domingo, 29 de janeiro de 2017

Alan Ruiz: "Roma e Pavia não se fizeram num dia"!...


Lembro-me da chegada a Alvalade de Alberto Acosta, credenciado goleador argentino de 32 anos, internacional por 25 vezes, que viria a estrear-se com a verde e branca em 19 de Dezembro de 1998, em época para esquecer, com apenas 13 jogos realizados e 3 golos marcados.

Na época seguinte - 1999/2000 - todos aqueles que chegaram a duvidar do seu valor tiveram a prova do quanto estavam errados, tendo Acosta comprovado finalmente toda a sua categoria e capacidade goleadora, destacando-se como um dos elementos fundamentais da equipa que viria a sagrar-se campeã ao fim de 18 anos de jejum e consagrando-se como o melhor marcador do Sporting, com 24 golos apontados - 22 dos quais no campeonato - em 39 jogos. 

Beto Acosta ainda permaneceu no Sporting mais uma época, tendo sido novamente o melhor artilheiro da equipa, com 21 golos em 47 jogos disputados.

Também 25 anos antes Hector Yazalde na primeira temporada que jogou pelo Sporting, não apareceu, mas logo na temporada seguinte - 1973/1974 - o popular "Chirola" marcou 46 golos em 30 jogos e conquistou a Bota de Ouro europeia.

É por isso que não me tem surpreendido a inadaptação e irregularidade demonstradas por Alan Ruiz nesta sua época de estreia no Sporting e no futebol português: parece constituir lugar comum em quase todos os jogadores argentinos, as dificuldades que revelam na primeira época, para depois assistirmos à explosão de todo o seu talento, de que a princípio só nos apercebemos em fugazes lampejos, que não escapam contudo a qualquer bom observador.

Será talvez por isso também, que Jorge Jesus, em declarações à Sporting TV, não se cansou de tecer rasgados elogios a Alan Ruiz no final do jogo com o Paços de Ferreira:

«Ainda não aguenta os 90 minutos. Toda a gente já percebeu que está ali um grande jogador. Tem tudo para fazer uma grande dupla com Bas Dost»

Alan Ruiz foi titular na recepção ao Paços de Ferreira, tendo sido substituído por Marvin Zeegelaar à passagem do minuto 74, tempo que tem vindo sucessivamente a aumentar em cada jogo, muito distante já dos escassos minutos das primeiras aparições.

"Roma e Pavia não se fizeram num dia"!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. É este o espírito... meu amigo...!!!

    Dentro daquilo que temos para receber há muito que temos, primeiro, de dar... Na realidade, muito particular, do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL e do meio pérfido em que está, inevitavelmente inserido (e fico-me por aqui quanto a adjetivos porque o post é sobre coisas boas - mas todos perceberão do que falo) é preciso ter 'calma' com a generalidade das circunstâncias que rodeiam a avaliação, na maioria das vezes, prematura ou enviesada do valor dos homens que nos chegam... É certo que há uns que não enganam, 'como o algodão', p.ex., a "Tulipa Verde"... Não podendo, porque impossível é, tudo acontecer como no caso do nosso, atual, matador, muitos houve, e há, a quem o tempo e as circunstâncias não foram as mais adequadas... Infelizmente isso também é o SPORTING CLUBE DE PORTUGAL...

    SAUDAÇÕES LEONINAS

    ResponderEliminar
  2. Alamo,
    Muito se tem falado sobre uma epoca de grandes falhancos nas contratacoes. Bas Dost custou 12M€ , pois, mas rende, Alan Ruiz custou 8 M€ , pois, mas tem indiscutivel qualidade, os que falharam custaram 1,2 ou 3M€..
    O que e bom custa dinheiro e trabalho em descobri-los.
    O caso de Slimani e uma excepcao e que nao acontece todos os anos.
    Que sirva pra memoria futura quando se abordar o mercado!!
    SL

    ResponderEliminar
  3. Paciência com este argentino, porque será craque no Sporting.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE