quinta-feira, 14 de abril de 2016

De vez em quando no jornal Record, acontece jornalismo!...




Inteiro merecimento para o destaque dado hoje a Adrien Silva, pelo jornalista Vitor Almeida Gonçalves, na edição online do jornal Record (LINK).

Em dia de "carpimento" de mágoas e de suprema exaltação de "vitórias morais", em tempos de excitada glorificação de "cometas e pirilampos mágicos", é reconfortante assistir ao reconhecimento do mérito, do trabalho e da dedicação e ao enquadramento de todos estes atributos naquela plêiade de atletas de eleição que conseguiram ultrapassar o efémero.

De vez em quando no jornal Record, acontece jornalismo!...

Leoninamente,
Até à próxima

P.S. Conforme sugestão, aqui deixo o "copy & past" do artigo:

Adrien na pele de matador
O facto de Jorge Jesus lhe ter dado a braçadeira de capitão traduz bem a importância de Adrien no rendimento do Sporting e dentro do balneário. Mesmo que os leões tenham sido capazes de vencer o Marítimo, na ausência do líder, por castigo, a verdade é que a equipa não é a mesma com ou sem o camisola 23 a imprimir dinâmica nas transições, pelo que o regresso ao onze, frente ao Moreirense, será seguramente uma das melhores notícias para Jorge Jesus na preparação do encontro.
Aos 27 anos, e a lutar por uma vaga no Europeu, o internacional português corre quilómetros, faz a diferença no passe, é um recuperador incansável e, desde 2013, tem vestido a pele de matador, ao assumir um protagonismo invulgar na finalização. Tal deve-se em grande medida ao estatuto de primeiro cobrador das grandes penalidades, mas nem por isso os números perdem peso.
Nível elevado
Contando 2015/16, Adrien está numa sequência de três temporadas a marcar nove ou mais golos – fez nove em 2013/14, dez em 2014/15 e leva nove na presente campanha –, algo que o torna num exemplo único entre médios nos últimos plantéis. Uma forma de avaliar esta realidade é recuperar o desempenho de João Moutinho antes da saída para o FC Porto, ele que foi também capitão de equipa e um dos elementos mais influentes na era Paulo Bento. Ora, a melhor época do agora jogador do Monaco, em termos de concretização, foi 2009/10: nove golos. Antes, tinha feito cinco em 2005/06; sete em 2006/07 e em 2007/08; e quatro em 2008/09. Rendimento interessante para a posição, mas aquém do nível que Adrien tem vindo a atingir desde há três anos.
Aliás, verifica-se uma curiosidade adicional. Moutinho fez 32 golos de leão ao peito, tantos como Adrien soma hoje (28 desde 2013/14 mais três em 2012/13 e um em 2009/10). A diferença está nos jogos de que cada um precisou para chegar a esse total: Moutinho participou em 259; Adrien tem 196, menos 63 do que o antecessor.

No topo de Jesus e perto de Talisca

Médios goleadores no Sporting, em anos recentes, são um ativo raro. Miguel Veloso fez 11 golos, em 2009/10, Matías Fernández marcou 19, entre 2009 e 2012, mas só recuando ao tempo de Pedro Barbosa é possível encontrar três épocas ao nível (ou superiores) do atual capitão, embora não consecutivas. O desempenho do camisola 23 é algo raro, até quando enquadrado no consulado de Jorge Jesus no Benfica. Na verdade, na Luz, com o agora treinador dos leões, só um médio fez mais do que os nove golos de Adrien no presente: foi Talisca, em 2014/15, que marcou 11, ou seja, está a curta distância (com mais três, Adrien passa o brasileiro). De resto, nem nas campanhas mais finalizadoras, Javi García (8), Matic (5), Enzo Pérez (5), Witsel (5), Ramires (5) ou Aimar (7) fizeram melhor.

Só um não foi marcado na Liga

Dos nove golos de Adrien em 2015/16, apenas um foi conseguido noutra prova que não o campeonato. Aconteceu na vitória sobre o Benfica (2-1), para a Taça de Portugal, a 21 de novembro. Os restantes oito golos do médio surgiram na Liga, metade deles de grande penalidade, frente a Tondela, Rio Ave, Sp. Braga e Nacional. De bola corrida, Adrien marcou a V. Guimarães, Marítimo, Académica e Belenenses, este na jornada anterior a ter cumprido suspensão. Restam cinco jornadas que podem permitir ao luso-francês superar a melhor época na finalização (10).

João Mário de pé quente

Se Adrien se pode transformar no médio mais goleador de todos aqueles com quem Jorge Jesus trabalhou, basta para isso fazer três e supera os 11 de Talisca, a verdade é que João Mário também se tem revelado eficaz a marcar.

O camisola 17, que com Jorge Jesus passou a atuar mais sobre o flanco direito, soma seis golos esta temporada, estando neste momento a dois de superar o melhor registo da carreira.

Recorde-se que esta é a segunda temporada do internacional português na equipa principal, sendo que na época passada somou sete golos, com Marco Silva como técnico. Atualmente, com cinco jornadas ainda por disputar, o médio contabiliza seis golos.

NÚMEROS

9 Os golos de Adrien nesta temporada (oito na Liga, quatro deles de penálti, e um na Taça de Portugal, ao Benfica). No plantel do Sporting, só dois jogadores têm melhor registo: Slimani (27) e Teo Gutiérrez (11). Bryan Ruiz fez os mesmos nove golos até ao momento

10 Na época passada, o médio apontou dez golos, naquele que é o melhor registo da carreira. Restam-lhe cinco jogos para igualar ou superar a marca. Em 2013/14, Adrien fez nove golos. Ao serviço da Académica, em 2011/12, faturou por oito vezes

32 O total de golos do internacional português com a camisola do Sporting: 28 desde 2013/14, três em 2012/13 e um em 2009/10 (o primeiro, ao Hertha Berlim). Curiosamente, 32 é também o número de golos que Moutinho fez no Sporting

Autor: Vítor Almeida Gonçalves

12 comentários:

  1. Meu amigo,
    não somos assinantes dessa coisa :-) se fizer o obséquio de criar uma imagem, ou copy+paste da coisa agradeciamos :-)

    ResponderEliminar
  2. Um jogador que foi vilipendiado por Paulo Bento, no que à seleção diz respeito, bem que me parece ser também um mal-amado, pelo atual selecionador. De qualquer modo, o esforço, a dedicação, o profissionalismo e a categoria vêm sempre ao de cima. FORÇA ADRIEN!
    Quanto ao "Rascord" é publicação que não consigo consumir, porque normalmente não fazem jornalismo.

    ResponderEliminar
  3. Acreditando, obviamente, no seu testemunho (não tenho tempo para 'picar' esse tipo de link) tenho a dizer que este post vem, muito na sequência, do último...

    Vamos pegar, p.ex., no caso Cédric... "O melhor lateral direito do campeonato inglês"... bom... já o tinha sido no campeonato português e nem por isso deixou de não ser valorizado nem tão pouco potenciado, p.ex., na selecção...

    É que em Alvalade (para além da incúria por parte dos seus dirigentes) não temos autopromoções externas... e para os pseudo-milhões entrarem é preciso muita estatística objetiva... (vejamos os ingleses p.ex., só por acaso é que os estrangeiros terão de ter um determinado número de internacionalizações para valerem determinados valores ou inscrições inclusivamente...)

    è preciso não esquecer toda a máfia (que tanto debatemos por aqui) na manipulação de toda essa objectividade... ou será subjetividade...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo ZE, objectiva ou subjectivamente, vão demorar décadas a acabar com a "manipulação vermelha"! E apenas se me afigura um caminho que a tal conduz: TÍTULOS E MAIS TÍTULOS GANHOS PELO SPORTING, CONTRA TUDO E CONTRA TODOS!...

      SL

      Eliminar
    2. De títulos perdidos por fatores subjetivamente objetivos estamos todos fartos...

      Eliminar
    3. E, dando como adquirido esse facto e nessa condição, qual a solução que o amigo ZE avança?!...

      Eliminar
  4. Como tb não sou assinante, de qualquer tipo de jornais, agradeço ao amigo Álamo, o copy + paste, finalmente houve um jornalista que se dignou fazer justiça a Adrien e tb a João Mário, penso tratar-se do mesmo Vítor Gonçalves que entrevistou o nosso presidente na RTP3, aí notei-lhe uns certos tiques de parcialidade, (pode ser que tivesse sido apenas impressão minha) mas pronto, que venha a redenção que é sempre bem vinda...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio, amiga Leoa Maria, que estará equivocada. O jornalista Vitor Gonçalves da RTP e o jornalista Vitor Almeida Gonçalves do Record, serão pessoas diferentes. O primeiro esteve durante longos anos em Nova Iorque, como enviado local da RTP e terá cerca de 50 anos. O jornalista de Record, presumo que seja substancialmente mais novo, razão pela qual não consta dos meus registos como ligado de algum modo às nossas cores, embora a forma com trata as questões ligadas ao Sporting me levem a admitir que isso possa ser possível, ou então prezará uma isenção pouco habitual naquela casa...

      SL

      Eliminar
  5. Quanto ao "carpimento" que por ai anda... li, por ai..., uma preciosidade que gostaria de partilhar... dizia mais ou menos isto...

    "O Bayern München foi o primeiro clube da história deste desporto que eliminou o Renato Sanches da Champions"

    Maravilhoso

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem esgalhado e jamais ofensivo ou afastado da realidade! "Ganda Renato"!...

      SL

      Eliminar

PUBLICIDADE