quinta-feira, 13 de abril de 2017

Jornalismo sério e a sério é assim!...


A CARTILHA

«Os grandes clubes são organizações profissionais, com departamentos especializados, incluindo os de comunicação. E como o futebol é muito emotivo, tão emotivo que muitas vezes cega a razão, a comunicação usa a emoção. Nada disto é anormal. Nem estranho. A estranheza é outra: se os clubes enviam informação verdadeira aos seus comentadores televisivos, estão apenas a municiá-los para o debate; se lhes enviam ordens para manipular, então os comentadores são papagaios, o que dizem pode ser falso e assistimos a um teatro entre actores que leram um papel que alguém lhes deu.

Se uma notícia é factual e deve ser imparcial, um comentário não tem de sê-lo. Mas não pode desinformar, mentir ou manipular. Isso é tratar os telespectadores como estúpidos.

Nas televisões, os debates são algumas vezes de qualidade e muitas vezes entretenimento inútil. E é com alguma frequência que se assiste a meras disputas de querer impor uma razão mas sem boa argumentação. Esta semana, por exemplo, a Tribuna Expresso escreveu na crónica da vitória do Sporting sobre o Boavista, onde dizia que o Sporting "fez um belíssimo jogo", que "para lá dos erros individuais dos defesas axadrezados, houve mais três presentes do avançado holandês", Bas Dost: os três golos. Na SIC, Manuel Fernandes disse que o Expresso estava a acusar Bas Dost de ter comprado os defesas do Boavista... Como não me passa pela cabeça que o Sporting tenha mandado uma "cartilha" sobre isto, nem que a glória do clube a papagueasse, só posso admitir que Manuel Fernandes leu mal o texto. E coisas como esta estão sempre a acontecer em relação a outros jornais, que os clubes tentam condicionar.

Mas tudo isto é comunicação, que mobiliza adeptos em torno do seu clube e contra os outros. A boa notícia é essa: mesmo que os comentadores deixassem de ter cabeça própria, o que não acredito que venha a acontecer, os adeptos nunca deixarão. E como quem vê e ama futebol tem cabeça própria, também sabe que a comunicação dos clubes é profissional, que usa a emoção - e que o futebol não é feito de falinhas mansas. Nem tansas.»
(Pedro Santos Guerreiro, Abrir o Jogo, in Record)


Mais uma excelente crónica de Pedro Santos Guerreiro! Com uma boa meia-dúzia de "recados" que deveriam ser para os alvos respectivos, motivo de profunda reflexão!...

Jornalismo sério e a sério é assim!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. No meio de todos os comentadores, de todos os clubes, uns que, papagaios, só lêem os papéis da cartilha, outros que coitados, lá vão fazendo o papel de comentador, melhor ou pior,

    o lampião do Guerreiro resolveu ir buscar o exemplo do... Manuel Fernandes??

    Porra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O "nosso Manel" leu à pressa o que foi escrito e pôs-se a jeito. Mas o texto fala de outros atropelos mais graves. Pelo menos na minha leitura!...

      Eliminar
  2. Caro Álamo:
    Logo pela manhã, record noticia que BdC tem reunião esta tarde con Pedro Proença. Pressurosos, todos os toxicodependentes, presidiários, arrumadores de carros e proxenetas ( vulgo lampiões) dizem de BdC o que não disse Mafoma do toucinho! Que é lá isso, pressão sobre a Liga, etc.
    Azar dos Távora, o Luís dos pneus da Rua Alexandre Ferreira ( sim, orelhudo, eu conheço os teus esqueletos mais antigos, um dia aqui os mostrarei) esteve reunido com o cónego-mor da FPF e com o presidente de Liga nesta manhã. Aí já acharam muito bem. Benditos os pobres de espírito, como disse o Nazareno!
    Grande Abraço,
    José Lopes

    ResponderEliminar
  3. Pedro a tentar justificar o injustificável. A grande questão é esta: os papagaios são pagos para difundirem as mensagens da cartilha? Isso é que é grave. Fere o código deontológico dos jornalistas.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE