domingo, 31 de julho de 2016

No recato solidário e profundo dos afectos leoninos!...


O LEÃO ESTÁ AÍ


«Depois de um prolongado período de pré-época turbulenta, o leão está aí. Os sinais dados pela equipa, no passado sábado, já apontam para um Sporting capaz de entrar com competência no próximo campeonato nacional. A chegada dos campeões europeus mudou tudo.

Nos últimos tempos, os sportinguistas foram bombardeados com um rol desanimador de derrotas, que mesmo a feijões deixam sempre um amargo de boca aos adeptos e, nesta pré-época, os dissabores, mesmo com a maior tolerância, foram excessivos. A vitória, e em consequência o arrecadar do troféu Cinco Violinos, veio pôr a carruagem no carril. Pujança e triunfos no arranque do campeonato são de alta importância.

O Sporting continua com má comunicação social, está no topo dos clubes com pior comunicação em Portugal. Porquê? Era bom saber. A estrutura leonina tem de fazer uma profunda análise das razões que causam tal situação, sem explicação, num clube desta grandeza e de efeitos terríveis. Nas últimas semanas, os média ‘venderam’ quase toda a equipa de Alvalade. Dos ‘europeus’ não escapou nenhum.

Dia a dia, esperava-se o anúncio da falência da equipa sénior, por não restar qualquer jogador. A rábula do João Mário ultrapassou o surrealismo e entrou em paranóia aguda. É certo que o director de comunicação, de nomeação muito recente, ainda está na fase de conhecer os labirintos da casa, mas é de urgência extrema que aterre neste assunto e dê início a uma estratégia capaz de prosseguir um rumo para a saída deste lamaçal.»
(Alberto do Rosário, Bilhar Grande, in Record)

Creio que Alberto do Rosário se terá espalhado ao comprido na crónica que fez publicar há precisamente quatro horas no jornal Record!...

Não no que se refere ao comportamento do Sporting no Troféu Cinco Violinos, análise com a qual muito dificilmente não haverá um adepto sportinguista que não concorde. Mas a crónica tem duas vertentes e na segunda, que AdR passa a pente fino com palavras carregadas de "chico espertismo" e profunda deselegância para com o novel director de comunicação do Sporting, é que o "espalhanço" me parece não ter explicação possível, a menos que as intenções do cronista pudessem atingir um patamar de perfídia que me recuso a admitir alguma vez possam ser possíveis no espírito de um sportinguista.

Os factos que constata e alinha no seu texto, creio que nenhum argumento conseguirá desmontar. Já o remédio que presumida e quase puerilmente aponta para a cura  da circunstância de "o Sporting continuar com má comunicação e estar no top dos clubes com pior comunicação em Portugal", passar pela "urgência extrema de Nuno Saraiva aterrar neste assunto e dar início a uma estratégia capaz de prosseguir um rumo para a saída deste lamaçal" me parece de um irrealismo e demagogia de tal modo chocantes, que para além de carregar em si, o "chico espertismo e deselegância que atrás apontei, comportará algo parecido com a descoberta da pólvora ou da fórmula resolvente da quadratura do círculo.

Alberto do Rosário por certo estará de regresso das Caraíbas onde terá passado merecidas férias durante todo o tempo que Nuno Saraiva já leva de missão. De outro modo teria dado conta de três importantes vitórias que a meu ver, já poderá contabilizar no seu "curto reinado":

1 - Construir com rapidez e eficiência um inusitado e surpreendente "muro de silêncio" em torno de um presidente desamparado e quase entregue a si próprio desde que foi eleito.

2 - Deixar o forçado ou auto-deportado João Gabriel a contas com a desesperada busca de um mérito que até agora não encontrou, reduzindo-o em três ou quatro curtas linhas, a um silêncio que nem o próprio se atreverá a negar.

3 - Obrigar alguns ditos empresários de jogadores, bem como altas esferas responsáveis da FIFA e UEFA, a colocarem os ditos nas virilhas, não vá aparecer por aí aquela lâmina curva usada pelos capadores do antanho, a castigar qualquer reincidência.

Quanto à "estratégia milagrosa" para amordaçar uma comunicação social alienada e em genuflexão permanente aos DDTs do futebol de que todos conhecemos o nome e a cor, perante uma CMVM a banhos de subserviência  e uma ERC manietada por compadrios e métodos semelhantes, talvez Nuno Saraiva agradecesse que Alberto do Rosário, do alto da sua divina e inatingível sapiência, lhe oferecesse o seu contributo!...

No recato solidário e profundo dos afectos leoninos!...

Leoninamente, 
Até à próxima

2 comentários:

  1. Estando inteiramente de acordo com o seu post, amigo Álamo, permito-me uma pequena ressalva: é que nem na apreciação das melhoras da equipa me parece que Alberto do Rosário esteja a ser justo.
    Entendo eu que não foi esta vitória, que vale tanto como qualquer das anteriores derrotas, que mostrou que a equipa estava a entrar nos carris: foi a exibição colectiva! Essa sim, balsâmica e motivadora.
    Se é verdade que a chegada dos campeões europeus deu um grande acréscimo de qualidade, não podemos esquecer que a anteceder este jogo, houve já 5 dias retemperadores de forças- que o futebol "a sério", "a doer", está aí.

    ResponderEliminar
  2. o Sporting não quer vender os seus melhores jogadores e faz muito bem em não os vender.

    Quem quer comprar, arranja dinheiro, não compra caixas de jornal.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE