quarta-feira, 15 de abril de 2015

Ainda estaremos longe de atingir... os mínimos!...



Em conferência de imprensa ocorrida há pouco menos de três horas, o Borussia Dortmund anunciou aquilo que se previa e há muito se suspeitava: Jürgen Klopp vai deixar o clube no final desta temporada, após ter sido a peça chave ao longo das últipas sete épocas, de uma das mais prodigiosas recuperações desportivas e financeiras de um clube a nível mundial. Em igual período já havia deixado a marca do seu talento no Mainz, entre 2001 e 2008, factor que naturalmente levou os dirigentes do clube mais representativo da "megalópode renana" a contratá-lo.

Salvaguardando as naturais diferenças, creio que a tentação que há muito me assiste, de estabelecer a analogia entre o Borussia de Dortmund e Jürgen Klopp e o Sporting e Marco Silva - precedido por Leonardo Jardim, que encarnou igual sentimento -, não poderá constituir cegueira leonina e muito menos crime passível de dura condenação. Os desejos e os sonhos de quem ao longo da vida apenas empunhou tão gloriosa bandeira, nunca poderão ser tidos como presunção ou utopia sem nexo ou sentido.

E talvez este meu agora desnudar de alma possa contribuir para que muitos dos assíduos sportinguistas meus leitores, que ultimamente me têm "premiado" com o seu silêncio nos comentários, assim como as críticas veladas em "espaços irmãos" de outros ilustres sportinguistas - "Vamos lá desmontar esses montinhos de lenha, e guardar os fósforos, arranjem mas é um poster do Carriço, pendurem na parede do quarto e por cima escrevam, em letras garrafais 'Oh capitão, meu capitão…', olhem para ele todos os dias e…'Tenham Juízo!' " -, fiquem com a pedra da injustiça nos seus sapatos.

Se defendo convicta e acerrimamente o "paradigma de Dortmund", jamais as minhas críticas a Bruno de Carvalho e Marco Silva poderão ser entendidas como "montinhos de lenha e fósforos", no sentido de qualquer exclusão de um ou de outro e muito menos de ambos, de um projecto em que acredito e para o qual não serei capaz de encontrar, de momento, alternativa que se lhes possa, de perto ou de longe, sequer comparar. E ninguém será capaz de me convencer que o "paradigma de Dortmund" alcançou o êxito que ficou à vista de todos, com unanimismos e a estúpida ausência de críticas sobre erros cometidos.

Perdoar-me-ão todos os sportinguistas que por uma razão ou outra possam não estar de acordo comigo, mas o êxito do Borússia de Dortmund terá assentado, fundamentalmente, em três importantes pilares:

1 - Na inteligência, competência, pragmatismo, perseverança e "low profile" dos seus dirigentes.

2 - Na competência técnica, raça, capacidade de motivação e coragem de  Jürgen Klopp.

3 - Na paixão e paciência dos adeptos e nas lotações esgotadas do Signal Iduna Park, mais conhecido pela "Casa de Ópera do Futebol Alemão".

Que Bruno de Carvalho e todo o seu elenco directivo, Marco Silva e os adeptos leoninos, sejam capazes de "copiar" o exemplo do Borússia de Dortmund! Creio que poderemos muito bem estar no caminho certo, mas ainda estaremos longe de atingir... os mínimos!...

Leoninamente,
Até á próxima

8 comentários:

  1. Se o meu amigo trocar umas quantas características, entre os vários pontos, talvez estejamos mais perto da nossa realidade... inicial. Tipo..., "low profile" para o ponto 2..., raça e coragem... para o ponto 1.... e lotações esgotadas do ponto 3 para....... o balde....

    Quer-me parecer que o "low profile" vai regressando ao ponto 1, talvez a raça esteja, lentamente regressando ao 2.... ficaremos, por enquanto, orfãos das outras duas... sendo que as 'lotações esgotadas' estão, directamente, nas nossas mãos... É QUE ESTÃO MESMO.... (Não me canso de gritar... "...EU VOU LÁ ESTAR")

    Tudo isto é uma evolução... que esper(em)o(s) seja na continuidade... Eles, em Dortmund, tiveram a real "paciência"... para além de uma capacidade, muito tipicamente, germânica que faz toda a diferença.... a todos os níveis (dentro e FORA do campo)

    Não concordando com "montinhos de lenha", não aqui...!!! Não posso deixar de refletir que a verdade acerca do Carriço é só mais um caso, entre tantos outros, em que a nossa história colectiva é tão fértil.... Quem nunca "assobiou" "um Carriço" que mande a primeira pedra... mas que "Carriço" é, muitas vezes, o nome do meio da comunidade leonina... lá isso é.....!!!

    Tenhamos a verdadeira e estável paciência de ter "Carriços" e, se calhar, mais perto estaremos, do sucesso COLECTIVO....

    A paciência pelos títulos, neste clube, é inversamente proporcional à "paciência esgotada" com alguns dos intervenientes...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo ZE, ninguém poderá afirmar que o Paraíso existe, assim como também ninguém poderá negar a sua existência. Porém, para além de agnósticos e cépticos, centenas e centenas de milhares de milhões, transportam em si diferentes crenças na sua existência e diferentes caminhos ou sonhos para o alcançar. No tema em questão e no que se refere à "comunidade leonina", para utilizar a sua expressão, acontecerá qualquer coisa de muito parecido. Também haverá, legitimamente, crentes, cada qual com o seu tipo de fé, cépticos e agnósticos. Eu, obviamente crente, apenas pretendi explicar a "minha fé", sem pretender transformá-la no único caminho para o "paraíso".

      Mas compreendi perfeitamente o seu comentário e não me custa concordar com ele em certas nuances.

      SL

      Eliminar
  2. Excelente texto amigo Álamo, sempre relacionei o Dortmund de Jurgen com o Sporting de Leonardo antes e agora de Marco Silva, concordo com os três pilares que enumera em que assenta o êxito do Dortmund e desejo de todo o coração que a nossa direcção , o nosso treinador e os nossos adeptos saibam copiar esse modelo...
    Quem como eu vive o leoninamente sabe com toda a certeza que o termo "montinhos de lenha e fósforos" não se identifica de forma alguma, com o seu autor, pois baseada naquilo que tenho lido dos seus escritos, sei que é uma pessoa cuja preocupação, é acima de tudo o bem estar do nosso Sporting, logo todas as críticas que faz são de cariz construtivo, oxalá todos os blogs Leoninos tivessem a mesma preocupação....

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado amiga Leoa Maria. Sempre será muito difícil agradar a "gregos e troianos"!...

      "Sou o que sou, gosto porque gosto e sei apenas por onde vou e para onde não quero ir!..."

      Escrevo sempre com o pensamento nos sportinguistas que sentem e vivem o Sporting, como a minha amiga Leoa Maria, que nem tenho o privilégio de conhecer pessoalmente, mas com a qual há muito me identifico.

      Abraço, gratidão e SL

      Eliminar
  3. ideias com as quais estou de acordo, mas há um senão: Jurgen klopp é único, em dimensão humana e profissional.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não serei tão redutor, mas que não existirão muitos com a sua dimensão humana e profissional, também penso que não, caro A.Martins.

      Eliminar
  4. Tivemos o nosso Klopp mas deixamo-lo fugir, Leonardo Jardim era o nosso Klopp.


    Nelson Monteiro de Viseu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei, caro Nelson Monteiro, se o deixámos fugir ou se terá sido ele que não quis ficar. Mas o que é certo é que foi à vida dele. Caramba, talvez consiga compreender, mas... o Sporting não valeria o sacrifício de aturar coisas que lhe desagradavam?! Bastava um esforçozinho, diabo!...

      SL

      Eliminar

PUBLICIDADE