segunda-feira, 27 de março de 2017

Estará na forja mais um ponta de lança à nossa moda?!...



«Leonardo Ruiz, avançado colombiano que se encontra em Portugal há três anos, é o entrevistado desta segunda-feira do Desporto ao Minuto, onde fala da sua passagem pelo Porto B, do que correu mal com João de Deus e da sua veia goleadora na presente temporada.

Com apenas 20 anos, chegou a Portugal para representar as cores do Porto, por empréstimo do Atlético Nacional. No entanto, os dragões não chegaram a acordo para a transferência a título definitivo, tendo este acabado por rumar ao Sporting. Com os olhos postos no futuro, Leonardo Ruiz promete tudo fazer para "chegar à equipa A", onde já espera aprender com Jorge Jesus e Bas Dost.

DesportoaoMinuto: Após um ciclo complicado, o Sporting B está numa série de cinco vitórias consecutivas. Como é que a equipa se sente neste momento? 

Leonardo Ruiz: Estamos muito motivados e contentes. A equipa encontrava-se numa posição muito delicada, mas esteve sempre junta e acreditou sempre. Agora, estamos no lugar onde estamos [12.º] e queremos chegar ainda mais longe.

DM: A equipa passou por momentos complicados, esteve 13 jogos consecutivos sem vencer. Foi um momento difícil?

LR: As coisas não nos corriam bem e a sorte não estava a nosso favor, mas o importante é que acreditámos sempre, mostrámos a nossa convicção perante os adversários e conseguimos reverter a situação.

DM: Que explicação encontra para esse período negativo?

LR: Já passou, foi uma fase de aprendizagem para nós e foi muito importante. Agora, a ideia é continuar com o bom trabalho e neste bom caminho. Temos um bom grupo, um plantel muito unido e isso foi o mais importante nos momentos difíceis, é aí que se vê as grandes equipas.

DM: A saída de João de Deus acabou por ser inevitável?

LR: É verdade que, desde que o ex-treinador abandonou o cargo, os nossos resultados têm sido diferentes. Mas a equipa é a mesma e temos trabalhado da mesma forma. O novo técnico [Luís Martins] trouxe novas ideias para a equipa e, para além disso, temos jogadores de qualidade, um culminar de coisas que nos ajudou a colocar-nos num lugar confortável na tabela classificativa. Ainda assim, tenho de agradecer ao treinador João de Deus por tudo o que fez pela a equipa B do Sporting e desejo-lhe muito sorte para o seu próximo projecto.

DM: Como é que o mister Luís Martins conseguiu recuperar a equipa tão rapidamente?

LR: Tem uma metodologia de jogo e de treino um pouco diferente. Estamos à disposição do treinador no que ele precisar. Temos de dar o nosso máximo e continuar a mostrar serviço.

DM: Que diferenças encontra entre os dois treinadores?

LR: São treinadores com estilos de jogo distintos, um é mais de posse e o outro prefere um jogo mais de transições.

DM: No último ano foi campeão da II Liga, este ano teve de lutar para deixar os lugares de despromoção. Alguma vez sentiu que poderia não ter feito a melhor escolha?

LR: Acredito muito em Deus, e ele põe-me no caminho certo. Se me pôs aqui é porque era aqui que ele queria que ficasse, portanto vou fazer de tudo para representar o clube da melhor maneira possível.

DM: O Leonardo também passa por um bom momento, leva três golos nos últimos quatro jogos. Ao todo, leva dez golos, mais um do que na época passada. Sente-se completamente adaptado ao futebol português?

LR: Já me sinto bem adaptado ao futebol português, já passaram três anos desde que cheguei a este país. Desde início, foquei-me na ideia de que queria adaptar-me o mais rápido que conseguisse. Para além disso, tento de tudo para marcar golos, é a minha verdadeira felicidade.

DM: Quais foram as principais dificuldades que sentiu quando chegou da Colômbia?

LR: Tive de criar o hábito de me deitar cedo [risos] e, principalmente, a intensidade dos treinos que há nos clubes português. Também é muito importante descansar bem. Além disso, os jogo em Portugal têm muita movimentação, enquanto que na Colômbia é mais caraterístico usar-se a força e a potência. Não foi difícil adaptar-me à comida portuguesa, que é boa!

DM: Chegou muito jovem a Portugal. A nível pessoal, foi difícil ter de deixar amigos e família para trás?

LR: Senti muito a falta da família, que é muito importante para mim, e, como sou filho único, ainda é mais difícil ‘abandonar’ a casa onde cresci. Mas, com os sacrifícios e obstáculos que a vida me coloca, eu vou conseguir sacar os 'frutos'.

DM: Esteve duas épocas no Porto e jogou contra o Sporting nos juniores e na II Liga. Alguma vez imaginou que podia acabar a jogar pelo Sporting?

LR: Não, nunca imaginei. Tinha a noção que o Sporting era um grande clube e uma grande instituição e, agora que aqui estou, estou muito contente. No FC Porto também fui feliz mas o Sporting abriu-me as portas, é um grande clube, e quero mostrar as minhas qualidades nesta instituição.

DM: A Academia de Alcochete é apontada como um exemplo a nível mundial. O Leonardo vive a Academia por dentro, comprova que está a esse nível?

LR: Têm uma excelente academia, eu gostava de ter vindo para aqui desde pequenino. Formou grandes jogadores e tem umas condições invejáveis, tenho de dizer que estou mesmo impressionado com a Academia de Alcochete. Aqui respira-se e vive-se futebol… é mesmo futebol por todo o lado [risos].

DM: Que jogadores mais o impressionaram na equipa B do Sporting?

LR: Gosto muito do Ivanildo Fernandes, acho que é um excelente defesa-central, e do Edu Pinheiro, que para mim é um grande jogador. Mas tenho um grande apreço por todo o plantel do Sporting B, é uma equipa muito trabalhadora e tenta dar o seu máximo em todos os jogos.

DM: É um jogador jovem, de um país que tem produzido muitos talentos, já jogou no FC Porto e está atualmente numa das melhores Academias do mundo. Por tudo isso, sente que os adeptos esperam muito de si?

LR: Consigo lidar com isso. Aliás, fico muito contente quando reconhecem o meu valor como jogador e, principalmente, quando as pessoas ficam satisfeitas com o meu trabalho no clube. A ideia é continuar o meu caminho e dar alegrias aos adeptos.

DM: Está aqui emprestado pelo Atlético Nacional, o objetivo é continuar na próxima temporada?

LR: Para mim era importante continuar neste clube, é aqui que quero construir o meu caminho como futebolista e espero, acima de tudo, que seja o começo de algo muito bom.

DM: Tem sido apontado como um dos jogadores que poderá fazer a pré-época com a equipa principal. Sente-se preparado para esse desafio?

LR: Claro que sim. Se o mister Jorge Jesus me chamar para a pré-época, vou para lá com a maior felicidade, com muita personalidade, mas com os pés assentes na terra para este novo desafio.

DM: Costuma falar com Jorge Jesus?

LR: Às vezes treino com a equipa principal e troco algumas palavras com o treinador Jorge Jesus, mas tento é desfrutar os momentos e tentar mostrar a minha qualidade ao técnico.

DM: Que imagem tem do treinador?

LR: É um treinador forte, que gosta de fazer um trabalho bastante sério e eu gosto muito de ver isso num treinador de futebol. Se treinar com ele, acredito que vai correr tudo bem [risos].

DM: Jorge Jesus é conhecido por potenciar o talento dos jogadores. Está entusiasmado em trabalhar com ele?

LR: Claro que sim, estou a trabalhar arduamente e bem para, quando o mister Jorge Jesus me chamar, estar preparado para o desafio.

DM: O Bas Dost chegou esta temporada e leva 26 golos em 33 jogos. É um jogador com quem pode aprender?

LR: Bas Dost é um excelente avançado, toda a gente sabe disso, e, se tiver oportunidade de trabalhar com ele, seria muito bom para mim, aprenderia muitas coisas boas.

DM: A Colômbia tem um outro avançado, o Falcao, que também tem estado a grande nível. Por Portugal também já passaram colombianos como Teo Gutiérrez, Fredy Montero ou Jackson Martínez.Sente que tem potencial para dar continuidade a esse legado?

LR: Foram e são grandes jogadores colombianos. Sigo os seus jogos e as suas carreiras são muito inspiradoras para mim. A minha ideia é representar o meu país, chegar o mais alto possível, tentado fazer o que eles fazem ou ainda melhor.

DM: Com que jogador mais se identifica?

LR: Identifico-me com o Bas Dost, familiarizo-me com as suas movimentações em campo, principalmente quando recebe a bola e, na área, mostra um grande poder de finalização.

DM: E acha que pode chegar a esse nível?

LR: Acho que posso, sim senhor.

DM: Quais consideras que são os seus pontos fortes enquanto jogador?

LR: Ser forte na finalização, principalmente na área e no jogo aéreo, estar sempre a comunicar os colegas de equipa e ter visão de jogo.

DM: Quais são os seus planos para o futuro?

LR: O meu primeiro grande objectivo é tentar chegar à equipa A, para isso tenho lutado muito e dado o meu máximo para que, quando aparecer essa oportunidade, eu consiga singrar.»



Uma curiosa e interessante entrevista de Leonardo Ruiz que muito provavelmente passará despercebida a uma boa franja de sportinguistas!...

Estará na forja mais um ponta de lança à nossa moda?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE