quarta-feira, 22 de abril de 2015

Guardiola e a estratégia das calças rasgadas!...

Guardiola: apenas as calças rasgadas?!...

"Incontestavelmente o melhor futebol da Europa esteve em acção ontem. Aproveitem por isso, e não deprimam hoje, tal vai ser a diferença entre a qualidade dos jogos de um dia para o outro. 

O futebol é diversidade, é de várias ideias e concepções de jogo, dizem: 

- jogar contra o Bayern com linhas subidas e levar 6 é SUICÍDIO

- jogar com Bayern e levar 6 com linhas baixas é ESTRATÉGIA

A diferença entre a estratégia e o suicídio está na cabeça de quem acha que no futebol só existe estratégia na defesa. Muito por culpa dos novos filósofos do futebol, que acham que até podem ter 1% de posse de bola, desde que ganhem, está tudo bem. 

(Depois) É só ir para a conferência de imprensa, dizer que controlaram o jogo, que souberam gerir as próprias expectativas, que não permitiram oportunidades de golo, que criaram o suficiente para ganhar, que estrategicamente foi assim que prepararam o jogo e todos dizem que sim. 

Fala-se bem, com eloquência, e vai-se destruindo o futebol e jogadores verdadeiramente talentosos porque o treinador não acompanha nas ideias a qualidade dos jogadores. Não se diz que a jogar em casa o adversário criou mais do dobro das ocasiões e só não teve a sorte de as finalizar. Assim serão jogados os jogos de hoje, nada divertidos, interessa é ganhar. Enfim..."
(Roberto Baggio, in Lateral Esquerdo)

Roberto Baggio terá "paletes" de razão e eu penso que a culpa estará no excesso de inovação tecnológica dos aparelhos de televisão adquiridos por uma boa parte dos nossos técnicos de futebol, que contrastará de forma flagrante com a pobreza da tecnologia dos aparelhos que o adepto comum tem em casa. Porque o futebol que cada um desses modelos de televisores oferece, não consegue resistir ao mais modesto exercício comparativo.

Aos técnicos, a vanguarda tecnológica mostra-lhes aquilo que eles querem ver: que as suas equipas "controlaram o jogo, que souberam gerir as próprias expectativas, que não permitiram oportunidades de golo, que criaram o suficiente para ganhar, que estrategicamente foi assim que prepararam o jogo...". E os jornalistas ouvem atenta, silenciosa e respeitosamente a "banha da cobra" e no fim, atam o ramo e colocam o laço!

O espectador/adepto comum, ainda agarrado à verdade do "arcaísmo tecnológico", não resiste ao apelo do vómito decorrente da  mentira da tecnologia e dos técnicos que com ela sustentam os seus egos e o seu viver, mai-la subserviente incompetência jornalística e declara, de  guardanapo na boca, que. o jogo que acabou de ver, protagonizado pela equipa que o fez perder duas horas do tempo que bem poderia ser aproveitado para coisas bem mais interessantes ... foi uma boa merda!...

E "cá vamos, cantando e rindo, levados, levados sim", entre as "estratégias, suicídos e eloquências" dos treinadores,  a "caldeirinha da água benta" dos acólitos do jornalismo e o "levantar da cabeça com os pés bem assentes no chão" dos jogadores, abandonando estádios, cancelando assinaturas televisivas, sustentando este vício tremendo pelo futebol bem jogado, com os escassos minutos que os canais generalistas apresentam nos noticiários, dos feitos da gente de Guardiola e dos seus poucos seguidores!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE