sábado, 17 de junho de 2017

Para que não venham a ser paridos cães cegos!...


INVESTIGAR, MAS... BEM

«O Benfica reagiu finalmente às acusações de corrupção do Porto. Não foi a resposta firme e categórica que se esperava, antes uma desvalorização dos argumentos portistas, retocada com processos aos rivais e pedidos de reabertura de casos antigos como o apito dourado. Os encarnados denunciam um ataque de hackers ao sistema informático do clube, sem negarem de forma veemente a veracidade dos emails, aquilo que, acredito, os adeptos do clube mais desejariam. 

É óbvio que não se pode desvalorizar a forma como o Porto teve acesso às conversas. Pelo contrário, é algo que deve ser bem esclarecido. Mas uma espécie de ponto final na questão seria Luís Bernardo dizer que todas as comunicações entre Paulo Gonçalves, Adão Mendes, Nuno Cabral e Pedro Guerra eram falsas. Não aconteceu. Assim sendo, estou com todos os que pedem que se investigue até às últimas consequências. Inclusive que se reabra o Apito Dourado se houver possibilidade de chegar a novas conclusões que as gravações que ouvimos deixavam entender.

Só não estou com os que pedem celeridade. Há processos cuja complexidade obrigam a aturadas investigações e só assim se chega ao âmago da questão. Em Portugal, o mais recente exemplo é a Operação Marquês, que já se dividiu em vários braços e tem feito cair muitos poderosos. É que depressa e bem há pouco quem. Investigue-se, sim, mas bem.»
(Bernardo Ribeiro, Saída de campo, in Record)


Subscrevo inteiramente as palavras de Bernardo Ribeiro! Também eu nunca estarei com aqueles que pedem celeridade, sejam eles António Simões ou José Manuel Meirim, independentemente das razões que estejam por detrás da "pedalada" que cada um deles exiba e exija, necessária e compreensivelmente diferentes ou, quem sabe(?), nem tanto assim!...

Estará na cara e à vista de toda a gente, aquilo a que conduziria a celeridade: exactamente o que AS e JMM talvez desejassem para a causa única que ambos abraçam sem esconder! Melhor, exibindo mais responsabilidade, profundidade e ostensiva e declarada intenção de isenção, estará Cláudia Viana, presidente da CI da LPFP, que respondeu com luva branca à pouco inteligente ou mesmo grosseira intervenção pública do presidente do Conselho de Disciplina da FPF. E melhor também terá andado Pedro Proença ao pedir serenidade a todos o(s) agente(s) implicado(s) neste tão doloroso e escabroso, quanto nauseabundo processo.



Para o cidadão comum, normalmente avesso a estas "batalhas campais" que os juristas desta "tuga" praça, investidos da alta função de aplicar a justiça aos leigos, adoram discutir em público - porque será?! - começa a ser notório, quiçá flagrante, neste escabroso processo, de que lado estará a intenção de que as coisas sejam, "investigadas sim, mas bem"! E não me parece a mim, pobre rato que de leis percebe tanto como de lagares de azeite, que seja da parte de quem, sem esconder tão inusitado e destemperado nervosismo, exije celeridade! Aposto muito mais naqueles que, serenamente, recusam ser "cadelas apressadas"...

Para que não venham a ser paridos cães cegos!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. A estratégia é essa... Na impossibilidade de negar o inegável agora é preciso complicar a coisa, de tal forma que, prescrevendo ou impossibilitando, tecnicamente, a investigação se volte a 'passar entre os pingos da chuva'... É que todos sabemos como se faz justiça em Portugal... Quere-se, para parecer bem, julgar tudo ao mesmo tempo... criando processos com milhões de páginas, centenas de testemunhas, dezenas de pareceres, juízes e afins... Ora isto torna a justiça IMPOSSÍVEL de acontecer... Sabem eles que se se julgassem as coisas parcelarmente as coisas aconteciam como deviam acontecer...

    Até na tentativa de reabertura do "apito dourado" eles querem arriscar... Preso por cem... preso por mil... ou não terá o 'apito dourado' parado mesmo, mesmo, convenientemente, onde o BENFICA começava a aparecer... Ou será apenas uma 'fuga' para a frente por forma a dar alguma competitividade à 2a Liga... (por falar nisto... poderão os B's de Benfica e Porto ascender, automaticamente, à 1aLiga??? - Era a cereja no topo do... ESTERCO)

    SAUDAÇÕES LEONINAS

    ResponderEliminar
  2. A questão é que a comunicação entre os intervenientes referidos nesse texto é absolutamente despida de qualquer valor que indicie corrupção ou tráfico de influências. Aliás, se a nota do árbitro Manuel Mota não foi modificada, se o filho do Adão Mendes não foi promovido, e se o Nuno Cabral deixou de ser delegado da Liga (tudo temas tratados nessa conspiração dos e mails), afinal que raio de influências estão a ser exercidas nos ditos e mails? E agora pensemos nisto: o Pedro Proença não foi escolhido por Porto e Sporting? O substituo de Vítor Pereira no CA também não foi escolhido por Porto e Sporting? O presidente da Federação (Fernando Gomes) não era da SAD do Porto? E mais, só para finalizar esta reflexão, nesta conversa entre Bruno de Carvalho e os jornalistas que foi recentemente tornada pública, o presidente do Sporting não se gabou de ter sido o grande responsável por afastar Vítor Pereira da arbitragem, incluindo um cargo na UEFA? É só a mim que isso parece mesmo tráfico de influências?!?
    Julgo que as conclusões são simples de fazer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O comentário de Xabi Alonso revela apenas e tão só um bom aproveitamento da leitura da "cartilha", porém os argumentos utilizados, pelo mofo que reflectem, não terão, a meu ver, aquele mínimo de sustentação para eu me dar sequer ao trabalho de os rebater. Fique o caro com eles para poder continuar a alimentar a sua alienação...

      Eliminar
  3. A criatividade desta gent'alha' é de 'se lhe tirar o chapéu'... Aliás o tal do Vitor até era, ao que parece, sócio do Sporting o que deverá dar a BdC um agravamento da pena resultante do processo que lhe vai ser instaurado apenas por existir... Porque se ele não existisse garantidamente nada disto estaria a acontecer agora...

    SAUDAÇÕES LEONINAS

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE