segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Não me admiraria nada que com João Mário a cebola já esteja na frigideira!...


Afadigam-se os jornaleiros na colaboração aos ditames da "intelligentzia" que supervisiona a "central de propaganda goebbelesiana do clube do regime", tentando a todo o custo e por todos os meios denegrir e menorizar o "eventual negócio de milhões" que muito provavelmente levará João Mário a transpor os Alpes e a rumar à capital da moda italiana.

Na sequência de outras contribuições bem interessantes, dos jornalistas Alexandre Carvalho e Filipe Pedras o jornal Record publica hoje um texto interessantíssimo (LINK), em que nos dão conta de uma eventual visita relâmpago do presidente do Sporting a Milão para fechar o negócio que tantas "dores de chifre" tem causado aos 14 milhões!...

E apesar de a generalidade da imprensa lusa e italiana ter vindo a apontar para a possibilidade de um empréstio por um ano pelo qual o clube milanês pagaria ao Sporting 10 milhões de euros ficando sujeito no fiinal da época ao exercício de uma cláusula obrigatória de compra no valor de 35 milhões, aos ilustres escribas de Record ainda não terá passado pela cabeça que esse "estratagema" não servirá apenas os interesses do Inter de Milão por mor do cumprimento do "fairplay financeiro" imposto pela UEFA, mas apontará também, e muito principalmente, aos interesses do clube de Alvalade, na medida em que esses 10 milhões não terá o Sporting que os repartir pelo fundo que detèm 25% dos direitos económicos de João Mário.

Nesta conformidade, o Sporting poderá vir a beneficiar pela parte correspondente aos 75% que detém do passe do jogador, não dos 37.5 milhões de euros em que continuam estupidamente a insistir, mas de 41.75 milhões, uma vez que sobre os 5 milhões de objectivos, o dito fundo também a nada terá direito.

Mas a visão curta dos escribas jornaleiros talvez não seja suficiente para estabelecer um raciocínio ainda mais eleborado, que poderá passar muito bem no final desta primeira época, pela repetição do negócio estabelecido agora entre as partes, com o Sporting a receber pelo novo empréstimo mais 10 milhões de euros, o fundo a ser novamente "comido de cebolada" e o clube de Alvalade a ver a sua parte no negócio, justa e inteligentemente salvaguardada da voracidade do fundo de Peter Kenyon, que com um investimente de apenas 400 mil euros com que ludibriou o "banana Godinho Lopes", corria o "sério risco" de se abarbatar com mais de 10 milhões de euros, sem que em nada tivesse contribuído para a evolução do espactacular jogador em que o esforço do próprio e a excelência da Academia Sporting haveriam de o transformar.

E vem-me à memória a forma com D. Bufas Corleone se viu "comido de cebolada" no caso Miguel Lopes, outro "golpe de excelência" patrocinado por Bruno de Carvalho e seus pares!...

Não me admiraria nada que com João Mário a cebola já esteja na frigideira!...

Leoninamente,
Até à próxima 

2 comentários:

  1. Muito bem visto...para a generalidade da nossa comunicacao e consumidores da mesma o Bruno de carvalho nada percebe de negocios e do mercado do futebol.. E so um incendiario que quer denegrir o benfas... Abraco

    ResponderEliminar
  2. Boas Álamo,

    muito bem analisado pela tua parte, continuação de bom trabalho,

    cumprimentos,

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE