sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A gente vai continuar...


A LESÃO DE JONAS

«Quando os jornais noticiaram que Jonas ia ser operado a um tornozelo, e que isso implicava uma paragem de 15 dias, torci o nariz: só 15 dias para recuperar da operação a um pé? Num jogador com mais de 30 anos? Mas foi assim mesmo: ao fim desse tempo o avançado regressava de facto aos relvados como titular.

Esta semana, porém, soaram na Luz as campainhas de alarme: Jonas está lesionado no mesmo pé e não deve jogar contra o Arouca. Lembrei-me então do caso de Gaitán. Na época passada, teve uma longa paragem -- e, no jogo em que voltou aos relvados, jogou praticamente até ao fim. Resultado: nova lesão e nova paragem.

Não está em causa a competência da equipa clínica do Benfica. O problema é que uma coisa é a situação clínica – e outra, muito diferente, o bom senso. 15 dias depois da operação, Jonas poderia estar clinicamente curado na lesão no tornozelo – mas não estava psicologicamente refeito. De certeza, tinha receio de meter o pé operado. De forçar o arranque. E não colocava a bota no chão com a mesma confiança.

Por isso, lançar jogadores em campo depois de lesões complicadas, como se nada tivesse acontecido, é um risco. É certo que eles querem jogar e dizem que estão bem. E clinicamente estarão curados. Mas mentalmente poderão não estar, por muito que pensem o contrário. 

Repito: entre a medicina e o bom senso há uma diferença. A medicina só leva em conta factores objectivos – enquanto o bom senso pondera factores objectivos e factores subjectivos. Assim, em muitos casos, é o bom senso que deve prevalecer. E esse papel cabe ao treinador.»
(José António Saraiva, Futebol à Portuguesa, in Record)


José António Saraiva, ter-se-à esquecido de acrescentar que o "bom senso", em termos profissionais, sempre aparece associado ao conhecimento, à experiência, ao domínio das mais variadas vertentes da profissão em causa, enfim e numa palavra, à competência que cada um possui para o desempenho da sua função!...

Mas mal saberá ele, JAS, a sarna que vai arranjar com esta sua despretensiosa - terá sido mesmo despretensiosa? - crónica! E essa sarna estará exactamente nos antípodas da insuspeita, natural e justificada comiseração, que me faz rir às bandeiras despregadas, quando os pasquins do regime tecem loas à competência de Rui Vitória!...

Certo que Jorge Jesus terá perdido uma boa ocasião para estar calado quando afirmou há pouco mais de um ano, não reconhecer ao treinador lampião qualidades suficientes para o considerar seu colega. Com as suas reconhecidas limitações culturais e outras destas decorrentes, o seu discurso, mesmo com as recentes e substanciais melhoras que se vão notando, mostra-se por vezes desadequado em termos de escolha de vocabulário. Quando disse o que disse, por saber o que muitos que depois o criticaram ainda hoje desconhecem mas que devagar, muito devagarinho, vão chegando ao domínio público, ele deveria ter dito à boa maneira portuguesa que Rui Vitória ainda teria de comer muito sal até se lhe poder comparar!...

Hoje JAS vem dizer o mesmo nas entrelinhas da sua crónica. Mesmo sem o dizer de forma explícita, só os néscios negarão tamanha evidência: Rui Vitória é ainda um treinador particularmente limitado em termos de uma boa fatia do conhecimento que deveria exigir-se a um treinador do Benfica! Ter sido campeão na época passada ficou a dever-se a um conjunto de circunstâncias porventura irrepetíveis, que exactamente o "bom-senso" me impede de trazer para aqui agora. Mas estou absolutamente certo que o futuro o confirmará!...

E JAS, talvez por elegância e respeito para com o profissional, entendeu não acrescentar a Jonas, todos os outros 13 casos de lesões recentemente acontecidas no plantel do Benfica, de que todos terão conhecimento através da CS e que apenas os 14 milhões de benfiquistas parecem ter optado por ignorar. Da mesma forma que no passado ignoraram os padecimentos de Eusébio e mais recentemente de Mantorras, ambos com as carreiras encurtadas pela subordinação do bom senso à jactância congénita que sempre viveu e continua a viver do outro lado da nossa rua e que atropelou e continua a atroplear as mais elementares regras da decência e do respeito pela pessoa humana!...


A Gente Vai Continuar

Jorge Palma


Tira a mão do queixo não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas pra dar
E enquanto alguns fazem figura
Outros sucumbem à batota
Chega a onde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
A liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo...

A gente vai continuar...

Leoninamente, 
Até à próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE