terça-feira, 30 de agosto de 2016

A pimenta no cu dos outros não será propriamente refresco!...


... E JUSSARA CORREIA

«Poucas coisas geram tanto entusiasmo no adepto como o defeso. O vai-e-vem de jogadores alimenta sonhos de grandeza. Por estes dias, tudo nos é permitido: não há craque que não esteja para ser contratado pelo nosso clube. A comunicação social joga com isso e faz de rumores notícias. Até aqui, nada de novo – os adeptos gostam de ser iludidos. Faz parte do jogo.

Há, contudo, uma realidade paralela em torno das movimentações de mercado que convém ser esquecida, caso queiramos preservar a paixão pelo futebol. Direitos económicos vs. desportivos; fundos e superagentes; clubes detidos por empresários asiáticos que se transformam em veículos para ativos tóxicos; cláusulas de rescisão para além do razoável; prémios de assinatura para o agente amigo; contratações esdrúxulas por valores idênticos às vendas de craques incontestáveis. O futebol a tornar-se um tema que pouco diz à paixão do adepto.

Talvez o negócio Rafa seja o pináculo de toda esta realidade. Com direitos económicos divididos entre Feirense (10%), Braga (40%), Gestifute (40%) e António Araújo (10%), Rafa é a versão século XXI do capitalismo popular, que caraterizou a vaga de privatizações do início dos noventa. Todos sonham lucrar com o negócio.

Ultrapassada esta intrincada rede de proprietários, eis que, numa troca epistolar em público, descobrimos que a administração da ONSOCCER International S.A. e Jussara Correia reivindicam ainda uma parcela pela intermediação da venda. Desconheço a empresa, de nome estrangeiro, mas a minha intuição diz-me que é Jussara Correia que guarda a chave que desvenda todos os mistérios do futebol.»
(Pedro Adão e Silva, A luz intensa, in Reocrd)


"Tempus dominus rationis est": O tempo é o senhor da razão!... Não conheço o autor deste sublime pensamento. Já alguém o terá atribuído a Marcel Proust, mas o facto de a frase aparecer frequentemente em latim leva-me a acreditar que terá sido oferecida à Humanidade muitos milhares de anos anos antes do escritor francês ter nascido, o que releva a grande verdade que encerra.

Quando já lá vão mais de três anos o recém eleito presidente do Sporting Clube de Portugal, ousou pela primeira vez em Portugal dizer o que pensava sobre a aberração que constituíam a grande maioria dos fundos, superagentes e empresários de todas as origens que fazem do futebol a área privilegiada para todas as falcatruas que a lei obstaculiza, um indiscritível coro de virgens ofendidas elevou a sua voz e o mínimo que terão chamado a Bruno de Carvalho terá sido... D. Quixote Desmancha (prazeres)!...

Quando o grande jornalista italiano Pipo Russo lá do berço das mafias, ousou homenagear a coragem do presidente leonino e afirmar-lhe a sua solidariedade, muito poucos não lhe terão chamado tonto!...

Passaram os anos até que hoje, o agnóstico profundo e convicto que sou, se benzeu com a mão esquerda, quando se lhe deparou esta crónica do indefectível benfiquista, insigne  professor no ISCTE-IUL e apreciado comentador político Pedro Adão e Silva...

Há pessoas que só quando a desgraça lhes bate à porta se apercebem de que afinal...

A pimenta no cu dos outros não será propriamente refresco!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Nao vi o jogo
    so vi hoje o resumo natvi24
    sou sportinguista mas tenho a obrigacao de defender a verdade
    tivemos muita sorte com arbitragem. Se fosse sempre assim jatinhamo ganho varios titulos

    ResponderEliminar
  2. Só é pena que não lhe arda nas entranhas... É que vaso ruim (o que nem é o caso particular na maioria das vezes...) não quebra e os vermelhuscos, seus correligionários, acabam sempre por passar entre os pingos desta chuva, ácida, que são os podres pináculos da atual realidade

    SAUDAÇÕES LEONINAS

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE