terça-feira, 20 de janeiro de 2015

1888, terá sido o verdadeiro ano da fundação do Benfica!!!...


O que fazes, Portugal, enquanto o teu futebol é torturado?

"António Lobo Antunes confessou uma vez a paixão por uma citação que eu próprio também aprecio: parece-me um sinal evidente de algum paralelismo de genialidades. 

Mas em frente. 

«Todos os bocadinhos contam, diz o rato depois de mijar no mar.» 

Basicamente é isto: basicamente é esta simplicidade com que se sublinha que o importante não são as coisas grandes, são as muitas coisas pequenas que todas juntas nos permitem ter algo realmente grande. São no fundo as coisas menores mas nada irrelevantes. 

Ora vem esta conversa a propósito do campeonato português, e daquela grande mentira que frequentemente se reflecte nos rankings que colocam a liga nacional na frente. 

O campeonato português não é o quinto melhor da Europa, como garante erradamente o ranking da UEFA. Nem o sexto, nem o sétimo. 

É no fundo uma mentira travestida de verdade insofismável: como todas as verdades que assentam na lógica matemática dos números. 

Mas os números, neste caso, mentem. 

A liga portuguesa não é a quinta melhor da Europa. Nem a sexta, nem a sétima, repete-se: e repare que aqui a repetição é propositada, quase poética. 

No fundo os três grandes do futebol português, sim, todos juntos, são o quinto melhor lote nacional entre os países da Europa. O que é muito diferente. É a obra clássica do futebol português, na eterna divisão em três capítulos. 

O problema é que a liga portuguesa não é apenas feita de clubes grandes, e essa liga portuguesa está mal. Cada vez pior, aliás. 

Por isso o Estoril vende o melhor jogador a meio do ano para um clube que luta por não descer no campeonato turco e vende outro talento da equipa para o campeonato angolano. 

Por isso o V. Guimarães vende um titularíssimo para a Suíça e o Moreirense vende um avançado para o campeonato do Chipre. 

O problema no futebol português não é a saída de Enzo Perez para o Valencia, de Mangala para o Manchester City ou de Marcos Rojo para o Manchester United. 

O problema é a partida do que Fernando Santos chamou de classe média portuguesa: dos bons valores de clubes médios ou pequenos que se transferem para campeonatos marginais. Para o Chipre, para a Grécia, para a Roménia ou para a Polónia. 

Sejam portugueses ou estrangeiros, os melhores jogadores do segundo e terceiro terço do campeonato português saem todos os anos para clubes que nem sabíamos que existiam. 

Esse sim, é um sintoma: o campeonato português não está melhor, só está mais fragmentado. Os clubes menores, mas nem por isso irrelevantes, estão cada vez mais pobres, e o campeonato fica mais fraco também. 

Por isso os três grandes acabam por perder competitividade na primeira divisão europeia: é difícil jogar com Chelsea ou PSG quando se habituam a jogar com Penafiel e Gil Vicente. 

A liga portuguesa só será enfim melhor, e mais competitiva, quando pensar como o rato da citação de António Lobo Antunes: percebendo que todos os bocadinhos contam.".
(Sérgio Pereira, Box-to-box, in MaisFutebol)

O que fazes, Portugal, enquanto o teu futebol é torturado?! Pois, vais assobiando para o ar e organizando "football talkings"!... Pois, vais vivendo de "santas alianças", de "duques" e "gomes", de Tis Herculanos e Maneis da Serra, das "palmas acríticas" de "bolas, records, jogos e TVs" e de outros "jogos florais" de "vitores pereiras e fontanelas" dos Conselhos de Arbitragem, APAFs  e quejandos!...

E depois há quem lidere esta insolvente liga do futebol tuga com dezenas de pontos de avanço e seja "corrido" da Champions e LE como cão miserável e sarnento, com os outros ratos, depois de mijarem no mar, a continuarem a mijar pelas pernas abaixo, coleccionando quase invariavelmente seis derrotas, nos seis jogos de cada grupo!...

É a "liga do pontinho", com "clubes do pontinho", treinados por "treinadores do pontinho" e com "arbitros e observadores que são uns pontos"! E no meio de toda esta alegre e vil tristeza, batemos palmas uns aos outros, trocamos incensos e afirmamos ser os melhores do mundo, com mais títulos, mais adeptos, mais receitas de transferências, mais tudo e mais alguma coisa!...

Enquanto isso, Eça de Queiroz revolve-se no túmulo, maldizendo a hora em que teve a infeliz ideia de compõr a personagem do homenzinho baixo e gordo, presumido, cobarde, hipócrita, mentiroso e indigno filho de agiota, a que deu o nome de Dâmaso Salcede e que para nossa desgraça constituirá hoje a nata desta pobre sociedade lusa, mormente no campo do pontapé na bola!...

Há quem ponha em causa a nova data "inventada" para a fundação do clube de Carnide, com o argumento de que Dâmaso Salcede terá sido o primeiro adepto! Logo, com a publicação de "OS MAIAS"... 

1888, terá sido o verdadeiro ano de fundação do Benfica!!!...

Leoninamente,
Até á próxima

3 comentários:

  1. Adorei o seu relato da verdade do futebolês de Portugal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o que eu não faço para tornar felizes certos anónimos infelizes!...

      Eliminar
  2. Ahahaha...

    Dâmaso Salcede e publicação de "Os Maias". O que nos vale é que Jorge Jesus já sentiu necessidade de esclarecer que efectivamente não é Eça de Queiroz.

    Valha-nos isso, pois aquela "gentalha" é capaz de tudo para aldrabar números.

    Cumprimentos e SL

    José Eduardo

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE