quinta-feira, 9 de março de 2017

Mais uma vez, para todos esses energúmenos, ide todos à bardamerda!...


DÉCADAS DE COBARDIA

«Bruno de Carvalho, talvez a ressacar de meses de campanha contida, não aguentou e, parafraseando o seu tio-avô, gritou: "bardamerda para todos aqueles que não são do Sporting". Por o que Bruno de Carvalho fez pelo clube, pelo exemplo de civismo dado pelos sócios e pelo respeito que todos os adeptos me merecem, lamento que o tenha dito. Lamento todas as vezes que Bruno de Carvalho opta por este caminho. Até por saber que se põe a jeito perante uma comunicação social que tem, para com ele, uma postura muito diferente da bovina submissão que sempre reservou a outros dirigentes desportivos. Mostrando isso, o jornal ‘I’ fez uma capa em que o presidente do Sporting surge de cabeleira loira e é tratado como o "Trump português", uma associação provincianamente importada de um jornal britânico.

Não me incomodam os ataques a Bruno de Carvalho. Incomoda-me a diferença de critérios que denuncia alguma cobardia da nossa comunicação social, dando a entender que estão perante algo nunca visto. Onde estavam tão corajosos escribas quando Carlos Pinhão foi espancado? Ou quando jornalistas menos dóceis eram impedidos de entrar nas Antas, onde o guarda Abel semeava o medo? Onde estavam durante três décadas de abuso de poder por parte do ‘senador’ Pinto da Costa? Onde estavam tão puritanas almas quando Luís Filipe Vieira invadiu os estúdios da SIC Notícias? E com quem o compararam quando chamou aos jornalistas de "jagunços", "lixo" e "pessoas sem valores de família". As palavras de Bruno de Carvalho incomodam-me, mas estão a léguas do pior que podemos encontrar no futebol nacional. Pelo menos ele fica-se pelos desabafos. E é por o saberem inofensivo que fazem a ele o que, em décadas, nunca se atreveram a fazer a Pinto da Costa e a Luís Filipe Vieira. Não quero que o poupem. Queria que mostrassem um décimo da coragem com quem manda no futebol nacional.»


Quando uma significativa maioria de sportinguistas julgava estar na forja um segundo mandato consideravelmente diferente do primeiro em termos de comunicação, Bruno de Carvalho entendeu surpreender tudo e todos com nova recaída!...

Daniel de Oliveira tem razão em lamentar que tenha dito o que disse e mais razão terá em lamentar todas as vezes que o presidente do Sporting opte por este caminho. Além de já serem suficientes os constrangimentos em que terá colocado os sportinguistas durante o primeiro mandato, não será justo que os sujeite a nova prova durante mais quatro anos. Nem justo, nem necessário...

Para isso estamos cá nós os adeptos, pelo que, quem se meter com o Sporting, já sabe que leva pelas trombas abaixo...

Mais uma vez, para todos esses energúmenos, ide todos à bardamerda!...

Leoninamente,
Até à próxima 

10 comentários:

  1. Enquanto Sportinguista, nem queria que os bardamerdas dos jornaleiros tivesse 1/10 coragem para confrontarem quem manda no futebol, bastava que apenas se dedicassem a publicar as noticias ou opiniões sem adulterarem a verdade dos factos, mostrassem respeito pelo seu código deontológico.

    Mais uma vez em grande Daniel Oliveira, cada cronica que passa mais apreciador fico.

    AF

    ResponderEliminar
  2. os constrangimentos em que terá colocado os Sportinguistas durante o primeiro mandato???????

    Com todo o devido respeito caro Alamo, ide bardamerda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grato por "todo o devido respeito", irei bardamerda caro "anónimo das 19:53"!...

      E com todo o respeito também lhe digo, acompanhe-me s.f.f.! Mas não se esqueça de levar o balde e a pá, porque o respeitinho é muito lindo e o meu campeonato, a fazer fé na sua educação, terá porventura o dobro da longevidade do seu!...

      Eliminar
  3. Badamerda ou Bardamerda, eis a grande questão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bardamerda, berdamerda e mais badamerda e bedamerda, não serão de modo algum uma grande questão! Serão, isso sim e dizem-no os dicionários admitindo as quatro formas, uma questão de merda!...

      Como curioso destas questões linguísticas, não poderei afirmar ter conhecimento através de mim próprio, porque nunca pronunciei tal palavrão à frente de um espelho, mas posso assegurar ao "anónimo das 20:29" que pelo aspecto revelado pelas pessoas que o pronunciaram à minha frente, estou em crer ter reparado que "bardamerda" enche mais a boca a quem a utiliza! Recomendo por isso ao anónimo, de forma altruista e absolutamente grátis, que passe a utilizar esta forma!...

      Eliminar
  4. O espelho do Espadinha agradece o reflexo da bardamerda...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coitado, que os deuses o ajudem a suportar vida tão amarga e sem sentido!...

      Eliminar
  5. O nosso consócio Daniel Oliveira, continua honestamente a cumprir a sua missão...
    É isso "honestidade"...!!

    E por falar em honestidade permita-me o amigo Álamo colocar aqui um artigo do jornalista José António Saraiva, publicado no "Sol"...
    Não creio que JAS seja simpoatizante de Bruno Carvalho...

    Mas parece-me jornalista honesto e por isso...

    "... Os jornalistas e Bruno de Carvalho

    Na madrugada de domingo carreguei no botão 5 do comando do televisor (SIC Notícias) para assistir à divulgação dos resultados das eleições no Sporting.



    José António Saraiva
    jose.a.saraiva@newsplex.pt

    Era cerca da 1h00 da manhã. O anúncio tinha sido prometido pelo presidente da Assembleia Geral para as 22h00, mas três horas depois ainda não se sabia nada. E nesse telejornal da 1h00 também nada disseram. Debalde esperei diante do ecrã até às 2h00. Acabei por me ir deitar sem saber os resultados.

    É verdade que não sou do Sporting, mas tinha escrito uma crónica no Record sobre o assunto e alimentava alguma curiosidade em relação ao desfecho.

    Entretanto, fiquei a ver o que diziam os comentadores em estúdio. A uma mesa, além do moderador, sentavam-se mais três pessoas: um jornalista, um comentador penso que ligado ao Benfica (Joaquim Rita) e outro ao Sporting (Ribeiro Cristóvão).

    Todos eles eram altamente críticos para com Bruno de Carvalho. Não tinha ganho quase nada no futebol em 4 anos, as contratações de jogadores foram um descalabro, o pagamento de 8 milhões a Jorge Jesus era disparatado, não havia coerência entre a escolha do treinador e a aposta na formação, etc.

    Quem os ouvisse, sem saber mais nada, diria que Bruno de Carvalho teria um resultado desastroso – senão mesmo uma derrota. Ora, no domingo, ao levantar-me, verifiquei que obtivera mais de 86% dos votos – contra menos de 10% de Madeira Rodrigues.

    É por estas e por outras que o jornalismo é mal visto por muita gente. Estando eu de fora, percebi uma coisa elementar: Bruno de Carvalho, com todos os seus evidentes defeitos, deu ao Sporting uma alma nova. Pôs de novo o Sporting no mapa. O Sporting é hoje visto de novo como um dos três grandes. Contratou três dos melhores treinadores portugueses (Leonardo Jardim, Marco Silva, e Jorge Jesus), pondo fim a um ciclo de treinadores estrangeiros de qualidade duvidosa. Os sócios voltaram a acreditar e os adeptos a encher o estádio. No ano passado, a equipa lutou pelo campeonato até ao fim, e talvez o tivesse ganho se um jogador seu não falhasse um golo contra o Benfica quase em cima da linha de baliza. Falou de igual para igual com os presidentes do Benfica e do FC Porto. Etc.

    Foi por isto que Bruno de Carvalho teve quase 90%. E esse resultado mostra que os sócios sabem separar o trabalho global de um presidente do momento conjuntural da equipa principal de futebol, que não é nada bom.

    Claro que, nos próximos 4 anos, Bruno de Carvalho não pode defraudar as expectativas. Pode não ser campeão. Mas tem de situar definitivamente o Sporting entre os 3 grandes, competindo com eles de igual para igual. ..."

    (Só "achei graça" foi ele "catalogar" Ribeiro Cristovão como "afecto" ao Sporting...
    Até pode ser...mas "imita" muito mal...
    Com "amigos" destes...!)

    SL

    ResponderEliminar
  6. Amigo Álamo, grande texto de DO, subscrevo na íntegra, se a cs (com letra pequena, pois não merece outra coisa) cá do burgo tivesse um mínimo de dignidade, deitava mãos à obra, e acatava o pedido de DO: "Queria que mostrassem um décimo da coragem com quem manda no futebol nacional.» mas como a cobardia é apanágio de quem só sabe atacar os fracos este pedido vai caír em saco roto...

    SL

    ResponderEliminar
  7. Caro Álamo, mais uma vez obrigado por partilhares mais um belíssimo texto do Daniel Oliveira a quem eu agradeço também pela sua lucidez e postura nesta matéria e noutras que por vezes também publica. Assim e em forma de agradecimento junto estas singelas palavras:

    Há coisas que o povo inculto têm de saber...

    A origem de bardamerda(s) ou berdamerda(s)

    O termo conhecido do calão português tem origem controversa. Os únicos registos que apontam nesse sentido são atribuídos à expressão «Vai berdamerda!» ou «Vai bardamerda!», segundo Alice Póvoa, Ana Costa e Ana Ferreira em As Faces Secretas das Palavras (Lisboa, Edições Asa, 2005, p. 29) e o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, «frase interjetiva insultuosa [que pode traduzir irritação, desprezo, arrogância, etc.] que alguns estudiosos arriscam que deve provir de uma frase proferida, em terras orientais, por um militar de origem portuguesa, [esta, provavelmente, uma etimologia popular]». Estas duas obras atestam várias formas para os substantivos badamerda(s) e bardamerda(s), variantes de berdamerda, ou simplesmente barda ou berda (formas reduzidas dos vocábulos, também usadas como interjeição).

    Todos as demais obras atestam simplesmente a origem incerta deste calão. Com o seguinte significado suplementar: «pessoa insignificante, sem valor» (Grande Dicionário da Língua Portuguesa, da Porto Editora, 2010, p. 198), «pessoa sem caráter» (Novo Calão Português, Lisboa, Casa do Livro, 1979, p. 30), «pessoa medíocre» (Dicionário do Calão, Lisboa, Editorial Presença, 1974, p. 57), «palerma, badameco» (Beabá da Malandragem, Lisboa, Europress, p. 19) , «canalha, joão-ninguém» (As Faces Secretas das Palavras, ob. cit.).

    Relativamente à expressão «Vai bardamerda!», com um sentido mais ofensivo, a restante bibliografia indica que significa «mandar alguém àquela parte (expressão de desprezo)», conforme o anteriormente citado Dicionário do Calão, usada como expressão de desespero (Novo Calão Português, ob. cit.)

    https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/origem-de-bardamerdas-ou-berdamerdas/4651

    Mais Informação consultar também:

    https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/bardamerda

    https://www.priberam.pt/dlpo/bardamerda

    Isto só demonstra a falta de cultura, brio, isenção e moralidade da maior parte da comunicação social portuguesa.
    Assim, BRADAMERDA caros jornaleiros.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE