segunda-feira, 6 de março de 2017

"Yo no creo en las brujas, pero que las hay, las hay"!...


DO OITENTA AO OITO

«Depois de Bruno de Carvalho ter sido reconduzido como presidente com 86 por cento dos votos, o ‘day after’ eleitoral parecia traduzir-se por um dia perfeito para os adeptos. Aos títulos colectivos alcançados nos Nacionais de Corta-Mato e à vitória de Jessica Augusto, juntou-se a medalha de ouro de Nelson Évora - embora em representação de Portugal, é actualmente atleta do Sporting pelo que o orgulho leonino saiu reforçado. 

Para o dia terminar em beleza, faltava então a equipa de Jesus vencer o V. Guimarães. O Sporting até começou bem, marcou primeiro e… pronto, fechou para obras. O Vitória lançou as armas de ataque que tinha e Pedro Martins foi recompensado pela sua coragem. O empate teve sabor doce para o Vitória e amargo para o Sporting. Os leões perderam a possibilidade de atingir o quarto triunfo consecutivo, voltaram a sofrer golos e vêm agora o Benfica a 12 pontos e o Porto a 11 de distância. Ao mesmo tempo, o Braga aproximou-se. Enfim, o dia passou do oitenta para o oito.

Projecto e obra feita contribuíram para a reeleição de Bruno de Carvalho. Mas há algo mais que tem cativado os sportinguistas nos últimos quatro anos e que sufragou a ‘goleada’ que o líder alcançou nas urnas: a capacidade de Bruno enfrentar os rivais. Não é uma questão de antibenfiquismo (como imprudentemente Pedro Madeira Rodrigues assumiu ser da sua essência) ou de antiportismo. É, antes, a consciência de que o Sporting perdeu muito terreno para os rivais e que é necessário desafiá-los. Bruno incomoda, Bruno irrita, Bruno chateia os rivais e isso é algo que agrada a quem sente que o clube necessita deste tipo de acção para se bater de igual para igual contra os maiores adversários. Percebe-se. O que já não se compreende é a necessidade de ofendê-los por tudo e por nada.»
(António Magalhães, Entrada em Campo, in Record)


Comungo o sentimento expresso por António Magalhães nesta sua crónica de hoje, facto que me terá conduzido ao estado de espírito actual: satisfação pela vitória arrebatadora de Bruno de Carvalho e, porque sobre os sportinguistas as bruxas parecem ter despejado todas as pragas do seu reino, incompreensão e desalento pelo "desastre" de ontem à noite em Alvalade!... 

"Yo no creo en las brujas, pero que las hay, las hay"!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. Por falar em bruxas todos têm direito ao seu Artur Jorge. Muitos benfiquistas defenderam a ideia de que o Artur Jorge foi mandado para o Benfica para dar cabo daquilo por dentro. E na verdade depois de ele sair aquilo por lá ficou sem conserto. Bruxas??? Elas existem??? Sei lá estou como o caro Alamo.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE