segunda-feira, 25 de julho de 2016

Quem estará a fornecer água, sabão e toalhas a Carlos Tavares?!...




«O João Mário está a gozar um período de férias e não interrompeu as férias por um dia para a apresentação, mas explicou ao clube por que não o fez: explicou ao Sporting que estava longe. O clube fez-lhe um pedido para fazer um esforço, mas não foi possível fazer esse esforço. Agora não percebo de onde vem tudo o resto. [...]

O clube queria homenageá-lo, mas eles justificou que estava longe e que não tinha possibilidades de viajar. Onde está a polémica disto? Não há problema nenhum. [...]

Se ele quisesse criar um braço de ferro, apresentava-se só no dia 10 de Agosto. Mas não vai fazê-lo. Pelo contrato colectivo de trabalho ele tem direito a 22 dias de férias e não vai gozar esses 22 dias. Vai apresentar-se no dia em que o Sporting lhe disse para o fazer. Querem melhor prova de que não há problema nenhum? [...]

Não estamos a perceber nada disto. Ainda vou reunir com o empresário do João Mário para saber o que se está a passar. Não percebemos de onde essas notícias que surgem hoje na imprensa partiram e temos de saber o que está a acontecer aqui. [...]

O jogador não fez rigorosamente nada que pudesse manchar o nome do clube e o pai do João Mário não está aqui para complicar nada. O pai está aqui porque o João Mário lhe pediu para se envolver, para que ele pudesse focar-se apenas na carreira dele. [...]

O João Mário tem tido propostas que o Sporting já recusou e nós não forçámos nada. Nós só nos vamos envolver quando o Sporting quiser negociar alguma proposta.»
(Sérgio Pereira, in MaisFutebol)

A Sporting Clube de Portugal, Futebol SAD é uma sociedade anónima desportiva cotada em bolsa, superiormente regulada pela Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

As acções noticiosas especulativas que desde o passado sábado têm vindo a ser desencadeadas por orgãos responsáveis da comunicação social portuguesa, nomeadamente pelos jornais A Bola e Record, implicando a Sporting SAD e o seu activo João Mário Naval da Costa Eduardo, sugerem manipulação de mercado, que constitui grave infracção ao ordenamento jurídico estabelecido para o sector.

O que espera a CMVM para apresentar queixa junto da PGR, no sentido de que uma presumível manipulação de mercado seja investigada?! O que será que estará por detrás do silêncio, omissão e inacção de Carlos Tavares, ilustre presidente do Conselho de Administração da CMVM?!...

Quem estará a fornecer água, sabão e toalhas a Carlos Tavares?!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Boas questões, amigo Álamo.
    Carlos Tavares será mais um que, se algum dia uma bronca das sérias, virá dizer que "procedeu correctamente, em função das informações que lhe faziam chegar"- como Presidente da CMVM terá sempre as costas de alguém para se apoiar, mantendo-se de pé, sem cair.
    A CS, como se sabe, escuda-se no "sigilo das fontes", o que permite aos jornalistas dizer e inventar, sem receio de que o cutelo da Justiça lhes acerte- o que se compreende, os jornalixos são vivaços e a Justiça é cega...
    Mais cedo ou mais tarde vamos saber a verdade... espero.

    ResponderEliminar
  2. O que se passa é que parece vivermos num País "sem rei nem roque"...

    A CS diz o que muito bem lhe apetece (para vender) e mesmo que seja mentira, não é obrigada a revelar a fontes...nem a assumir as responsabilidades...
    Porque isso "colide" (?) com a liberdade de imprensa...!

    Vivemos num País onde as leis parecem nem existir e cada um afirma o que muito bem lhe apetece...
    E mesmo que isso possa trazer prejuizos a alguém...como diriam nuestros hermanos...
    No pasa nada...!!

    Siga...!

    SL

    ResponderEliminar
  3. Ou melhor a justiça devia ser cega! Se assim fosse, seria imparcial.
    «Na Roma Antiga, a justiça era representada por uma estátua, com olhos vendados, visa seus valores máximos onde "todos são iguais perante a lei" e "todos têm iguais garantias legais", ou ainda, "todos têm direitos iguais". A justiça deve buscar a igualdade entre os cidadãos.»
    in Dicionário Babylon



    Ajustiça foi um aggiornamento que os romanos fizeram da cultura grega, mudando o nome que antes era Témis e Dice.
    Têmis
    Têmis , na mitologia grega, era uma titânide, filha de Urano e de Gaia,. Era a deusa-guardiã dos juramentos dos homens e da lei, sendo costumeiro invocá-la nos julgamentos perante os magistrados. Por isso, foi por vezes tida como deusa da justiça, título atribuído na realidade a Dice cuja equivalente romana é a deusa Justiça.
    Têmis empunha a balança, com que equilibra a razão com o julgamento, e/ou uma cornucópia; mas não é representada segurando uma espada. Seu nome significa "aquela que é posta, colocada".

    romanos

    ResponderEliminar
  4. Já toda a gente sabe quem lhes fornece agua, sabao, toalhas, vouchers, etc... Mas estao todos confortaveis assim

    ResponderEliminar
  5. CMVM Comissão Manipuladora do Vieira e dos Matraquilhos...

    Ainda me lembro da suspensão das acçōes do Sporting quando se especulava acerca da possivel vinda de JJ... O que se entenderia se as outras acçōes tivessem tido o mesmo tratamento...

    PORTUGAL está a saque e nem um título europeu o faz acordar... antes pelo contrário

    SAUDAÇŌES LEONINAS

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE