sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Bruno de Carvalho está a mudar o Sporting!...


BRUNO E JESUS MUDARAM O SPORTING

«Causou impacto a forma como o Sporting se movimentou no mercado. Não foram apenas as vendas de Slimani e João Mário, que produziram receitas destinadas a pagar passivo bancário e a reorganizar melhor as contas e, também, a fazer uma nova ponderação relativamente a reinvestimentos para a sua principal equipa de futebol; foi também a forma como os ‘leões’ chegaram a jogadores altamente improváveis, como Campbell, Markovic ou mesmo Elias. E foi também o ‘braço de ferro’ travado por causa de Adrien e as apostas em jogadores que, não sendo de primeira linha, são alternativas interessantes aos agora ‘titulares’, considerando uma temporada longa e exigente, no plano nacional e no espaço europeu (Champions e, eventualmente, Liga Europa).

Muita coisa mudou desde que Bruno de Carvalho chegou ao Sporting.
Muita coisa mudou, igualmente, desde que Jorge Jesus chegou a Alvalade.

Não há comparação. O Sporting tinha-se transformado num clube amorfo, muito dependente de forças externas que ali chegaram a construir um recreio para se divertirem, e, por isso, também subserviente. Bruno de Carvalho estava à espreita, como sportinguista militante, sportinguista de base com aspirações presidenciais e gizou um plano para chegar às cúpulas. Esse foi o seu primeiro momento de sucesso. Desbancar (também com a banca e com a importante ajuda da Holdimo) uma ‘cortina de seda’, atrás da qual se escondiam os actores de uma certa linha menos futeboleira, chamemos-lhe assim, incapaz de encontrar o rumo certo para um clube que, mesmo não perdendo representatividade, estava a perder pujança e fulgor e, com isso, a distanciar-se de uma posição cimeira no futebol português.

Bruno de Carvalho ainda não tem 4 anos de presidente do Sporting. É jovem e é um jovem presidente. Desde logo, espetou as garras. Não se trata apenas de um estilo. A idiossincrasia vale muito, claro, mas nesse ‘rugido’ houve muito de estratégia. Bruno de Carvalho quis fazer-se notar, não apenas por mera sede de protagonismo, não apenas porque gosta de notoriedade, mas também, repito, por questões estratégicas. Ele sabia que, mesmo sendo às vezes impopular, excessivo, essa seria a única maneira de fazer passar a mensagem segundo a qual o Sporting não estava condenado a fazer figura de figurante e não aceitava mais ser o segundo ou terceiro ‘grande’ de Portugal. Cometeu muitos erros e excessos, mas é — com o importante desbloqueio de Álvaro Sobrinho, ainda no tempo de Godinho Lopes — o grande obreiro do ‘leão activo’.

Na sua (dele) concepção, era o tempo de cometer excessos, ser criticado por isso e, se possível, persistir e resistir. Arrumou a casa, fez um esforço para equilibrar as contas, contratou treinadores que, à altura da contratação, eram mais do que promessas do futebol nacional (Leonardo Jardim e Marco Silva) e, numa altura sensível de avaliação do seu desempenho presidencial, teve um ‘golpe de mestre’ e investiu na aquisição de um treinador que ele sabia ser capaz de transportar para dentro do terreno toda a ambição plasmada no projecto: Jorge Jesus.

O Sporting tinha finalmente um presidente activo em todas as frentes, ainda incompleto mas disposto a ir à luta num futebol dominado por outras forças e influências, e um treinador capaz de aumentar o rendimento dos jogadores — a especialidade de Jorge Jesus. A época passada não foi a expressão máxima dessa conjugação de esforços (porque não chegou para o título) mas esteve perto disso. A equipa passou a jogar mais e melhor, os jogadores a mostrarem outro rendimento (Slimani, Adrien e João Mário são evidentes casos disso) e Alvalade passou a registar um ambiente completamente diferente.

O Sporting perdeu, neste fecho de mercado, o seu jogador mais decisivo: Slimani. O mais difícil de substituir. Um ponta-de-lança como Slimani deveria ter outra cotação de mercado e, aqui, no meio de tanta (e quase sempre desajustada) inflacção entram outros factores. O Leicester comprou barato e veremos como o Sporting se comporta neste processo de "desslimanização" do seu ataque. A verdade é que fez um esforço de compensação com Bas Dost, Castagnos e André — e ainda garantiu o concurso de Campbell e Markovic. Há muito tempo que não se via o Sporting tão ‘em campo’ e a forma como Bruno de Carvalho geriu o ‘dossiê Adrien’ demonstra firmeza e ideias bem definidas.

Bruno de Carvalho e Jorge Jesus não podem estar sempre de acordo, mas — mesmo na divergência — constituem uma equipa forte. O tempo, as conjunturas e as realidades desgastam as relações, mas um e outro sabem que, depois de uma temporada quase fantástica, esta é a época em que ambos podem ficar na história. O Sporting, internamente, ainda se debate, mas, no exterior, começa a fazer-se respeitar. A capitalização desse salto qualitativo e quantitativo é um jogo de paciência e o plantel, neste momento, pode ser gerido para ter sucesso em várias frentes. 

Não tenho dividas de que Jorge Jesus vai saber colocar a ‘nova equipa’ a jogar. Em quanto tempo?...»
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)

Como sportinguista desde que me conheço e com opinião formada, convicta e crítica q.b. sobre a personalidade de Bruno de Carvalho, a quem por duas vezes entreguei a responsabilidade e a força dos quatro votos que os estatutos determinam à minha condição de associado desde 1993, não fecho os olhos à realidade que constitui uma significativa franja de sportinguistas não se rever na figura do actual presidente.

Esta crónica de Rui Santos deveria constituir motivo de profunda reflexão de quantos, por motivos que só dirão respeito a cada um, pretenderão fazer a demonstração do seu amor ao clube declarando ódio incontrolado a Bruno de Carvalho.

Não sei se o que vou dizer estará certo ou errado, pelo menos considerando a opinião de uma parte que presumo significativa do universo leonino, mas pouco me importará sabê-lo. É o que sinto e quem no seu legítimo direito discordar de mim jamais será capaz de o impedir ou modificar a minha opinião: Bruno de Carvalho, ao longo dos quase três anos e meio de mandato, nunca cometeu um "crime de lesa-Sporting" que alguma vez se tenha aproximado daquele cometido por Adrien Silva ainda não há muitos dias! E no entanto, penso que a esmagadora maioria dos sportinguistas já se preparou ou irá a caminho disso, para relevar o seu "grave erro" e voltar a aplaudi-lo no estádio José Alvalade como Capitão do Sporting! Apenas porque sente que ele merece!...

Ora se os adeptos do Sporting são capazes de evidenciar tamanha magnanimidade, como se compreenderá algum dia o ódio visceral que vejo descarregado em alguns blogs ditos sportinguistas sobre Bruno de Carvalho?!...

Todos temos defeitos e cometemos erros! Que venha o primeiro com a coragem de atirar a primeira pedra. Por isso não me peçam para comprrender os sentimentos hediondos que vejo por aí declarados a Bruno de Carvalho, por parte de gente que se afirma sportinguista...

E volto ao princípio, para aplaudir a excelente crónica - não confundir com bajulador, alguém que já criticou vários dos seus momentos menos bons! - de Rui Santos, que julgo importantíssimo motivo de reflexão para muitos sportinguistas.

Com as sua virtudes e defeitos, Bruno de Carvalho é o que é! Como qualquer de nós! Mas...

Estará a conseguir o que a quase totalidade da nação leonina julgava impossível: MUDAR O SPORTING!...

Leoninamente,
Até à próxima

8 comentários:

  1. Sem duvida Alamo...e aplaudo tambem a sua tomada de posicao. Apoiantes sim mas acefalos nunca...acima de tudo apoiantes do grande e unico SPORTING CLUBE DE PORTUGAL.

    ResponderEliminar
  2. Sou um "acéfalo" apoiante de BDC, uma vez que apenas me consigo lembrar, verdadeiramente, de JR. Dos tecnocráticos "gestores" que passaram pelo meu clube, oxalá que não mais regressem a cargos diretivos, porque quando comparados ao atual Presidente, são uma irrelevância e um desastre e alguns deles apregoados "gestores" de topo.

    ResponderEliminar
  3. Muito correcta e verdadeira a crónica de Rui Santos. Assim como o comentário do Álamo. Penso que aqueles que persistem, em denegrir a imagem de BdC (infelizmente alguns croquetes chegam ao pessoal) e o seu trabalho em prol do Sporting Clube de Portugal, são cada vez mais vistos pela Nação Sportinguista como MARRETAS, com saudades dos gloriosos últimos 20 anos, em que aumentaram o passivo do clube em centenas de Milhões de Euros e conseguiram o feito, nunca alcançado, de ficarmos em 7º lugar (SÉTIMO LUGAR!) e o consequente afastamento do Sporting das competições europeias! Tenha vergonha!!! A. Oliveira. SL

    ResponderEliminar
  4. Excelente post (mais um).
    Costumo dizer a colegas e amigos sportinguistas e também rivais, que quem nos dera cidadãos portugueses, termos a sorte de encontrarmos alguém para governar o país como o BdC está a governar o Sporting.
    SL

    ResponderEliminar
  5. Disse-o, por alturas da icónica frase... "... O SPORTING É NOSSO OUTRA VEZ" que se poderia, a frase, tornar-se num 'epíteto de uma era' tendo por base a confiança naquele que acabáramos de eleger como o nosso líder... Para fazer balanços de eras e gerações..., estamos muito longe, nem tampouco poderemos ser nós a fazê-lo, porém afirmo desde já, com a confiança que estes quase 4 anos me permitem que estamos na presença de um presidente ao nível da história do clube e acima de tudo, com a importância que o clube necessitava....

    Devemos-lhe, também a ele, já o disse, quiçá o facto de hoje estarmos aqui a falar e respirar SPORTING e isso, de per si... Transporta-o ao pedestal dos imortais...

    Agora, como naquela assombrosa noite do nosso coletivo destino, também digo e repito... "...só isso - como se já fosse pouco - não chega..." porque a canalha continua firme e hirta no intuito de nos destruir CONTINUEMOS SPORTING...

    SOZINHOS POUCO VALEMOS
    JUNTOS SEREMOS IMBATÍVEIS

    SAUDAÇÕES LEONINAS

    ResponderEliminar
  6. Aqueles sportinguenses, como os camaroteiros, não são sportinguistas. Ou fazem-se passar por sportinguistas, sendo de outros clubes, ou perderam grandes tachos, com a subida de Bdc à presidência leonina. Não é possível que um sportinguista ataque o seu presidente por ter cão e por não ter, que é o que eles fazem. São ridículos e fazem mal demais ao clube.

    ResponderEliminar
  7. A pouco e pouco Bruno de Carvalho vai recolocando o Sporting no seu devido lugar, o lugar do tempo dos meus pais e avos e que eu com 40 anos de vida nunca vi!
    O meu voto neste Presidente está garantido!!

    ResponderEliminar
  8. Bruno de Carvalho, pelo que já fez pelo SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, "corre o risco" de se tornar o MELHOR PRESIDENTE de todos os tempos...
    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE