terça-feira, 11 de novembro de 2014

Temperar o aço é uma operação exigente e arriscada!...



Julgo que terá resultado óbvia para todos os sportinguistas que me dão o privilégio da sua assiduidade, a intenção que me levou a publicar o texto que intitulei, "Assim foi temperado o aço, em Alvalade". 

Passado pouco mais de ano e meio desde a tomada de posse de Bruno de Carvalho e ultrapassado o espaço de tempo e o estado de graça, em que foi possível celebrar simulaneamente uma imperiosa e drástica austeridade, com a obtenção de um quadro generalizado de resultados desportivos bastante agradável e positivo, eis que o universo leonino começa agora a ser confrontado com o reflexo natural do apertar do cinto, consubstanciado num natural e progressivo acentuar de um decréscimo do desempenho desportivo, generalizado a todas as modalidades, com especial incidência no futebol.

Não será de estranhar por isso, a manifesta bipolaridade a que estaremos a assistir por parte de Bruno de Carvalho. Depois de no final da época passada, na exuberância da juventude e voluntarismo, termos dado conta das suas manifestações de excessivo triunfalismo, temperado com gotas pessoais  de descabido exibicionismo ou mesmo arrogância, face aos resultados conseguidos com meios incomparavelmente inferiores, eis que o vemos agora confrontado com a dura e quiçá depressiva realidade, consequência inevitável, para além de pontuais desacertos comuns a toda e qualquer gestão, da linha de austeridade implementada.

O quadro actual é deprimente e aparece claramente exposto, em Camarote Leonino. Todos aqueles que me lêem com regularidade, sabem a minha posição sobre a linha editorial e presumíveis objectivos do autor. Mas eu não confundo as ideias do autor, que naturalmente respeito, com a competência expressa neste trabalho, que recomendo. A decepção é generalizada e trannsversal, pecando o resultado apenas por não reflectir a situação nas restantes modalidades, cuja carga ainda se me afigura mais negativa., tanto em termos de resultados como organizativos.

É na adversidade que se avaliam os grandes generais. E Bruno de Carvalho, que começou por responder,  muito mal e de forma desabrida, ao actual estado de coisas, chamem-lhe crise se assim o entenderem, arriscando a quebra de laços de solidariedade de repercussões imprevisíveis, parece agora mais contido e reflectido. A meu ver, será fundamental esta nova postura, para que seja capaz de responder a este novo e porventura maior desafio do seu mandato. 

Dizem que haverá males que veem por bem. Eu penso que estará ser temperado o aço em Alvalade! E temperar aço, é uma operação exigente e arriscada!...

Leoninamente,
Até à próxima

14 comentários:

  1. Com o devido respeito de quem há muito se habituou a ler os seus textos e neles beber a paixão e fervor sportinguista com que os inunda, impecavelmente escritos em bom portruguês que faria corar de vergonha (se houvesse) muitos dos escibas que por aí pululam, sugiro-lhe, se me pernite, a seguinte leitura:

    http://oartistadodia.blogspot.co.uk/2014/11/as-criticas-bruno-de-carvalho.html#comment-form

    Pode ser que assim acabe o nervosismo ou mesmo a intranquilidade que parecem ser a nota dominan dos seus últimos posts e direccione a sua pena para a importância do momento que se vive.

    "Caso contrário, estaremos apenas a facilitar a vida a todos aqueles que querem acabar com o Sporting.", como muito bem diz o nosso Mestre de Cerimánias.

    De longe mas muito perto
    Bem haja
    Marco Lopes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Marco Lopes, acolhi a sua sugestão e foi ler o que me indicou. Naturalmente que apreciei o fervor sportinguista e alguma compreensível indulgência que transparece do texto do Mestre de Cerimónias. Mas dificilmente qualquer texto que aponte no mesmo sentido, fará o milagre de alterar o meu sentimento actual em relação ao Sporting.

      Perdoe-me a correcção, mas eu nem andarei nervoso, nem intranquilo. Não serão as palavras adequadas para definir o meu estado de espírito actual. O que ando é muitíssimo preocupado com o Sporting.

      Não sei se para felicidade, se para infelicidade minha, terei conhecimento de demasiadas coisas menos boas que se vão passando dentro de nossa casa e que nem o Mestre de Cerimónias, nem o amigo Marco Lopes, nem a grande maioria dos sportinguistas saberão e que pelo bem do Clube eu nunca trarei para aqui.

      Trouxe para aqui, muito de raspão, a questão da nossa Academia, apenas e só depois da mesma cair no domínio público e não penso voltar a ela tão cedo. Mas o que sei ultrapassa tudo o que já veio para o exterior.

      O mesmo se passará no atletismo e no basquetebol, para citar apenas os navios maiores. E não desejando naturalmente ir mais longe, deixe-me dizer-lhe que só expulsarei esta enorme preocupação que muito faz doer cá por dentro, quando Bruno de Carvalho me demonstrar que está atento às coisas menos boas que se passam, quando for capaz de seleccionar a informação que lhe chega, quando conseguir encontrar o detergente adequado para as nódoas do tecido dirigente que o rodeia, quando, em meia dúzia de palavras menos próprias mas esclarecedoras, deixar de emprenhar pelos ouvidos.

      Continuo a acreditar em Bruno de Carvalho. Com as suas virtudes e defeitos, não serei capaz de catalogar o meu amor ao Sporting, próximo sequer do dele. Acho que isto diz tudo. Mas, meu amigo, infelizmente, não poderei dizer o mesmo de muita gente que o rodeia. Isso sim, isso é que me preocupa...

      Para longe, seja onde for, vai um grande abraço e fortes Saudações Leoninas.

      Eliminar
  2. De Verdoca a 11.11.2014 às 10:29preocupante, muito preocupante!... o nosso "património imaterial" em plena desagregação... está na altura de alguém questionar a liderança do clube sobre qual a estratégia que está a ser seguida... ( e por favor, não nos digam que não podemos questionar a liderança, já chega de autocentrismo bacoco)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Valdemar, questionar a liderança do Clube, sobre a estratégia seguida, será uma coisa, com a qual concordo, e que aqui tenho feito nas vertentes que julgo mais questionáveis, no sentido de corrigir o que me parece mais questionável.

      Já questionar a liderança em si, entendo que o Sporting já ultrapassou esse estágio e que neste momento o mandato de Bruno de Carvalho ainda nem a meio vai. Acho que deveremos continuar a "temperar o aço", pela simples razão de que penso que teremos na mão ferro de muito boa qualidade, a que apenas faltará tempo e paciência para alcançar uma boa têmpera...

      SL

      Eliminar
    2. Bruno de Carvalho entrou num Labirinto criado por ele próprio, do qual não vai ser nada fácil sair. Darei sempre o benefício da dúvida a todos os Presidentes eleitos pelos Sócios do Sporting, mas confesso que aquela primeiro frase após ser eleito, "o Sporting é nosso outra vez" não me caiu nada bem. O Sporting é de todos os Sócios, não é de nenhuma fação em Particular. E por favor não me venham falar da dinastia Roquette, porque muitos Presidentes dessa referida dinastia foram eleitos pelos próprios Sócios do Sporting Clube de Portugal.

      Eliminar
    3. Entendo que chorar sobre leite derramado será tempo perdido: sobre o passado apenas importará rejeitá-lo, não o repetir e deixar que apodreça.

      Sobre o labirinto, de certa forma poderei concordar: não será fácil encontrar a saída, mas recuso considerar que seja impossível! Quando o "aço estiver convenientemente temperado", os erros não serão repetidos e o Futuro poderá ser mais risonho...

      Eliminar
  3. Ainda há pouco quando vencemos no Ladrão,para a Taça de Portugal, rasgaram-se os maiores elogios a esta equipa, este treinador e este presidente: e agora já está tudo mal?!
    O que faz a bola não entrar mais vezes na baliza adversária do que na nossa! Será que o país não tem grandes dificuldades? No Sporting teria que ser diferente? O Carnide e o Porco não têm dificuldades?

    Muitos sportinguistas ligam demais ao que dizem os nossos adversários e os nossos adeptos ou melhor dizendo, pseudo adeptos.
    Era óbvio que o sporting teria que passar por uma fase de inanição competitiva.
    Estou tranquilo: o primorrdial nesta fase é ter as contas equilibradas. Espero que não se caia na asneira de se gastar, em janeiro, dinheiro que não se tem em centrais ou afins. O nosso percurso faz-se caminhando. E o caminho terá muitas ervas daninhas: Brunos Esteves, Capelas, Motas,Duartes Gomes etc., e ainda os sportinguistas apócrifos.
    Percebi quando o presidente disse que éramos candidatos ao título; e seríamos se não tivessemos que lutar contra os sistemas. O Sporting necessita de ganhar títulos para se manter como clube grande e arregimentar os miúdos para a sua causa. O problema é que não posssuimos, nesta conjuntura adversa, as condições para obter êxitos desportivos. E isto mesmo se tivessemos grandes jogadores, pagos a peso de ouro.
    A nossa obrigação, no concernente à principal equipa de futebol, é terminar em terceiro lugar. O que surgir acima disso é ganho.
    Cumprimentos e obrigado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me custa concordar com o seu comentário, caro Caverna da Luxúria!, muito em particular com o último parágrafo. Mas para que possamos concretizar esse objectivo, teremos necessariamente que corrigir a alça e colocar o tiro, pelo menos, dentro do alvo...

      Cumprimentos e SL

      Eliminar
  4. Caro Álamo, tenho-lhe pedido que introduza legendas nos seus posts para as pessoas menos ágeis, e quando li este post pensei que possivelmente teria pensado em mim (eu sei que é um pensamento imodesto, mas não pude evitar).
    Eu creio que tem toda a razão, pelo menos como eu vejo. A juventude do nosso presidente, na idade e na função faz com que cometa alguns erros que só a experiência lhe permitirã corrigir. Entre esses potenciais erros vejo o excesso de comunicados que apenas diminuem a eficácia da comunicação e o disparar contra todos os lados, sem ter um inimigo principal identificado.
    Mas a juventude do presidente é um defeito que infelizmente não se estende a todos nós. O ponto mais baixo da intervenção presidencial, na minha opinião foi o discurso das nádegas que não está ao nível do presidente do Sporting Clube de Portugal. O que me chocou foi o conjunto (milhares?, milhões?) dos nossos consócios que vieram aplaudir com ambas as mãos o discurso. E a questão que levanto é a seguinte: Agora que moral teremos para criticar os nossos adversários quando estes vierem com discursos de m*rd*?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Asdrubal Silva, como na saudosa "batalha naval" que jogávamos em miúdos, também vamos assistindo no Sporting a alguns "tiros na água"! Mas também teremos de reconhecer que já afundámos alguns submarinos e contra.torpedeiros!... Chegará o dia em que também mandaremos as fragatas adversárias para o fundo, para então centrarmos o nosso fogo sobre o porta-aviões adversário (leia-se 'sistema'). Até lá, cá vamos nós "temperando o aço" dos obuses, enquanto não chegam os mísseis...

      Eliminar
  5. Direi, desde já, que sou o primeiro a reconhecer e a identificar - até pelo meu triste e incontornável pessimismo natural - as lacunas que sempre vou vendo no SPORTING CLUBE DE PORTUGAL... Na sua organização, nas suas equipas... Acho sempre que podem fazer melhor..., que mesmo a ganhar dez-a-zero devem ter melhor performance... Não sou um estratega... nem consigo, durante a acção, ver, nem para lá, nem para cá, do presente... do momento do jogo... daquela jogada menos conseguida...

    Dito isto... penso que a co-relação dos resultados actuais com as classificações... neste momento da época... não serão assim tão calamitosos... com a triste excepção da segunda liga e dos juniores... Tudo o resto, repito, neste momento da época... nada me parece irrecuperável...

    E, pelo contrário...., no caso específico do futebol profissional (1ª equipa) e remetendo ""apenas"" à última jornada da liga... aqueles 8 pontos deveriam ser apenas 4... (e tão diferente que isto era... se houvesse idoneidade e gente séria) Na Champions... os 4 seriam, no mínimo 3 de atraso para o primeiro lugar e com uma luta, em vantagem,cara-a-cara com os alemães...

    No hoquei... vejo um "brilhante" atraso de três pontos de uma equipa que só vai no seu 2º ano da era moderna. No futsal é um atraso circunstancial, no andebol.. é ali taco-a-taco...

    Enfim... serão perspectivas, obviamente... a minha é esta....

    O que importa acima de tudo - E ISTO É PARA MIM O CERNE DA QUESTÃO - é não deixarmos que nos vençam, principalmente fora-de-campo... (não agora...) pela hipocrisia da discórdia interna.. quando ela vem directamente de origens bem demarcadas e com um alvo apenas... NÓS... o verdadeiro SPORTING.... os sócios e adeptos...!!! É aqui que eles sabem estar a nossa fraqueza... pelo passado recente... pela facilidade em nos desunir... pela deriva de poder que sempre existiu por estes lados...!!!

    Vejamos o que se passou esta semana... Depois de uma jornada - mais uma - ASSASSINA dentro de campo... alguém está a discutir estas questões... (ai se fosse ao contrário....!!! eram páginas inteiras de milionésimos de milimetro do Montero em fora-de-jogo...) Não... claro que não... Aparece um lacaio...., um bastardozito de m**** a dizer que o Sporting vai instaurar processos disciplinares só... aos dois mais importantes jogadores da equipa... e a mais um que até se tem saido bem ultimamente....!!! E claro... o "velho e caduco" sporting volta num ápice... A discussão altera o azimute para o que NÃO interessa.... ou por outra... interessa a muitos... mas não seremos nós o SPORTING CLUBE DE PORTUGAL...

    ATENÇÃO.... Não nos deixemos levar por isto.... Somos "Opinion Shooters" não haverá pretensões a mais.... mas lá que 'eles' vão lendo isto... disso não tenho a minima dúvida e não podemos deixar que usem este(s) espaço(s) como veículos fomentadores de discórdia... ou que lhes demos ideias para que desenvolvam teorias conspirativas... que alimentemos o voraz ódio dos chacais...

    Demoraremos a destruir, num milésimo de segundo, o que levou horas a construir...!!!

    JUNTOS E UNIDOS - CONTRA TUDO E CONTRA TODOS - SÓ ASSIM PODEREMOS ESPERAR QUE ALGO MUDE... Será muito complicado... mas não lhes demos lenha para "nos" queimarem...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo ZE, permita-me que repita um trecho do seu comentário: "... Somos "Opinion Shooters" não haverá pretensões a mais.... mas lá que 'eles' vão lendo isto... disso não tenho a minima dúvida e não podemos deixar que usem este(s) espaço(s) como veículos fomentadores de discórdia... ou que lhes demos ideias para que desenvolvam teorias conspirativas... que alimentemos o voraz ódio dos chacais..."

      Agora a explicação desta citação do seu comentário. ontem recebi um mail de um visado num dos meus últimos textos que, aceitando liminarmente o meu direito de crítica ao seu trabalho jornalístico, me pedia, civilizadamente, para retirar do blog a sua fotografia, que eu havia colocado sobre a abertura da minha crónica. Sintomático daquilo que o amigo diz, e de que os "chacais" depois de cometerem os "crimes" ficam assistindo de longe, à espera que as vítimas se imobilizem... Estarão redondamente enganados com Leoninamente: nunca nos verão imobilizados, assistindo ao triunfo das suas pérfidas manobras!...

      Desta vez, retirei a fotografia. Amanhã não sei se o farei. Porque todos os bois têm nome e quem não quiser ser lobo que não lhe vista a pele...

      SL

      Eliminar
  6. Parece evidente que o presidente não está contente com a atitude da equipa no campeonato, e tem razão para isso. Podemos é discutir a forma como o fez, mas isso está mais do falado.

    É certo que há desgaste, mas também há um padrão de displicência na maneira como a equipa encara certos jogos em Alvalade, e essa atitude custou-nos demasiados pontos. Foi assim contra o Belenenses e contra o Paços de Ferreira, jogos em que mesmo não estando a 100% o Sporting tem obrigação de vencer. Contra o Arouca a diferença foi não ter estado em desvantagem porque o Arouca é uma equipa fraca, mesmo assim o Sporting só conseguiu marcar mesmo no fim do jogo. Já com o Marítimo a entrada na segunda parte foi tão lamentável, que chegou a pairar o pânico de uma (impensável) reviravolta no marcador.

    As razões desta (falta de) atitude só quem está lá dentro saberá, mas poderá ter a ver com falta de convicção na candidatura ao título pelos jogadores, apostando mais na sua valorização pessoal através das exibições nas competições europeias. Para o que contribui também a falta de rotatividade na equipa, pois se um jogador sentir o seu lugar em perigo pela concorrência, não pode escolher os jogos em que quer dar o "litro", e se ficar no banco, ou na bancada, depois nem joga na Champions, ou na selecção.

    Toda a gente fala nos famosos jogos mentais do Mourinho, mas as pessoas esquecem-se que ele tem sempre plantéis com profundidade à sua disposição para poder espicaçar os jogadores e ameaçá-los com a perda da titularidade caso não se empenhem nos jogos menos vistosos. Já em clubes com plantéis curtos, tal ameaça é menos credível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro "anónimo das 15.54", concordo inteiramente com o seu comentário. Haverá culpas repartidas por todos, começando pelo Presidente e acabando nos atletas, sendo que sobre os ombros de Marco Silva, recairá a fatia maior, porque é o gestor directo, tanto da prestação/empenhamento dos atletas, quanto do modelo de jogo que tem estado na origem de tantos inêxitos.

      Temos vindo a sentir nos últimos dias/horas, alguns indícios de que soprarão em alguns sectores nevrálgicos, ventos mais ou menos fortes de mudança. Mas só o tempo ajuizará sobre os seus efeitos...

      Talvez hoje às 21.30 na SportingTV, possamos ter a possibilidade de ver correr algumas cortinas que não nos têm permitido uma visão mais clara...

      Eliminar

PUBLICIDADE