sábado, 23 de maio de 2020

Um golo magnífico!...


Fuga para a vitória

«Ao ritmo de Pelé, Stalone e Caine, hoje avanço uma fuga pelo caminho da esperança. O futebol já se joga, a bola rola, os jogadores entregam-se, os treinadores dedicam-se mas o espectáculo não é o mesmo. É o possível. E o necessário para a sobrevivência. Futebol sem público é treino. E treino só tem emoção para os envolvidos. E não é muita. E que o espectacular pontapé de bicicleta de Pelé e o penalty defendido por Stalone no filme supra citado, nos faça acreditar que estas crises mundiais se vencem no jogo e com o jogo. E que seja um salto de mentalidade, de arrojo e ousadia que todos nós precisámos para ultrapassar esta fase tristemente devastadora.

Ainda assim os jogos somam-se, os contaminados também mas há que continuar. Da sempre incongruente Alemanha chegam-nos agora notícias de Fritz Keller a responsabilizar a Covid-19 de ser a causa de todos os males. Que os organizações têm que se reformular, que os clubes devem ser mais regulados, de criar tectos salariais para jogadores e treinadores e diminuir comissões a intermediários. Fala assim quem não tem Ronaldo ou Messi. E o que dizer dos 300 milhões de dólares/ano auferidos pela apresentadora Oprah Winfrey? Justo ou injusto? Nada disso. Apenas mercado, e ele vale o que pagam. Os números são sequência da procura. Sr. Fritz, nada disso vai acontecer. Porque não é disso que se trata o problema actual.

Há uma pandemia mundial, vamos arranjar soluções para ela, e não afrontar os restantes intervenientes no futebol que por estes dias tão bem se tem comportado. Se tiver que haver ajustes com certeza. Se as televisões quiserem ajudar fazendo adiantamentos muito bem. Se treinadores, jogadores e agentes aceitarem acordos será correcto também. Mas isto não é lei, é caridade, é vontade de ser solidário, é ajuda. Pois é disto que o Mundo precisa. Altruísmo, solidariedade e cooperação. Não a demagogia de estar em posições de decisão principescamente pagas, olhando de cima para baixo como é tanto habitual nesta Europa central, e vociferar medidas avulsas desprovidas de contexto só para criar impacto. Acção e não reacção, valorização e não diminuição, projecção e não regressão. "Solução" está bem, está bem, para confusão já basta assim ...»
(Artur Fernandes, Agente Nada Secreto, in Record, hoje às 15:38)

Um golo magnífico!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Publicar um comentário

PUBLICIDADE