quarta-feira, 14 de junho de 2017

Nem o pai morre nem a gente almoça!...




Em plena ascensão e meteórica afirmação nos nossos hábitos quotidianos dos fornos "micro-ondas", na preparação da nova época em Alvalade a sofisticação tecnológica parece andar arredia e fica-se com a ideia de que outro caminho não parece viável que o recurso ao obsoleto, ancestral e tradicional "banho maria"!...

Com água em forte ebulição à sua volta, no pequeno tacho em que borbulha a vida verde e branca - mais verde do que branca a julgar pelo aspecto! - jazem em descoroçoante espera para estarem quentes e prontos a ser servidos, todos os "pitéus" que alimentam a curiosidade e aguçam o apetite dos sportinguistas.

Acontece assim com o "guizado de Octávio Machado", o "bife mal passado de Bataglia", a "cabidela de Coentrão", a "salada de centrais", a "açorda" do Jonathan, os "77 milhões de grãos do arroz dos miúdos" e graúdos que tanto saem como ficam, para não falar dos restos de "comida retrasada", quiçá já em fase de degradação acelerada, como serão os casos dos "croquetes" Gutiérres e Petrovics, dos "panados" Slavchevs e Castaignos, ou ainda de "rissóis" como Zeegelaar, Douglas e , pelos vistos, Bryan Ruiz... 

Com tanto "banho maria", nem o pai morre nem a gente almoça!...

Leoninamente,
Até à próxima  

2 comentários:

  1. Se não "se resolver...o caso dos e-mails"...

    Vamos ter "o caldo entornado"...é que de nada valerá adquirir uma equipa ganhadora...

    Porque a vitória final ..."virá por decreto do 1º ministro"...!!

    SL

    ResponderEliminar
  2. Que rica caldeirada que aí está! Pena que desejaria olhá-la à distância, não podendo satisfazer-me com um cozinhado bem mais simples, mas suculento, tipo arroz malandrinho de miúdos, com Matheus, Iuri, Geraldes, acompanhado por um bom Palhinha ou um Podence que, manifestamente, é de boa colheita.

    (em boa verdade, gosto pouco de açorda de coentrada, é demasiado forte para o meu fígado)

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE