quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

I rest my case!...


AGENTE DE QUEM?

«André Carrillo tinha chegado ao fim do contrato com o Sporting. Estava livre como um passarinho. Estes são os negócios que se querem. Aqueles que saem a custo zero ou muito próximo disso. Mas se o Sporting nada recebeu, o Benfica pagou e não foi assim tão pouco. Ao jogador pagou um prémio de assinatura de 2,5 milhões. Ao agente Elio Casareto, que não teve de negociar com ninguém nem intermediar coisa alguma, pagou dois milhões. E em salários pagará 5 milhões por ano, ao longo de cinco épocas. São 4,5 milhões (trinta milhões em cinco anos) por um homem livre e sem contrato. Se o salário e o prémio se explicam, é bastante mais difícil justificar os dois milhões para o agente, que nada de especialmente complicado teve de fazer na contratação de um jogador sem compromissos. Ou teve?

Olhando para o comportamento anterior de Carrillo e do seu agente e para a estranha disponibilidade de pagar dois milhões a um agente que só teria de atender o telefone para que a coisa acontecesse, há todas as razões para suspeitar que o negócio é anterior. E que Casareto apenas está a ser premiado por ter impedido que Carrillo renovasse com o clube de Alvalade. Por ter, na relação com o Sporting, garantido os interesses do Benfica com a devida recompensa para ele próprio. A má-fé com que este agente e o jogador parecem ter lidado com o Sporting, fazendo tudo para que não recuperasse (como é legitimo) o dinheiro que investiu no jogador, devia servir de aviso ao Benfica. Há hábitos que quando são premiados tendem a repetir-se. Mais estúpido do que isto: cheira-me que o Benfica comprou Carrillo apenas vingar Jesus.»
(Daniel Oliveira, Verde na Bola, in Record)

I rest my case!...

Leoninamente,
Até à próxima

9 comentários:

  1. Nos dez negócios mais rentáveis que realizou até Março de 2015 a Doyen nunca registou um retorno abaixo de 100%

    https://www.facebook.com/financefootball/photos/a.980298255343291.1073741829.975260679180382/1093166820723100/?type=3&theater

    ResponderEliminar
  2. Na mouche este comentário de D. Oliveira.

    ResponderEliminar
  3. Ui, com esses montantes envolvidos se ele tiver alguma lesão grave, ou se não atingir o potencial que se espera para realizar uma boa transferência vai ser bonito vai...

    ResponderEliminar
  4. We rest our case....!!!

    Se calhar sempre é verdade... Há por ai uns chulos....

    I rest my case

    p.s. Não se preocupem com o retorno financeiro... Esse já está garantido... O Veiga cobre...

    SL

    ResponderEliminar
  5. Excelente crónica de DO, este é talvez o único que soube pegar "o touro pelos cornos" como se diz na gíria popular, ao trazer para discussão termos como "agente de quem"? E "Se o salário e o prémio se explicam, é bastante mais difícil justificar os dois milhões para o agente, que nada de especialmente complicado teve de fazer na contratação de um jogador sem compromissos. Ou teve?" Passou a a perna à nossa "brilhante" CS que desvalorizou o óbvio valorizando não assuntos (coscuvilhices de "alcova"), como o carro bloqueado do presidente...

    SL

    ResponderEliminar
  6. A mim custa-me ver partir o Carrillo, - que ele tenha muita saúde -, mas a história um dia irá ser verdadeiramente contada porque, neste momento não se entende muito bem.

    Tenho BdC como um estratega fantástico e como já referi inúmeras vezes como o melhor Presidente do SCP (depois de JR), mas não fico indiferente aos dois "desaires", nomeadamente, no caso Doyen e este do Carrillo.

    A vida de todos é feita de sucessos e fracassos. Nem sempre se ganha. Mas exactamente por isso, devemos ter algum cuidado com as nossas posturas porque todos temos telhados de vidro.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro sr. Carlos,
      So uma nota, diz que BC perdeu no caso Doyen e eu confesso tenho muita dificuldade em ver percas neste caso por accao do Bruno. Pergunto, o que ele perdeu que ja nao estivesse perdido??

      Eliminar
  7. O pior negócio foi o do sporting. Não custa nada admitir. Não se perde a honra por isso.

    Paulo fFerreira

    ResponderEliminar
  8. O melhor negócio foi o do escravocrata. Dois milhões de € sem qualquer esforço...

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE