sábado, 30 de junho de 2018

Época gloriosa na estreia do Pavilhão João Rocha!...



SPORTING DERROTA BENFICA NOS PENÁLTIS E SAGRA-SE TRICAMPEÃO NACIONAL DE FUTSAL

Duelo de grandes emoções no Pavilhão João Rocha

O Sporting sagrou-se, na tarde este sábado, tricampeão nacional de futsal, após bater o Benfica, na ‘negra’ da final do play-off.

No Pavilhão João Rocha, foi preciso esperar pelas grandes penalidades para se encontrar o vencedor, após empate a dois golos no final do tempo regulamentar e igualdade a três após o prolongamento. Na marca dos seis metros, o conjunto de Nuno Dias marcou os dois primeiros e o Benfica desperdiçou as suas chances.

A equipa de Nuno Dias eleva assim a contagem para três títulos consecutivos e soma já 15 no seu historial da modalidade.

Com esta vitória o Sporting alcança o pleno de todas as principais modalidades em que participa, voleibol, andebol, hóquei em patins e futsal.

Época gloriosa na estreia do Pavilhão João Rocha!...

Leoninamente,
Até à próxima

Para grandes males, grandes remédios!...


Tenho a profunda convicção de que se houve fenómeno com algumas semelhanças com o "sebastianismo", acontecido ao longo de toda a gloriosa história do Sporting Clube de Portugal, sentido e vivido por todo o fantástico universo sportinguista, ele ter-se-à centrado, apenas e tão só, em torno dessa eterna e saudosa figura que foi João Rocha. Mas o seu desaparecimento físico, para além do desgosto que constituiu e da indelével e eterna marca de saudade que determinou em todos os sportinguistas, ainda que levemente mitigada pela honrosa e justa escolha do seu nome para o Pavilhão das Modalidades, teve o condão de colocar termo a qualquer aura lendária que porventura a sua figura suscitasse, de que um dia ainda regressaria a Alvalade em manhã de nevoeiro. Nenhum sebastianismo resiste perante uma inequívoca prova de morte do seu objecto...

Creio com bastante convicção que a significativa fractura a que a grande nação leonina vem sendo sujeita em tempos recentes, estará a concorrer fortemente para o nascimento de um "novo sebastianismo", que poderá de alguma maneira gerar escolhos e impedir o Sporting Clube de Portugal de prosseguir com a glória de sempre a sua história centenária. Embora no espírito da grande maioria dos sportinguistas ainda persista a esperança de que o tempo erradicará da nossa vida colectiva essa destruidora fractura, tal parece ser pouco visível e bastante improvável no nosso horizonte colectivo. Exactamente pela ausência de uma inequívoca prova da "morte" do objecto determinante.

É por isso que, pela terceira vez neste meu canto de leoninidade, volto para defender a tese de que, mesmo perante a discordância aqui manifestada de tantos ilustres e indefectíveis sportinguistas, apenas existirá um único caminho para matar e fazer descer aos infernos esse "novo sebastianismo" que, se lhe dermos oportunidade, muito provavelmente se enquistará de tal modo em nós que nem o tempo nem o sucesso e glórias futuras o conseguirão extirpar. 

Nesta condição permitam-me que reforce mais uma vez a minha tese de que será preciso dar aos sportinguistas a última e definitiva oportunidade de pôr termo a um tal "sebastianismo", esse terrível virus instalado na nossa vida colectiva, capaz de perturbar e afectar significativamente a construção do futuro do glorioso Sporting Clube de Portugal. E nada melhor do que derrotá-lo claramente uma vez mais nas urnas, em vez de recorrer às mais do que legítimas penalizações das perversas malhas em que se enredou esse pretenso, obsceno e maléfico sebastianismo!...

Para grandes males, grandes remédios!...

Leoninamente,
Até à próxima

Muito interessante!...


E vão seis sessões de ganhos consecutivos 
Sporting acumula valorização de 35% (LINK para notícia completa)

«Há seis sessões que o Sporting não pára de recuperar valor na bolsa. Os títulos da SAD leonina valorizam quase 13% nesta sessão.

No dia em que o avançado Das Bost se mostra aberto a desistir da rescisão por justa causa, a SAD leonina continua a recuperar valor na Bolsa. Há seis sessões, que os títulos dos verdes e brancos estão a valorizar, tendo já acumulado um ganho de 34,8%.

Esta quinta-feira, com 6.510 títulos negociados, as acções da SAD do Sporting — que negoceiam por chamada duas vezes ao dia — subiram 12,66% para 0,89 euros, atingindo máximos de 29 de Março...»

Interessante. Muito interessante!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Desejo a todos os lombalgistas rápidas melhoras!...



O supremo castigo de Bruno de Carvalho.

«No outro dia cruzei-me num restaurante com José Maria Ricciardi e com ele travei uma discussão apaixonada acerca do destino do líder dos lombalgistas.

Defendia Ricciardi (secundado por dois outros grandes sportinguistas que também estavam presentes) que nenhum sócio do Sporting tem o direito de violar os estatutos do Clube e, se o fizer, deve ser condenado, em particular se for o presidente da Direcção e a violação consistir numa tentativa (felizmente falhada) de golpe de estado.

Estando, em abstracto, de acordo com este princípio, defendi então, e replico aqui a minha posição, que deve ser dada a oportunidade de Bruno de Carvalho apresentar-se nas eleições de 8 de Setembro - porque só com nova derrota esmagadora é que ele e os lombalgistas perceberão que constituem uma minoria, muito reduzida apesar de ruidosa e caceteira.

Os sportinguistas já derrotaram expressivamente os lombalgistas em duas ocasiões. A primeira foi na noite do Paços em Alvalade, a 8 de Abril, um par de dias após o célebre “post madrileno”, quando mostraram estar com a equipa e Bruno de Carvalho teve de abandonar o estádio pela porta dos fundos acometida de uma lombalgia aguda. A segunda vez foi na Assembleia Geral de 23 de Junho. Bruno de Carvalho, provavelmente com dores, entrincheirou-se atrás de um comando de lombalgistas selvagens (da mesma estirpe daqueles que me tele-ameaçam de porrada, insultam a minha mãe e me descrevem como um lampião à procura de tacho em Alvalade) para assediar os outros sócios do Sporting, mas, mesmo assim, foi reduzido, eleitoralmente, a uma expressão minoritária.

Pelos vistos, ou melhor pelos lidos num post recente, a linha lombalgista - que se alimenta de vitimizações sucessivas e de extravagantes teorias da conspiração - ainda não se considera suficientemente derrotada.

Sendo assim, os órgãos sociais do Sporting devem permitir a Bruno de Carvalho que se apresente nas eleições de 8 de Setembro e, em consequência, que permita aos associados do nosso clube demonstrarem mais uma vez que ele representa apenas uma reduzida minoria - representa aqueles que se afirmam mais brunistas que sportinguistas.

Façam-nos esse favor de desencadear uma mobilização expressiva - como sucedeu na AG - só pelo supremo prazer de podermos mostrar aos lombalgistas que a suprema derrota do seu líder populista é nas urnas.

Esta é apenas a minha opinião.»



Há quatro postais atrás defendi por aqui exactamente uma ideia semelhante, embora não me tenha sequer atrevido a explicar as razões. Apesar desse meu cuidado, tal não impediu os "lombalgistas" de também terem vindo até este meu "pobre tasco" para me insultarem e mai-los pobres dos meus saudosos pais...

Afinal a minha ideia seria, tão só, ser magnânimo para com quem me tem demonstrado a mais obscena mesquinhez e incivilidade e demonstrar-lhes quanta fé, esperança e convicção teimam ainda em acompanhar-me...

Desejo a todos os lombalgistas rápidas melhoras!...

Leoninamente,
Até à próxima

Campeão por muitos e bons anos!...


Ó senhor presidente da Sporting SAD, deixe-se de piruetas ridículas, de saudosismos excêntricos, de (re)invenções estapafúrdias, de alucinações estrambólicas, de nacionalismos bacôcos e pense apenas no melhor para o Sporting.

Com Maurizio Sarri o Sporting será...

Campeão por muitos e bons anos!...

Leoninamente,
Até à próxima

T'arrenego, vá de retro Satanás!...


Mas que ideia peregrina será a de José Sousa Cintra de sequer pensar no regresso de Jorge Jesus, quando todo o grande universo sportinguista há muito declarou como insuportável a sua presença em Alvalade?!...

T'arrenego, vá de retro Satanás!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Dura lex, sed lex"!...




PROCESSO DISCIPLINAR AO ANTIGO CONSELHO DIRECTIVO VAI AVANÇAR

Os visados não entregaram a resposta às notas de culpa, pelo menos no local indicado

Tudo parece apontar para que o apelo de Bruno de Carvalho à Comissão Disciplinar, pedindo o fim da suspensão do antigo Conselho Directivo, não terá quaisquer resultados práticos, dado que aquele órgão estará determinado em "fazer cumprir os estatutos e a lei".

Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Rui Caeiro, José Quintela, Luís Gestas, Luís Roque e Alexandre Godinho, teriam até às 00h00 da passada quarta-feira para responderem às notas de culpa que lhes foram entregues para os endereços que a Comissão de Gestão havia designado. Hoje, quando se reunir em Alvalade, este órgão averiguará se algum dos visados optou por enviar a resposta à nota de culpa para a sede do clube leonino, mas é pouco provável que tal cenário se venha a verificar.

A Comissão de Fiscalização continua a garantir que "o processo avançará dentro dos prazos legais previstos e estritamente necessários à tomada de uma boa decisão" mas, neste momento, é impossível avançar uma data para a decisão dado existirem ainda muitas indefinições. De resto, interessará sublinhar que estão em andamento sete processos individuais, referentes a cada um dos membros do Conselho Directivo deposto e, como é óbvio, cada um terá necessariamente  as respectivas especificidades.

Depois, no decorrer do processo, este órgão disciplinar designado por Jaime Marta Soares para substituir o Conselho Fiscal e Disciplinar demissionário, ainda pode entender que será necessário efectuar algumas diligências de averiguação, e esta possibilidade pode atrasar todo o processo. Apesar destes condicionalismos, parece seguro acreditar que Bruno de Carvalho e os restantes membros do Conselho Directivo destituído conhecerão o desfecho deste processo disciplinar a tempo de se poderem recandidatar.

Resta agora saber se haverá sanções e, em caso afirmativo, se as mesmas permitirão que Bruno de Carvalho apresente a sua candidatura.

"Dura lex, sed lex"!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Que fossem os sportinguistas a decidir!...



«Hoje foi o primeiro dia em que consegui despir a camisola de Presidente do Sporting CP.

Olhar para trás e de forma calma olhar para tudo.

Tenho de começar logo com um primeiro agradecimento especial aos quase 30% que votaram na nossa não destituição. Nem vale mais discutir se foram mais ou não. Vale a pena agradecer, do fundo do coração, a estes Sportinguistas que mostraram toda a sua confiança, gratidão, carinho e reconhecimento pelo trabalho feito e que estava a continuar a ser realizado.

Depois um enorme agradecimento aos 6 Leais companheiros de Direcção e ao Fernando Carvalho, guerreiro resistente do CFD.

E estes 5 anos? Do popular ao populista. Do discurso - forma versus conteúdo - às tomadas de posição. Forma construtiva ou destrutiva de agir.

Nunca quis ser um Líder populista. Um demagogo de frases feitas, que age para seu benefício e que quer levar as massas por promessas ocas mas apelativas.

Pelo contrário, sempre quis ser um Líder popular, com os pés assentes na terra, com um discurso mobilizador que voltasse a devolver o orgulho e respeito a um Clube que estava adormecido, resignado e sem energia.

E aqui acho que começou um pouco a confusão entre ser popular ou populista.

Era fundamental ter um discurso forte para "acordar" os Sportinguistas e lhes devolver a crença de que podiamos de facto voltar a ser o Grande Sporting! Um discurso ambicioso, virado para dentro e para fora, demostrando ao Mundo que estávamos aqui para vencer tudo e exigir de volta o que tinhamos perdido: Respeito.

Isto abriu uma guerra geracional que não era de todo o pretendido. Temos uma geração que conseguiu ter a sorte de ver um Sporting CP a ser o crónico vencedor e sem precisar de ter um discurso de "combate". Esta geração conseguiu ver o Sporting CP vencer com a possibilidade de ter um discurso "estadista". Depois temos uma geração que pouco ou nada viu o Sporting CP ganhar. Que estava habituada a ser gozada, com o Sporting CP a ser considerado um Clube amigo e simpático. Uma geração que quer ser feliz.

Estas gerações distintas não têm de estar antagonizadas. Têm todos apenas de perceber e entender os desafios do Séc. XXI para um Clube que, dos grandes, era o mais pequeno e o mais endividado.

A minha pressa de devolver alegrias ao Universo Sportinguista pode ter sido entendida por alguns como accão de um populista e que dividiu as gerações. Mas nunca foi essa a minha intenção. Prometemos um Clube que voltasse a ser a Maior Potência Desportiva Nacional e conseguimos esta época provar isso, de forma inequívoca. Voltar a ser um Clube de ADN eclético e fizémos o Pavilhão. Que se podia ser competitivo no futebol e manter a maioria da SAD (e com lucros constantes). Isto não são tiques de um populista, são actos de uma equipa que se quis de matriz popular e que cumpriu sempre as suas promessas, conseguindo uma mobilização nunca vista no Clube, com a Missão Pavilhão, a unificação da Curva Sul no Estádio e estarmos quase na meta dos 180.000 Associados.

Mas confesso que se olhar bem, se olhar profundamente, a pressa com que tudo foi feito, o trabalho 24h/24h que não permitiu um sentido mais diplomático de actuação, pode ter deixado uma imagem errada a muitas pessoas. Fui pouco hábil na diplomacia, pois não tinha mãos a medir num trabalho e objectivo de recuperação desportiva, financeira, de imagem, que tem uma dimensão de necessidade e de empenho que ninguém imagina.

O discurso? A vontade de fazer sempre mais, e mais e mais, levou a que o discurso não fosse moderado. E era necessário ter tido a habilidade de não criar desgaste e ruptura com esse discurso. Mas a verdade é que, quanto mais sucesso mais e maiores os ataques sofridos. Quanto mais ataques mais necessidade de defender o Clube com unhas e dentes. Quanto mais se defendou o Clube com unhas e dentes mais o discurso começou a parecer destrutivo, belicista, nunca apaziguador... Um ditador arrogante mas afinal era só um Líder apaixonado e disposto a dar a vida pelo nosso Clube. Mas o discurso levou a que muitos Sportinguistas se afastassem, mesmo não percebendo o porquê... Nem eu percebi, até esta reflexão. Afinal, o conteúdo era aparentemente 100% correcto, os objectivos até estavam a ser cumpridos (excepção ao futebol sênior profissional), o sucesso ia aumentando, mas com isso também a imagem de um ditador, belicista e incapaz de se proteger. As minhas tomadas de posição nunca quiseram refletir o que sou na realidade, mas tão somente o que, dia a dia, tinha de ir superando para resolver todos os problemas herdados e os constantes obstáculos que nos eram colocados. Foco total no trabalho e foco 0 no tratamento da imagem pessoal / política / institucional do Presidente. Sempre acreditei que os resultados tudo superassem, até porque todo o discurso e tomadas de posição eram para o Clube chegar ao sucesso. O Clube chegou ao sucesso e a minha imagem pessoal ficou totalmente deturpada ao olhos de muitos. E são as pessoas que têm culpa? Algumas ajudaram, alguma comunicação social contribuiu, mas o maior culpado fui eu que, na busca constante da Glória do Clube, me esqueci de mim próprio e da forma que deveria projectar a minha imagem.

O meu desejo é simples, que se acabe com este processo disciplinar e se permita aos Sportinguistas ouvirem todos os que quiserem falar e decidirem o futuro do Clube e SAD.

E neste momento é muito importante não provocar mais fragmentações do Universo Leonino! Vamos encarar cada lista com o respeito que merece, pois querer servir o Clube não é um "crime" mas sim um acto de paixão.

Vamos ter a humildade de reconhecer as nossas virtudes e os nossos defeitos. Vamos ter a humildade de receber de braços abertos todos os que queiram apresentar o seu projecto para o Sporting CP.

Apelo novamente para que parem com os processos disciplinares em curso, e que deixem aos Sportinguistas a liberdade de se candidatarem e aos outros de poderem escolher quem querem, no próximo dia 8 de Setembro, a liderar o Clube, incluindo o último Presidente e o seu CD, se tal for a nossa decisão.

A demonstração que somos um Grande Clube em tudo é deixar todos, os que assim o quiserem, sem decisões de “secretaria” contrárias, ir a eleições e ver o seu projecto ser aprovado ou reprovado por quem manda: os Associados.

Já agora importa realçar que os Sportinguistas, no máximo, teriam decidido na última AG que queriam novas eleições e não que fossemos suspensos ou expulsos de associados, e com isso afastados das mesmas.

Somos um país livre e democrático e por isso deixemos a liberdade de candidatura e voto aos sportinguistas.

Foi bom poder fazer este exercício claro sobre 5 anos, onde afinal existiram mesmo falhas que lamento, que apesar de achar que são de pormenor a verdade é que contribuí para muitos erros de percepção e de raciocínio, que são legítimos e devem ser respeitados e devidamente ponderados.

Obrigado por 5 anos de puro prazer e orgulho em servirmos o Clube que amamos e a família que adoptámos como nossa: os Sportinguistas!»

Pela primeira e única vez, o sportinguista que sou, depois de por três vezes consecutivas ter depositado nas urnas os meus votos por Bruno de Carvalho, compreendo e aceito que tenha utilizado o Facebook para se explicar perante a grande nação leonina.

E embora de há muito tempo a esta parte a minha decepção e frustração não tenham conta nem medida, compreendo e aceito as suas palavras, a sua mágoa, a sua frustração, a sua humildade no reconhecimento dos erros que cometeu e o seu apelo, que julgo justo, para que uma derradeira oportunidade lhe seja concedida.

Tenho a plena convicção de que uma considerável maioria de sportinguistas exclamará, depois de ler estas últimas palavras  de Bruno de Carvalho, "pois é, cantas bem mas não me encantas"! Recuso, como sempre recusei ao longo de toda a minha vida, alinhar em fundamentalismos. E continuarei sempre a acreditar que todo o homem e mulher são recuperáveis...

Certo e óbvio que depois dos últimos cinco anos, não poderia esta humilde e surpreendente confissão alinhavada em apenas 23 parágrafos, que devorei emocionado num instante, mesmo admitindo, de pé atrás, que o "Mondeguinho não tenha nascido na Estrela", pretender apagar num momento o rasto que a muitos sportinguistas terá sugerido uma cega, narcísica, arrogante, autocrática e decepcionante caminhada. Mas volto a sublinhar que me parece justo o seu apelo de que lhe seja conferida a possibilidade de se recandidatar e de provar ao longo de uma campanha que se antevê difícil para todos, que as palavras de hoje não serão mais do que uma operação de cosmética, porventura concebida e levada à prática por um qualquer competente e inteligente "comunicador-fantasma".  

Apesar de há muito ter compreendido e interiorizado como fechada esta triste página da história do Sporting, se me fosse dado o privilégio de decidir, seria exactamente isso que faria, porque convicto de essa ser a melhor via para alcançar a pacificação de que o Sporting imperiosa e urgentemente necessita. E então, mais uma vez, democraticamente e melhor do que qualquer forum de decisão interna ou externa ao Sporting...

Que fossem os sportinguistas a decidir!... 

Leoninamente,
Até à próxima 

É o título que falta para o pleno das modalidades!...



Futsal: Sporting supera Benfica nos penáltis e leva decisão para o Pavilhão João Rocha, sábado às 16:45

Benfica-Sporting, 5-5 (0-2 pen.). Os leões superaram as águias no Pavilhão da Luz e empataram a final do campeonato, impondo a "negra" que se realizará no próximo sábado pelas 16:45 no Pavilhão João Rocha.

Com o treinador Nuno Dias na bancada, a cumprir um castigo de suspensão de 8 dias, imposto pelo Conselho de Disciplina da FPF e quatro titulares também afastados em consequência do "roubo de igreja" perpetrado pela equipa de arbitragem do jogo nº 3, disputado em pleno Pavilhão João Rocha, foi a vitória da raiva dos nossos indomáveis leões.

No próximo sábado, a raiva ainda será maior!...

É o título que falta para o pleno das modalidades!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Pela conversão dos "ressabiados". Ámen!...

Somos todos uma cambada de ressabiados


Daqui por muitos anos, quando de nenhum dos que hoje são adeptos fervorosos, indefectiveis e incondicionais do melhor entre os melhores clubes do mundo, o glorioso Sporting Clube de Portugal, já nada mais restar do que uma flor murcha sobre a lápide, as sementes que deixarem hão-de ler com o coração em transe e os olhos húmidos de lágrimas de paixão e fervor leonino, a história do dia 23 de Junho de 2018.

Nesse dia, se calhar o dia mais importante de toda a nossa vida colectiva de grande Clube, maior entre os maiores da Europa, terá porventura acontecido a mais transcendente transfiguração, transformação, alteração radical, jamais verificada entre crentes de uma só fé, de uma só religião, de um único ideal...

Nesse dia, os até então considerados "sportingados", com a determinação férrea e leonina que os inundava, viram-se transformados miraculosamente em sportinguistas, numa percentagem superior a 71%, enquanto os autoproclamados "verdadeiros sportinguistas", numa percentagem inferior a 29%, autocrática e abusivamente ocupando o trono do leão, chutados pelas escadarias que antes e na sua déspota loucura, haviam subido em rápida, tresloucada e histérica fúria, usurpando direitos e fazendo tábua rasa de deveres, se viram transformados, como se tocados por bruxa má, em "ressabiados".

Ainda que a fé e a esperança anime os corações e a alma daqueles a quem a data histórica de 23 de Junho, concedeu o privilégio de voltarem a ser sportinguistas, ninguém terá ainda certezas absolutas de como a História registará os dias que estamos a viver, perante o reaccionarismo, o revanchismo e outros "ismos" ainda mais baixos e insolentes dos "ressabiados" que, incapazes de aceitar o "milagre leonino" ocorrido no Pavilhão Atlântico e de se renderem ao veredicto democrático dos "sportinguistas", continuam com a perfídia e sobranceria que sempre exibiram no assalto ao poder, a fazer da savana que apenas aos leões deveria servir de natural habitat, um terrível e hediondo campo minado, sem se darem conta do tresloucado haraquiri que vão cometendo... 

É para todos esses "ressabiados" que por aqui deixo hoje, ainda esperançado na sua reconversão, se a tanto os ajudar a reflexão que lhe deveria estar subjacente, a "CARTA AO RESSABIADO", vertido no singular livro "EU SOU DEUS", pela nova aragem da nossa literatura de hoje, Pedro Chagas Freitas: 




CARTA AO RESSABIADO

«O ressabiado é o labrego do invejoso. O parolo do ciumento. O azeiteiro dos ambiciosos. O lagareiro dos egoístas. O ressabiado é o invejoso com tuning, o ciumento com faróis xénon azuis, o ambicioso com spoilers e ailerons (ler “eilerons”, por favor) a toda à volta, o egoísta com quatro abufadeiras duplas. O ressabiado é aquele gajo que tem, dentro de si, todo o combustível necessário para chegar longe e fazer algo de profícuo – mas que prefere, por ser azeiteiro e parolo e labrego, beber essa gasolina. E ficar, claro está (porque um azeiteiro bêbedo é, para além de um azeiteiro, um bêbedo), ainda mais azeiteiro e parolo e labrego. Que tristeza.

O sol, quando nasce, é para todos. E as minhas letras também. O ressabiado, porque é, parecendo que não, um ser humano como os outros, também é filho (para além de filho disso que estás a pensar e que acaba em –uta) de Deus. Toma lá então esta, meu chungoso.

É para ti, nobre ressabiado, que escrevo. Sim: para ti. Para ti que perdes tempo (e isto sim é perder tempo: atirar, literalmente, tempo ao lixo) a ter inveja da inútil, da que nada (para além de sebo) produz. Para ti que perdes tempo a querer ficar da altura dos que invejas – mas que usas, para isso, a ordinária táctica de rebaixar os outros (ao invés de preferires, como todos os que não são ressabiados sabem, a bem mais interessante táctica de quereres, tu, em ti, erguer-te). Este texto é para ti, meu grande pequerrucho – que acreditas que ser grande é estar, mesmo que por instantes, à altura dos grandes. Mas não, meu pacóvio: o grande, mesmo que por vezes esteja à tua altura, só o está nos instantes em que, como todas as pessoas, precisa de se dobrar um pouquinho para defecar. É facto: os grandes também cagam como os outros. É uma pena que tenha de ser, porque tu insistes em estar lá, no chão, a rastejar, em cima de ti. Vai-te lavar, ó saloio.

Não tenho de evitar (porque haveria de não o evitar?) dizê-lo com todas as letras: sou invejado. Sou invejado por muitas. E sobretudo por muitos. E isso nada teria de negativo se esses muitos que me invejam fizessem dessa inveja algo de interessante: se esses muitos, roídos de inveja, se roessem todos para fazer melhor do que eu. Para fazerem do que eu faço quase nada face àquilo que eles fazem. Aí sim: estariam a ser verdadeiramente invejosos; aí sim: estariam a sentir a inveja que vale a pena: a inveja saudável. A inveja que faz andar o mundo. Esses invejosos, que passam os dias a pensar como me conseguirão penetrar com toda a potência à traição e pelas costas, seriam invejosos saudáveis se passassem o tempo a quererem que fosse eu a sentir inveja deles. Do que eles são, do que eles fazem. Mas não. Não é isso que eles fazem. Ressabiados.

Lê com atenção, ó ressabiado: estas palavras (irrepreensivelmente escritas - há que dizê-lo para, desde já, começares a ficar ainda mais ressabiado) são feitas à tua medida: para me invejares como deve ser. Para me invejares com motivo, com força, com intensidade. Para me invejares com propriedade. Já que me invejas, e te ressabias com essa inveja, é bom que tenhas matéria-prima a sério. Embrulha lá mais estes argumentos.

Sou um gajo feliz. Faço aquilo que quero fazer, aquilo que sempre quis fazer. E faço-o bem. Faço-o muito bem. Faço-o bem comó catano. Escrevo, ensino a escrever. Vivo, ensino a viver. Rio, ensino a rir. E sorrio e ensino a sorrir, e também canto e danço e peço a alguém que me ensine a cantar e a dançar (mesmo que não cantar nem dançar nada de jeito não me impeça de ser feliz assim: a cantar; todos os dias a dançar e a cantar: todos os dias a dançar-me e a cantar-me). Fiz dos sonhos realidade, das intenções realizações, do que os olhos olharam o que as mãos tocaram. E há mais: amo e sou amado até à pura da demência, amo e sou amado até à mais intensa das intensidades. E tenho uma família linda: de cima a baixo, de dentro a fora: linda. Absolutamente linda. Perfeitamente linda. E depois. E depois há aquilo que, tenho a certeza, te vai deixar ficar no pico do ressabiamento (até já esfrego as mãos só de imaginar a tua carita de fracassado crónico): para além disso tudo, para além de ter cérebro e escrever e ensinar a escrever e ter amor e paixão e tesão e uma família linda de dentro a fora, de cima a baixo, sou um gajo giro. Yep: um gajo atraente. Um gajo bonito. Só mais uma vez para não teres de ser internado por excesso de ressabiamento: um gajo com bom aspecto: um gajo desejável. Eu sei que era desejável não to dizer assim, de forma aberta. Eu sei que não me fica bem dizer isto – mesmo que o sinta. Mas o que fica bem que vá para o baralho. Eu atiro-te com isto, mais uma vez, à cara (a essa cara que, Deus te ajude, nunca recebeu elogios de um espelho): eu sou um gajo que recebe mais mensagens de elogio e de amor e de pulsão e de desejão por dia do que tu, algum dia, receberás na tua vida inteira. É doloroso, não é? Vá, limpa as lágrimas e anda daí para o último parágrafo. Labrego.



Hoje decidi dar-te motivos para seres ressabiado. Hoje decidi dizer-te que tens todos os fundamentos para me invejar. Tenho a vida que provavelmente queres, o talento que não tens (ou tens e preferes gastar a gastar o meu), a respiração tranquila e pacífica que não consegues ter. Tenho a plena convicção de que a minha vida vale a pena. A minha vida. Ele em ela. Ela em eu. Ela sem precisar da tua ou da de outros como tu. E é essa a verdade que tens de encarar (para transformares o ressabiamento em monumento: o teu monumento, saído de ti e não do não-outros): tens de ser pró-tu – e não, aprende lá isto por favor, o anti-outros. Tens de ser a favor de ti. Sem pensar em matar os outros para te fazeres viver. Sem precisares de apertar o pescoço dos outros para tirares o teu pescoço do cepo. Tens de ser invejoso, sim; tens de ser ciumento, sim; tens de ser ambicioso, sim; tens de ser egoísta, sim. Tens de ser essa merda toda que só é negativa se tudo isso se transformar em não fazer – ao invés de se transformar em só fazer. A inveja e o ciúme e a ambição e o egoísmo só são maus quando se lida mal com eles – quando são transformados, todos eles, em reles ressabiamento. Eu quero, e gosto, que tenhas inveja de mim. Dei-te motivos para isso – muitos e variados. Eu próprio, se estivesse no teu lugar, tinha inveja de mim. Chamava-me cabrão, dizia que eu era uma bosta e que nada tenho de especial. Mas eu, se estivesse no teu lugar, só perdia uns segundos a pensar e a dizer isso. Depois, logo a seguir a esses segundos, deixaria de dizer e pensar isso e passaria a tentar ficar eu do lado de cá: do lado que se é motivo de inveja e não invejoso. Do lado que é água que cai na fonte e não a fonte onde cai a água. Eu, se fosse invejoso, já não estava a ler este texto e a sentir-me ressabiado por não ter sido eu a escrevê-lo e a senti-lo. Eu, se fosse invejoso, já não estava ressabiado. Mas eu, se fosse tu, já não tinha motivos, sequer, para estar ressabiado. Porque eu, bem vistas as coisas, vou ser sempre eu: o cabrão que tem todos os motivos, e acabou de to esfregar na cara, para fazer da vida uma festa. Uma festa de sentidos: uma festa com todo o sentido. E tu: vais fazer fazer algo de útil com isso que sentes – ou vais preferir despejar a bílis a falar mal de mim? Pois. Temos pena.»
Pela conversão dos "ressabiados". Ámen!...

Leoninamente,
Até à próxima

Assim, o título já ninguém lhes tira!



Acabam de me informar que o SLB contratou o marroquino Assad. O Buscas Assad.

Assim, o título já ninguém lhes tira!

Leoninamente,
Até à próxima

Apenas aplauso!...


Jaime Marta Soares anuncia cancelamento da AG de 30 de Junho

Jaime Marta Soares anunciou o cancelamento da Assembleia Geral do Sporting, marcada para 30 de Junho, e que tinha como ponto único a aprovação do orçamento de 1 Julho de 2018 a 30 de Junho de 2019. 

Aos jornalistas em Alvalade o PMAG esclareceu: "Não valeria a pena, estando a cerca de dois meses de eleições, irmos aprovar um orçamento e um plano a que outros teriam de dar seguimento. Não há nada que ponha em causa esta minha/nossa decisão. A gestão do Sporting continuará sem quaisquer percalços. Será feita em duodécimos, aproveitando o orçamento anterior até eleições a 8 de Setembro. Por isso tudo funcionará dentro da normalidade. Aprovar um orçamento agora iria limitar liberdade da direcção que tomar posse. Foi uma decisão pensada em conjunto pelos três órgãos sociais em funções, Mesa da AG, Conselho de Fiscalização e Conselho de Gestão."

Nem oferece discussão...

Apenas aplauso!...

Leoninamente,
Até à próxima

Em frente Sporting!...


"Uma imagem vale mais que mil palavras", é o que se poderá inferir da capa de hoje do jornal Record!...

Se atendermos ao valor de mercado de Nagatomo (3.5 M€), Éder (7.0 M€) e Karamoh (7,0 M€), afinal alguém estará disposto a entregar quase 30 M€ por um jogador que rescindiu, com alegada justa causa, com o Sporting.

Depois, os jogadores que rescindiram, com alegada justa causa, com o Sporting, parecem alegadamente admitir fazer "marcha-atrás".

Ainda e depois de Frederico Varandas, João Benedito e Tomás Froes, aparecem supostamente, também dispostos a avançar com candidaturas, aumentando o leque das opções democráticas dos sportinguistas.

Finalmente é aventada a possibilidade de a candidatura de Augusto Inácio como treinador interino até às eleições estar a ganhar força, conferindo à hipótese  uma compatibilização, à partida extremamente razoável, entre as funções da Comissão de Gestão e da nova administração provisória da Sporting SAD, com as responsabilidades totais que só aos orgãos sociais decorrentes das eleições de 8 de Setembro devem ser atribuídas.

Afinal depois do caos, o Sol poderá raiar novamente em Alvalade!...

Em frente Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 26 de junho de 2018

Adivinhava-se!...



TORRES PEREIRA: «SAD ESTÁ EM FALÊNCIA TÉCNICA MAS NÃO VAI ACABAR»

Presidente da Comissão de Gestão garante ainda salários em dia (LINK)

«A situação da SAD é de falência técnica. Capitais próprios negativos de nove milhões, certificados pela auditora do Conselho Fiscal da SAD, com problemas de tesouraria imensos. Não é uma situação de falência, apenas falência técnica. A SAD está em dificuldades mas não acabará seguramente. O Sporting, nem pensar nisso. [...]

Tomámos hoje a responsabilidade de garantir que não haverá salários em atraso nem no Sporting nem na SAD. É uma garantia nossa e todas as iniciativas para que ela ganhe causa vão ser tomadas.»

Uma valente "carga de trabalhos" em perspectiva para a Comissão de Gestão e Administração da Sporting SAD: o "mar de rosas" não passava afinal de um "mar de espinhos"!...

Adivinhava-se!...

Leoninamente,
Até à próxima

Continuam ambos no nosso coração!...


O tempo parece não ter passado por estes dois: ela continua linda, linda, cada vez mais linda, enquanto ele, continua com o talento que lhe vimos explodir em Alvalade e a dar-nos os mesmos motivos de orgulho!...

Continuam ambos no nosso coração!...

Leoninamente,
Até à próxima

Querem ver que o Cintra ainda me faz a vontade?!...



Chelsea, niente viaggio a Londra per Sarri: salta tutto?

Il Napoli non ha ancora ricevuto alcun tipo di contatto per sbloccare la situazione: Abramovich potrebbe optare per la permanenza di Conte (LINK)

A julgar pelo que avança a prestigiada Gazzetta dello Sport, Maurizio Sarri poderá afinal não rumar a Londres...

Querem ver que o Cintra ainda me faz a vontade?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Uma séria reflexão dos sportinguistas a isso dispostos!...





«Disse, quando toda esta saga do Sporting começou, que o meu voto (em três eleições) e apoio público (nas últimas) a Bruno de Carvalho obrigavam-me, perante os últimos quatro meses de loucura, a empenhar-me na solução. De forma mais óbvia do que é habitual na minha postura pública mais discreta em assuntos clubísticos. Levei a sério esta promessa em todo o processo que levou à destituição do ex-presidente. Levarei a sério no processo de escolha do seu sucessor. Depois das eleições, espero voltar à condição de sócio e adepto anónimo, com a minha gamebox, as minhas idas ao estádio e na participação cívica na vida do clube, quando sou chamado a participar em Assembleias Gerais. É tudo o que desejo, que o espaço público que tenho é para falar de outros temas.

Participar na escolha do novo presidente implica assumir riscos e empenhar o meu nome em alternativas. Não chega derrubar um ditador, é preciso erguer o poder democrático que o substitui, esperando que a actual Comissão de Gestão tenha o bom-senso de só tomar as decisões indispensáveis até Setembro. Foi por isso que aceitei fazer parte da Comissão de Honra de Frederico Varandas, assumindo, ao lado de pessoas bem mais relevantes no Sporting (como Daniel Sampaio, Eduardo Barroso, Daniel Carriço ou Slimani), um apoio mais empenhado e definitivo a um candidato. São dez as razões que me levam a apoiar, desde já, Frederico Varandas:

1 - É um sportinguista com história de dedicação ao clube, não representando interesses que lhe sejam estranhos;

2 - Conhece bem o Sporting Clube de Portugal, sobretudo o departamento de futebol, que neste momento nos oferece mais preocupações;

3 - Defende de forma clara e inequívoca que o clube mantenha a maioria do capital social na SAD, condição para eu apoiar ou votar em qualquer candidato;

4 - Não quer regressar a um passado que os sócios várias vezes recusaram, afastando assim o perigo de, no meio da enorme desilusão que o ex-presidente representou para milhares de sócios nos últimos meses, se reverter a mudança a que assistimos em 2013;

5 - Está empenhado no que foi o essencial das propostas programáticas do primeiro mandato de Bruno de Carvalho: maior participação dos sócios, estádio cheio, aposta nas modalidades, saneamento financeiro do clube;

6 - Tem o perfil emocional e cívico adequado para unir os sportinguistas e devolver o bom nome ao Sporting.

7 - Tem a sobriedade firme que o Sporting precisa para reatar relações de normalidade com outras instituições desportivas, o Estado e a comunicação social, assumindo que as guerras que se compram são as que se têm de comprar e apenas devem ser travadas, de forma pragmática, na medida em que correspondam aos interesses do Sporting;

8 - Tem a experiência de relação com os jogadores de futebol sénior necessária para recuperar o que foi destruído nos últimos meses e é, caso venha a ser necessário, o mais bem colocado para lidar com o dossier das rescisões;

9 - Teve a coragem de avançar quando nada era certo e não se perdeu nas habituais teias de negociações entre grupos que tantas vezes asfixiam o clube;

10 - É o candidato com melhores condições para agregar apoios e votos que não abram portas nem a uma improvável vitória de Bruno de Carvalho (só possível com uma grande dispersão de candidaturas), nem a um regresso ao passado que perigasse o controlo da SAD pelos sócios.

Nas últimas semanas tive o prazer de conhecer Frederico Varandas e de ter muitas conversas com ele sobre o momento que o Sporting atravessa. A generosidade, a determinação e o bom-senso, assim como um sincero amor pelo clube, são as características mais óbvias que lhe reconheço. Não sei, porque nunca sabemos, se conseguirá cumprir sem mácula o enorme desafio que tem pela frente. Mas sei, isso tenho a certeza, que fará tudo para estar à altura desta missão, se lhe for confiada.»

Um contributo sério e sustentado tantas vezes afirmado no campo da luta e comentário político, de uma prestigiada figura pública que, sem se refugiar no comodismo do silêncio, tem a coragem de assumir o seu sportinguismo - anátema pouco recomendado na área a que tem dedicado o melhor da sua vida! - e revelar, sem preconceitos de qualquer ordem, o que pensa da primeira e única até agora, candidatura à presidência do Sporting Clube de Portugal.

E só eu sei o que significa falar de coragem, na exacta medida em que cada vez mais entendo ser precisa muita coragem para qualquer sportinguista se sujeitar ao pérfido escrutínio a que é sujeito, ainda hoje e porventura num futuro próximo, em termos de redes sociais e blogosfera, sempre que afirma a sua recusa às vicissitudes a que o seu Clube foi sujeito em passado recente.

De há muito admirador confesso da personalidade, pensamento e perfil de intervenção de Daniel Oliveira, por imperativo de consciência, entendi dever deixar por aqui a posição que ainda há poucas horas decidiu tornar pública na sua página da rede social habitual, sem outro qualquer intuito que não seja a de permitir...

Uma séria reflexão dos sportinguistas a isso dispostos!...

Leoninamente,
Até à próxima

Tudo tem um princípio!...




FREDERICO VARANDAS: PRIMEIRO CANDIDATO À PRESIDÊNCIA  DO SPORTING NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES DE 8 DE SETEMBRO

Conferência de Imprensa na apresentação da candidatura


Tudo tem um princípio!...

Leoninamente,
Até à próxima

Vão todos à bardamerda!...


"Assustador" terá sido o título que hoje, logo que pela manhã acedi à blogosfera leonina, mais impressão me causou ver tratado por sportinguistas que, ainda não satisfeitos com o facto de termos assistido durante mais de dois meses ao Sporting ocupar sistemática e diariamente o epicentro do furacão do futebol português, com outros a escaparem milagrosamente por entre os pingos da chuva de processos e investigações judiciais, entenderem como melhor para o Clube que dizem amar - estranho amor! - voltar a "bater no ceguinho" e apelarem de forma estúpida e masoquista e com todas as suas forças para que o Sporting continue na berlinda, nem que seja para gáudio e masturbação dos seus tristes e pobres umbigos.

E perante  esta ridícula e quase tétrica situação, é vê-los a tratar de escalpelizar e atribuir novas culpas a novos actores, novos erros a novos protagonistas, reflexos de velhos hábitos  de velhas e anquilosadas mentalidades de que o universo leonino parece incapaz de se libertar. 

Parece que o mais importante neste momento para a vida interna do nosso Clube será encontrar a adjectivação correcta para o eventual despedimento de Mihajlovic, ou a interpretação mais adequada sobre os graves problemas que poderá representar a nomeação de Sousa Cintra para presidente da Sporting SAD, matérias que são lançadas para o tacho onde parece já preparar-se novo refogado com o Sporting a servir de conduto!...

Se o louco que acabámos de destituir, nos deixou entre outras coisas boas, alguma que agora me apetece usar para com esses sportinguistas será...

Vão todos à bardamerda!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE