quinta-feira, 13 de agosto de 2015

O resto é conversa fiada !...(III)


O medo de Rui Vitória e o computador de Jorge Jesus

"Lê-se e não se acredita. Lê-se de novo. O homem terá dito isto ou foi exagero da imprensa, já se sabe como são os jornais, exagerados por natureza. É melhor ouvir. Uma e outra vez. Espera. Disse mesmo. Disse brevemente, mas disse. O novo treinador do Benfica explicou na flash-interview da RTP, inquirido pelo repórter Luís Baila, sobre o que falhou: "Nós entrámos um bocadinho receosos, quando eu digo receosos é um bocadinho ansiosos também em relação ao jogo..." Quer dizer: Rui Vitória, um treinador inexperiente, novato nestas andanças, entrou cheio de medo e tratou de passar esse medo para a equipa. Resultado: o campeão nacional entrou com medo do terceiro classificado e atormentado pelo facto de no outro banco estar sentado Jorge Jesus, o treinador que durante seis anos fez muitas coisas boas e muitos disparates no Benfica mas que, valha a verdade, nunca teve medo. Jesus pagou aliás, algumas vezes, o preço de não ter sabido jogar em contenção. Não seria medo, mas andava lá perto. Só terá aprendido isso talvez a época passada, por exemplo, contra o próprio Sporting em Alvalade e contra o FC Porto na Luz.

Se o problema de Vitória fosse apenas a inexperiência não seria grave – ele só podia melhorar. Mas não tenho tanta certeza. Aguardemos. Por exemplo, quem o ouviu uns minutos depois, na sala de imprensa, já o sentiu mais seguro mesmo quando explicou o inexplicável, ou seja as mudanças feitas na equipa que não passaram de uma resposta tosca à provocação do treinador do Sporting. Para não ser acusado de não ter ideias, Rui Vitória decidiu apresentar más ideias. É uma escolha como outra qualquer.

Já Jesus esteve igual a si próprio. Fala sempre a mesma linguagem. Costumava meter o Sporting em sentido, desta vez meteu o Benfica. Afinal burro velho não aprende línguas e esta expressão deve, sem qualquer ironia, ser vista como um elogio. Ele ganhou em toda a linha e está a preparar-se para fazer história no Sporting. Meteu o presidente em respeito, a formação para trás das costas, (alguns) sul-americanos na linha da frente – onde é que já vimos isto? – e está a ganhar.

"Eu consegui passar à equipa do Sporting um conteúdo emocional que eu sentia quando estava do outro lado, sentia que quando o Sporting jogava com o Benfica os jogadores do Sporting sentiam-se emocionalmente diminuídos (...) tive de pôr o meu computador a trabalhar (...) se agora és treinado pelo mesmo treinador com as mesmas ideias só podes é sair vencedor." Ou seja ele tratou de convencer os jogadores do Sporting a olharem para o Benfica sem medo, exatamente o oposto que Rui Vitória fez, mesmo que sem intenção, aos seus jogadores. Foi assim antes, durante e depois do jogo. E é assim que estamos à entrada da nova época, basta ler as ondas de choque nos jornais com os nervos do lado do Benfica e a calma do lado do Sporting. Onde pára a estrutura?"
(Nuno Santos, Ângulo Inverso, in Record)


Está bem, oh Nuno Santos! Nem te apercebeste, mas acabaste de cometer o pecado capital do jornalismo: o plágio!...

Sem tirar nem pôr, tantas voltas deste, que acabaste a imitar Rui Vitória: explicar o inexplicável! Ora meu caro, quem não quer ser lobo que não lhe vista a pele!...

O Benfica perdeu a Supertaça, se me permites que te corrija o prisma por onde olhaste para o jogo,  não pelas razões que tentaste impingir aos teus leitores, mas apenas por duas razões:

1 - A qualidade do conjunto do Sporting está num patamar inequivocamente superior ao das águias, facto que apenas uma comunicação social completamente alienada à propaganda benfiquista, não se mostra capaz de reconhecer.

2 - A equipa do Sporting, bem treinada, mecanizada e já com uma clara "ideia de jogo", revelou estar a anos-luz do amálgama de equívocos, erros de "casting" e programação, insipiência ou mesmo ausência de métodos correctos de treino e uma atroz, assustadora e surpreendente incapacidade de liderança.

O resto é conversa fiada !...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Caríssimo Álamo:
    Antes de mais, peço desculpa por não ter assinado o último comentário. Escapou-se-me, como dizia o outro.
    Estou preocupado com o jogo de amanhã. E a culpa tem dois nomes: Vítor "coelhinho" Pereira e JJ.
    JJ pelo pouco planeamento da pré-época: então admite-se, depois de jogos em crescendo de dificuldade, jogar a supertaça com aquela rapaziada dos transportes aéreos? Ele queria o quê? Testar a equipa contra uma de valia igual à do Tondela?
    "Coelhinho" Pereira, pela nomeação do rapaz Xistra. Então, Vítor? Onde é que está a gloriosa incerteza do futebol? Não sabia SExa. Que a malta dos blogues ia logo mostrar que o Xistra já arbitrou dois primeiros jogos de Campeonatos anteriores do nosso Clube, e que tinham sido uma roubalheira dos diabos, um deles em casa e tudo, com o Olhanense?
    Então mas SExa não tem um moço de recados novo? O Orelhudo não lhe sugeriu outro? Ao menos o Duarte Gomes, carago? Esse ao menos até dá garantias de espectáculo antes do jogo, se alguém chutar uma bola na sua direcção...

    Um grande Abraço,
    José Lopes

    ResponderEliminar
  2. Ola Alamo,
    Uma das minhas maiores expectativas para esta epoca reside na quebra de um Mito Hurbano que ganhou muitos adeptos ca no burgo.
    Dei por mim no final do jogo do algarve a falar pros meus botoes com a seguinte questao:
    Que jogadores da equipa deles entravam de caras na nossa equipa??
    Analizando um a um, cheguei ao fim e disse: So 2! Jonas e Gaitan.
    Ah e tal faltam reforcos!! Conversa da treta..
    Fomos melhores colectivamente e SOMOS melhores individualmente.
    Sem a forca do colectivo eles mostraram claramente que anda por ali muita vulgaridade escondida!!!
    Jesus tem melhor mao de obra e estou convencido que vai haver muita goleada dos leoes de alvalade....
    Aquele abraco amigo.
    SL

    ResponderEliminar
  3. Vai ser difícil ver pasquineiros, paineleiros e afins aliviarem-se do jugo do patriarca vermelho, vulgo, Orelhas. Afinal de contas, prestar vassalagem é muito mais fácil e cómodo e, porque não, lucrativo. "Deixá-los falá-los", haja paciência e um paninho para a embrulhar...

    Por isso, não me surpreende que muita gente e gentalha tenha dificuldade em reconhecer -ou apenas dizer, mesmo sem reconhecimento- uma coisa simples e que foi clara: o carnide perdeu porque...o Sporting foi superior!

    Agora virem agarrar-se, por seguidismo às instruções do inefável arcanjo gabriel, a ideias como receio, inexpereiência, etc, etc, só demonstram que, mais um tropeção e,,, o Vitória vai de patins!

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE