domingo, 16 de novembro de 2014

Celebrar vitórias naturais, de forma... natural !...



Não é sportinguista, mas é meu amigo e ambos nascemos entre pinhais, vinhedos e milheirais de um pequeno naco de terra onde, há muitos anos, segundo história ouvida em criança, uma velha, depois de longas caminhadas de tempo e cansaço a carregar lenha para o Largo Maior, costumava acender uma fogueira monumental na noite de S. Silvestre, cujas labaredas eram vistas a muitas léguas de distância. E a tradição decretou o nome da terra onde nasci: Fogueira!

É o Mário Sérgio Alves Nuno, o homem que concluiu a abóbada do edifício carinhosamente construído pelas duas gerações que o antecederam - a Quinta das Bageiras! - e hoje é o responsável pela produção de todas as medalhas que a mim próprio imponho, em todas as mais importantes vitórias do meu grande amor: o Sporting de Portugal!

Os que acompanham com alguma assiduidade, este meu vício leonino de escrever, lembrar-se-ão daquela garrafinha de Espumante Bruto da Quinta das Bageiras que está sempre de reserva no frigorífico, para os grandes dias, à espera de uma vitória. Quando as vitórias acontecem, a rolha salta com estrondo e depois da celebração, pouco restará do néctar. Se em vez da alegria sobra a tristeza, a morte da garrafa fica anunciada para o dia seguinte ao almoço, em honra do produtor de tão sublime dádiva, que não pode, sob nenhum pretexto, ser desperdiçada e ficar a "arrefecer" no frigorífico!

O que Mário Sérgio nos oferece, é diferente, porque com ele não há lugar a artificialismos. Os espumantes e os vinhos de mesa, brancos, tintos e rosés, resultam apenas daquilo a que a natureza e a sua arte incomum, conduzem. Por isso não estranhem a palavra que usa com orgulho justificadíssimo: natural! Tudo na Quinta das Bageiras é natural! Não há truques, simulações, dribles, cuecas ou fintas de "brincas-na-areia"! Por isso, quando se leva o copo ou o flute à boca, a gente sente-se no meio das vinhas de Mário Sérgio e celebra como se fora um golo de CR7.

Anda hà "séculos" para implementar o seu site, que até agora não tem passado do frontespício, com "nota azeda" de... em construção. Nem parece dele. Mas também o Sporting nos faz esperar tanto tempo pelo Marquês e não deixa de ser grande, tão grande como os maiores da Europa! Como ele, Mário Sérgio!...

Mas além do Google ser quase tão amigo dele como eu, enquanto o site não arranca, podem procurar por aqui, se quiserem confimar a minha verdade sobre a Quinta das Bageiras e comprar, na certeza de que depois de provarem, nunca mais "largarão o osso"! 

Tudo para agradecer a Mário Sérgio, com um abraço, o enorme prazer que tenho em celebrar uma vitória do Sporting de Portugal, com um Bruto da Quinta das Bageiras, e de ter nascido como ele, na humilde Fogueira!...

Leoninamente,
Até á próxima 

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE