quinta-feira, 28 de julho de 2016

Jorge Jesus não voltará a cometer os erros que lhe vedaram o acesso ao paraíso!...




Felizmente que a muldialmente consagrada revista FourFourTwo não está sediada no Dubai, nem sobrevive à custa da "central de propaganda goebbelsiana do arcanjo Gabriel", da multidão de "trabalhadores à jorna" que enxameiam os "media tugas" e muito menos dos famigerados 14 milhões de alienados amblíopes ostentando vestes quase pornograficamente monocromáticas! Felizmente que no meio do negrume tingido de tão ostensivo, presumido e jactante  vermelho escarlate... ainda há luar!... 

E terá de ser à luz desse bendito "luar" que nos chega da pátria do futebol (LINK), que teremos de beber a "água límpida e cristalina" capaz de nos permitir fugir para bem longe da corrupção e mediocridade que nos querem impôr. Para bem longe do "ouro, incenso e mirra" que os "novos reis magos do quarto poder", em humilhante genuflexão, diariamente colocam no "presépio de uma outra luz", baça, narcotizante, quase negação da verdade a que todos deveríamos ter direito!... 

Jorge Jesus acaba de ser incluído pela FourFourTwo, no "top ten" dos melhores treinadores do mundo. Jorge Jesus é português e o treinador de futebol da maior potência desportiva nacional! E a uma distância tão grande dos poucos técnicos portugueses que a revista apresenta no seu levantamento anual, que qualquer comparação será apenas puro exercício de imbecilidade!...

Mas Jorge Jesus, apesar do reconhecimento de que a credenciada revista inglesa faz eco, saberá melhor do que ninguém, mesmo que na última temporada tenha estado às portas do paraíso, as razões porque não conseguiu dar o último passo. E terá aprendido mais neste último ano, que muito provavelmente em toda a sua já longa carreira! Pelo que, como sportinguista que sou, me anima uma grande certeza... 

Jorge Jesus não voltará a cometer os erros que lhe vedaram o acesso ao paraíso!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. A FourFourTwo apenas dá corpo àquilo que todos sabemos: (mais lugar, menos lugar) Jorge Jesus é um treinador reputado, de grande qualidade, um dos melhores na sua profissão, qualificado para orientar qualquer equipa o topo mundial.
    Por ele e por nós está muito bem onde está, pelo que é favor não incomodar.

    Maaaasssss... (há sempre um "mas" nestas coisas, é "obrigatório" haver)
    Assim, entendo que a revista FourFourTwo avaliou JJ por excesso, pois ter-lhe-á atribuído méritos que não eram dele. Lembro que, não há muitos meses, um sistema, xistrema, cubixema. dubaixema, o que quer que aquilo fosse, reclamava para si próprio as louvaminhas pelo mérito de vitórias e conquistas que vinham sendo endereçadas a JJ.
    Sendo assim e numas contas simples de (sem) cabeça, eu lançava JJ lá para o quadragésimo lugar, colocando o nóvel "sistema" lá para um 5º lugar (europeu, portanto)- o seu a seu dono!

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE