quinta-feira, 23 de março de 2017

Hipocrisia? Submissão?!...


UM PONTO

«Um clássico é sempre um clássico, no que tem de expectativa, ansiedade e calor no estádio. Mas o próximo Benfica-Porto pode ser o jogo do título. E com uma distância tão minúscula entre os dois clubes, o calor escalda já, a mais de uma semana do pontapé de saída do jogo propriamente dito.

O comunicado oficial do Benfica desta semana coloca directamente em causa o papel das duas instituições fortes do futebol: a Federação e a Liga. É uma posição agressiva, de confrontação, por parte do líder do campeonato. Não é uma posição frequente.

É, obviamente, uma forma de pressão num momento decisivo do campeonato. O Benfica teve uma sorte do tamanho do Estádio do Dragão no último fim de semana, ao ver o  Porto empatar em casa contra o Setúbal e assim desperdiçar a hipótese de tirar a liderança a quem lá está há seis meses. Se o Porto tem ganho, o próximo jogo da Luz poderia ser muito diferente, logo à entrada.

Veremos como será à saída. Se o Benfica ganhar, tem mais espaço de manobra para o difícil fim de campeonato que ainda terá pela frente, e que inclui as deslocações a Alvalade, a Vila do Conde e, mesmo a fechar, ao Bessa. Para mais, o clube não anda propriamente a convencer com grandes exibições, o que é uma maneira simpática de dizer que não anda a jogar um chavo ao pé do que já jogou. Mais difícil será se não ganhar aos azuis e brancos. Pior ainda se perder.»


Pedro Santos Guerreiro em apenas quatro curtos parágrafos consegue o feito demolidor e incontornável de colocar o dedo na ferida, ao dizer aquilo que a quase generalidade dos orgãos de comunicação social que trata diariamente a coisa desportiva não tem coragem - leia-se, em linguagem rude e "hortícola", tomates! - de dizer, pelas razões que todos estamos fartos de saber: porque o Benfica "não anda a jogar um chavo" e as perninhas lhe tremem como varas verdes, entendeu recorrer à única tábua de salvação que lhe resta, está bem de ver que não o fez directamente, uma torpe pressão sobre a arbitragem, pouco se lhe dando se "coloca directamente em causa o papel das duas instituições fortes do futebol português", de modo a criar o contexto necessário a evitar que no próximo clássico da Luz o futebol assista à "derrocada final do tetra escarlate"!...

Mas tão interessante como a crónica de PSG, será o seu cruzamento com outra crónica, esta do director António Magalhães, publicada no mesmo jornal apenas 3 minutos depois. Reparem:






PORTUGAL NO SEU MELHOR

«Jeroen Dijsselbloem. Quem? É um senhor holandês e presidente do Eurogrupo que mexeu com o orgulho português ao dizer que não podemos "gastar o dinheiro todo em álcool e em mulheres". Como prontamente reagiu Ricardo Araújo Pereira, "andamos a gastar é pouco". Mais a sério, o líder dos ministros das Finanças da Zona Euro teve resposta à altura de personalidades dos diversos quadrantes da sociedade e também de governantes, entre eles o primeiro-ministro António Costa, ainda à porta do Football Talks, um dos fóruns mais mediáticos do Mundo. Sim, organizado por portugueses. É por isso que o nome do senhor holandês é tão difícil de escrever como fácil de esquecer.

Pelo Estoril desfilam altas figuras do futebol mundial e muitas ideias e exemplos. Vários são nossos e têm ainda mais valor quando, ali mesmo, ouvimos números que aparentemente nos colocam com remotas possibilidades de chegar às grandes decisões. Mas como provou 2016 e a conquista do Euro, não há missões impossíveis, antes sonhos que se podem concretizar. Mérito de dirigentes, treinadores e jogadores que cada vez mais devem trabalhar de acordo com uma visão que potencie aquilo que de melhor temos: talento, resiliência, vontade.

O que de melhor o Benfica tem foi sublinhado por Luís Filipe Vieira no discurso que proferiu na Gala do clube, abrindo as portas para um futuro que assenta nos pilares que o líder benfiquista não se tem cansado de realçar: a formação, o reforço das infraestruturas, a internacionalização da marca. Fê-lo tendo a seu lado o presidente da FPF, entidade que dias antes não foi poupada em comunicado oficial. Hipocrisia? Submissão? Seguramente, não é a alimentar ‘guerras’ que Portugal será capaz de continuar a expressar o que tem de melhor.»
(António Magalhães, Entrada em Campo, in Record)

Torna-se demasiado óbvio para qualquer "paroquiano do futebol português" que se recuse a "comer gelados com a testa", que António Magalhães, investido das responsabilidades que tem no jornal de maior dimensão do actual panorama do nosso jornalismo desportivo, não poderia "entrar de chancas" e afrontar os "DDTs" do pântano. Inteligentemente, usou o protagonista holandês de uma outra guerra prestes a deflagrar na UE, para "compôr o ramalhete" e camuflar os "espinhos da rosa" que no mesmo colocou, com o proverbial apelo ao provincianismo tuga de "sermos os melhores do mundo", utilizando o recurso ao "Football Talks"...

Porque os "espinhos da rosa" estão lá. No ramalhete. E são dois. Apenas. Em forma de pergunta inocente, mas que Fernando Gomes e José Manuel Meirim, hão-de decifrar perfeitamente, tão certo com eu estar aqui a entreabrir a cortina.... 

Hipocrisia? Submissão?!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Novo link O Meu Sporting http://sporting1967.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  2. Afinal não levou muito tempo, até um "dos Pilatos" se "transformar em papel Renova" (do vermelhinho...às bolinhas)...
    Para "limpar o rabinho" aos lampiões...
    Tudo na mesma...tudo como dantes quartel general em " abre antes"...( para custar menos...)
    Pois é...
    SL

    ResponderEliminar
  3. Conversa..., balelas..., verborreia...

    Até ver, efetivamente, alguém com responsabilidades editoriais e outras, a CHAMAR O BOI PELOS NOMES... e acima de tudo... APONTAR O DEDO a quem faz pressão de facto... (desde quando é que o facto em si é novidade???) tudo isto... é só mais CONVERSA..., BALELAS..., VERBORREIA...

    AH E TAL...!!! FALAM, FALAM, FALAM... MAS NÃO FAZEM NADA...!!! Se este discurso se mantivesse lá para os findos de Maio... até poderia relevar parte da minha azia... Mas a verdade..., é que quando lá chegarmos lá voltará a verborreia "do melhor chega sempre à frente...", "a qualidade de uns e a """"(des)qualidade""" de outros...", "BLA BLA BLA...", "BLA BLA BLA...", e o mundo segue girando... MAIS DO MESMO...!!!

    ...CONVERSA..., BALELAS..., VERBORREIA...

    ...HIPOCRISIA E SUBMISSÃO...

    p.s. por isso é que eu não lhes dou nem crédito... nem dinheiro (desculpem a redundância!!!)

    SAUDAÇÕES LEONINAS

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE