terça-feira, 20 de setembro de 2016

Até acho que JJ nunca mais cairá na asneira de ir almoçar no Olimpo!...


Jesus e André no mundo real

Acabou o conforto para o ponta de lança do FC Porto e para a versão falada do Sporting


«1 Por falta de dinheiro ou por opção, o Porto apostou em André Silva e num suplente que lhe fizesse pouca sombra. Essa escolha implicava jogos como o de ontem, em Tondela. E também supunha que André fosse elevado ao Olimpo quando funcionasse e atirado ao poço quando a baliza lhe fugisse. O momento chegou: ou ele cerra os dentes e aguenta o que aí vem ou não é o jogador que o Porto imaginou (ou que, por falta de alternativas, quis muito que ele fosse). Aguentar, já agora, é um verbo ambíguo. Significa que André tem de resistir à depressão e às críticas, mas também ao deslumbramento que já o faz pegar na bola e procurar mais o drible do que a tabela. Se o colega Depoitre não for (muito) melhor do que mostrou ontem, a época do Porto dependerá disso, como a anterior dependeu de Aboubakar. Já agora, sábia decisão a de manter Adrián López na equipa.

2 No Olimpo, almoçando com os deuses, estava também Jorge Jesus, herói e mártir de Madrid. Uns degraus abaixo, na mesa das crianças, sentava-se o resto da equipa do Sporting. Acredito que o ataque de egomania ("a diferença, na minha equipa, está no treinador") que acometeu o mestre da táctica anteontem se destinasse apenas a picar os críticos, mas tendo a concordar com o colega dele João Alves quando diz que os jogadores não gostam de ser desvalorizados assim. Ontem, Nuno Capucho foi melhor do que Jesus, que sempre perdeu jogos (e campeonatos; e finais) e continuará a perder, pela mais simples das razões: não está sozinho no mundo. Há sempre um Rio Ave que também tem perninhas para jogar e cerebrozinho para pensar.»
(José Manuel Ribeiro, Opinião, in O Jogo)

Na "mouche" sim senhor, esta crónica do director de O Jogo, em que apenas não compreenderei a sua confissão de tender a concordar com João Alves, quando a imagem que na verdade teve a felicidade de encontrar, aquela de "uns degraus mais abaixo, na mesa das crianças, se sentar o resto da equipa do Sporting", ser um verdadeiro hino à sagacidade! É minha intuição profunda que o jogador de futebol aprecia e compreende melhor "contos para crianças" do que obras de literatura clássica! Mas isto sou eu a pensar!...

Até acho que JJ nunca mais cairá na asneira de ir almoçar no Olimpo!...

Leoninamente,
Até à próximo

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE