domingo, 17 de julho de 2016

Acredito também que este possa vir a ser o ano de Gelson!...



O ANO DE GELSON


«Gelson Martins tem, na temporada que agora se iniciou, uma oportunidade de ouro de se tornar num dos melhores extremos da história do futebol português. Qualidade não lhe falta. Apresenta dotes técnicos invejáveis, a velocidade mais do que necessária para quem actua nesta posição e uma cada vez melhor capacidade de decidir o momento de romper, de efectuar o passe fatal ou mesmo de finalizar. 

Não tivesse o Sporting, na última época, muitas e boas opções para os lugares do ataque e o salto decisivo de Gelson Martins já tinha sido uma realidade. O jovem extremo, de 21 anos, mostrou quase invariavelmente a espectacularidade do seu futebol, mas as presenças no onze titular, fruto da feroz concorrência, impediram que se notabilizasse ainda mais e, inclusivamente, discutisse um lugar entre os eleitos de Fernando Santos no último Europeu. 

Com maior ou menor concorrência, com ou sem João Mário, Bryan Ruiz, Markovic ou Bruno César – entre outros que permaneçam em Alvalade, saiam ou sejam contratados –, a verdade é que Gelson Martins não pode perder muito mais tempo e seria até injusto que testemunhássemos tamanho desperdício...»
(Luís Pedro Sousa, Última Sentença, in Record)

A cada meia dúzia ou mesmo dúzias completas de minutos que vejo a equipa do Sporting receber a "faísca" de talento do menino que há 21 anos nasceu na capital de Cabo Verde e que com apenas 15 anos passou a envergar o glorioso manto verde e branco e a frequentar a "melhor academia do mundo", mais se radica em mim a certeza de que as palavras da crónica que Luís Pedro Sousa fez publicar ontem ao fim do dia no jornal Record, estarão muito para além de uma vulgar premonição e ultrapassarão até a mera constatação de uma evidência que a todos se mete pelos olhos dentro.

Claro que perante tamanha evidência, não me passa pela cabeça que Jorge Jesus, que tantas vezes ao longo da época passada de referiu a Gelson como o mais fantástico diamante que alguma vez teve o privilégio de ver "cair-lhe nas mãos", fosse capaz de tardar na lapidação dessa jóia e o fizesse "perder muito mais tempo" de modo a que viesse "a ser injusto que todos nós pudéssemos testemunhar tamanho desperdício"!...

Para além de tudo aquilo que Gelson transporta em si e que muito dificilmente não fará dele "um dos melhores extremos da história do futebol português", existirá um outro dado relevante e novo: já mora nele um sonho tão grande  e uma mentalidade competitiva de tal ordem, que foi capaz de se apresentar nesta pré-época num nível de condição física que choca de modo flagrante com todos os seus companheiros! E a isso não terá sido estranha a palavra e o conselho de Jorge Jesus! Que terão porventura sido "gritados" aos ouvidos de outros, mas que nos dá a ideia de que só terão germinado no menino Gelson!...

Acredito também que este possa vir a ser o ano de Gelson!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. Tenho que repetir o que comentei ontem, no post anterior: Gelson apresentou-se melhor que os companheiros e, ontem também, jogou contra um jogador num patamar superior de preparação, forma e ritmo: Criscito, defesa esquerdo de créditos firmados.
    Gelson apenas marcou um golo, fez um passe para golo e virou Criscito do avesso em mais duas ocasiões. Mais, em duas das ocasiões aguentou o encosto do defesa, antes de centrar a preceito.
    Nós, adeptos, podemos ficar de "água na boca"- e JJ, como estará, que pensará ele do patamar a que este menino poderá guindar-se?

    Alguém precisa de extremos, de grande qualidade? Faça a sua reserva, desde já, no "Laboratório de Alcochete""!

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE