quarta-feira, 26 de abril de 2017

A verdadeira dimensão universal de Fernando Peyroteo!...



Fernando Baptista de Seixas de Vasconcelos Peyroteo 
(Humpata, 10 de Março de 1918 - Lisboa, 28 de Novembro de 1978)

Fernando Peyroteo estreou-se com a camisola do Sporting em 12 de Setembro de 1937 num Torneio no Campo das Salésias defrontando o Benfica (Taça Preparação), jogo que venceu por 5-3 com 2 golos de sua autoria. Nesse seu primeiro ano no Sporting, Peyroteo ajudou o Clube a conquistar mais um Campeonato de Portugal, tendo Peyroteo contribuído decisivamente para a conquista de 5 campeonatos nacionais, 4 Taças de Portugal e 7 campeonatos de Lisboa. Peyroteo foi por 6 vezes o melhor marcador do campeonato nacional, prova em que apontou 331 golos em 197 jogos, uma média fantástica de mais de 1,6 golos por jogo, média ainda hoje não superada por nenhum jogador do mundo em jogos a contar para os campeonatos nacionais.

Peyroteo realizou 393 jogos com a camisola «leonina» (1937-1949) tendo marcado 635 golos (média de 1,61 por jogo) e ao longo da carreira disputou 432 jogos marcando 700 golos (1,62 por jogo). Os seus 43 golos apontados no campeonato nacional de 1947/48 só vieram a ser ultrapassados por outro sportinguista: Hector Yazalde que em 1973/74 marcou 46 golos.

É difícil escolher a tarde de maior glória de Peyroteo, tantas foram elas com a camisola do Sporting. No entanto salientamos uma quando, em 24 de Abril de 1948 o Sporting precisava de vencer o Benfica, fora de casa, por uma diferença de três golos para conquistar mais um campeonato nacional. Nessa tarde de glória, Peyroteo, apesar de ter passado a noite em estado febril, jogou e marcou os quatro golos que permitiram ao Sporting ganhar o campeonato nacional e, em simultâneo, a primeira Taça «O Século», um troféu verdadeiramente monumental. Peyroteo terminou a sua carreira aos 31 anos, depois de um curto ano ao serviço de Os Belenenses, e faleceu, vítima de ataque cardíaco, em 28 de Novembro de 1978 com apenas 60 anos de idade.

Por ocasião das comemorações do 1º centenário do Sporting Clube de Portugal, este clube homenageou Fernando Peyroteo, lembrando-o com um memorial no dia 10 de Março de 2006, dia do seu 88º aniversário. Depois de descerrada a placa, usou da palavra o filho de nome Fernando Peyroteo: «Gostaria de dizer duas palavras de profundo agradecimento. Tenho a certeza absoluta que se fosse possível esta seria uma das prendas que teriam dado mais prazer ao longo da vida de meu pai. É com orgulho que recebo em seu nome uma homenagem destas. Estou agradecido à Comissão do Centenário. Apesar de tudo, os valores que me foram transmitidos pelo meu pai estão a ser reafirmados. Estou muito sensibilizado. Em relação à minha família será transmitida toda esta emoção.» 

Certamente, Fernando Peyroteo é e sempre será para todos os sportinguistas, como o melhor ponta de lança de todos os tempos a jogar no Sporting. De entre os variadíssimos recordes de Peyroteo destacamos apenas seis deles que ainda hoje se mantêm: 

- O jogador português que mais golos marcou na história do Campeonato Nacional: 331 golos; 
- O jogador português que mais golos marcou num só jogo em campeonatos nacionais: 9 golos contra o Leça em 22 de fevereiro de 1942, que o Sporting venceu por 14-0; 
- O jogador português que mais golos consecutivos num só jogo para campeonatos nacionais: 5 golos ao Vitória de Guimarães em 8 de fevereiro de 1942; 
- O jogador com melhor média de golos marcados pela selecção de Portugal: 14 golos marcados em 20 jogos (média de 0,7 por jogo); 
- O jogador com mais golos marcados ao Benfica: 64 golos em 55 jogos (média de 1,2 por jogo); 
- O jogador com mais golos marcados ao F.C.Porto: 33 golos em 32 jogos (média de 1,02 por jogo).
(Fonte: Youtube)



Um dia a Federação Portuguesa de Futebol terá à frente dos seus destinos quem saberá reconhecer... 

A verdadeira dimensão universal de Fernando Peyroteo!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. O problema é que os registos são tão super naturais que as pessoas têm dificuldade em perceber que são verdadeiros... e quando percebem que são verdadeiros pensam que foram conseguidos numa altura em que a bola era de papel e os guarda-redes não podiam defender com as mãos!

    Mas não, tudo isto é verdade, e por ser verdade, não precisamos que nenhuma Federação Portuguesa de Futebol venha reconhecer o Peyroteo como o MAIOR GOLEADOR de sempre do futebol e dessa forma engrandecer o futebol Português.... não, nós os Sportinguistas podemos, em segredo, em surdina, vibrar e regozijar pelo facto de o MAIOR GOLEADOR do futebol ter vestido a nossa camisola. Sinceramente, no estado em que se encontra o futebol português, o melhor é deixar o Peyroteo fora - a FPF e o futebol Português não merecem, por enquanto o (só) nosso Fernando Peyroteo.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE