quinta-feira, 12 de julho de 2018

Muita pedra ainda para partir!...



Tendo como opositor o recentemente subido à I Divisão suiça, Neuchâtel Xamax, o Sporting efectuou ao fim da tarde desta quinta-feira o seu primeiro jogo particular integrado neste curto estágio em terras helvéticas. 

Segundo informação adiantada antes do encontro, José Peseiro entendeu excluir deste primeiro encontro, por razões que não foram explicadas, seis jogadores que, estando no estágio, ainda não iriam  ter quaisquer minutos: Nani, Bruno César, Carlos Mané, Mathieu, Francisco Geraldes e Mattheus Oliveira.

O Sporting apresentou o seguinte Onze inicial: Salin; Piccini, André Pinto, Marcelo e Jefferson; Petrovic, Misic e Wendel; Raphinha, Matheus Pereira e Montero


No início da 2.ª parte: Saíram Salin, Piccini, Jefferson e Petrovic e entraram Viviano, Ristovski, Jonathan Silva e João Palhinha.

Aos 64 minutos: Saíram Montero e Raphinha e entraram Castaignos e Lumor.

Aos 67 minutos: Saiu Matheus Pereira e entrou Jovane Cabral 

Aos 71 minutos: Saiu Wendel e entraou Bruno Gaspar

Aos 73 minutos: Saiu Misic e entrou Ryan Gauld

Aos 74 minutos: Sairam André Pinto e Marcelo e entram Demiral e Domingos Duarte

O Sporting marcou logo aos 3 minutos por Montero, tendo os suíços empatado no minuto seguinte e passando para frente aos 63 minutos, resultado final.

Jogo sem história, com medíocre prestação da parte da generalidade dos jogadores leoninos, onde apenas três apresentaram credenciais para uma eventual futura titularidade: Matheus Pereira, Raphinha e Viviano.  Dois erros de palmatória de Salin e Wendel permitiram os golos suiços, enquanto na frente reinou uma terrível falta de eficácia, pesem embora os esforços dos citados alas.

Terão estado presentes cerca de 1.600 adeptos sportinguistas, que fizeram gala de "requisitar" no final do encontro as camisolas dos jogadores do Sporting.

Marcado para o próximo  sábado, às 18 horas está o segundo particular, frente ao Nice. Este desafio será disputado em Divonne-les-Bains, estância termal perto da fronteira, a cerca de 25 quilómetros de Genebra. O último adversário será o Fenerbahçe, na segunda-feira.

Muita pedra ainda para partir!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Lá vou eu ser polemico como o Alamo não gosta...por muita pedra que se parta, se o pedreiro é fraquinho e só faz pre-fabricados, dificilmente conseguira fazer alguma obra merecedora da grandeza do nosso clube...

    ResponderEliminar
  2. A "construção civil" não será propriamente a minha praia, pelo que não alimentarei qualquer polémica. Agora quando olho para uma casa, sou capaz de ver se o projecto obedeceu a requisitos que entendo como fundamentais, dentro do orçamento do proprietário. Neste caso, o pedreiro terá sido aquele que entre muitos terá aceitado "meter as mãos na massa" e já assisti há 13 anos a obras bonitas por ele realizadas que me deram muito prazer apreciar! Sobre o futuro, reservarei para daqui a alguns meses a minha opinião, sem lançar desde já o anátema do insucesso garantido!!!...

    ResponderEliminar
  3. Eu tambem nao percebo de construçao mas dados concretos, o nosso pedreiro foi dispensado nos ultimos anos de Porto, Braga e Guimaraes. Ha 13 anos o que assisti foi que quando a casa estava quase finalizada, nao conseguiu por o telhado e toda a casa se desmoronou. Jogar bonito tambem Marinho Perez nos colocou a jogar, mas espero que a teoria do Alamo esteja mais certa que a minha, pois deixaria-me bem mais feliz e tranquilo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E assim já seriam dois, quiçá quase 4 milhões a ficar mais felizes e tranquilos!...
      Só falta convencer o Bas Dost! Está quase!!!...

      Eliminar

PUBLICIDADE