sábado, 21 de fevereiro de 2015

Vá lá Marco, contigo também não deverá ser!...


FC Porto e Sporting roubados na Europa

"... Se a juventude do FC Porto e a inexperiência do treinador (nas altas andanças) são factores que limitam a afirmação da inequívoca qualidade dos jogadores, já a juventude do Sporting e a inexperiência do treinador (nas altas andanças) chocam com outras realidades. A qualidade global do plantel do FC Porto é muito superior à do Sporting. Sem Slimani, a pobreza de recursos e a falta de soluções para o ataque é gritante. A diferença de velocidade para os adversários é colossal. Chegam sempre primeiro à bola. Reagem imediatamente à perda do esférico e, na exploração dos espaços vazios, a velocidade é uma arma terrível que os jogadores do Sporting não conseguem utilizar. Por quê? Porque não estão preparados para isso. Por quê? Porque a Liga portuguesa não exige que os jogadores se preparem para serem mais rápidos, mais focados, mais competitivos. E isso nada tem a ver com a arbitragem..."

Será Dieter Hecking, uma criatura de inteligência superior e dominará os segredos do treino e da preparação física e técnico-táctica específica para o futebol, a um nível inalcançável por Marco Silva?! Obviamente que não!...

António Aleixo legou-nos um pensamento que poderá explicar as diferenças dos resultados alcançados por Dieter Hecking e Marco Silva em cada uma das suas equipas:

“Não sou esperto nem sou bruto/Nem bem nem mal educado/Sou simplesmente o produto/Do meio onde fui criado.”!...

Marco Silva nasceu, cresceu e foi educado em Portugal. E fez-se homem e atleta, num meio futebolístico de horizontes muito peculiares, quiçá tristemente pobres e limitados, se comparados com aqueles que o seu homólogo alemão viu serem-lhe postos à disposição e que lhe terão determinado hábitos e práticas desportivas de nível incomparavelmente superior.

Os primeiros 45 minutos no Volkswagen Arena, provaram que Marco Silva não terá que se envergonhar em nenhuma das vertentes técnicas, tácticas e motivacionais exibidas pela sua equipa, quando confrontadas com as exibidas pela equipa adversária.

Mas o segundo tempo, foi um "murro no estômago" de Marco Silva e demonstrou quanta inferioridade a sua equipa demonstrou, exactamente, em termos de velocidade!...

Marco Silva, com todas as qualidades que lhe são reconhecidas pela generalidade dos conhecedores de futebol, é um produto genuíno do futebol português: uma belíssima mas frágil filigrana! E assim prosseguirá e terminará a sua carreira, que desejamos seja longa e profícua, se não for capaz de abandonar o pecado original, uma bela filigrana, mas lenta pausada, monótona, quase displicente.

José Mourinho, André Villas-Boas, quiçá Jorge Jesus, parecem ter descoberto o segredo do "mapa do tesouro" e as diferenças em termos de velocidade que souberam imprimir às suas equipas, fizeram-nos campeões e reis absolutos neste "futebolzinho tuga" e concederam-lhes, ou virão a conceder no caso de Jorge Jesus, os passaportes com que partiram em busca dos "tesouros" espalhados por essa Europa fora.

Jorge Jesus terá proferido ontem, uma afirmação a que ninguém parece ter dado muita importância, mas que é sintomática desse salto qualitativo que foi capaz de dar, com as consequências que todos conhecemos:

"É nos treinos que têm de demonstrar aquilo que queremos. Porque isto dos jogadores, não é meter 11 dentro de campo e cada um corre e joga como quer. Comigo não é!".

Ora, quer-me parecer, que só quando Marco Silva for capaz de soltar "o grito de Ipiranga", for capaz de se libertar das mordaças do "futebolzinho tuga", quando os seus jogadores passarem a correr e a jogar, não aquilo que querem, mas aquilo que ele quer e como quer, passará a ser o treinador de elite que todos nós desejamos que venha a ser no Sporting e, por via disso, de passaporte na mão, colocar-se-à na "pole position" das grandes corridas europeias.

Vá lá Marco, contigo também não deverá ser!...

Leoninamente,
Até à próxima

6 comentários:

  1. Não entendo porque é que o caracolinhos traz na sua última frase, a arbitragem à colação....!!!

    ao fazê-lo parece-me estar a querer justificar algo mais que simples competência...

    Nestas discussões conceptuais acerca das capacidades entre os diversos nomes há sempre um contraditório que me surge na mente, e que nunca serei capaz de fazer....

    Gostaria eu de ver se.... Mourinho, Vilas-Boas e até Jesus, teriam tido a mesma importância para o futebol português e para eles próprios se tivessem vindo para o Sporting... Da mesma forma (e este contraditório poderá ser muito possível num futuro, mais ou menos próximo) quando e se Marco Silva for para um rival cá do burgo... designadamente ali para os lados de carnide... se estarão, a imprensa, os adeptos, os clubes.... - em resumo o futebol português - preparados para o "endeusamento" de mais uma pérola no mundo dos treinadores.... Certamente que sim....

    Nós, SPORTING, mandámos tiros nos pés durante anos a fio... a primeira coisa a fazer é o mea culpa... faltou, muitas vezes, o apoio necessário, o suporte que escudasse alguns treinadores de forma mais efectiva... cujo caso mais paradigmático será Sir Bobby Robson... mas... (e há sempre um mas...) a história da construção de um campeão, no sentido mais lato do termo, não é feita, também, de fatores externos ao jogo...??? Eu diria mais... na maioria dos casos... é determinante... pois o suporte dado... escuda, de facto, as falhas que todos têm... Jesus será o melhor exemplo disso mesmo... ao um nível superior tem falhado como gente grande... mas cá dentro... continua imparável na sua arrogância e com as costas bem quentinhas.... Será que é desta que vai para o Barcelona...??? Mesmo Vilas-Boas no que é que se tornou, no pós-antas...??? Não acredito que Jesus tenha assim um panorama europeu tão favorável... sinceramente, não acredito...!!!

    Andamos para aqui a apregoar "cobras e lagartos" das estruturas desportivas, dos compadrios, das influências e depois """assassinamos""" os nossos """""""""só""""""""" porque não conseguem os resultados.... logo à primeira... Repito... os resultados estão muito para lá das capacidades individuais de cada um... (O que teria sido Paulo Bento se o famoso golo, em versão andebol, não tivesse sido validado?) (Inácio, após o brilharete, foi cilindrado, interna e externamente, à primeira derrota...!!!) (E é melhor nem falar dos jogadores.... promovidos a heróis e atletas de eleição quando nunca passaram de simples 'jogadores da bola')

    Assumiu-se uma estrutura em construção... assumiu-se um projecto a 4 anos... Esperemos... Façamos a avaliação no final... Mas não esqueçamos... um equipa em construção faz-se dessas variações... Se no final seremos compensados...??? Eu, se tivesse de apostar... diria já que não.... (Não por não acreditar que MS possa ser o treinador que todos desejamos... mas porque não nos vão deixar...!!! Com as novas tecnologias da engenharia moderna, não nos podemos esquecer que... "A água, já, passa duas vezes por debaixo da mesma ponte")

    Compreendo os fundamentos da argumentação para promover uma melhoria no 'MO' do nosso treinador.... compreendo e desejo que assim aconteça, obviamente... mas parece-me que a questão de fundo dos jornaleiros passa por uma menorização das capacidades do sujeito por forma a criar anti-corpos (se é que já não os há...!!) para abrir outras portas mais, garantidamente, 'prometedoras' num futuro muito próximo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo ZE, as arbitragens da crónica de RS, nos dois jogos das equipas portuguesesas deste jornada europeia, foram o tema central que ele abordou, destacando a pouca ou nenhuma influência que nós, portugueses, temos na UEFA.

      A crónica é extensa e por demais já discutida por cá, pelo que apenas destaquei o excerto que publiquei, que me pareceu mais interessante para estabelecer a diferença de níveis competitivos entre o futebol português e lá fora, particularmente nas ligas mais importantes. Talvez a falha tenha sido minha, mas não me interessava muito estar a falar de penalties roubados.

      Sobre o resto do pensamento subjacente ao seu comentário, creia meu amigo que a minha intenção ao abordar este tema, não entra de modo nenhum em confronto com ele. Apenas pretendi aproveitar a ideia de RS para fazer o paralelo ente a forma lenta e rendilhada de se jogar em Portugal e a velocidade e o sentido prático que se usa por essa Europa fora. Nada mais!...

      Eliminar
  2. Se fizermos o relambório dos técnicos campeões, quer a norte quer do outro lado da 2ª circular..., rapidamente chegaremos à conclusão que qualquer 'pé descalço' consegue ser campeão lá por aquelas bandas... (a norte então... é uma lista sem fim...) e a avaliação é feita pelos resultados... não pela estratégia... pela emancipação dos jogadores, sua capacidade e seu rendimento..., pela dinâmica ou pelo futebol praticado.... Diria mais... Quantos deles é que seriam treinadores bem aceites por nós???

    Nós bem sabemos como foram conseguidos inúmeros campeonatos por essa história fora... de repente..., até já lhes concederam mais 3 na secretaria... mas os nossos continuam a ser apenas os que eram...!!! Um dia destes ainda há de vir alguém promover os treinadores "charneira" desses 3 campeonatos... como deuses de um futebol de elite e percursores de um clube de escala mundial....

    Podemos aceitar comentários, e entende-los de forma construtiva... Não poderemos, NUNCA, aceitar demagogia de quem é ínvio e que ora está por cá ora, quando a coisa começa a sair da linha, está por lá... o caracolinhos é pródigo nesses 'não caminhos'... Ah e tal... este futebol está podre..., é corrupção..., é compadrio..., é isto, é aquilo... Mas no fim ganha sempre (para além da Alemanha) o melhor... Então em que é que ficamos...????

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que a crónica de RS não será demagógica e muito menos ínvia! De outro modo nem me identificaria com ela e muito menos publicaria o excerto...

      Com toda a naturalidade, aceito a forma como o amigo ZE reage ao que se tem passado ao longo de muitos anos no futebol português. Mas penso pela minha própria cabeça, separo águas e não deixo de estar consciente dos tiros que ao longo desses mesmos anos demos nos nossos próprios pés. Colocar todo o ónus da culpa sobre a corrupção e o compadrio, não me parece saudável. No Sporting foi feita muita borrada! E eu serei incapaz de me fazer de cego perante essa triste realidade. Gosto muito do meu Sporting, mas sempre serei racional e jamais fundamentalista!...

      Eliminar
  3. O jesus joga muito com os alemães

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Porque isto dos jogadores, não é meter 11 dentro de campo e cada um corre e joga como quer"!...

      Eliminar

PUBLICIDADE