sinais suficientes de que o Sporting poderia estar a entrar num novo ciclo.

Se Luís Figo tem, na verdade, no curto ou no médio prazo, intenções de fazer parte do 'futuro do Sporting', tem de fazer algo para diluir a distância. Isso também passa pela comunicação, e Tomás Froes sabe disso melhor do que ninguém.»
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)


Só os "loucos de Alvalade" parecem continuar cegos, surdos e convencidos de serem capazes de levar os sportinguistas a "duvidar que a Terra gire ao contrário e os rios nasçam no mar"!...

Eduardo Barroso, complacente e misericordioso, em passado não muito distante,  terá apelidado essa tão esquisitíssma e  séria doença de "burnout". Na ocasião, entre a tertúlia leonina que me é mais próxima, houve quem discordasse e preferisse defini-la como loucura, tendo eu colocado algumas reticências, em defesa da ideia do emotivo sportinguista. Estavam certos os que, não apenas diagnosticaram a loucura, como a adjectivaram de "galopante"! Os factos do dia a dia que se vão vivendo em Alvalade, confirmam-no!...

A radiografia que Rui Santos hoje nos mostra na sua habitual crónica semanal Pressão Alta, será mais uma profunda machadada nessa réstia de "loucura" que ainda se supõe instalada no Sporting. Mas o mais severo golpe do machado, esse, pelos vistos, já não demorará mais do que uma semana!...

Mas desiludam-se os sportinguistas que acreditam na possibilidade de haver algum machado capaz de cortar as raízes que têm sustentado a "loucura de Alvalade"! Ela há-de manter-se por tempo indeterminado: ultrapassará o 9 de Agosto, o 8 de Setembro e, para mal dos pecados do Sporting Clube de Portugal e dos seus quase 4 milhões de adeptos, há-de continuar a roubar-nos a paz e o discernimento para prosseguir uma caminhada gloriosa de 112 anos, independentemente do que ditarem os resultados do acto eleitoral cada vez mais próximo!...

Ah Leão, será que te reza tão hedionda e macabra sina...

Nas linhas traçadas na almofada da tua pata?!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Quem quer ser campeão não pode falhar tiros destes!...



De nada valeu o servicinho cuidado e meticuloso de calibragem levado a cabo aqui em Leoninamente, da alça da carabina de José Sousa Cintra! Enquanto foi levantando caça mais leve, cada tiro foi resultando em mais um melro, um tordo ou mesmo uma perdiz ou narceja, para o cinturão do "velhote", que nem precisou de  fazer mira. O pior foi quando, à medida que se foi internando na floresta, lhe começou a surgir pela frente caça mais grossa e esperta e ele, presunçoso e convencido de que a alça na ponta do fusil seria simples adorno desnecessário perante os seus experimentados olhos, disparou, arma longe da cara, sem apontar, com ambos os olhos bem abertos e, qual caçador amador, sem fazer mira, como a imagem nos mostra...

E lá foram Gelson e Badelj correndo à desfilada para bem longe da trajectória do chumbo precipitado e descuidado do caçador, que outro remédio não teve que substituir os invólucros vazios na câmara e continuar a basculhar a floresta em busca de outros exemplares que ninguém lhe poderá garantir possam vir a ter o mesmo peso e qualidade. 

Assim não Ti Zé Cintra!...

Quem quer ser campeão não pode falhar tiros destes!...

Leoninamente,
Até à próxima

O folclore promete continuar...


AG PEDIDA POR BRUNO DE CARVALHO SÓ... SE FOR PAGA

Sabe-se que nunca se realizará antes de 8 de Agosto



O movimento patrocinado pela candidatura de Bruno de Carvalho terá programado deslocar-se hoje a Alvalade para entregar assinaturas de sócios que pretenderão pedir uma assembleia geral extraordinária. O objectivo da referida AGE será validar, entre outras, a lista de BdC, que se encontra suspenso da condição de sócio e, como tal, não poderá concorrer, a menos que entretanto o processo em curso na Comissão de Fiscalização fosse arquivado (o que não acontecerá, pois o ex-presidente e Carlos Vieira deverão ser suspensos por um ano).

Independentemente desta realidade, Bruno de Carvalho não desiste de validar a sua pretensão de ir a eleições e quer, através desta AGE, submeter a decisão aos sócios. O problema está em que essa é uma competência da Comissão de Fiscalização, pelo que dificilmente será aceite um requerimento para uma AG que pretendesse deliberar sobre a lista de BdC (ou de Vieira, se fosse o caso). Sabe-se que a AGE, se avançar mesmo, depois de validadas as assinaturas, não só terá de ser paga por quem a convoca (o grupo de sócios) como nunca se realizará antes do prazo limite para a entrega de candidaturas, que é 8 de Agosto, por questões estatutárias e de logística (seria necessário reservar a Altice Arena)... 

O folclore promete continuar...

Leoninamente,
Até à próxima

Vamos manter a expectativa e a confiança!...


O tempo acabará por nos trazer a verdade sobre se a recusa de José Sousa Cintra à proposta ontem recebida do Atlético de Madrid por Gelson Martins, terá sido um erro ou se a sua firmeza se traduzirá num negócio ainda mais valioso!...

À primeira vista, tanto por parte de uma grande maioria dos sportinguistas, quanto da opinião generalizada dentro da própria administração da Sporting SAD, a proposta dos colchoneros até que poderia parecer razoável. Mas Sousa Cintra sempre afirmou não estar o Sporting em saldos e terá entendido por bem esticar a corda um pouco mais. Normalmente, quem está por dentro deste tipo de negociações, será sempre o único a aperceber-se de pormenores que poderão passar despercebidos a quem estiver à margem dos processos. Sousa Cintra é um homem calejado em grandes negócios e merecerá o benefício da dúvida em vez da chuva de críticas que terá recebido, nomeadamente por parte de quem ainda continua com a mente alienada num projecto que, decididamente, já entrou irreversivelmente em falência, pese embora o saudosismo que por aí ainda lavra!...

Vamos manter a expectativa e a confiança!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quem quer festa, deve suar a testa!...

Badelj, Lazio in chiusura: ultimo rilancio Sporting da 10 milioni

27.07.2018 07:15 di Gianluigi Longari
Dieci milioni di euro complessivi, spalmati su quattro anni di contratto. A tanto è arrivato il rilancio dello Sporting Lisbona per cercare un ultimo disperato tentativo di rimettere in piedi la trattativa che avrebbe dovuto vedere Milan Badelj vestire la maglia dei Leoes. Un’offerta da capogiro, superiore rispetto a quella formulata dalla Lazio che pure ha ottenuto il sì da giocatore ed Entourage dopo l’inserimento delle ultime ore. Nessuna risposta da parte di Badelj, che come abbiamo raccontato ha stabilito di voler sposare la causa capitolina, ma il tentativo estremo dei lusitani è certamente da registrare.




«Dez milhões de euros no total, distribuídos por quatro anos de contrato. A nova proposta do Sporting procura assim ser uma última e deseperada tentativa de impedir a concretização do negócio com a Lázio e tentar que Milan Badelj venha a vestira a camisola dos leões. Uma oferta vertiginosa, superior à formulada pela Lazio, que parecia ter sido aceite pelo jogador e entourage, foi apresentada nas últimas horas. Não se conhece até ao momento nenhuma resposta de Badelj, que, como dissemos, tinha decidido abraçar a causa do Capitólio, mas a tentativa extrema dos lusitanos certamente será registada.»


A confirmar-se a notícia avançada pelo site italiano TuttoMercatoWeb.com às 06:15 - hora portuguesa -, aplaudo vivamente a iniciativa da Sporting SAD, que deverá permanecer na luta pela contratação de um excelente jogador, quiçá uma pedra de toque importantíssima para a concretização dos objectivos anunciados de lutar pelo título. 

Tendo em conta que se trata de um jogador livre, mesmo com substancial prémio de assinatura e um salário elevado, será sempre um bom negócio para o Sporting, que nunca conseguirá encontrar no mercado um jogador com esta categoria e talento, por uma contrapartida ao clube onde estiver, inferior a 10 M€, para além do salário, obviamente.

Quem quer festa, deve suar a testa!...

Leoninamente,
Até à próxima

Terão de ser os sportinguistas, como SEMPRE!...


- E os outros sete, onde estão?!...

- Estão a fazer pela vida deles, também!...

- E quem faz pela vida do Sporting?!...

- Terão de ser os sportinguistas, como SEMPRE!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Adeus tristeza, chegou a hora de acabar!...


O PECADO DA COMUNICAÇÃO

«O Sporting tem inúmeros problemas e um dos seus maiores pecados é a comunicação. Tenho pela minha experiência profissional de 23 anos, primeiro, como jornalista até 2001 e, posteriormente, como responsável da comunicação da maior câmara do país, Lisboa, seguindo depois para o mundo da indústria de Conselho em Comunicação onde comando a minha empresa desde 2009, a opinião de que o verdadeiro líder comunicacional de uma organização é o seu responsável máximo, o seu presidente. É ele o condutor estratégico dos objectivos, é ele que marca o ritmo, é ele que eleva ou reduz o perfil das intervenções. Coadjuvado, isso sim, por uma equipa profissional especializada que faz a ligação com a arena mediática e, sobretudo, o deve aconselhar bem no que toca à mensagem e aos momentos de comunicação. Por algum motivo, quem trabalha na minha área intitula-se consultor de comunicação e não decisor de comunicação. A última palavra cabe sempre ao líder.

Ora, nas últimas décadas do Sporting não me recordo de nenhum presidente que percebesse verdadeiramente de comunicação nem todas as variáveis que a envolvem e, ainda por cima, muitos deles eram péssimos comunicadores. A inépcia comunicacional é endémica e isso é algo que não potencia lucros, marca, reputação, logo, resultados, sem esquecer os desportivos. Porque se há anjinhos que entendem que os campeonatos se ganham só com um treinador astuto e jogadores talentosos, podem esquecer. Para lá dos lados ocultos do futebol onde operam diversos doutorados em ‘bas-fond’, a comunicação tem ganho uma relevância importantíssima que continua a ser descuidada e cabe ao clube encontrar o caminho correcto para se profissionalizar e conquistar uma influência que nunca teve. Porque os media não estão contra nós, como soltam os amadores e ‘calimeros’, nós é que nunca soubemos seduzir e estabelecer uma relação empática com os media. Não podemos ter a percepção que imprensa e televisões nos prejudicam, isso é estar derrotado à partida, temos é de ter a sensatez de dar a volta, deixar trabalhar, ser diplomata, depois, analisaremos. Se não nos respeitarem, seremos nós a não dar seguimento às boas relações que pretendemos ter com todos os ‘players’.

A comunicação em todas as empresas, instituições e clubes deve ser serena, pela positiva, a puxar mais por nós e a ligar menos aos outros. Quem criou o planeta onde vivemos sabia muito mais do que nós. O céu habitualmente está sereno, mas se houver um trovão todos escutam. Que ilação retiramos disto para a comunicação? Simples: devemos ser serenos, porque se tivermos de ser mais duros e a mensagem mais agressiva ela será muito mais eficaz, será o nosso trovão, se não estivermos constantemente em desgaste de guerras algumas do alecrim e manjerona. E há duas regras de ouro na comunicação: o bom senso, sabermos o momento certo para carregarmos nas teclas suaves ou ríspidas; e ser mestre a manusear o silêncio, que pode ser cínico porque a estratégia assim o exige, e porque o silêncio é a arma mais difícil de combater e comete menos erros. Sei como ninguém que os tempos são actualmente marcados pelo ruído, tons odiosos e por extremismos pouco inteligentes. Pois é, mas estes especialistas a fazer barulho não são especialistas de comunicação. É tempo do Sporting ultrapassar este pecado original.»
(Rui Calafate, Factor Racional, in Record)

Muito particularmente nos últimos cinco anos, foi tudo feito ao contrário das "duas regras de ouro" de que nos fala com propriedade e conhecimento, Rui Calafate: faltou o bom senso e o talento para manusear o silêncio!...

Agora...
 

Chamamos-lhe triste e o seu futuro, foi aquilo que se viu!...

Adeus tristeza, chegou a hora de acabar!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE