sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Há qualquer coisa que não bate certo em Alvalade e que urge modificar!...


OBRIGADOS A GANHAR

«...Com os portistas ainda em processo de adaptação às ideias de José Peseiro, a equipa apresenta-se mais solta na frente, sendo capaz de criar mais ocasiões de perigo, mas os últimos jogos expuseram alguns erros na transição defensiva que terão de ser corrigidos. Os dragões correm assim contra o tempo à procura da sua melhor forma e os actuais problemas de lesões no centro da defesa também não ajudam, o que obrigará o treinador a fazer alterações no sector. No entanto, a importância do jogo e a superação individual que normalmente estas partidas provocam nos jogadores, garantem um Porto certamente forte. [...]

O Benfica chega ao clássico igualmente pressionado para ganhar e não deixar descolar novamente o Sporting. Por coincidência, apresenta também condicionalismos no centro da defesa. Já o ataque apresenta-se na máxima força, com Jonas e Mitroglou a mostrarem estar de pé quente. Manterá Rui Vitória os dois avançados frente aos dragões? E como lidará a equipa com a previsível superioridade numérica dos dragões no meio campo? Dúvidas para tirar esta noite. Mas tudo indica que o duelo táctico resultará num jogo aberto, com a bola a rondar as duas balizas, com águias e dragões a tentarem chegar ao golo.

Ao contrário do que aconteceu no ano passado, em que o Benfica apresentou uma postura mais conservadora, porque lhe bastava empatar para manter a liderança, este ano será diferente. Ambas as equipas precisam de vencer e até o empate pode acabar por ser um resultado penalizador. Adivinha-se por isso um jogo dinâmico onde quem marcar primeiro poderá desequilibrar as coisas a seu favor. Por seu turno, o Sporting sabe que pode aproveitar esta jornada para ganhar vantagem sobre um dos rivais, ou até dos dois. Mas tem também um desafio difícil pela frente. As visitas à Madeira são sempre complicadas e o Nacional a precisa de pontos para se distanciar da zona de despromoção. Além disso, as dificuldades sentidas pelos leões em partidas recentes obrigam ao máximo cuidado.[...]

A jogada -- Pontos de passagem

A ideia de que os clubes portugueses têm hoje menos referências é uma discussão presente. E um estudo do CIES – Observatório do Futebol confirma que a liga portuguesa é das que conta um tempo de permanência médio de um jogador mais reduzido: dois anos. O Benfica é o clube com a estadia média mais prolongada (2,63 anos) e esse núcleo duro pode ajudar a explicar o sucesso nas últimas épocas. No entanto, tal como Sporting (2,38) e FC Porto (2,13), está longe de equipas como Bayern (3,70), Real Madrid (3,91) ou Barcelona (4,20). Um assunto para refletir sobre como se gerem os plantéis em Portugal...»
(António Oliveira, Visão de Jogo, in Record)

Pois este leão que por aqui vai deixando umas facécias, não é de intrigas nem hipocrisias: com a maior calma do mundo irá colocar, ao longo dos 90 minutos de jogo, os polegares das mãos - e se me atrever também dos pés! - entre os indicadores e os médios e torcer pelos andrades, como se o fosse desde pequenino! E que aconteça aquilo que os deuses quiserem!...

Já sobre o tempo de permanência médio dos jogadores nos respectivos clubes em Portugal, entendo que AO estará carregadinho de razão. E se aquilo que se vai observando nos benfas e andrades será o lado para onde durmo melhor, já o mesmo não direi em relação ao Sporting, se nos lembrarmos das "prometidas contratações cirúrgicas e pontuais"!...

Há qualquer coisa que não bate certo em Alvalade e que urge modificar!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE