segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Só se perderam algumas palavras que ficaram e bem, por dizer!...

«Neste momento, sinto a obrigação de me dirigir a toda a Nação Sportinguista pois, ao contrário do que foi pedido, estamos num período em que têm surgido ataques internos inadmissíveis num Clube da nossa dimensão.
Vivemos um período delicado em que o trabalho deve prevalecer sobre os interesses pessoais de cada um. Ainda não existe qualquer candidato formal à Presidência do Sporting CP, tão só e apenas protocandidatos, uma vez que ainda não houve a entrega de qualquer lista a ser sufragada.
Mas tem havido ruido, muito ruido, e afirmações muito graves.
Existe um sócio do Clube que, tendo apelado a que este fosse um período de elevação, tem demonstrado fazer exactamente o contrário:
1. Acusa pessoas de estarem a ser pressionadas a fazer o que não querem e, confrontado, não concretiza;
2. Acusa o Clube de estar com problemas na formação do futebol, quando todos os escalões estão em 1º lugar ou a lutar pela liderança, ignorando inclusive que na última convocatória das selecções nacionais jovens fomos o Clube mais representado;
3. À porta de jogos fundamentais, para ainda podermos lutar por objectivos importantes, desestabiliza totalmente o balneário contabilizando de forma deprimente quantos jogos o actual treinador supostamente ainda irá dirigir. Para quem jogou à bola, a aprendizagem foi pouca e o respeito pelo Clube é nulo;
4. Acusa o Clube de estar a mentir nas assistências, prejudicando a reputação do mesmo junto dos actuais patrocinadores e parceiros e dos que estamos a negociar. Mentiras gratuitas que em nada contribuem para as eleições mas que mancham o Clube e a SAD com prejuízos que ainda terão que ser apurados;
5. Diz que tem investidores para comprar a Academia e jogadores (aumentando o passivo e revelando total desconhecimento da reestruturação que foi feita e das suas obrigações), mas diz que pagará como se de irmãos se tratassem. Sendo a Sporting SAD uma empresa cotada, afirmações destas levantam suspeição sobre a origem dos dinheiros e o interesse de investir "como irmãos", colocando-nos sob um radar de suspeita de que não necessitamos e, muito menos, aceitamos. O Sporting CP não precisa de recorrer a este tipo de soluções para resolver o que já está resolvido: a Academia ou a aquisição de jogadores. Isso foi há 4 anos, e este tipo de afirmações só nos denigrem perante os rivais e o mercado;
6. Diz que os sportinguistas ladram, o que é ofender e humilhar toda a Nação Sportinguista que passou a ser alvo de chacota depois dessa afirmação;
7. Diz que o Sporting CP nunca investiu tanto nas modalidades e isso preocupa-o pois é voltar ao despesismo. Falta dizer que, ao mesmo tempo, foi sempre apresentado lucro, coisa que não acontecia há muitos anos;
8. Falam de prémios atribuídos ao Presidente, que em nada correspondem à verdade, lançando dúvidas e lama sobre o líder do Clube que querem servir e que, em momento algum, pode viver sem liderança, ou com esta a ser maldosa e caluniosamente fragilizada e minada.
Na vida não vale tudo e, por enquanto, não existem candidatos, apenas o Presidente. E, porque coloco o Clube acima de qualquer outra agenda, não abdico do meu mandato em toda a sua plenitude até ao dia que, por vontade dos Sócios, deixe de o ser.
Sendo assim, e tendo esperado muito tempo para ver se estas intervenções caluniosas e prejudiciais paravam ou, no mínimo, diminuíam, fui estando calado.
Agora, não posso mais. O Sporting CP não pode ser prejudicado por este tipo de intervenções absurdas e sem respeito institucional, reveladoras de total falta de noção da realidade e que apenas têm servido para prejudicar, de forma factual, o Clube. E diminui-lo perante os nossos rivais e parceiros.
Ser candidato deve significar um debate sério e elevado de ideias e projectos e não um ataque, vil e calunioso, que prejudica exclusivamente o Clube mostrando a falta de apego ao Sporting CP de quem o desfere, revelando apenas a sede do poder pelo poder.
Seja quem for que entregue as listas até ao dia 2 de Fevereiro, que saiba estar à altura desta enorme Instituição que merece o melhor de quem a serve ou de quem a quer servir.
Vamos todos focar-nos no que realmente interessa: todos ao Dragão a apoiar o nosso Clube, o Sporting Clube de Portugal!
E também todos a apoiar nos pavilhões, recintos, ringues, pistas e piscinas em que estivermos a competir!
Viva o Sporting Clube de Portugal!»
(Bruno de Carvalho, na sua página do Facebook)


Os supersticiosos costumam bater por três vezes com os nós dos dedos em qualquer objecto de madeira que esteja mais à mão, para afastar quaisquer pragas de inveja e mau olhado dos inimigos...

Bruno de Carvalho tem vindo, de algum tempo a esta parte, a fazer um considerável e apreciável esforço de contenção que me merece rasgados elogios, sugerindo a ideia correcta que por aqui tanto tenho defendido, de que será tempo de dar a palavra às obras. Porém e porque "quem não se sente nunca será boa gente", entendeu e, a meu ver, muito bem, "bater por oito vezes na 'madeira' que tinha mais à mão", não fossem "as pragas de inveja e mau olhado" de uma conhecida e declaradamente inimiga "árvore que se julga floresta", cairem em terreno fértil sem o necessário, apropriado, justo e legítimo contraditório.

Não será questão de superstição, mas... A 'madeira" estava mesmo a pedi-las!...

Só se perderam algumas palavras que ficaram e bem, por dizer!...

Leoninamente,
Até à próxima

7 comentários:

  1. Esforço de contenção só mesmo para rir. Este ataque ao MC tem por único intuito desviara as atenções de uma grande entrevista de Joao Benedito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico a assistir ao riso solto do "anónimo das 18:56", cheio de comiseração: muito riso pouco siso!...

      Quanto ao MC, não conheço quem seja. Já sobre JB, a entrevista terá sido extensa, sim, quanto a 'grande', por certo para o anónimo, já que para mim, além de pobre, já nem surpresa constituiu...

      Eliminar
    2. muita comiseração é o que sinto eu pelo seu proselitismo, cegueira e seguidismo ao grande líder, mas cada um come do que gosta.
      MC-pensava que uma pessoa com a sua inteligência pudesse "entrever" que me referia a madeira Rodrigues, sendo obviamente uma falha no teclar, portanto, para quem não percebeu, queria escrever MR

      Eliminar
    3. O que é que a entrevista diz que seja mau para BdC.
      Tenho grande estima pelo João Benedito, mas sinceramente acho que até esteve mal na parte em que não apoia ninguém nem diz em quem vai votar para não influenciar os sportinguistas.
      Ele lá terá uma opinião é votará em quem quiser. Posto isto porque não dar a sua opinião e apoiar alguma candidatura. Qual é o problema de poder influenciar o resultado das eleições? A mim pareceu me que foi uma forma de ter possibilidade de ser oposição a quem quer que vença as eleições no caso de correr mal.
      Uma das coisas que gostava, e gosto, no J. Benedito é o fato de falar e ser assertivo nas suas opiniões. Não entendo esta dificuldade em falar neste momento.
      João Benedito é um nome que gostava de ver no Sporting, mas neste momento só consigo ver BdC ao comando do Sporting. O clube melhorou em tudo com a sua chegada. Tudo!

      Eliminar
    4. Não resistiu ao dribbling e mostrou as evidentes debilidades defensivas. Quanto ao MC fica-lhe bem reconhecer a "falha no teclar", embora a leitura prévia antes de publicar devesse fazer parte dos hábitos de quem se julga acima do "proselitismo, cegueira e seguidismo" mas que só se enganará a si próprio quando não tem capacidade para se aperceber de que estará a ser títere de interesses que todos tivemos a infelicidade de conhecer nas últimas décadas...

      Eliminar
  2. Começa-se a perceber para que serviram as tão propaladas reuniões de PMR com a propaganda do EL: catequização!

    ResponderEliminar
  3. João Benedito foi um grande guarda-redes de futsal do Sporting, mas isso não implica que possa vir a ser um grande presidente do clube. Daí que me custe a compreender este fascínio de alguns sportinguenses por JB! É a tendência sebástica dos sportinguenses.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE