sexta-feira, 31 de março de 2017

Há por aí "meirinhos" que nem para lhe limpar as botas serviriam!...


«O Benfica tem vindo a dominar de forma escandalosa a opinião pública e chega aos órgãos da justiça desportiva. Percebe-se que há sempre uma mão, bem visível e vermelha que está a abusar do seu poder. Pode até fazer o seu jogo dentro das regras mas não pode utilizar vias ilegítimas para exercer o seu domínio (através de uma) 'poderosíssima máquina de propaganda'. [...]

As pessoas que estão no futebol e que querem fazer uma estratégia ilegítima não são amadoras. O futebol português, ao mais alto nível, está entregue a pessoas muito ardilosas, profissionais e com muita 'manha'. Os órgãos que devem ser independentes, por vezes, podem sentir-se condicionados. [...]

Penso que há uma grande falta de bom senso e falta de cultura jurídica das pessoas que estão na justiça desportiva. De juristas têm pouco e estão a precisar um curso de reciclagem de Introdução ao Direito e do que é a Constituição e o respeito das liberdades fundamentais. As deliberações que visam a proibição de qualquer declaração pública da parte do presidente do Sporting são manifestamente disparatadas, exageradas e desproporcionadas. Isso é limitar o direito à liberdade de expressão, que é algo de elementar. Admito que possa haver castigos do ponto de vista desportivo e algumas restrições, mas nunca chegando a esse extremo. Essa decisão não tem qualquer adequação com o que se pretende com a medida. Se a medida é punir algo que o presidente do Sporting fez de errado, não é preciso chegar a este exagero. [...]

(Sobre a frustração, revolta e disposição de Bruno de Carvalho de lutar até às ultimas instâncias e consequências, aceita-as e, sobretudo, apoia-as, suportado na Constituição, recordando que as decisões da justiça desportiva, em casos devidamente comprovados, podem ser alvo de anulação por parte do poder judicial civil) A questão é saber se se trata de algo estritamente desportivo. Se se verificar que o que está em causa são os direitos fundamentais dos cidadãos, a justiça desportiva não pode nunca ficar imune ao poder judicial do Estado, que pode reparar uma violação grosseira da Constituição.»
(Bacelar Gouveia, in Rádio Renascença)


Quem pensa assim e o afirma publicamente com a força do conhecimento e do crédito de ser um dos mais proeminentes constitucionalistas portugueses é Jorge Bacelar Gouveia...

Há por aí "meirinhos" que nem para lhe limpar as botas serviriam!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Como podia limpar bem as botas se tem as mãos sujas!

    ResponderEliminar
  2. Outra vez a vermelho, ó fdgp?
    Tu que escreves tão bem com a côr da merda...
    És mesmo muito pequenino...e doido!
    Vai "bardamerda" palhaço!
    E podes meter o "constitucionalismo" na tua peida. Ficas com mais um título!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda me sobra uma réstia de esperança de que um dia, mais ou menos longínquo, esta espécie de benfiquistas compreenda, que os títulos a vermelho que por vezes utilizo, é exactamente para os mandar a todos à "bardamerda", poupando a palavra que não terá culpa nenhuma!...

      Eliminar
    2. És o exemplar típico daquilo que entendo, do que seja um burroboifikista. Melhor desenho não seria possível, porque descreves magnificamente, tal "bicho" vermelhusco.

      Eliminar

PUBLICIDADE