terça-feira, 7 de março de 2017

E na próxima época voltaremos a carpir as mágoas de agora!...


Num trabalho levado a cabo pelos jornalistas Alexandre Carvalho e Vítor Almeida Gonçalves, o jornal Record publicou hoje (LINK) a intenção dos dirigentes reeleitos no passado dia 4 de Março, partirem para uma nova abordagem da "estrutura leonina para o futebol", assente nos pontos seguintes:

«PRESIDENTE. Bruno de Carvalho não só manterá a liderança directa do futebol profissional e da Academia como deverá exercer maior influência em áreas como o mercado. Estrutura vai tornar-se mais ‘presidencialista’.

DIRECTOR DE FUTEBOL. É um cargo que se pretende de grande abrangência dentro da estrutura com funções já desempenhadas em parte por André Geraldes, director do gabinete de apoio. Octávio Machado surgiria, neste contexto, mais próximo das relações institucionais.

TREINADOR. Jorge Jesus é parte de um plano e não o plano propriamente dito. Ainda assim, continuará a ter palavra importante em tudo o que respeita à definição da época, contratações e parcerias. A SAD, à imagem do que já acontece, indicará sempre um adjunto para a equipa técnica.

EQUIPA. A base da política desportiva será a formação, como consta do programa de recandidatura de Bruno de Carvalho. A intenção é fazer quatro ou cinco contratações (verdadeiramente) cirúrgicas, minimizando ao máximo o erro.

MERCADO. O domínio terá supervisão directa e aumentada do presidente. A ideia, porém, é dotar o restante conselho de administração de capacidade para intervir, com o auxílio do treinador e do director de futebol.

SCOUTING. O departamento deverá sofrer alterações estruturais no sentido de melhorar a eficiência. O objectivo é que exista maior rapidez de avaliação, por forma a agilizar processos.

REPRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Rui Caeiro integra a direcção da Liga em representação do Sporting. Bruno Mascarenhas tem marcado presença nas assembleias gerais do organismo. Leões querem ter voz activa junto das instâncias e órgãos decisores.

COMUNICAÇÃO E JURÍDICO. Para lá de uma comunicação forte, capaz de seduzir aliados em várias frentes, o Sporting pondera reforçar o departamento jurídico com um rosto do futebol, identificado com as realidades da Liga, FPF, UEFA ou FIFA.»

Como sportinguista atento à suprema importância de que se deve revestir toda a "estrutura do futebol profissional do Sporting", não poderia ficar indiferente, a confirmarem-se os indicadores avançados pelos jornalistas, a esta intenção dos dirigentes leoninos: há muito que se conhecem os efeitos das debilidades que a "estrutura actual" tem evidenciado, nomeada e particularmente em termos de insucessos no "scouting" e nas contratações dele decorrentes, falhas nas políticas motivacional e comunicacional traduzidas no insucesso desportivo de todos conhecido, e a intervenção do Sporting nos organismos LIGA, FPF, UEFA e FIFA a reduzirem-se a um mero e desprestigiante papel de observador sem influência nas decisões fundamentais.

Mas de boas intenções estará o inferno cheio. Não me parece que o reforço da influência presidencial na "estrutura", da abrangência do director de futebol  e das pretensas eficácia e rapidez do "scouting" nas intervenções no mercado, sejam as panaceias capazes de tornar óptimo aquilo que se tem revelado há muito tempo como demasiado sofrível, para não dizer ineficaz e quase amador.

Se ao Sporting não aportarem  mais competências, mais "know how", mais desenvoltura, pragmatismo e eficiência, tudo ficará como dantes e o quartel-general continuará em Abrantes! Nem as moscas mudarão, à boa maneira tuga!... 

E na próxima época voltaremos a carpir as mágoas de agora!...

Leroninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Alamo,
    Mesmo depois de 30 anos a recorrentemente perdermos, continuamos a insistir no discurso autofagico da base desportiva ser a formacao, quando ja todos vimos provado por factos e contrafactos que quem vence em portugal nao aposta na formacao!!
    O que devia estar escrito era, a base da equipa sera com recrutamento exterior, sendo complementada com jogadores vindos da formacao!!
    Adoro o homem, mas o que anda la a fazer o MF??
    Reforcar a scouting de seniores e nuclear ou entao corremos o risco de acontecer o mesmo desta epoca, tiros na agua..
    O que precisamos mais para acabar com a ideia diletante de ganhar com base na formacao??
    Sera masoquismo colectivo??
    Abraco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo João Antunes, creio que precisamos do bom senso do Presidente e do Treinador e de alguém com grande qualificação e competência para abordar o mercado!...

      Sem alguma vez colocar em causa e respeitando em absoluto "o esforço, a dedicação e a devoção" de quem temos em casa, muito dificilmente alcançaremos a "glória" sem a qualificação e competência que atrás citei!...

      Concordo com o amigo na necessidade de uma melhor avaliação da relação entre o recrutamento externo e o aproveitamento da formação, assim como com a ideia de que será nuclear a necessidade de reforçar a estrutura com alguém que catapulte o nosso "scouting" para outro patamar...

      Não se fazem filhoses de água!...

      Grande abraço

      Eliminar
  2. Caro Alamo, mas o que falta em concreto à estrutura? Que competências, que pessoas?
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio ter respondido com a resposta a João Antunes, à questão colocada pelo caro Tearjerker.
      SL

      Eliminar

PUBLICIDADE