quarta-feira, 8 de março de 2017

"Toda a sorte do mundo para o nosso Clube"!...


SECOND LIFE

«Caro dr. Bruno de Carvalho: 

Como não sou cínico, nem vira-casacas, não escondo que a minha visão para o futuro do Sporting não passava por si, mas a sua expressiva vitória nas eleições confere-lhe toda a legitimidade para dirigir o clube nos próximas quatro anos.
Agora, espero e desejo que tudo aquilo – e foi mesmo muito – que prometeu aos sportinguistas e que seguramente os levou a renovar reforçadamente a confiança em si, se concretize; se assim for, cá estarei para aplaudir e festejar. O seu sucesso será a minha alegria.

Dizem-me que é pouco propenso a ouvir outras pessoas e a praticar a colegialidade; se alguma vez isso foi verdade, espero que mude, porque uma das muitas coisas que distingue o Sporting dos seus rivais, é justamente, o nível de democracia interna. Mesmo correndo o risco de bradar no deserto, ficam os meus seguintes votos, para o seu segundo mandato:

– Que o presidente fale menos e melhor; quanto menos falar, mais será ouvido;

– Que o presidente se lembre que cada vez que comunica, mesmo no Facebook, ou em desabafos pessoais, é a instituição Sporting que está a falar;

– Que o presidente se deixe dessas partes gagas, de assistir aos jogos no banco; qualquer dia armam-lhe uma cilada e é irradiado;

– Que o presidente promova a união de todos os sportinguistas, porque isso é que tem mérito, dividir é fácil;

– Que o presidente cultive a máxima que cada um é respeitado, na medida em que saiba respeitar os outros.

Já aqui escrevi, mais do que uma vez, que defendo que os presidentes, por regra institucional, devem cumprir os mandatos, mesmo que os treinadores de sua eleição, se vão embora. Espero que honre esse princípio, lembrando-se, no entanto, sempre, quão efémera é a glória, sobretudo num clube de futebol. O dr. José Eduardo Bettencourt ganhou as eleições com maior percentagem ainda do que o senhor e, menos de dois anos depois, teve de arrepiar caminho, porque o futebol não lhe correu de feição.

No mais, toda a sorte do Mundo para o nosso clube! Saudações leoninas.»
(Carlos Barbosa da Cruz, O canto do Morais, in Record)


Começo com a declaração de que o meu interesse em trazer aqui e agora esta "carta aberta" de Carlos Barbosa da Cruz ao presidente eleito do Sporting Clube de Portugal residirá mais no objectivo de levar ao conhecimento dos sportinguistas que me lêem, a sua publicação na edição online de hoje do jornal Record de hoje, às 17:55, que analisar o conteúdo de um texto produzido por uma figura do universo sportinguista, que muitos sportinguistas conhecerão como confessadamente apoiante da linha oposicionista derrotada nas últimas eleições, tendo eu consciência de que nem todos terão acesso à sua leitura.

Nesta condição apenas me apraz registar o "fairplay" evidenciado pelo autor perante a "expressiva vitória" de BdC, para utilizar as suas palavras, ficando outras vertentes objectivas e subjectivas ao cuidado da análise que delas possam fazer, os sportinguistas que por aqui passarem e o próprio alvo a que foram dirigidas.

Parafraseando, CBdC, no mais...

"Toda a sorte do mundo para o nosso Clube"!...

Leoninamente,
Até à próxima

6 comentários:

  1. Fosse sempre assim é a história seria já outra... O problema do SPORTING sempre foi a sua maior virtude... Há vezes, e peço que não me interpretem mal, a democracia é o maior problema dos justos... e no SPORTING isso foi uma constante durante tempo de mais... É que no meio de uma liberdade de sinceras. sentidas e construtivas críticas vêm os malefícios dos aproveitamentos e da desestabilização... E 'era' tão fácil derrubar-nos, de dentro para fora....

    Quiçá desta vez as coisas possam vir a correr pelo bem de TODOS nós...

    ResponderEliminar
  2. A alusão à questão do futebol é que me parece excessiva, visto que sendo o futebol importante para mim, não é apenas isso que me move para votar para uma direção do Sporting, uma vez que o ecletismo e os resultados das modalidades são quase tão importantes como os resultados do futebol e quem esperou 18 anos, ainda tem tolerância para esperar mais algum tempo, se verificar que se está a fazer um trabalho sério.

    ResponderEliminar
  3. Com as devidas adaptações:

    "Quando o "fairplay" é grande até o garoto desconfia!"

    Este a mim engana-me, nunca!
    ZZZ

    ResponderEliminar
  4. As palavras deste senhor barbosa sam a falso. Este e daqueles que esta escondido com a faca em punho emboscado a espera do primeiro deslize para atacar pelas costas. Este individuo nunca fez nada em prol do clube. Berdamerda para as intencoes dele.

    ResponderEliminar
  5. Começou bem, mas no fim não percebi a do treinador e futebol, comparações com Bettencourt e o futebol não correu bem, blá, blá. Custou-me a perceber, e penso que o fim estragou o principio. A.A. SL

    ResponderEliminar
  6. Não é dedididamente a criatura mais habilitada para dar lições ou conselhos, mas não posso deixar de concordar com alguns pontos.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE