sexta-feira, 15 de abril de 2016

Um diz o que sente, o outro não sente o que diz e apenas lê o que lhe escrevem no papel!...


UM PESADELO TÃO IMERECIDO

«Um verdadeiro pesadelo, eis no que se tornou a viagem do Sp. Braga à Ucrânia, nomeadamente para o jovem Ricardo Ferreira, que acabou por marcar dois infelizes autogolos. Os guerreiros não deixaram de ser uma equipa bem treinada e de méritos, mas o Shakthar foi demasiado forte. E a formação portuguesa parece começar a acusar a época longa que leva nas pernas.

Apesar de ter um plantel equilibrado, a verdade é que o Sp. Braga leva já muito jogo nas pernas e foram muitas as frentes em que se conseguiu manter até o momento. Foi pena terminar esta aventura com uma goleada na Ucrânia. Mas que isso não retire discernimento às gentes bracarenses. Com o que lhe foi colocado à disposição, Paulo Fonseca já está de parabéns. Assim como os jogadores. Dão tudo o que têm.

No Benfica percebe-se que a eliminação frente ao Bayern Munique não deixou marcas. Uma saída honrosa para uma Liga dos Campeões que deu para ganhar muito dinheiro e colocar na montra o produto, a política há muito seguida na Luz.

Fica por saber se Gaitán e Mitroglou não podiam defrontar os alemães ou se o técnico do Benfica preferiu jogar pelo seguro e mantê-los frescos para a liga. Mesmo que o tenha feito, diga-se, entende-se perfeitamente. Mesmo com os melhores o Bayern continuava a ser superior. Mais vale um pássaro na mão do que dois a voar, já dizia o outro. E se há coisa que define Rui Vitória é o pragmatismo. Uma das características que o afastam de Jesus, mesmo que o discurso nem sempre esteja de acordo com a realidade.

Vitória e Guardiola foram de uma enorme gentileza. Soube bem ver as conferências de imprensa. Só não gostei de ouvir Vitória a falar do regresso às grandes noites europeias. JJ esteve em duas finais europeias e uma meia-final. Apagar o passado é tão feio.»
(Bernardo Ribeiro, Entrada em Campo, in Record, às 22:22))


Há noites assim, na vida de um jornalista. Quando se pretende agradar a gregos e a troianos, sai asneira. Quando não se controlam "ódios de estimação" sai borrada. E cai-se no ridículo de dizer uma coisa e logo a seguir o seu contrário...

Uma coisa percebi logo na primeira das muitas leituras que fui obrigado a fazer desta inconsequente e gongórica crónica de Bernardo Ribeiro, até conseguir perceber onde o autor pretendeu chegar: "apagar o passado é tão feio"! Isso percebi, parafraseando o grande e saudoso  Vasco Santana, "perfeitamente"!...

Porque há muito que já percebi que o detergente do arcanjo não consegue lavar as nódoas que Rui Vitória parece ter bem escondidas no carácter e que de vez em quando lhe saem pelas mangas do casaco, como esta do "regresso à grandes noites europeias"!

O Bernardo terá razão quando afirma que haverá características que afastam Vitória de Jesus...

Um diz o que sente, o outro não sente o que diz e apenas lê o que lhe escrevem no papel!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Há sempre uma amenização quando toca às derrotas dos outros... É incrível...!!! Fosse o SPORTING e não faltariam (como não faltaram...) evocações há falta de qualidade para estas andanças, há incapacidade de alguns jogadores para estarem nestes palcos...

    Jesus foi pequenino quando optou, faz tempo, pelo campeonato... Vitória é... pragmático... e, pasme-se "entende-se perfeitamente"... até porque os outros seriam sempre maiores... (bom este 'sempre'... nem sempre o foi - designadamente na última semana...)

    Enfim... é contra esta falta de coerência que eu me debato...

    SIM... GANHAR..., GANHAR..., GANHAR... CONTRA TUDO E CONTRA TODOS... NÃO HÁ ALTERNATIVA...!!! Porém as dificuldades, perante esta gente que polvilha este futebol de faz-de-conta serão inultrapassáveis enquanto continuarmos a alimentá-los...

    Até ver um destes jornaleiros elevar-se contra a obrigatoriedade de responder ao dono... lamento, mas vou pensar da mesma forma... Não me dão alternativa...!!!

    É como em relação aos árbitros... Eles não são incompetentes... Longe, muito longe, disso... São é esquivos...!!!

    p.s. "Um diz o que sente, o outro não sente o que diz" Acho que está tudo... dito...!!!

    SL

    ResponderEliminar
  2. Ó Zé não sejas Inácio, quando comparas Rui Vitória com Jesus em caracter. Como treinadores podes comparar e cada um tem a sua opinião até baseando-se em factos e numeros, agora no resto é imcomparável, um é bronco nas palavras o outro um Senhor. Quanto ao artigo do jornalista acho que é equilibrado e dá a sua opinião como tantos outros.

    ResponderEliminar
  3. É isso tudo e mai nada amigo Álamo, JJ diz tudo o que sente doa a quem doer, enquanto o "pau mandado" do RV apenas lê a cartilha, que o arcanjo lhe põe à frente, andam todos mto enganados sobre o carácter de "anjinho" de RV,enquanto tiver o colinho da CS e da arbitragem, vai-se navegando por águas calmas. Sempre tive cmg esta preciosa premissa: "Nunca te deixes levar pelas aparências, desconfia mais de quem te bajula, do que de quem te critica, pois quem te critica mostra exactamente aquilo com que podes contar, e quem te bajula esconde sempre as piores intenções." Por isso para o bem ou para o mal prefiro pessoas frontais, do que "carinhas de anjo".

    PS:Realmente não há comparação entre JJ e RV, como podemos comparar alguém que dança ao ritmo da sua própria música, com alguém que vai dançando ao sabor da música tocada por terceiros? Incomparável!!!....

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leoa, ou devo chamar de "ovelha"? (sem ofensa mas apenas porque parece que quem segue alguma cartilha será a senhora).Tivemos 6 anos de JJ no BENFICA, sabemos o que passamos com ele para o bem e para o mal, a mão dos 4 para o Manuel Machado, a vergonha com o Totenham, os gritos para os jogadores, foram muitos anos com um homem que como treinador é dos melhores mas como pessoa coitado, foi o que aprendeu na vida, que fazer? . Se gosta do estilo respeito o seu gosto, mas JJ e Rui Vitória é o mesmo que Mourinho e Guardiola, há muitas diferenças

      Eliminar

PUBLICIDADE