terça-feira, 4 de agosto de 2015

Até porque o favorito é o Benfica!...


Ganhar é o melhor remédio

"Não há conversa de café que não inclua um remoque sobre o actual estado de coisas no Benfica. Foi um final de época cheio de alegrias para logo o defeso trazer à tona uma nova realidade com que alguns benfiquistas têm tido dificuldades de lidar. Se em Alvalade parece haver mais dinheiro do que em anos anteriores, mesmo que isso sejam migalhas quando comparado com o que o FC Porto anda a gastar, já na Luz a instauração de uma política de contenção e a não renovação com Jorge Jesus foi recebida com uma verdadeira onda de choque. Se a equipa não tivesse acusado o toque e a pré-temporada fosse equilibrada, o trabalho realizado, de Vieira a Vitória, seria elogiado. Assim, está a instalar-se a desconfiança.

Mesmo sendo óbvio que o Benfica ainda não perdeu nada, mesmo saltando à vista que os adversários encarnados foram mais fortes do que os do rival, a verdade é que são poucos os que mantêm o optimismo que se sentia após o bicampeonato. O que pode então fazer a nova dupla que manda no futebol encarnado?

A Vieira e Vitória resta uma coisa: ganhar. A Supertaça ainda não se jogou e subestimar o Benfica é a pior coisa que o Sporting pode fazer, sejam quais forem as legítimas esperanças leoninas. Nem Jesus é Deus, nem o plantel do clube da Luz composto por pernetas. Ganhar é o melhor remédio para afastar a desconfiança e resolver todos os problemas. Desde investimentos mal feitos a jogadas feias de bastidores, as vitórias tudo escondem. Caso a derrota se repita no domingo, então a decisão é mais difícil. Voltar a fazer perigar as contas e fazer chegar à Luz dois ou três craques que façam a diferença ou manter a aposta anunciada na contenção para não hipotecar o futuro? É nestas alturas que se fazem grandes líderes. Vieira precisa de Vitória e Vitória de Vieira. A sua sorte está ligada. Faites vous jeux!"
(Bernardo Ribeiro, Entrada em Campo, in Record)

Também já ontem dizia Paulo Andrade, com a sua habitual assertividade, da perspectiva que o jogo da Supertaça lhe oferecia:

“Desvalorizo o facto de Jorge Jesus ir defrontar a sua anterior equipa, o que para mim interessa é que é um Sporting-Benfica. Os adeptos têm consciência que Jorge Jesus está em Alvalade apenas há 1 mês. É pouco tempo de trabalho, mas ainda assim temos sentido que a equipa está a melhorar de jogo para jogo. Mas o caso de Rui Vitória é diferente. Parece-me evidente que, em caso de derrota, a administração da SAD do Benfica fica em causa.”

Pois é, pese embora a elegância com que jornalistas, cronistas e comentadores reconhecidamente afectos ao Sporting têm vindo a demonstrar, lição que bem deveria ser apreendida por quantos que, de canisola vermelha envergada, em circunstâncias inversas, sempre mijaram em quem estava na valeta, o facto é que vai uma onda de terrivel e inopinada descrença nas hostes da recentemente recenseada - pela "central de propaganda goebbelsiana do arcanjo gabriel" - grande nação benfas de 14 milhões! Caramba, até na valeta nunca deixam de ser cagões! Nada a fazer!...

Mas aqui para nós, que ninguém nos ouve, cá entre os modestos 3 ou 4 milhões, se os nossos leões tiverem um dia menos bom ou o senhor do apito for um qualquer "paixão, talhante ou quejando"em vez do primeiro classificado da época passada  e a vitória não for conseguida, ninguém morrerá por isso e a vida continuará, tranquilamente e com a mesma fé e esperança no trabalho de Jorge Jesus.

Até porque o favorito é o Benfica!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Caro amigo Álamo,

    Tu, com a tua pena mordaz e inteligente, escreves normalmente coisa certas e justas. Mas hoje quero-te deixar duas críticas. Uma à laia de recomendação / prevenção; outra de caracter.

    Quanto à primeira: quase todos nós, leões, andamos “nas nuvens” devido à esperança que o crescente desempenho da nossa equipa nos dá, e comparando com o triste espetáculo dos vermelhos na sua “caça aos dólares” pelas Américas, já só admitimos a vitória na Supertaça.
    Mas não nos podemos esquecer da enorme capacidade do clube do Alto dos Moinhos e, especialmente, que fizeram a sua digressão tremendamente desfalcados. Nesses jogos não foi possível alinhar nenhum membro da APAF, quer de cara à mostra, quer disfarçado de nomeador ou observador. E com este interregno sem se poderem exibir eles aí estão prontos a ajudar mais uma época gloriosa, e desejosos de mostrarem serviço. Portanto: pés bem assentes no chão!

    Quanto à segunda (mais grave): é para te chamar egoísta. Compreendo que o espaço é teu, e que queiras manter a casa limpa. Mas, desde que assumiste a guilhotina, o Leoninamente ficou realmente com uma atmosfera muito mais salubre, mas perdeu metade da graça. O que os assíduos nos ríamos com as anormalidades que aqui caiam. Como eu acredito que continuam a chover dezenas de “gaivotices”, guardares só para ti o melhor que a alarvidade tem é um puro acto de egoísmo. Nós também temos direito a rir. É por isso que te chamo egoísta.

    Um forte abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimo Amigo "8": conheces-me suficientemente bem para saber que seria incapaz de ser "pobre e mal-agradecido". Nessa condição posso garantir-te que não caíram em cesto roto a tuas duas recomendações. Assim:

      1 - Creio que me darás pelo menos o benefício da dúvida, quanto a "manter os meus pés bem assentes no chão"! Pois se eu tenho repetido à exaustão que o favorito para a Supertaça é um e apenas um!...

      2 - Reconheço-te plena razão no teu reparo: na realidade, escangalhar-me por aqui, sózinho, com as "gaivotices" que diariamente me surgem - agora menos, agora menos, sem que eu ainda não tenha descoberto porquê! -, será um puro e duro acto de egoísmo. Mas Amigo, terás de compreender que me é muito difícil ser prior de tal freguesia: por um lado os que como tu manifestam o desejo forte de um regresso ao passado; por outro lado, a somar às "violentas pressões" que sofri para "cortar o pio" às galinhas benfas, a quantidade de manifestações de apreço que agora recebo, tendo em conta as milagrosas curas de "acidentes pulmonares", por via da atmosfera saudável que agora por aqui se respira, em contraponto com o nauseabundo odor a "merda de galinha" que por vezes inundava este meu cantinho limpo e agradável da savana...

      Olha Amigo, já nem sei para que lado me hei-de virar. Se eu soubesse como recuperar os desgraçados dos pescoços de galinhas que já guilhotinei, juntava tudo e publicava um livro, cujo título acabas de me sugerir no teu reparo: "gaivotices benfas"! Como sou um nabo em informática, olha vou-me rindo e rebolando pelo chão, de forma egoísta, com as idiotices benfas. Pode ser que lá para Maio, dê umas férias à minha guilhotina!...

      Grande, forte, amigo e leonino abraço.

      Eliminar
    2. Álamo,

      Com a minha brincadeira do egoísmo, tu sabes, que não queria, de modo algum, beliscar-te minimamente que fosse.

      Calculo que agora recebas menos gaivotices, porque, como não as reproduzes, os seus autores não as veem, e eles só as enviavam para depois se virem babar, ao verem-nas publicadas, julgando-se muito espertos. Agora já não lhes dá tanto entusiasmo.

      De qualquer modo eu sou defensor de um ambiente saudável. A minha brincadeira não passava disso mesmo: uma brincadeira com os cacarejos.

      De qualquer modo sou capaz de te deixar uma sugestão: que tal, de vez em quanto, quando aparecer uma daquelas que tens de ir a correr para um urinol, aparecer “the worst of”?
      Assim todos nós também gozávamos um pouco, e relembravas aos fregueses do Leoninamente, que tens toda a razão em pôr os vómitos na guilhotina.

      Abraço

      Eliminar

PUBLICIDADE