sexta-feira, 3 de março de 2017

Entrevista de Bruno de Carvalho a António Bernardino



Entrevista de Bruno de Carvalho a António Bernardino, in jornal Record

Na véspera das eleições, o actual líder leonino mostra-se confiante e revela que, se voltar a ser eleito, e apesar de ter contrato apenas até 2019, JJ será o técnico que quer ver a seu lado durante os próximos quatro anos.

"A MINHA VONTADE É TER JESUS ATÉ FINAL DO MANDATO"
03:10 (LINK1)

RECORD: Jorge Jesus tem mais dois anos de contrato. Caso Bruno de Carvalho seja eleito, tem treinador apenas para metade do mandato. Pretende contar com Jesus durante todo o seu mandato?

BRUNO DE CARVALHO – É a minha vontade, e a dele também. Nunca sabemos o dia de amanhã, mas é a nossa vontade. Houve um processo de aprendizagem pelo qual tive de passar. Neste caso, sobre os meandros do futebol, mas o Jorge Jesus também passou por um processo de aprendizagem…

R: Aprendizagem?

BdC – O Jorge é grande sportinguista, sócio cinquentenário, mas estava afastado da realidade do clube, num rival, o qual, à boa maneira do século XV, no tempo das conversas de ‘escárnio e maldizer’, fazia isso o dia todo. Ele esteve seis anos a ouvir que o Sporting não interessa para nada. Actualmente, vemos um Jorge Jesus totalmente focado em ganhar tudo a nível nacional e devolver a dimensão europeia que o Sporting tem, pois já se apercebeu da dimensão deste clube. A aprendizagem do Jorge não foi no plano táctico. Aí ele é o melhor e dá lições; foi na questão da dimensão do clube. Ver o brilho nos olhos do Jorge foi muito bom e fortaleceu a nossa amizade.

R: Mas existem muitos rumores relacionados com o seu relacionamento com o treinador... 

BdC – É um tema engraçado. Conseguimos sentar-nos e falar de futebol, preparação da época, mercados, necessidades. Isso é bom, criam-se laços, amizades. Conhecemo-nos aqui, mas criámos uma amizade pelo respeito mútuo. O Sporting melhorou muito com ele. Se há coisa que eu observo, é a qualidade de trabalho. Por isso, lá está a história de ir para o banco. 

R: Como assim? Qual é a relação? 

BdC –Não vou para o banco aprender táctica; vou para ter conhecimento do que se está a passar. É para isso que o treinador lá está? Não. Ele está lá para treinar, dar indicações; não está a observar o que se passa no banco. Eu posso estar atento para saber quem está feliz, quem está feliz para a fotografia, quem está a dormir, quem dá uma risada quando estamos a perder. 

R: Já tomou decisões em função dessas observações? 

BdC – Com certeza. Há muitas conversas que tenho com o Jorge, nas quais coloco em cima da mesa o conhecimento que adquiro por estar perto do balneário. É isso que o Jorge gosta. Já viu que estou atento. 

R: Consegue garantir que vai ser campeão na próxima época? 

BdC –Vamos ser campeões no próximo mandato e mais do que uma vez. Temos condições financeiras, desportivas e organizativas que me permitem dizer isto. Mas já podíamos ter sido campeões. 

R: O que falhou, então, para não ser campeão neste mandato? 

BdC – Na vida profissional, por vezes, tudo o que pode acontecer de mau… acontece. Não me estou a desculpabilizar. Os ‘flops’? Também os temos. Mas o Jorge tem uma característica que o faz ganhar muitos títulos: sabe o que quer de cada jogador, exige e nem todos os jogadores assimilam. No Sporting, precisamos de resultados rápidos porque não vencemos há 15 anos. Muitas vezes, chamamos ‘flops’ a situações para as quais não temos tempo. Há jogadores que passaram pelo Sporting que não podemos dizer se são bons ou maus, jogaram cinco, dez minutos. 

R: Afinal, qual foi a lógica dessas contratações ? 

BdC – Houve algo fora do comum no Verão: o volume de propostas que tivemos. A certa altura, não sabíamos se os valores chegariam às cláusulas. Felizmente, não saíram. Ficámos com um plantel muito grande, o que não ajuda à saúde psicológica do grupo. Eram três equipas... um erro. Mas atenção a este ‘pequenino’ pormenor: as três equipas, exposição mediática em demasia... Mas se, naquele famoso jogo, o Sporting tem ficado à frente um ponto e não cinco atrás… 

R: Está a referir-se ao jogo com o Benfica, no Estádio da Luz? 

BdC –Aí houve vólei e não futebol. Se não tem acontecido, garantidamente não me estava a fazer estas perguntas, mas sim como é que eu me sentia no 1º lugar. 

R: Consegue garantir que Gelson Martins não sai no final da época? 

BdC – Posso prometer que o Sporting, actualmente, não precisa de vender ninguém. Agora, se me aparecer um negócio irrecusável... Acho que o Gelson Martins acabará por sair, mas não me parece que seja agora. O Gelson sabe que tem um caminho a percorrer e de atingir um nível que ainda não tem, apesar de já ser magnífico. Por isso, aquilo que posso prometer é que para se fazer, tem de se fazer um excelente negócio. 

"ENTREVISTA DE VIEIRA? ATÉ ME VIERAM AS LÁGRIMAS AOS OLHOS"
05h30 (LINK2)

«R: O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, em entrevista à CMTV, admitiu que a equipa de Rui Vitória foi beneficiada nos jogos contra Chaves (Liga) e Estoril (Taça de Portugal). Mas não concorda que tenha sido beneficiada no dérbi com o Sporting. Viu a entrevista?

BdC – Vou ver, porque vieram-me agora as lágrimas aos olhos. É sempre bonito quando vemos que as pessoas têm essa humildade. É engraçado isso ter acontecido depois de eu ter dito que fui o único presidente que assumiu que o Sporting foi beneficiado. Uma coincidência, seguramente. Eu quando disse que o Sporting foi beneficiado, fui capaz de dizer que foi num jogo com o Benfica. Por isso, o responsável pela comunicação do Benfica melhorou, está a dar uma boa imagem, mas tem de melhorar mais ainda. Está na altura de ele começar a ver os jogos como deve ser. Mas tenho de lhe dizer que eu, como presidente de um grande clube, estou emocionado e vou ver essa entrevista. Mas falta-lhe isso, admitir que vólei não é futebol. Quando ele fizer isso, repensarei tudo aquilo que penso sobre alguém que me ofereceu fazer alianças. Porque considerarei que possa ter sido um dia mau, uma frase estranha. Mas compreendo que eu também não estaria muito são, se aqui na SAD estivessem sempre a entrar colombianos e eu a perceber que não faziam parte do plantel. Podia não estar são, porque se calhar o ambiente não era o mais saudável. Aqui temos de ter as janelas tapadas porque entra pó... Pó da obra do pavilhão. Fico muito feliz, muito sensibilizado, mas dou este conselho ao responsável pela comunicação: falta reconhecer que vólei não é futebol para ser a cereja no topo do bolo. Aí, ficarei maravilhado e virei a público dizer que Luís Filipe Vieira está a mudar para alguém com um carácter diferente daquele que não se apercebe que estão a entrar e a sair colombianos do gabinete ao lado. Mas está no bom caminho e fico muito contente. Auguro tudo de bom para o futebol português depois dessa intervenção. Está há 12 anos, demorou 12 anos para dizer uma meia-verdade, desde que não demore mais 12 para dizer outra meia... 

R: Nessa entrevista, Luís Filipe Vieira afirma também que o clube está dez anos à frente dos outros clubes. Como é que interpreta essa afirmação? 

BdC – O Benfica não está dez anos à frente dos outros clubes; eles estão 100 anos à frente. Ele esqueceu-se de um zero, pois a única discussão que devemos fazer em relação aos 100 anos, é se escrevemos com ‘c’ ou com um...»

"RICCIARDI NÃO FALA POR ENCOMENDA"
06h50 (LINK3)

«R: José Maria Ricciardi foi uma figura ligada a um Sporting que o Bruno de Carvalho criticou. Hoje, é um dos seus apoiantes. Existiu aqui uma mudança de paradigma?

BdC – Satisfaz-me muito. Para uma pessoa considerada, só pelos desatentos, como um divisionista, consegui reunir à minha volta pessoas que no início tinham pânico de mim e que agora têm a capacidade de dizer que ‘andei décadas a ajudar as pessoas erradas e este presidente… tenho que lhe tirar o chapéu’. Falamos de alguém que não precisa de provar nada, bem-sucedido, frontal, o que diz não é por encomenda. 

R: Se for eleito e o Sporting for campeão durante o seu mandato, pode ser o final da sua passagem pelo clube, ou admite ter a ambição de ser o líder com mais anos à frente do clube?

BdC – Com a casa arrumada, não há forma de não me exigir o título. Por isso, gostava de ter a honra de acabar a minha vida profissional no topo e isso, o meu topo, é o Sporting. Mas não me estou a ver como mais-valia para o Sporting se nas próximas épocas não for campeão.»

"TENHO PENA POR BÖLÖNI E JUANDE RAMOS"
07:30 (LINK4)

R: Já falou que a Lista A não apresentou projectos mensuráveis, mas há Juande Ramos, Bölöni ...

BdC – A Lista A tem quatro pilares: a equipa não é, porque são os meus restos. A estrutura para o futebol também não é; um é afastado, outro [Juande Ramos] faz um vídeo tétrico no telemóvel. É engraçado que ele está desempregado mas não está disponível. Provavelmente, precisa de férias. Como foi despedido do Málaga, deve estar com um peso grande. Eu percebo, ser treinador do Málaga é um peso grande. O Málaga é um clube com pretensões similares às do Sporting, acha o candidato da Lista A. Isto não é dizer mal do Juande Ramos. Tenho pena de o Juande Ramos se ter envolvido nisto, porque o Sporting tem um grande treinador a fazer um trabalho magnífico na Academia. Tenho pena pelo Bölöni, porque as pessoas do Sporting gostam dele. Para concluir, digo-lhe que os pilares da Lista A, são Godinho Lopes, Paulo Pereira Cristóvão, clubes rivais e a Doyen. Agora, os sportinguistas têm de dizer aquilo que querem.

R: Está confiante em relação à vitória nestas eleições?

BdC – No dia 4 de Março [amanhã], quero ter a felicidade de entender que os sportinguistas estão fortes, coesos e cada vez mais bem informados. Espero que os sportinguistas venham votar de forma massiva. E espero que, independentemente de quem ganhar, que o faça de goleada. Se ganho eu ou não, quem sabe são os sportinguistas.

"DEVIA SABER QUE ERA O BENFICA QUE CONTROLAVA"
08:00 (LINK5)

«R: O que teria feito de diferente neste seu mandato, para tentar chegar ao título?

BdC- O que teria feito de diferente? Deveria logo, desde o primeiro momento, ter percebido que havia muita coisa que era controlada pelo Benfica e não pelo Porto. Confesso que não me apercebi logo, isso foi claro. Não me apercebi que as coisas tinham mudado tanto de mão, isso foi, provavelmente, o meu primeiro erro. 

R: Acha que por vezes falou de mais e que isso o prejudicou?

BdC – Benfica e Porto estão a disputar a Liga taco a taco. Só os vejo atacarem-se um ao outro. São os dois clubes que na última década mais venceram. Sabem algo mais que nós, pois ganham e nós não. Toda a gente acha isto perfeito, mas quando sou eu, é porque sou parvo, bélico, conflituoso. O futebol disputa-se muito fora das quatro linhas, como provam Benfica e Porto neste momento. Gostava que o futebol fosse uma coisa bonita, que nos pudéssemos resguardar e fazer apenas aqueles discursos tipo Miss América... fim da guerra, água e comida para todos, era uma maravilha. Nada disso. Eu só absorvi a realidade. Veja-se o que se passa com a guerra entre Benfica e Porto.»
(Autor: António Bernardino/Record)

O jornal Record, através dos seus jornalistas António Bernardino e Vitor Almeida Gonçalves, a pouco mais de 24 horas das eleições no Sporting Clube de Portugal, terá decidido entrevistar, respectivamente, Bruno de Carvalho e Pedro Madeira Rodrigues, de modo a poder publicar na véspera do acto eleitoral a visão e as impressões finais de cada um dos candidatos, sobre os temas mais importantes do passado e presente da grande instituição de Alvalade, bem como a projecção que cada um deles entendeu fazer sobre o futuro.

Pelo facto simples, claro e límpido de o autor de Leoninamente não se sentir, nem legal nem eticamente obrigado a respeitar a isenção a que o jornal Record, legal e eticamente estava obrigado a recorrer para levar ao conhecimento de todo o universo leonino as impressões de cada um dos candidatos, e porque sem tergiversações de qualquer espécie aqui e agora proclama a sua declaração de interesses a favor do candidato Bruno de Carvalho, apenas foi publicada a sua entrevista. A outros mensageiros com interesses supostamente antagónicos, caberá naturalmente a missão de fazer o mesmo em relação a Pedro Madeira Rodrigues. Por mim e Leoninamente, apenas quero e desejo...

O SPORTING NO RUMO CERTO!...

Leoninamente,
Até à próxima

8 comentários:

  1. Obrigado, Álamo, por ter publicado a entrevista do Presidente. E obrigado também pela medida higiénica de não ter posto aqui a entrevista do parlapatão.

    #VotaB(em)
    #PMRparlapatão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fi-lo pelo que julguei ser a minha obrigação como sportinguista, caro "Leão Verde"! Apenas isso...

      Porque considerei ser esta entrevista, uma das melhores de Bruno de Carvalho, desde 2013! Pelo estilo "ironicamente polido" mas "terrivelmente contundente" que há muito tempo por aqui tenho defendido que BdC sempre deveria ter adoptado. Pelo reconhecimento do seu "primeiro erro", que significará para bom entendedor, o reconhecimento de outros que todos sabemos que cometeu. Pelo facto de, pessoalmente, ser levado a pensar exactamente por isso, que muita coisa irá mudar no seu segundo mandato, se a maioria dos sportinguistas pensar de modo semelhante ao meu...

      Quanto ao "parlapatão", no dia em que me visse obrigado a defender por aqui sportinguistas dessa índole, preferiria fechar o blog que "comer gelados com a testa"!...

      Abraço e SL

      Eliminar
  2. Caro Álamo:
    Que acabe depressa e se façam as eleições.
    já vi a campanha descer mais baixo nos últimos dias do que julguei possível. E da parte dos dois candidatos.
    Recomendaria um dia fechados no museu ambos, para ver se se recordam do que é o SPORTING CLUB DE PORTUGAL!
    Arre, que é demais!
    Abraço desiludido,
    José Lopes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimo Amigo José Lopes, deveremos usar de toda a nossa benevolência neste singular momento: estamos no auge da campanha! E julgo que esta não será a melhor altura para aferirmos verdadeiramente o carácter de cada um dos candidatos!...

      Tenho a certeza de que não precisarei de lhe recordar Ortega e Gasset: "o homem é o homem e as suas circunstâncias"!...

      Um abraço de compreensão e estímulo! Amanhã será outro dia...

      Eliminar
  3. Caro Alamo!

    Sou leitor assiduo do seu blog embora nao tenha o habito de comentar regularmente mas, queria agradecer-lhe ter partilhado a entrevista do nosso presidente.
    Amanha os meus votos serao para BdC.
    Saudacoes leoninas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário, pela preferência e assiduidade mas, em particular, por ser sportinguista e estar na mesma trincheira!...

      Um grande abraço e fortes SL

      Eliminar
  4. Alamo,
    Em vesperas de eleicoes chegou a hora de me pronunciar.
    Se houvesse uma palavra sintetizadora destas campanhas eu diria vacuidade.
    Pobres,agressivas,nalguns casos diletantes e sobretudo muito pouco esclarecedoras.
    Se do outro nada esperava a nao ser pior da que esta,tapar o fosso, obra nuclear no atual momento do clube.. No fundo percebeu-se o mobil da sua candidatura, abater BC.
    Ja de BC se esperava mais..mesmo nesta entrevista quando tenta explicar o fracasso das contratacoes nao explica nada a nao ser que insiste em apostar todas as fichas em JJ.
    BC vai ganhar claramente pois PMR ao longo da campanha se auto flagelou e "explicou" aos socios que trazia uma mao cheia de nada.
    Fica claramente no ar a sensacao de que havia espaco para uma 3 candidatura que marcasse a diferenca, uma lufada de ar fresco de ideias,deixando de lado as quezilias,falou-se mais da candidatura contraria do que do passivo, vmoc s, scouting, politica desportiva etc.
    Amanha votarei em branco.
    Disse

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Indiscutível a sua posição meu caro amigo João Antunes! E tão legítima como a minha, que bem conhece, e como a de todos os sportinguistas com e sem direito a voto.

      A caminho de uma vivência de 43 de democracia e com uns anos mais de traumatizantes experiências adquiridas no regime político anterior, perante a campanha para as eleições que amanhã terão lugar em Alvalade, terei conseguido separar bem as águas e não me deixar afectar pelos aspectos negativos que refere, até porque já assisti a bem pior no campo da política que, aí sim, deveria ser exemplar...

      Não tenho qualquer dúvida de que a responsabilidade do vazio de propostas e da degradação do ambiente em que decorreu esta campanha deverá ser repartido - e para o caso pouco interessará a proporção - entre os dois candidatos! Creio que apenas terá sobrado a obra feita de um e a inconsistência dos planos e a impreparação do outro, já que pela palavra ambos se atolaram no lamaçal que acabaram por construir.

      Que o acto eleitoral decorra com a elevação que a campanha não teve. Quanto ao "nosso grande amor", a esse ninguém será capaz de retirar do mais elevado patamar em que se encontra!...

      Um forte abraço, sendo certo de que nos continuaremos a cruzar por aí, nesta incessante e leonina luta! SL

      Eliminar

PUBLICIDADE