sexta-feira, 6 de junho de 2014

O futebol português merece o que lhe está a acontecer !...

O ninho das víboras, ou as nádegas do "sistema"?!...

"... Aos poucos começou a debandada de muitos dos pretendentes, alguns dos quais tinham iniciado bem cedo a caminhada, o que levou a supor, em alguns casos, que o perfil do novo presidente começava a ficar definido.[...]

Agora, a luta eleitoral vai circunscrever-se a Fernando Seara, Rui Alves e Mário Figueiredo, os três mosqueteiros que levam a luta até ao fim, e vão, nos bastidores, desenvolver esforços tendentes a encontrar o consenso que permita uma escolha sem margem para dúvidas.

Embora haja forças dominantes, com Porto e Benfica na dianteira, uma vez que o Sporting já se colocou fora desse pequeno grupo hegemónico, a pequena quantidade de votos disponíveis pode vir a proporcionar a maior surpresa.

Espera-se por um “homem do futebol” para lhe dar uma outra face e ensaiar novos caminhos. Veremos, mais tarde, se não acabará por ser escolhido um candidato que agora promete mudar muitas coisas para depois não mudar coisa nenhuma.". 
(Ribeiro Cristovão, in Bola Branca)

E "acabará por ser escolhido um candidato que agora promete mudar muitas coisas para depois não mudar coisa nenhuma." !...

E continuaremos a ver o futebol português apertado entre as "duas nádegas", sujeito ao cheiro pestilento das "bufas" e sujo em permanência, pela trampa que fluirá do seu ânus! Qualquer que venha ser o vencedor, nada mudará !...

O futebol português merece o que lhe está a acontecer!...

Leoninamente,
Até à próxima

6 comentários:

  1. De certeza absoluta, amigo Álamo de que com estes candidatos, o futebol continuará cada vez mais podre.....entre estes três, venha o diabo e escolha...

    SL

    ResponderEliminar
  2. Na verdade, quer se goste ou não da forma como Bruno de Carvalho se referiu ao estado da Liga Portuguesa, o que ele apenas chamou foi "os bois pelos nomes".

    De qualquer forma, não vamos ganhar nada com o ficarmos de fora. Já percebemos isso do passado e vai ser mais difícil a caminhada com Capelas, Dom Duartes e Xistras a colocarem-nos areia na engrenagem.

    O problema, parece-me, é continuarmos sozinhos nesta luta em que todos preferem ficar acomodados nas suas quintas e que o Sporting tem que continuar a sua luta sozinho.

    Mas, doa a quem doer, goste-se ou não se goste da forma metafórica como as coisas são ditas, acho que a imagem não podia ser mais eloquente e verdadeira, na verdadeira "fisiologia" da frase.

    Como se costuma dizer: "água mole em pedra dura tanto bate até que fura" e um dia a verdade virá ao de cima. Força Sporting.

    ResponderEliminar
  3. O Ribeiro Cristovão de vez em quando "alinhava" umas peças "bem cosidas"...

    E parece-me também que no fim ficará realmente na mesma, porque cada um dos candidatos "...promete mudar muitas coisas para depois não mudar coisa nenhuma..."

    E para que haviam de mudar...se as coisas assim até estão bem...para eles...??
    SL

    ResponderEliminar
  4. Qualquer clube pode subscrever um candidato, da mesma forma que qualquer sócio pode subscrever uma lista, seja de que órgão for, para sufrágio. Tal subscrição não significa que o voto esteja garantido. Na últimas eleição para a liga Mário Figueiredo tinha o apoio de 1/3 dos clubes com os outros 2/3 a apoiar António Laranjo, candidato do sistema. Mário Figueiredo, com escritório de advogados no Porto, seria uma alternativa ao sistema, no entanto tinha excelentes relações com Oliveira e Pinto da Costa. Ganhou contra todas as expetativas, o primeiro ano de mandato foi fenomenal. Tudo se começou a desmoronar a partir do segundo ano...altura em que houveram mexidas drásticas para todos: entrada de Bruno de Carvalho, Benfica Tv, alargamento para a frente e para trás, centralização de direitos televisivos.... O resultado é o que se viu e se vê, ninguém quer Mário Figueiredo, mas depois de milhentos putativos candidatos ei-lo, como poucos, pronto para a batalha. Batalha essa em que todos o dão como morto. Tudo se decidirá no dia de Portugal, todas as reuniões, telefonemas e o medo/consciência na hora de votar poderá mudar alguma coisa. E o futebol está preso a esta imprevisibilidade, em que até ao assinalar da cruz no boletim tudo é possível, ou por outro lado tudo é claro. Será que haverá segunda volta? E se os candidatos finalistas não forem os esperados? Haverá mudança de sentido de voto do primeiro sufrágio para o segundo? Muita trampa se conversa e desconversa por estes dias.
    Bruno Duarte

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente o futebol portugues fica cada vez pior com presidentes de claque com bruno de carvalho à frente de instituições centenárias. Mas quando não há melhor os sócios só podem aguentar...

    ResponderEliminar
  6. Mais um avanço no processo de eleição... Range(r)l bate com a porta...
    Querem ver que a moralidade já atinge juizes neste país à beira-mar plantado, independentemente da moralidade ir contra o seu clube!!! Ele que é um dos poucos, segundo os estatudos monáquicos dos encarnados, que pode concorrer com vieira/moniz!!!
    Bruno Duarte

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE