quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Boubacar Djaló e a "maldição de Alvalade" !...



Os deuses parecem já ter decidido sobre quem deverá ser descarregada a próxima "maldição de Alvalade"! Um menino com ascendência da Guiné Bissau, mas com dupla nacionalidade luso/guineense, que com 13 anos começou por dar uns pontapés na bola, envergando a camisola do Sacavenense, de onde terá transitado para a Academia Sporting, onde se manteve nos escalões da formação leonina, durante pouco mais de uma época e meia.

O seu regresso ao Sacavenense, onde terá cumprido mais época e meia, para de novo voltar à Academia Sporting, onde tem cumprido no escalão dos sub-19 (Juniores) a presente temporada, deixa indícios claros de que algo de profundamente errado se passará com este inocente e ingénuo menino, porventura títere sem disso ser capaz de se aperceber, à semelhança de tantos outros que o precederam, de um daqueles agentes ou tutores a que já nos habituámos a ver passear nos arruamentos de Alcochete e onde, pelos vistos, ainda lhes vão sendo passados "salvo-condutos"!...

Na presente época, por via da camisola verde e branca que vem envergando, teve o privilégio de ter participado em, salvo erro, cinco jogos na Youth League, marcando alguns golos em parceria com um seu companheiro mais apressado, daí o seu nome de Zé Turbo, que também terá decidido expôr-se a tão maldita maldição e por lá irá em Milão dando pontapés na sorte, quiçá condenado a um dia vir a desempenhar a honesta e prestigiante missão de apanha-bolas.

Há longos dias que iniciei este texto, que foi ficando na gaveta, pela simples razão de que de Boubacar Boi Djaló, assim se chama o inocente, conforme vem referenciado na WikiSporting, não ter sido capaz de encontrar a foto mais ajustada, para além de meros "flashes" dos jogos em que interveio.

Quando a imprensa transalpina, useira e vezeira na promoção de "vedetas a caminho do calcio" começou a falar dele,  classificando-o como o "novo Pogba", foi-me fácil de associá-lo a interesses que absolutamente nada terão a ver com o "pobre e inocente Boi Djaló"! É uma história que de tão repetida em Alvalade, já nem adiantará destacar. Mas de fotos sugestivas... nada! E o texto foi ficando nos fundos da gaveta onde moram outras iniciativas do género. Hoje, descobri uma imagem cuja qualidade, depois de pacientemente trabalhada com a eliminação de pormenores supérfluos, me permitiu ir buscar o ostracizado texto, melhorá-lo e deixá-lo por aqui a quem me dá o privilégio de ler o que vou escrevendo.  

È uma história que se encaminha para um desfecho semelhante ao de tantos jovens da nossa Academia Sporting: o agente ou tutor do inocente rapazinho luso/guineense, eventualmente de braço dado com a sua altruista e desprendida família, gananciosos e apressados, preparam-se para mandar às malvas todas as hipóteses que o jovem atleta teria de vir a ser um profissional sério e a sério, se consolidasse sem pressas e com muito trabalho, o seu processo de formação no Sporting.

Tenho pena que Boubacar Djaló se tenha candidatado a ser mais uma vítima da incontornável... MALDIÇÃO DE ALVALADE! 

E eu até... "no creo en las brujas, pero que las hay, las hay"!...

Leoninamente,
Até á próxima

2 comentários:

PUBLICIDADE