quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Não pensem que no domingo terão de novo um docinho romano pela frente!...


FC MARIACHI

«O Porto chegou aos primeiros milhões da Liga dos Campeões com todo o mérito. Acabou a jogar contra nove, por inteira culpa do adversário que, por duas vezes, testou a coragem do árbitro na simples aplicação das leis. Duas entradas violentas, duas expulsões justas. Com a vitória alcançada, é talvez a melhor altura para identificar alguns pontos de fractura neste plantel de Nuno Espírito Santo. Se a memória não me trai, era Pedroto quem dizia que ter um brasileiro na equipa é bom, dois é aceitável. Três são uma escola de samba.

Adaptado ao presente, três mexicanos numa equipa portuguesa aproximam-na perigosamente de um grupo de mariachi. Analisados individualmente, qualquer deles é bom jogador e, talvez, até excelente profissional. Mas o futebol mexicano, mesmo o de mais alto nível, padece de fatais falhas de concentração, nos confrontos mais exigentes. Os jogadores tratam a bola com carinho, têm boas dinâmicas ofensivas, mas abrem abismos tremendos na hora de defender. 

Ontem, os três mexicanos estiveram muito bem. O jogo tornou-se fácil, com alguma anarquia defensiva dos italianos, depois de ficarem sem duas peças. Nada melhor para o hedonismo optimista do futebol mexicano. Mas cá estaremos para ver como se comporta a banda de mariachis quando os jogos se decidem em detalhes de posicionamento e concentração constantes em noventa minutos de jogo de xadrez. Se Pinto da Costa ainda precisa de vender, que venda bem e depressa uma das suas guitarras mexicanas. Ter um jogador mexicano é bom, dois é aceitável, três podem transformar-se numa dor de cabeça que nem a ressaca de forte mescal.»
(Octávio Ribeiro, De olhos na bola, in Record)

Alguém quer apostar comigo que Jorge Jesus terá estado concentradíssimo no visionamento do jogo do Estádio Olímpico de Roma e que terá visto bem mais longe do que viu Octávio Ribeiro ou do que qualquer um de nós?!...

Pois, sem discutir a justiça e o mérito da equipa do Porto, que limpou a Roma como quem limpa o rabinho a uma criança, até eu que sou um batata em tácticas se pretender comparar-me ao "mestre JJ", me apercebi que andam por ali demasiadas fragilidades defensivas. 

Ora se dentro de cinco dias  potenciarmos o infortúnio de Maxi Pereira e o somarmos aos "mariachis" que Octávio Ribeiro bem define e mexermos bem e cuidadosamente como JJ certamente fará, somos capazes de assistir a um caldo interessante de apreciar no próximo domingo.

Para já dar os parabéns aos dragões, que bem estavam a precisar destas massinhas! Mas... 

Não pensem que no domingo terão de novo um docinho romano pela frente!...

Leoninamente,
Até à próxima

2 comentários:

  1. O que esta prosa quer dizer é que descobriram que também se têm que preocupar com o Porto. E fazem-no com o mesmo estilo de converseta com que analisam o Sporting: encontrar o mal onde ele não existe. Layun, Octavio e Herrera foram ontem e são das melhores unidades do Porto. Não me parece que a nacionalidade que têm em comum ou o tipo de futebol que se joga no seu país seja um problema. Este artigo é cocó na cueca misturado com um odorzinho de chauvinismo. Temperado com o mais virgem extra do lampionismo. Ainda a procissão vai no adro e o desfile de vergonhas já tresanda.

    Ontem, havia quem sugerisse um resultado combinado em Roma, pois só isso explicarias as entradas perigosas. Reconheço: o Porto a comer porrada num jogo? Em particular, o Maxi? É raro. Mas o moral da história foi terem ficado com comichão no rabinho com a possibilidade de perderem o Rafa.

    ResponderEliminar
  2. Pessoalmente não atribuo nenhuma culpa ao FCP pelos dois terramotos que aconteceram na Lazzio em menos de 6 horas! Adormeci a pensar no "feito" do FCP ter eliminado a Roma eu que assisti aos dois jogos pela TV desta vez! Houve a sorte de marcar um golo pouco previsível e essa foi continuada pela, ao que parece, pouca experiência dos jogadores da Roma! Duas faltas estúpidas e graves uma como atacante e a outra a meio campo. O árbitro fez o que eu teria feito nessas circunstâncias e também não é ao árbitro que eu atribuo culpas! Essas vão todas para os quase veteranos jogadores do Roma que se sentiram como o Benfica contra o Setúbal! Não quero fazer prognósticos sobre possíveis influências do resulatado deste jogo sobre o próximo classico! O nome Tiago Martins é-me completamente desconhecido e até creio que nunca terá arbitrado jogos da primeira liga em Portugal! De qualquer maneira imagino que JJ tenha assistido a esse jogo e forme a sua equipa em consequência evitado que o FCP jogue contra 10 e até 9! Aí eles parecem perigosos!

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE