sábado, 3 de junho de 2017

Obviamente que não aplaudo!...


A LIGA QUE SE JOGA FORA DOS RELVADOS

«É ainda hoje célebre uma frase de Luís Filipe Vieira em que o presidente do Benfica dizia que era mais importante ter pessoas na liga do que contratar jogadores. As declarações eram proferidas no tempo em que o Porto controlava o futebol português e o líder encarnado tinha muita razão. Não se podem ganhar campeonatos sem jogadores, e bons, mas ter uma máquina forte, que não falhe nos momentos chave da época, na antecipação de acontecimentos, também é importante. Vital mesmo. O Benfica soube substituir o Porto neste particular e é hoje, de longe, o clube mais poderoso do território. Mérito de Vieira e seus pares, pois perceberam que há muitas outras coisas necessárias para ganhar além de golos. É por isso que os dragões lamentam a queda da famosa estrutura e que o Sporting procura recuperar alianças perdidas ao longo de anos e anos a navegar à bolina. 

A recente aliança Porto-Sporting incomoda o Benfica. As águias sabem que os dois juntos terão mais força e estão a reorganizar-se. E é aqui que entra Pedro Proença. Os encarnados não podem correr o risco de ver o antigo árbitro a cair para o outro lado. Precisam dele, pelo menos equidistante. Mais uma guerra palaciana, das muitas que acontecem no futebol português, sendo que esta tem realmente importância. É com este poder que depois se consegue, por exemplo, que um jogador fuja milagrosamente a castigo até ao final da época. Vieira sabe-o. Pinto da Costa também e Bruno de Carvalho está a aprender. E vão todos a jogo. 

O poder do Benfica vê-se também em pormenores como o marketing, a organização e a comunicação. O clube era um quando Vieira chegou. Hoje é outro. Não foi só a hegemonia que os encarnados tiraram aos dragões. Vieira também destronou Pinto da Costa.»
(Bernardo Ribeiro, Entrada em campo, in Record)

Aquilo a que Bernardo Ribeiro, bem ao estilo a que ultimamente nos vem habituando, chama na sua crónica de hoje, de "guerra palaciana das muitas que acontecem no futebol português" surge ironicamente simbolizada no seu jornal num trabalho de  Pedro Ponte e Vanda Cipriano também hoje publicado (LINK). A suposta aliança Porto-Sporting parece começar a dar frutos: além de "incomodado", o Benfica mostra aparentes sinais de estar a incubar uma arreliadora "gripe", tal a violência do espirro relatado  pelos dois jornalistas citados. É que como muito bem acentua BR, esta guerra poderá revestir-se a breve trecho de "real importância"!...

Face a tal importância, a que se soma a tumultuosa ebulição em que parece estar a ficar o mercado mesmo antes da sua abertura e a exigência a que naturalmente obrigam eventuais mexidas no plantel com vista à preparação da próxima temporada, são profundas as minhas reservas sobre a oportunidade do calendário escolhido por Bruno de Carvalho para mais uma "fuga para as américas": centralizam-se e desencadeiam-se as acções de guerra e na hora de "as castanhas estourarem", entregam-se aos sargentos a responsabilidades que deveriam assentar exclusivamente nos ombros do general, quando de CEO nem sinais no horizonte!...

Obviamente que não aplaudo!...

Leoninamente,
Até à próxima

6 comentários:

  1. "que um jogador fuja milagrosamente a castigo até ao final da época".
    Só pode estar a referir-se ao Slimani que esteve 9 meses à espera do castigo que só foi aplicado em Agosto do ano seguinte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente, não espanta um comentário desta natureza, quando as ideias são curtas e os cabelos ostensiva e generosamente longos!...

      Tinha que ser o Slimani, porque no caso Samaris, apesar de recente e resultar de "um crime público", o "pálio" que o cobriu era demasiado escarlate!...

      Eliminar
    2. Para quem defendeu que são mais valiosas as pessoas colocadas nos lugares certos do que contratar jogadores, claro que um Samaris se confunde com um Slimani...

      Eliminar
  2. Mais importante do que a celebre "estrutura" benfiquista que todos louvam...foi a "estrutura" que LFV conseguiu "introduzir" ba FPF e na Liga...
    Sem essa "estrutura" os lampiões jamais terusm

    ResponderEliminar
  3. Bolas...um toque ao lado e lá se foi antes de tempo o comentário...
    Dizia eu...que sem a "estrutura lampiónica" instalada na FPF e na Liga...o benfica nunca teria atingido o "treta"...

    O que se pretende... é que todos possam jogar com as mesmas armas...
    Alguém terá dúvidas de que se houvesse nos Organismos do futebol..."estruturas limpas" da possibilidade de favorecimento ao benfica...por exemplo o jogador Pizzi jamais teria passado "ao lado dos cartões"...?

    É nessas "pequenas grandes coisas",que residiu muito do "poderio" lampiónico...

    E ou o Sporting e os outros clubes " não vendidos ao poder lampião" conseguem "moralizar" a questão... ou tudo continuará na mesma...!

    SL

    ResponderEliminar
  4. Acedi, muito contrariadamente, a ler esta crônica...., Obviamente parei ao 2 ou 3 parágrafo...

    Enquanto se achar normal, e pior, decisivo e primordial, ganhar jogos sem marcar golos ESTÁ TUDO DITO...

    Como é possível, gajos como eu, darmos alimento a este DESPORTO SUJO... de GENTE DESTE NÍVEL...

    Bolas ZE, que andas tu a fazer???

    SAUDAÇÕES LEONINAS
    (que são as únicas saudações que me mantém por cá)

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE