quinta-feira, 9 de abril de 2015

Um pouco mais de decência sff!...


Passo os olhos de relance por este texto da Lusa, veiculado pelo jornal Record que lhe associou a imagem do protagonista e dou comigo a divagar sobre um fenómeno prodigioso da Natureza, quiçá ainda não completamente averiguado e aprofundado pela Ciência: o mimetismo.

Tenho a convicção que entre todas as actividades e profissões do mundo, nenhuma corporizará melhor os fenómenos miméticos que os advogados, entendidos como defensores, consultores ou conselheiros jurídicos de alguém, em contenda com outra parte que poderá ir desde o Estado a outra entidade qualquer, singular ou colectiva.

Mas contrariamente a todos os animais a quem a Natureza facultou a capacidade de se confundirem com o ambiente que os rodeia, ora por razões que se prendem com a sua defesa, ora por motivos antagónicos intimamente ligados ao ataque que pretendem fazer a potenciais presas, os advogados, como diria o celebérimo Jaime Pacheco, usam "uma faca de dois legumes": tanto podem servir como instrumento de defesa, como de ataque, segundo as conveniências da entidade que representam.

Permitam-me que vos desafie para um jogo singular. Imaginem que por razões que agora de modo nenhum virão ao caso, Paulo Gonçalves, o advogado que protagoniza o episódio burlesco da agência Lusa, deixava de ser "acessor jurídico do Benfica". Imaginem que algum tempo depois, Bruno de Carvalho o contratava para exercer exactamente a mesma função no Sporting. Finalmente, imaginem, o que é que esse senhor diria à agência Lusa, se fosse questionado sobre as razões de Alvalade no conflito com a Doyen?!... 

Será indiscutível a legitimidade de qualquer advogado poder, ainda segundo Jaime Pacheco, ser "uma faca de dois legumes"! Essa faculdade apenas derivará da sua consciência e dos seus princípios. O que nunca deverá, sem violar o seu código ético e deontológico, é armar-se na praça pública, em "fazedor de opinião", seja em que matéria for, perseguindo objectivos e interesses da parte que representa, que sempre e apenas hão-de estar reservados para as barras dos tribunais, o único local onde a lei lhe permite utilizar qualquer dos gumes!...

Um pouco mais de decência sff!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Amigo Álamo, a 1ª vez que ouvi falar nesta personagem, foi há umas semanas no blog da Tasca do Cherba, num poster intitulado "A viagem mais caricata da vida de Bruno de Carvalho", (isto revela bem a verdadeira índole deste PG) claro que como director jurídico da SAD do SLB, hoje tem de lutar a favor dos fundos, mas isso nada impede que num futuro próximo venha defender o oposto, os parasitas são mesmo assim, é vê-los tontos como baratas (Nélio Lucas incluído) a utilizarem argumentos ridículos para justificarem a sua continuidade (dos fundos)....realmente o JP tem toda a razão, a profissão de advogado é mesmo "uma faca de dois legumes".....que acabem os fundos rapidamente, para assim se poder erradicar uma vez por todas esta parasitagem do futebol.....

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Leoa Maria, há quem não discuta preço na hora de vender a alma ao diabo! Será o caso de uma infelizmente significativa franja de licenciados em Direito, cujo juramento fazem de cor, repetindo mecanicamente a ladaínha do juramentista! Depois, gastam metade do seu tempo afiando os gumes da faca dupla! E quando amiúde metem os pés pelas mãos, lá vem a Ordem, com a caldeirinha da água benta, aspergi-los e beatificá-los!...

      Claro que há quem seja digno da sua profissão e a encare com a responsabilidade de um serviço público, de um quase apostolado! Mas serão tão poucochinhos!...

      SL

      Eliminar
  2. Respostas
    1. O nome do autor do comentário, do caro Carlos Sousa, levou-me a pensar noutra pessoa, meu especial amigo, pelo que usei da liberdade de o tratar com o àvontade que uso para com essa pessoa. O que não me impede agora, depois de me ter sido chamada a atenção para o facto, de lhe ficar grato do mesmo modo, pelo elogio. Volte sempre.

      Eliminar

PUBLICIDADE