sexta-feira, 2 de junho de 2017

"I rest my case"!...



O RENASCER DO LEÃO

«O referendo a que foram sujeitas as modalidades do Sporting em junho de 1995 continua a dividir opiniões e nem sempre é pacífica a sua abordagem. Ainda hoje há feridas por sarar e nota-se algum desconforto com o cessar de secções como o hóquei em patins, voleibol e basquetebol. Foi um período negro, quiçá o pior, na história do clube que tarda em recompor-se desse hiato.

A confirmação deu-se passado pouco tempo: na inauguração do novo complexo não estava previsto um pavilhão digno desse nome, onde os sócios pudessem seguir aos fins de semana os encontros das várias modalidades como faziam na antiga nave de Alvalade. A esperança é agora retomada pelo presidente Bruno de Carvalho, que ainda no seu primeiro mandato criou as condições para o pavilhão João Rocha ser uma realidade. Com esta nova estrutura, o Sporting tem condições para discutir qualquer título com os seus rivais. A jogar em casa, num ambiente favorável, o Sporting arranca para a próxima temporada com uma confiança redobrada: honrar a tradição que as modalidades tiveram na era de João Rocha e, ao mesmo tempo, consolidar um percurso europeu nos vários desportos.

Felizmente as direcções dos clubes já entenderam o que vai na alma dos jogadores. Quem tem nome na Europa não quer estar limitado às vitórias nas provas internas. Isso sabe a pouco e a montra de vaidades são as competições europeias, que podem proporcionar bons contratos. O andebol do Sporting é um bom exemplo: o orgulho dos jogadores falou mais alto para jogarem na Liga dos Campeões em 2018. Tudo tem o seu preço, mas o investimento feito no andebol deu uma enorme alegria com a conquista da Taça Challenge e do campeonato. Valeu a pena.»
(Norberto Santos, Primeira Barreira, in Record)

Eu não me atreveria a dizer de modo mais simples e profundo aquilo que Norberto Santos nos oferece nesta sua crónica...

"I rest my case"!...

Leoninamente,
Até á próxima


2 comentários:

  1. O Pavilhão João Rocha ameaça tornar-se a menina dos olhos dos sportinguistas -e que mal tem?
    Tenho lido, por esses blogs fora, histórias sobre recordações familiares do passado de inúmeros sportinguistas, então meninos, hoje homens feitos, quando os dias de sábados e domingos começavam bem cedo, precisamente no pavilhão, acabando pela tarde/noite no Estádio -que saudade, dizem eles.

    Agora... está quase!
    O Voleibol, modalidade de tradições (o Miguel Maia virá dar uma mãozinha?) e o Basquetebol, hoje de milhõe$, também estão no espírito de todos e seriam muito bem-vindos.
    Bruno de Carvalho sonhou vir a ser o que hoje é, o Presidente, mas penso que haverá uma parte desse sonho que ele nunca revelou -mas isso não é importante, o que interessa é que sonhou e a obra está aí.

    ResponderEliminar
  2. "Nem tudo vai" como nós queríamos e desejamos...

    Mas a verdade "é que é de justiça que se agradeça...a quem nos trouxe de volta o nosso Sporting..."...!

    Sim...eu sei...!

    Mas quem nunca fez "disparates"...que "atire a primeira pedra"...!!

    Sporting Sempre...!!

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE