quinta-feira, 16 de abril de 2015

Produtos acabados, formação, freguesias e clientelas!...



Ou muito me engano, ou João Palhinha será o próximo candidato a galgar o último e difícil degrau que separa a formação leonina do futebol a sério, da meta sonhada por todos aqueles que, por convictos afectos ou insondáveis razões pragmáticas, elegem a Academia Sporting como trampolim para a realização dos seus sonhos no mundo do futebol.

João Palhinha está a três meses de completar 20 anos e, com uma invulgar compleição física - 1.90/82 -, apesar de o seu nome há muito ser apontado como um dos mais prometedores talentos da Academia Sporting, foi o último jogo que disputou pela equipa secundária dos leões e que teve como difícil opositor o Feirense, uma das equipas mais organizadas e sólidas da II Liga, que nos obrigou a olhá-lo com atenção especial, tal a influência que o seu talento, rigor táctico, denodo, raça, entrega e inesgotável energia tiveram no heróico empate conseguido pela esquadra lenina, após os percalços permitidos pela permissividade e desconcentração da sua defesa nos primeiros minutos da partida e que aos 13 minutos já se traduziam em dois golos sem resposta.

A fazer lembrar o período de maior fulgor de William Carvalho na pretérita época, Palhinha ter-se-à revelado nessa partida, a barreira intransponível de todas as tentativas do ataque adversário e o municiador por excelência do assalto leonino ao "castelo da Feira" na segunda parte, que quase se haveria de transformar em épica vitória, não fora a estrelinha da sorte amparar os forasteiros nas últimas jogadas do encontro.

Mais importante que o crédito que deverá ser dado a especulações desta índole que, como habitualmente, apenas pretenderão acautelar as vendas e os interesses de quem as promove, importará a qualquer adepto sportinguista estabelecer comparações entre o potencial da "mercadoria" que nos pretenderão impingir e aquele que revelam os "nossos palhinhas, matheus, gelsons, rubios, podences e tantos outros".

Produtos "acabados para pegarem de estaca" e fazerem as delícias de "certos técnicos", que utilizam os seus ombros para galgar patamares e rechear contas bancárias, estarão na origem da insustentabilidade financeira que grassa no escalão máximo do nosso futebol. O admirável universo sportinguista rejeitou já lá vão dois anos esse paradigma e sendo real e incontornável o amargo na boca das opções do último defeso, estou certo que rejeitará, tanto como condenará, a sua repetição.

A contratação de dois ou três "desses produtos acabados", para posições deficitárias da nossa formação e que possam  garantir os "pequenos passos" que Jürgen Klopp ainda ontem referiu como essenciais em qualquer grande equipa, será absolutamente compreensível e recomendável, se muito criteriosa e com apertada margem de erro. Mas a base da evolução da equipa mais representativa do Sporting Clube de Portugal deverá estar na sua formação, mesmo que não seja do agrado de "certos técnicos" e, infelizmente, de "certos comissionistas".

E se a insatisfação começar a ser evidente nos ditos "certos agentes do futebol leonino", porque pouco ou nada lhes agradará o paradigma de "fazer mais com menos", o melhor será irem pregar para outra freguesia. Porque freguesias é o que não faltarão em Portugal. Dizem as intâncias internacionais competentes, que teremos mais do dobro ou mesmo do triplo daquelas que seriam necessárias.

Exactamente, por força das clientelas!...

Leoninamente,
Até à próxima

2 comentários:

  1. Em minha opinião, (que não é de especialista), parece-me que Palhinha, no conjunto das nossas "promessas", será o mais consistente e de futebol mais adulto, que inevitavelmente irá singrar a grande nível, no mundo difícil do futebol profissional. Não sendo o mais virtuoso, tem raça, vontade e técnica para evoluir e atingir patamares de excelência. Se for no nosso clube, ainda melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No jogo com o Feirense, caro A. Martins, Palhinha impressionou-me vivamente. Deu tudo o que tinha e o que não tinha, argumentos que nem todos terão evidenciado. Foi reportada a presença de Marco Silva nas bancadas e estou certo de que aquilo que os jornais depois disseram, sobre a provável presença do jovem trinco da equipa B na próxima pré-época da equipa principal, não serão apenas especulações.

      Eliminar

PUBLICIDADE